terça-feira, 28 de julho de 2015

.: Em agosto vai ter muita música no Sesc Campo Limpo

SHOWS

Coral da Gente - Instituto Baccarelli
O grupo é formado por alunos avançados do Instituto Baccarelli e regido por Regina Kinjo. No piano, Claudia Cruz (que também é preparadora vocal no Instituto Baccarelli) e Karina Muniz. No repertório, músicas internacionais e brasileiras, quase todas com arranjos especiais, como Bohemian Rhapsody (Freddie Mercury), Yesterday (John Lennon e Paul McCartney), We Are The World (Lionel Richie e Michael Jackson), Hallelujah (Leonard Cohen), Epitáfio (Sérgio Brito), Você (Tim Maia), Menina (Paulinho Nogueira), Roda Viva (Chico Buarque), Isto é Brasil (Mário Rocha, Renato Correa e Paulo Sérgio Valle), e muito mais. Todas coreografadas pelo preparador cênico Lucas Migliorini.
Livre. Grátis. Duração: 60 min.
01/08. Sábado, às 19h.

Nega Duda
Ducineia Cardoso, a Nega Duda, é referência do samba de roda baiano na capital paulista. Vinda de São Francisco do Conde, localizada na região do Recôncavo baiano, deu ao mundo a voz e a força dessa tradição ancestral tão brasileira. Moradora de Cidade Tiradentes, bairro da periferia na zona leste de São Paulo, ela integrou a comitiva brasileira no 17º Festival de Montpellier-Printemps des Comédiens (França). Atualmente trabalha na divulgação e difusão da cultura do Recôncavo, como a culinária e a música.
Livre. Grátis. Duração: 60 min.
02/08. Domingo, às 18h30.

5 a Seco – Show do Álbum Policromo
Pertencentes a uma geração que reprocessa múltiplas influências musicais como nenhuma outra, os integrantes do 5 a Seco dialogam com a tradição da canção brasileira, mas agregam referências diversas, do indie rock à música erudita, dos ritmos regionais brasileiros ao jazz atual. Essencialmente cantores e violonistas, eles tocam, além dos instrumentos de origem, baixo, guitarra, bateria e percussões, em um revezamento dinâmico e ao mesmo tempo natural: um projeto sem protagonistas. Neste show, apresentam seu segundo álbum Policromo que consolida a união de Leo Bianchini, Pedro Altério, Pedro Viáfora, Tó Brandileone e Vinicius Calderoni.
Livre. Grátis. Duração: 75 min.
08/08. Sábado, às 20h.

Trio Dona Zefa
O Trio Dona Zefa foi criado com uma consciência do forró puro e original, passando adiante o que foi aprendido em família no papel de manter essa tradição, continuando o que veio do nordeste pelos célebres da cultura brasileira, sempre defendendo o tradicionalismo do forró de Luiz Gonzaga, da década de 40. Este início se deu há 12 anos atrás, procriando neste tempo 3 CD´s, 1 DVD e vários shows animando os bailes dentro do Brasil em diversos estados e com duas turnês pela Europa e também pela Palestina e Israel no Oriente Médio. O novo disco Beleza de Baile foi feito como uma viagem à década de 40, gravado em um estúdio com sonoridade rústica, levou os mesmos instrumentos da música regional brasileira como acompanhantes: violão 7 cordas, cavaquinho, pandeiro, agogô, ganzá e guiro. Para a escolha do repertório, além de músicas autorais reproduzidas como o tradicional, foram feitos resgates, como nas músicas de Luiz Gonzaga, Anastácia e Dominguinhos, Messias Holanda e Jackson do Pandeiro que fizeram sucesso antigamente. A arte do disco foi desenhada a mão por Carlos Chagas, reconhecido por suas capas na revista MAD por vários anos.
Livre. Grátis. Duração: 90 min.
09/08. Domingo, às 18h30.

Vânia Bastos – em Poeta da Canção, Tributo ao Compositor Vinícius de Moraes
Para marcar os 35 anos sem Vinícius de Moraes, no show “Poeta da Canção - Tributo ao compositor Vinícius de Moraes” a cantora Vânia Bastos vai relembrar grandes sucessos do poeta e compositor que marcaram a história da MPB. Com mais de 30 anos de carreira e com 11 discos na bagagem, a cantora brindará o público com algumas canções inesquecíveis como “Chega de Saudade”, “Arrastão”, “Se Todos Fossem Iguais a Você”, “Tarde em Itapuã”, entre outras.
Livre. Grátis. Duração 70 min.
14/08. Sexta, às 20h.

Izzy Gordon - Aos Mestres Com Carinho: Homenagem a Dolores Duran
Com mais de 20 anos de carreira, Izzy Gordon é uma cantora que se consagrou por sua voz no jazz e na bossa nova, soul e MPB. Filha de Dave Gordon e sobrinha da cantora Dolores Duran, na qual Izzy homenageia em Aos Mestres Com Carinho: Homenagem a Dolores Duran, álbum que a levou a uma pré-indicação ao Grammy Latino. Em 2005, quando recebeu um convite para gravar o CD, pesquisou o repertório e tomou intimidade com as canções. Izzy sabia sobre a obra e a importância da tia, que não chegou a conhecer, mas contou com a ajuda da mãe Denise Duran que, inclusive, concordou em acompanhá-la na faixa “Pela Rua”. Aos poucos, a cantora se reaproximou não só das músicas, como também da história de Dolores. Deu depoimentos para a biografia escrita por Rodrigo Faour e em 2010, participou de um disco tributo concebido pelo produtor Thiago Marques Luiz, no qual interpretou “Minha Toada”. O show não homenageia somente a compositora Dolores Duran, mas também a intérprete, que gravou diversos autores e estilos.
Não é necessário retirar ingressos. Duração: 75 min.
Livre. Grátis.
15/08. Sábado, às 20h.

Yabba-dabba Jazz
Criada pelo Maestro e músico Renato Farias e inspirada na formação Street Band, a Yabba-dabba Jazz surge para relembrar e difundir o Jazz Tradicional. Seus integrantes versáteis e multi-instrumentistas transpiram alegria e musicalidade transformando inusitados clássicos da música brasileira em versão de Jazz Tradicional. A Yabba-dabba Jazz apresenta-se também como Banda de Palco e tendo outros instrumentistas como convidados. Inovando temos também uma cantora com megafone para fazer uma participação especial. Como a apresentação é feita na forma de cortejo feito de forma acústica não há a necessidade de equipamento de som.
Livre. Grátis. Duração: 60 min.
16/08. Domingo, às 18h.

Chico Teixeira – Show do CD Mais Que o Viajante
Nascido na cidade de São Paulo, Chico Teixeira representa hoje a nova geração da musica folk brasileira. Desde cedo, sempre morou no interior, de onde tira a inspiração de seus trabalhos. Neste show, apresenta seu disco Mais Que o Viajante, um repertório dedicado à renovação da música da cultura folk.  O cantor e compositor bebeu da fonte do folk e, hoje, pode ser considerado uma das referências atuais desse ritmo no país, tendo Geraldo Roca e Almir Sater como influências marcantes.  Cresceu ouvindo de perto Pena Branca e Xavantinho e esteve presente na criação de diversas músicas no cenário musical brasileiro, isso porque é filho do compositor Renato Teixeira, de onde herda a simplicidade e a naturalidade do som. Chico gravou “O Contador de Causo”, música tema da novela Paraíso (TV Globo), na qual recebeu a indicação de Melhor Cantor Regional, no 23º Prêmio da Música Brasileira.
Livre. Grátis. Duração: 60 min.
22/08. Sábado, às 20h.

Peixelétrico
A banda surgiu em janeiro de 1999 no Guarujá, resultado de encontros informais de amigos músicos e surfistas. Com uma sonoridade diferente, misturando Forró Pé-de-serra com MPB e Reggae, conquistou a simpatia de uma legião de fãs impulsionados pelo movimento chamado Forró Universitário. Apresentam no repertório músicas de seus três CDs e versões de compositores consagrados como Luis Gonzaga, Dominguinhos, Gilberto Gil, Edu Lobo, Bob Marley e Jackson do Pandeiro, além de músicas inéditas que estarão no quarto CD da Banda.
Livre. Grátis. Duração: 60 min.
23/08. Domingo, às 18h30.

Aláfia
Nesse show, será possível identificar os discos e as referências musicais do Aláfia, de Wilson Batista à Mano Brown, da palavra de luta de Gil Scott Heron e Last Poets ao espírito funk de George. Desde 2011 o “bando” Aláfia, em shows realizados no centro de São Paulo, vem aprofundando suas afinidades ancestrais afro-brasileiras. Ao registrarem um desses encontros em disco - Aláfia (2013) – incorporou-se à sua massa sonora a estética do sample, elementos que vão da palma ao clap, do disco de 78 rpm ao Rap, do quarteto de cordas à programação eletrônica, da rima improvisada ao Oriki ioruba. Formação: Eduardo Brechó (voz, violão e direção musical), Xênia França (voz), Jairo Pereira (voz), Alysson Bruno (percussão), Lucas Cirillo (gaita), Pipo Pegoraro (guitarra), Gabriel Catanzaro (baixo), Gil Duarte (trombone), Filipe Vedolin (bateria), Fabio Leandro (teclado).
Livre. Grátis. Duração: 60 min.
29/08. Sábado, às 20h30.

Homenagem a Inezita Barroso – Com Anaí Rosa, Arnaldo Freitas, Thadeu Romano e Paulo Ribeiro
Inezita Barroso, cantora, compositora e pesquisadora da cultural popular, com 60 anos de trajetória profissional e 90 de vida, faleceu em março deste ano, mas deixou seu imenso legado de valorização da cultura popular. Ao seu lado por quase nove anos, Arnaldo Freitas não era apenas o violeiro do programa Viola Minha Viola, era também o músico que acompanhava Inezita fora do programa, convivendo e aprendendo com ela nos últimos anos de sua vida. Por esse companheirismo todo, a família de Inezita achou por bem entregar ao violeiro a viola que foi de Izezita, em retribuição a tudo que viveu e acompanhou ao lado da Dama da Viola. Arnaldo chamou o sanfoneiro Thadeu Romano, Paulo Ribeiro no violão e Anaí Rosa para dar voz a essa homenagem feita com muita música e bons sentimentos.
Repertório: 1-De Papo Pro Ar; 2-Galopeira; 3-João De Barro; 4-Chalana; 5-Merceditas; 6-Cuitelinho; 7-Ronda; 8-Tristeza Do Jeca; 9-Flor Do Cafezal 10-Felicidade 11-Rio De Lágrimas; 12-Marvada Pinga; 13-Viola Enluarada; 14-Romaria; 15-Lampião De Gás
Livre. Grátis. Duração: 75 min.
30/08. Domingo, às 13h.

Os Opalas
O novo trabalho da banda difunde a música brasileira, destacando em seus shows as composições autorais e as releituras clássicas do samba rock apresentando repertórios que variam entre o groove, soul, jazz e o afrobeat. O repertório dos shows também mescla sucessos de grandes intérpretes brasileiros como Luís Vagner, Jorge Benjor, Tim Maia, entre outros grandes artistas da música brasileira. Na trilha da tradição antropofágica, o grupo tem influências de diferentes culturas e as transforma em combustível para produção de canções autorais, como: “É Prá Dançar”, “4:20 No Baile”, “Mistura Cultural”, “Opalas MC’s”. No disco independente, dez de suas onze faixas são autorais, e uma composição do mestre e amigo Marku Ribas. A sonoridade pensada e trabalhada pelo produtor Alexandre Fontanetti gerou a preocupação de usar instrumentos vintage, como uma bateria Gretsch, um piano Rhods, um órgão Hammond.
Livre. Grátis. Duração: 70 min.
30/08. Domingo, às 18h30.

EM CANTO E PROSA - Trabalho de artistas em que a narrativa dos textos é atravessada por canções afinadas com a temática do autor em questão.

Rita Gullo e Inacio Loyola Brandão - Solidão no Fundo da Agulha
O escritor Inácio de Loyola Brandão apresenta crônicas e contos do livro Solidão no Fundo da Agulha, publicado em 2013 pela Fundação Carlos Chagas - Projeto Livros Para Todos, acompanhado por canções que inspirou o autor. O repertório ganhou novas versões, foi gravado pela cantora Rita Gullo e gerou um CD, parte integrante do livro que é ilustrado com fotos de Paulo Melo Jr. O livro-CD deu origem a uma apresentação ao vivo, um show de literatura e música, com direção de Marcelo Lazaratto, que coloca pai e filha juntos no palco. Uma viagem pelas memórias de um escritor com muita história para contar. Uma trilha musical que encontra reverberação na maioria das pessoas.
Livre. Grátis
21/08. Sexta, às 19h30

OFICINA

Oficina de Violão
Introdução às técnicas básicas do violão, história do instrumento, apreciação musical e prática instrumental. O trabalho será feito com base na apreciação de diversos gêneros musicais e por algumas práticas de repertório, sugeridos pelos participantes e pelo professor. Caio Chiarini - Músico, compositor e educador musical, graduado em licenciatura e educação musical pelo Instituto de Artes da UNESP e mestrando em música pela mesma universidade. Estudou também no Conservatório Dramático e Musical de Tatuí e na Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP). É educador musical pela Associação de Amigos do Projeto Guri atuando dentro da Fundação Casa Rio Tâmisa. Trabalhou também na Fundação Casa Itaquera e no Projeto Tocando e Cantando em Mogi das Cruzes. Seu mestrado tem como objeto de pesquisa a atuação dos professores de música da Fundação Casa, buscando processos e projetos educacionais que valorizam a experiência do ato de se fazer música.
Vagas limitadas. Inscrições abertas.
Livre. Grátis.
17/06 a 26/08. Quartas, das 19h às 21h.


SERVIÇO 
Sesc Campo Limpo
Horário da Unidade: Terça a sábado, das 13h às 22h. Domingos e feriados, das 11h às 20h.
Endereço: Rua Nossa Senhora do Bom Conselho, 120.
Campo Limpo – São Paulo/SP
Tel.: (11) 5510-2700
sescsp.org.br/campolimpo
facebook.com/sesccampolimpo | twitter.com/sesccampolimpo
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.