quarta-feira, 29 de julho de 2015

.: Resenha crítica da animação "Divertida Mente"

Por: Mary Ellen Farias dos Santos*
Em julho de 2015



As animações Disney sempre tiveram um colorido chamativo e vibrante, mas após a definitiva junção com a Pixar, no quesito visual, a beleza ficou ainda melhor. Em "Divertida Mente" não é diferente. Cores e brilhos chamativos e, para a nossa alegria, uma boa e diferente narrativa. Quem nunca quis saber o que se passa na mente do outro que atire a primeira pedra.

Não pense que a produção descreve a mente humana. Embora trate disto, o foco está no papel das emoções. Observe um dos cartazes do longa. De fato, quem manda é desmanda na história é justamente a "montanha-russa das emoções". Com um roteiro muito bem elaborado, diferente das últimas produções, como por exemplo, "Aviões", a produção dirigida por Pete Docter está além da média dos filmes da própria Pixar. É uma animação tão boa que ao terminar deixa uma enorme vontade de rever tudo o que aconteceu com Riley para desbravar detalhes que passaram desapercebidos.

Em "Divertida Mente", tudo começa no nascimento da jovem Riley. Já aos 11 anos, a garota divertida enfrenta mudanças importantes em sua vida. Calma! Além dos "problemas da" puberdade, ela precisa deixar a cidade natal, no centro dos Estados Unidos, para viver em São Francisco. E... lá vamos nós novamente para São Francisco, tal qual em "Operação Big Hero". (Resenha de Operação Big Hero/Tudo sobre Operação Big Hero)



É em São Francisco que o cérebro de Riley passa a lidar -mais frequentemente-  com várias emoções distintas, como a Alegria, o Medo, a Raiva, a Repulsa e a Tristeza. Quem são eles na história? Os personagens que convivem de modo organizado e fazem a narrativa ganhar ritmo e, claro, emoção. No entanto, a Alegria perde o controle geral quando Riley tem um momento complicado na nova escola. Resultado: Todas as emoções se misturam.

Antes que toda a situação seja normalizada, ou melhor, restruturada, é difícil segurar as lágrimas. Sim! 
"Divertida Mente" consegue ser um filme infantil, mas de conteúdo tão bom que também se comunica com os adultos. Afinal, quem nunca teve uma explosão confusa de emoções e, então, sentiu saudade da infância? É imperdível!

Filme: Divertida Mente (Inside Out, E.U.A.) Elenco (vozes): Amy Poehler, Bill Hader, Mindy Kaling, Phyllis Smith, Lewis Black, John Ratzenberger
Direção: Pete Docter
Gênero: Infantil
Duração: 101 min.
Distribuidora: Walt Disney
Classificação: Livre


* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com, jornalista, professora e roteirista, além de criadora do www.photonovelas.com.br. Twitter: @maryellenfsm 




← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.