quarta-feira, 23 de setembro de 2015

.: Flica: Evento literário já consolidado acontece em outubro

Lançamento oficial da Flica consolida evento na agenda cultural do País


Com autores que participaram de edições anteriores, lançamento da Flica, em Salvador, reuniu o que de melhor já passou por Cachoeira com anúncio do que de melhor há de vir

Nos dias 18 e 19 de setembro a CAIXA Cultural Salvador recebeu o evento de lançamento da Flica (Festa Literária Internacional de Cachoeira). Como uma prévia da Festa em Cachoeira, que acontece entre os dias 14 e 18 de outubro, a celebração contou com mesas literárias, programação infantil exclusiva e shows de música brasileira.

O lançamento oficial aconteceu no dia 18, às 18 horas, com os autores Cristovão Tezza e Ronaldo Correia de Brito falando sobre a temática A tradução da dor e do imaginário. Juntos, os autores dissertaram sobre a relação da dor com o exercício literário. A abordagem do tema - elo entre Cristovão e Ronaldo -, foi mediada pelo crítico pernambucano Cristiano Ramos.

Cristovão Tezza relacionou a produção literária à infelicidade. "Pessoas felizes não escrevem. O problema, a fissura, levam uma pessoa a escrever. Isso tem muito a ver com a orientação para literatura", considerou. Ronaldo Correia de Brito, por sua vez, afirmou que a infelicidade não é o seu referencial de escrita, mas a incompletude. "Eu acho que a minha escrita surge para preencher essa falta. Eu chamaria [a escrita] de necessidade de preencher uma falta", pontuou.

No segundo dia, Sonia Rodrigues e Victor Mascarenhas, abriram as conversas literárias, às 9 horas, falando sobre o tema Gentes como elas são. A partir de excertos de sua produção autoral, o premiado cronista ficcional de gentes baianas e a escritora que evoca inevitavelmente as personagens trazidas ao imaginário nacional por seu pai, Nelson Rodrigues, falaram sobre viventes e passantes, boçais e amantes. O diálogo teve mediação do curador do evento, Aurélio Schommer.

Às 11h, Fabricio Carpinejar e Miriam de Sales provocaram-se a partir da temática O bem e o mal que saem da boca. Tendo ao centro a vivaz condução de Jackson Costa, os autores falaram sobre o ofício do escritor e sobre como as palavras afetam os relacionamentos humanos. O ensino da literatura foi outro tema discutido. Carpinejar defendeu a existência de escolas para autores. “Literatura não é luxo. Literatura precisa de técnica”, afirmou. Já Miriam discordou de Carpinejar ao argumentar que o seu estilo de escrita é livre. “Quando eu escrevo, é para desassossegar, não para agradar. Nunca me preocupei se estou ou não vendendo livro e essa escrita que é minha que passo para o público”, contou.

Muitas andanças, um só rumo, foi a mesa literária das 15h, do sábado.  Daniel Thame e Ana Maria Gonçalves dissertaram, entre outras coisas, sobre a efetividade das políticas públicas nas áreas de cultura e etnicidade. Os escritores defenderam ainda a democratização do acesso à leitura. Daniel iniciou o debate falando da importância de baratear os preços dos livros. "A primeira coisa é desintelectualizar o livro, tirar o livro e o escritor do pedestal. É preciso fazer um ‘rolezinho’ em bibliotecas. É preciso invadir, ocupar um espaço que é nosso. Falta a gente reclamar isso", acrescentou Ana. Daniel concordou que é preciso tomar iniciativas para mudar o cenário atual. "Se a biblioteca não funciona, vamos às praças", declarou.

Fechando o evento de lançamento, o escritor baiano Fernando Vita conversou com Laurentino Gomes a partir do tema Os fatos e as impressões. Em condução intimista, a conversa que aconteceu às 18h, abordou desde o processo de criação de narrativas históricas até a vida do autor.

Com público ativo, mediações instigantes e debates de qualidade, o lançamento da Flica na capital baiana coroou a Festa em Cachoeira como mais importante evento literário da Bahia. Para o curador, Aurélio Schommer, a programação revelou ainda a multiplicidade do público indo ao encontro da proposta de “dissonâncias” da Flica. “A linha mestra da edição 2015, as dissonâncias, já se antecipou em Salvador e pode se esperar bem mais em Cachoeira”, finaliza Schommer.

Celebrando sua 5ª edição, a Festa Literária Internacional de Cachoeira, traz autores do Brasil e do mundo em um encontro único, consolidando-se como evento fundamental do calendário cultural do País. A literatura será celebrada em múltiplas manifestações na cidade do Recôncavo Baiano entre os dias 14 e 18 de outubro.

Evento: Festa Literária Internacional de Cachoeira – Flica
Data: 14 a 18 de outubro de 2015
Local: Município de Cachoeira, a 110 km de Salvador

Acesse:
Festa Literária Internacional de Cachoeira – Flica
www.flica.com.br
www.flickr.com/photos/flica2015oficial/albums 
www.facebook.com/FlicaOficial
https://twitter.com/flicaoficial
https://www.youtube.com/user/FlicaTV

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.