sábado, 19 de setembro de 2015

.: Rock in Rio: Show histórico do Queen e Adam Lambert

Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em setembro de 2015



O show esperado da primeira noite do Rock in Rio 2015, do dia 18 de setembro, sem sombra de dúvidas foi o do grupo lendário "Queen" com Adam Lambert no vocal. Na verdade, desde que o ex-participante do American Idol aceitou encarar a parceria com o Queen choveram críticas negativas, mas ele não esmoreceu. Não há como negar que Adam Lambert é um jovem de puro talento e dá conta do recado, sim. Por outro lado, todos sabemos -inclusive Lambert- que Freddie Mercury é insubstituível e ponto final. Freddie era Freddie. Adam é Adam!

As duas horas de apresentação foram iniciadas com
 a canção "One Vision", seguida por "Stone Cold Crazy" e "Another one Bites the Dust", foi nesta terceira música que o "Queen" começou a engrenar e aquecer o vocal do público. Contudo, "Fat Bottomed Girl" envolveu de vez, talvez pela batida de rock mesclada com country. A sequência com "Lap of the gods" e "Seven Seas of Rhye", deu pano de fundo para que em "Killer Queen", Adam Lambert começasse a divar 100% no palco e esbanjasse todo o talento vocal que Deus lhe deu interpretando "Don´t Stop me Now".

Com Lambert cantando "Break Free", a atuação marcante da noite aconteceu em um divã, deitado, além de mandar várias piscadelas rápidas empunhou e balançou um leque. Tudo sem perder o tom. No entanto, o primeiro momento de arrepiar foi ao som de "Somebody to Love", seguido de "Love of my life", solo belíssimo sustentado pelo guitarrista Brian May. Ele ali, solitário, no banquinho, com a inserção de Freddie Mercury no telão foi fantástico. Uma boa saída, pois a interpretação de 1985, com Mercury é uma preciosidade da passagem do Queen no primeiro Rock in Rio.


Cheio de simpatia, em novo figurino -que somaram 5 na noite-, Adam Lambert retornou ao palco e arranhou na Língua Portuguesa para elogiar a plateia: "Vocês são lindos!". Em "It´s a Kind of Magic", o baterista usou o microfone, além de participar da batalha de baterias contra o filho, mas "Under Pressure", na voz de Lambert reacendeu os ânimos do público.

Após "Save me", "Ghost Town" e a contagiante "Who wants to live forever"
, um solo do guitarrista Brian May. Para quem ama acordes, foi perfeito. Eis que Adam retorna ao palco já em nova roupa para cantar "Show must go on", "I want it all" e "Radio GaGa", que foi emocionante com o público batendo palmas na sincronia do refrão. "Crazy Little Thing" foi apresentada na sequência, até chegar a vez da interpretação magnífica de Adam para "Bohemian Rhapsody". Sensacional!

Uma grande pausa foi dada, pois o show não havia terminado de fato, aquele momento foi o tempo para o "bis". Sim! Quando todos retornaram ao palco, Adam usou o visual de "rei" e animou com "We Will Rock You", além de comover mais uma vez com "We Are the Champions", música que encerrou a apresentação do primeiro dia de Rock in Rio.

Infelizmente, a falta de Freddie Mercury foi além do que se viu, mas também se sentiu. Para compensar, o carisma e a presença de palco de Adam são tão grandes, que teve direito a bandeira do Brasil nas costas do cantor. Sim! A certeza é de que o vocalista tem o dom de envolver a plateia. Afinal, com aquele vozeirão em notáveis performances, ficou claro que o jovem Lambert sabe fazer das tripas coração -ou caras, bocas e reboladas- para agradar os órfãos de Freddie Mercury que amam o "Queen". Show inesquecível!



* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com, jornalista, professora e roteirista, além de criadora do www.photonovelas.com.br. Twitter: @maryellenfsm 


We Are the Champions (2015)


We Are the Champions (1985)


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.