sexta-feira, 23 de outubro de 2015

.: "Além do Tempo" faz Elizabeth Jhin suprir saudade de Ivani Ribeiro


Por André Araújo
Em outubro de 2015

Com um texto poético grudado aos velhos clichês de um grande folhetim à la Janete Clair, em que não faltou nem mesmo um segredo escrito numa carta “bomba” e um diário que, se fosse lido pelo mocinho, mudaria toda ama vida, "Além do Tempo” tornou-se a novela mais aplaudida da Rede Globo no sempre ingrato horário das 18h dos últimos cinco anos. Que novela! 

A autora tem feito bonito e já impregnou sua marca de grande autora que é. Se sentíamos a falta de Ivani Ribeiro com suas tramas espiritualistas, mas sem ser chatas, tenho a impressão de que agora essa saudade se foi. Temos Elizabeth Jhin,  que nada deixa a dever àquela considerada a mãe da telenovela espírita.

“Além do Tempo” seguiu a linha daquele tipo do folhetim que a gente tem por quem torcer. Casais apaixonados, oprimidos pelo ódio dos vilões, comédia na medida, amores proibidos e um tantão de maldades a perder de vista, mas sem enrolação. Ou seja: a autora planejou cada capítulo como se ali estivesse sendo escrito um roteiro de série, sempre deixando um gancho inteligente para o “episódio” seguinte. Sem grandes pretensões, a atual novela das seis da Rede Globo conquistou a nobres e plebeus sem apelação, segurando-se apenas em uma boa história, nada mais.

Ainda ontem começou a segunda fase da novela que, para mim, é uma nova obra. Enterrando de vez a primeira fase, a autora segue com a trama com novos ganchos e uma linguagem contemporânea que tem tudo para agradar, uma vez que os telespectadores já conhecem todas as personagens que, certamente, manterão seus perfis psicológicos para que não haja confusão. Mocinhos continuarão sendo mocinhos, vilões seguirão a mesma trajetória do mal e vamos continuar tendo por quem torcer.

Embora a novela tenha nos revelado uma primeira fase sem falhas, o que mais agradou mesmo foi que toda a trama tem sido escrita em ordem cronológica, para maior entendimento do telespectador, que tem se mantido fiel desde sua estreia. Boa sorte, Elizabeth Jhin! Sua novela tem feito a diferença em 2015!

***


André Araújo é um apaixonado por novelas. Tanto que ele escreve algumas por aí e publica pela internet, arrebatando fãs e distribuindo inspiração. Da cabeça dele já saíram grandes personagens. Entre as novelas virtuais, é autor de "Uma Vez Na Vida! e "Flor de Cera", que será lançada em breve e tem até grupo no Facebook - neste link.


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.