quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

.: Mulher: A influência do ciclo menstrual na libido

Lidar com as alterações hormonais não é tarefa fácil para as mulheres, principalmente quando ocorrem as oscilações de humor e a baixa na autoestima por se sentir feia ou inchada. O que muitos não sabem é que o ciclo menstrual é o grande responsável por todo esse turbilhão de emoções. 

É muito comum em uma semana a TPM causar a sensação de estar fora do controle, em outra, o bom humor estar tão aflorado que a mulher é capaz de acordar sorrindo em uma manhã fria de segunda-feira. Desta maneira, fica complicado lidar com toda essa ebulição hormonal não é mesmo?

No sexo, a coisa também não é diferente. Embora cada caso seja específico, os hormônios que afetam o ciclo menstrual, como o estrógeno, testosterona e progesterona, ajudam a decifrar o vaivém da libido.

“Provavelmente, toda mulher já sabe bastante sobre seu próprio ciclo menstrual, como a frequência e o fluxo de sua menstruação, porém é fundamental que ela entenda como funciona este ciclo para aprender a lidar com as oscilações hormonais”, explica Erica Mantelli Ginecologista e Obstetra pós-graduada em Sexolgia pela Universidade de São Paulo (USP).

Um ciclo normal costuma durar 28 dias, ou seja, ele é contado desde o primeiro dia da menstruação até o início do sangramento seguinte. Algumas mulheres possuem os ciclos bem mais curtos, contendo até 23 dias, já em outros casos é possível que esse ciclo seja mais longo e dure até 35 dias.
É provável que qualquer variação da duração do ciclo menstrual ocorra antes da ovulação, a chamada fase folicular. Na maioria das mulheres, a duração do tempo entre a ovulação, quando o óvulo é liberado do ovário e a menstruação, fica entre 12 a 16 dias (fase lútea).

A primeira atitude para desvendar os mistérios de cada etapa do ciclo menstrual, é dividir ele em quatro semanas e tentar identificar o que ocorre em cada etapa.

Conhecendo sobre essas transformações hormonais e suas consequências, é uma maneira mais fácil de tirar proveito das situações causadas pelos hormônios e ter prazer durante todo o mês.

Confira abaixo o que pode ocorrer em cada semana devido às mudanças de hormônios no corpo do público feminino:


Primeira semana: (Menstruação) – Clitóris mais sensível
Durante a menstruação os níveis de estrógeno, testosterona e ocitocina apresentam taxas muito altas, causando uma sensação de bem-estar e relaxamento. Nesta fase, é muito comum a vontade das mulheres em transar. Isso ocorre, pois, os sentidos ficam mais apurados, fazendo com que os beijos pareçam mais intensos. Para as mulheres que não gostam de transar menstruadas, a sugestão é aproveitar o período para ter orgasmos mesmo sem penetração. Aqui, o clitóris também fica mais sensível, garantindo o prazer intenso.

Segunda semana: (Pós-menstruação) –Intensa Lubrificação

Na semana após a menstruação, o nível de testosterona continua subindo e, consequentemente, a calma e o erotismo também. Segundo algumas pesquisas, as mulheres criam mais fantasias e desejos pelo parceiro nessa etapa do ciclo, ficando desta maneira mais disposta ao sexo. Como a libido está muito em alta neste período, a lubrificação vaginal também aumenta.

Terceira semana: (Ovulação) – Libido a todo vapor
Nessa fase do ciclo menstrual, o estrógeno e a testosterona começam a cair e a progesterona, hormônio responsável pelo aumento da libido, começam a subir. Porém, mesmo com a libido em alta é comum que as mulheres fiquem mais emotivas. Esse período deveria ser o responsável pela fecundação do óvulo estar acontecendo no organismo.  Para curar a carência e não deixar o sexo de lado, o ideal é realizar o tradicional “papai e mamãe”, com muito carinho para que a mulher consiga ter um orgasmo.

Quarta semana: (Tensão Pré-menstrual) – Todo cuidado é pouco
Já neste período da quarta semana, a queda de estrogênio e da progesterona faz com que os hormônios do bem-estar também diminuam o que consequentemente afeta o humor da mulher, fazendo com que ela fique mais inconstante. Na cama, pode ocorrer uma falta de concentração fazendo com que o orgasmo demore mais para acontecer. Os seios ficam doloridos e o corpo inchado, dificultando a excitação. Porém, nem tudo está perdido, as terminações nervosas genitais ficam mais sensíveis neste período. Portanto, o recomendado é investir nas posições que deixam o clitóris ao alcance do parceiro.

“Vale ressaltar que para a mulher o sexo começa no cérebro. Desta maneira, ela precisa estar à vontade, conhecer o próprio corpo e suas preferências na cama. Isso refletirá em uma vida a dois mais intensa e prazerosa. Manter as condições positivas, como estar em uma rotina tranquila e sentir-se bem é fundamental para reduzir as chances de perda de interesse pelo sexo”, conclui a ginecologista.

Fonte - Ginecologista e Obstetra Dra. Erica Mantelli (CRM-SP: 124.315), pós–graduada em Sexologia pela Universidade de São Paulo (USP)
Site – www.ericamantelli.com.br
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.