terça-feira, 1 de março de 2016

.: Resenha do clássico "Uma noite alucinante - A morte do demônio"

Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em fevereiro de 2016



Sabe aqueles filmes de terror que assistimos escondido dos pais, porque sabemos muito bem que levaremos muitas chineladas? Quantas vezes fiquei bem quietinha, mesmo morrendo de medo, só para assistir em meu quarto o "Cine Trash" e "Cine Sinistro", ambos apresentados por Zé do Caixão. Na sequência, vários e vários pesadelos. Contudo, a emoção com o inesperado rumo da trama era a chave de tudo. O apronto valia o risco de fortes beliscões.

A verdade é que "Uma noite alucinante - A morte do demônio" foi um filme que vi, morri de medo e, com o passar do tempo, apenas ficou na memória. Sem nome. As imagens ficaram bem marcadas. Entretanto, aquela obra-prima do terror nunca saiu da minha mente, só não me lembrava do nome exato. Ao buscar por filmes de terror, optei pelo clássico -diante daquele título, tive a impressão de ser algo familiar. Bingo! 

Recordava muito bem de cada detalhe da terrível história dos cinco jovens: "Ash" Ashley J. Williams (Bruce Campbell), Cheryl (Ellen Sandweiss), Scott (Richard DeManincor), Linda (Betsy Baker) e Shelly (Theresa Tilly). Empolgados, o quinteto ignora alguns sinais dados no trajeto, seguem viagem de carro particular e passam um fim de semana numa cabana isolada nos bosques de Tennessee. Que perigo!

Lá, acontecem experiências apavorantes causadas pela utilização indevida do Livro dos Mortos (o Necronomicon Ex Mortis, encadernado em pele humana e escrito em sangue). O "quebra-cabeça" da enrascada em que se envolveram demora a ser resolvido e os espíritos, que foram despertados do bosque, começam a possuir os jovens um por um. Não há como escapar impune dos sustos.

Nesta época, a receita deste tipo de enredo ainda não estava desgastada. Nem mesmo o fato -obrigatório- de restar um personagem que seja para contar -e continuar- a história. 


O filme de 1981, não traz grandes efeitos ou "monstros" incrivelmente realísticos, mas tem a capacidade de ser uma criação de Sam Raimi, escrita e dirigida, tão perfeita quanto as atuais. O suspense e terror são de deixar as várias produções modernas de terror no chinelo, incluindo o remake/adaptado de 2013, batizado de "A morte do demônio". O novato é bom, mas não supera a produção dos anos 80.

"Uma noite alucinante - A morte do demônio" é um filme de estilo goregerou a série "Ash vs. Evil Dead", que estreou, ren em 31 de outubro de 2015. Nesta, após 30 anos, Ash, o sobrevivente, é forçado a enfrentar demônios – tanto pessoais quanto literais – diante de uma praga que ameaça a humanidade.

Aos fãs dos clássicos de terror, a dica é conferir as sequências da produção de Raimi que foi adaptada para musical de teatro: "Uma noite alucinante" (Evil Dead II), de 1987 e "Uma noite alucinante 3" (Army of Darkness), de 1992. Não deixe de conferir esta trilogia!


Trailer oficial do filme

Bastidores do seriado


* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com, jornalista, professora e roteirista, além de criadora do www.photonovelas.com.br. Twitter:@maryellenfsm

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.