quinta-feira, 17 de março de 2016

.: Série documental “O Tempo e a Música” estreia neste domingo

Na atração, Zuza Homem de Mello e João Marcello Bôscoli analisam compositores, intérpretes e movimentos históricos da MPB. Programa conta com imagens do acervo da Band das décadas de 1960 e 1970 e depoimentos inéditos

No dia 20 de março, às 22h, estreia no canal Arte 1 “O Tempo e a Música”, série documental com oito episódios de 30 minutos cada, produzida pela Cine Group. A atração conta com Zuza Homem de Mello como curador e apresentador, dividindo a condução do programa com João Marcello Bôscoli. A ideia de fazer “O Tempo e a Música” surgiu da vontade de Nonô Saad, diretora de distribuição de conteúdo do Grupo Bandeirantes, de resgatar o precioso material musical da emissora. São programas, entrevistas e shows das décadas de 1960 e 1970. “O programa possibilita ao público de ontem e de hoje conhecer o melhor da história da música brasileira por meio de parte do conteúdo do acervo da Band, que guardo como se fosse tesouro”, diz Nonô Saad. 

Zuza Homem de Mello explica que o projeto não se limita em apresentar essas imagens de um passado rico musicalmente e que conta com poucos registros. Para o musicólogo, trazer parte do acervo da Band utilizando a evolução tecnológica para inserir depoimentos de pessoas que puderam avaliar o conteúdo sob uma perspectiva histórica é seu grande mérito. “Isso transforma o programa em uma série documental excepcional. Os vídeos com os depoimentos dão uma dimensão mais profunda do que foi a obra dos compositores retratados”, ressalta Zuza, autor do livro “A Canção no Tempo” em parceria com Jairo Severiano. 

“Infelizmente, o Brasil não tem muita consciência de arquivar sua própria memória. A Record não tem sequer 5% do material gravado dos festivais de música, parte os vídeos foi apagada e outra destruída em um incêndio. A própria Rede Globo não tem o registro dos Festivais da Canção. Por isso, temos de louvar o que a Band fez com seus programas dos anos 1970”, conta o musicólogo.

A estreia de “O Tempo e a Música” aborda o samba-canção por meio de um de seus maiores expoentes, o gaúcho Lupicínio Rodrigues. O episódio conta com depoimento de Adriana Calcanhoto, cantora que gravou um disco com composições de Lupicínio Rodrigues. Autor dos clássicos “Se Acaso Você Chegasse” e “Vingança”, o compositor trabalhou em suas letras, muitas vezes, retratando relações amorosas. Histórias curiosas sobre como essas canções foram inspiradas são contadas pelo filho do músico, Lupicínio Rodrigues Filho.

“Participar do projeto é algo repleto de significados. O acesso a um arquivo valiosíssimo da música brasileira; a percepção do quão especial fomos e podemos ser; o espanto de perceber a criação de obras primas atemporais por pessoas com vinte e poucos anos; a invenção da nossa juventude. Tudo reunido, agora disponível e público, certamente vai emocionar, gerar reflexão e enriquecer a memória coletiva brasileira”, resume João Marcello Bôscoli. 

A cada domingo, um episódio inédito será apresentado pelo canal Arte 1. O segundo programa retrata a trajetória artística e o papel de Milton Nascimento e do Clube da Esquina na música brasileira. O próprio artista comenta essa época de sua carreira. Nos demais programas, o público poderá conferir o samba de Adoniran e Cartola, músicas feitas em resistência à Ditadura Militar, a importância de Elis Regina para a MPB, entre outros temas. “A série traz 50% de imagens de arquivo da Band e 50% de entrevistas inéditas. Proporciona uma fascinante imersão na música popular brasileira”, resume Luciana Pires, produtora executiva do projeto e sócia da Cine Group.  

Caio Carvalho, diretor executivo do Arte 1, afirma que “a produção materializa o sonho do presidente do Grupo Bandeirantes, Johnny Saad, de levar ao público a história da música brasileira e seus talentos que a Band, presente nos grandes movimentos, preserva”.

"O Tempo e a Música"
Estreia: domingo, 20 de março, às 22h
*Episódios inéditos aos domingos, às 22h
Reprises: terça-feira, às 23h30, quinta-feira, às 19h e sexta-feira, às 22h

Sobre o Arte 1
Com pouco mais de dois anos no ar, o Arte 1 já recebeu a Menção Honrosa do Prêmio APCA, da Associação Paulista de Críticos de Arte, pela iniciativa de criação de um canal de cultura, em 2013. No ano seguinte, foi agraciado com o Prêmio ABCA 2014, na categoria de difusão das artes visuais na mídia. Aposta do presidente do Grupo Bandeirantes, João Carlos Saad, mais conhecido como Johnny Saad, de um canal focado no mundo das artes, o Arte 1 chegou já chegou a 13,4 milhões de assinantes em todo o Brasil. O canal recebeu a classificação de “canal brasileiro de espaço qualificado” dada pela Ancine – Agência Nacional de Cinema. Esse selo faz com que possa ser incluído pelas operadoras na cota de conteúdo nacional, conforme consta na nova lei da TV paga (12.485/2011). Atualmente, o canal está disponível na Sky (183), Net (53), Claro TV (31), Oi TV (85), GVT (84), Vivo TV (102 cabo, 555 satélite e 127 fibra) e operadoras independentes. Saiba mais em arte1.band.uol.com.br.

Sobre a Cine Group
A produtora brasileira Cine Group é especializada no desenvolvimento de programas de televisão, documentários, vídeos, filmes publicitários, além de curtas e longas-metragens. São 19 anos de experiência no mercado audiovisual. A produtora mantém escritórios em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Moçambique e Malawi. No portfólio, destacam-se trabalhos como “Chegadas e Partidas”, “Mulheres de Aço”, “Esse Viver Ninguém Me Tira”, “Presidentes Africanos”, “BRICS – A Nova Classe Média” e “O Infiltrado”. Saiba mais em cinegroup.com.br.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.