sexta-feira, 4 de março de 2016

.: Walter Trout, superando barreiras com a música, por Luiz Gomes Otero

Por Luiz Gomes Otero
Em março de 2016
O ex-beatle Paul McCartney declarou certa vez que, para saber se um disco ficou bom, basta tocá-lo no CD player de seu automóvel durante uma viagem. Se o som tornar agradável a viagem, a missão do músico foi cumprida com êxito. Pois fiz o mesmo esta semana com o disco de Walter Trout, "Battle Scars", que também passou no teste do CD player com louvor.
Para quem não conhece, Walter Trout é um guitarrista de blues rock norte-americano que tocou com vários outros nomes consagrados, como o britânico John Mayall, só para citar um exemplo. Ele vem desenvolvendo uma fértil carreira solo no estilo nos últimos anos. 
"Battle Scars" ("Cicatrizes de Batalha"), o disco, é um retrato fiel do drama pessoal recente que ele enfrentou, com uma crise forte de hepatite C que resultou em um transplante, viabilizado por meio de uma ampla campanha desenvolvida por amigos e principalmente pelos fãs, que se engajaram com garra na luta pela sua vida.
Os títulos das canções ilustram as passagens de Trout pelo seu drama de ter que enfrentar a doença de frente. "Almost Gone", faixa que abre o disco, ganha o ouvinte logo de cara, com seu riff poderoso e um vocal não menos forte, além de um belo solo de gaita. Depois o que se ouve é um blues rock excelente, com forte influência de bandas como "Allman Brothers" (parece até que o Gregg Allman vai entrar a qualquer momento para cantar com o Walter Trout nas faixas) e Lynyrd Skynyrd. 
Gostei muito das baladas "Please Take Me Home" e "Gonna Live Again", ambas cantadas com emoção na medida certa. Mas o blues rock detona nas igualmente ótimas "Haunted By The Night", "Cold Cold Ground" e "Move On". Esta última poderia ser trilha de qualquer filme de ação do cinema.
Claro que os solos de guitarra predominam em todas as faixas. E não poderia ser diferente, pois Trout é um solista de mão cheia e estava com saudade dos acordes e das escalas pentatônicas de sua fiel guitarra modelo fender stratocaster
O saldo final de "Battle Scars" é o fato que constatarmos que a vida prossegue para Walter Trout e sua família. Ótimo para todos os que curtem o estilo blues rock, que poderão contar com outros lançamentos desse nível. 

"Almost Gone"
Please Take Me Home"
"Move On"

"Cold Cold Ground"


Sobre o autorLuiz Gomes Otero é jornalista formado em 1987 pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Trabalhou no jornal A Tribuna de 1996 a 2011 e atualmente é assessor de imprensa e colaborador dos sites Juicy SantosLérias e Lixos e Resenhando.com. Recentemente, criou a página Musicalidades, que agrega os textos escritos por ele.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.