terça-feira, 5 de abril de 2016

.: Armandinho e Luiz Caldas abrirão festival "O Som das Palafitas"

Com o objetivo de disseminar arte e cultura e realizar inclusão social por intermédio da música, o festival “O Som das Palafitas” terá início no domingo, 1º de maio, às 18h, reunindo dois grandes nomes da música brasileira: Armandinho e Luiz Caldas.

Antes, na terça-feira, dia 19 de abril, às 16h, acontecerá o lançamento do projeto, na sede da instituição. Marcarão presenças o presidente do Instituto Arte no Dique, José Virgílio Leal de Figueiredo, o presidente da Codesp, Alex Oliva, e o Secretário de Cultura de Santos, Fabião Nunes.

Na ocasião, serão exibidos vídeos de Armandinho e Luiz Caldas convidando o público para a apresentação de maio e haverá intervenção musical do Coletivo Querô.

"O Som das Palafitas"
Trata-se de um inédito festival de música instrumental que ocorrerá no Instituto Arte no Dique. Com patrocínio do Porto de Santos, visa propiciar às pessoas que vivem em área de vulnerabilidade e não possuem maior acesso à cultura, a chance de ver grandes nomes da música brasileira de maneira gratuita e perto de casa.

Inicialmente estão programadas dez edições – três delas em 2016. A primeira, que reunirá Armandinho e Luiz Caldas, contará ainda com abertura da banda santista Quizumba Latina. A programação será sempre divulgada no site www.artenodique.org.

“A partir de maio realizaremos o sonho de levar música de qualidade ao Dique da Vil Gilda: uma população sedenta por cultura, mas que sempre encontrou dificuldades para conseguir se locomover aos projetos culturais, que geralmente ocorrem do Centro para a Zona Leste, na orla de Santos. Com esse festival conseguiremos não apenas diminuir essa distância, mas levar a música ao cerne da comunidade”, ressalta o presidente do Arte no Dique, José Virgílio. “Além de democratizar o acesso dessas pessoas à música, o festival possibilitará um intercâmbio cultural entre artistas e músicos da região com grandes nomes da música brasileira. Estamos muito orgulhosos e trabalhando bastante para realizar este projeto da melhor maneira”, comenta o produtor.

Armandinho
Instrumentista, cantor e compositor brasileiro, nascido na Bahia. É filho de Osmar Macêdo (da dupla Dodô e Osmar), músico e idealizador do trio elétrico. Armandinho formou o grupo de frevo Trio Elétrico Mirim em 1962 e em 1967 a banda de rock Hell's Angels. Em 1968, tocou no programa "A Grande Chance", da TV Tupi, apresentado por Flávio Cavalcanti. Classificou-se em 1º lugar na fase eliminatória, e no ano seguinte foi contratado pela emissora para gravar seu primeiro disco, um compacto duplo e posteriormente um LP. Em 1974 juntou-se a seu pai e outros músicos para formar a banda Trio Elétrico Armandinho, Dodô & Osmar, lançando diversos discos carnavalescos ao longo da década de 80. Paralelamente, no final dos anos 70, formou o conjunto A Cor do Som, que inicialmente serviu de banda de apoio a Moraes Moreira (que também apresentava-se no Trio Elétrico Armandinho, Dodô e Osmar). Ao lado de Dadi (baixo e vocal), Mú Carvalho (teclados e vocal), e Gustavo Schroeter (bateria), a banda lançou seu primeiro disco em 1977 e se notabilizou pela alta qualidade instrumental, mesclando sonoridades de rock, jazz e música brasileira. Armandinho deixa a banda em meados de 1981 para se dedicar à carreira solo e seu projeto com Dodô e Osmar. Ao longo dos anos seguintes, tem dado continuidade a seu trabalho instrumental, voltado para o choro e outros gêneros, gravando e se apresentando ao lado de músicos como Raphael Rabello, Paulo Moura, Época de Ouro, Moraes Moreira, Pepeu Gomes, Caetano Veloso, Yamandú Costa, entre outros. Em 2005 se reúne novamente com A Cor do Som, gravando um disco acústico e realizando shows esporádicos. Segue se apresentando pelo Brasil e no exterior.

Luiz Caldas
Começou cedo na música. Aos sete anos fez sua primeira apresentação e não parou mais. Muito talentoso, ganhou espaço no cenário musical de Salvador se apresentando no Circo Troca de Segredos e tocando em agremiações de Carnaval. Com o disco “Magia”, mostrou para o Brasil a força de seu som, batizado de Axé Music. Criador dessa sonoridade híbrida, abriu as portas para os artistas baianos que queriam seguir o mesmo caminho. A música “Fricote”, conhecida como “Nega do Cabelo Duro”, estourou nas rádios brasileiras. Lançou 130 músicas, transitando entre o rock, forró, reggae, MPB, samba, trio elétrico, Em 2011, trabalhou em mais 12 discos com canções inéditas. Recentemente iniciou um projeto que disponibiliza músicas gratuitas lançadas mensalmente em seu site.

Serviço:
Lançamento do festival "O Som das Palafitas"
Terça-feira, 19 de abril, 16h
Instituto Arte no Dique – Rua Brigadeiro Faria Lima, 1349, Rádio Clube.

Festival "O Som das Palafitas" – 1ª edição
Domingo, 1º de maio, 18h
Com Armandinho e Luiz Caldas. 
Abertura: Quizumba Latina
Instituto Arte no Dique – Rua Brigadeiro Faria Lima, 1349, Rádio Clube.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.