sexta-feira, 13 de maio de 2016

.: Músicas de Violência: Estadão e FCB Brasil lançam campanha

Com o objetivo de levantar o debate sobre músicas que reproduzem discursos de violência contra a mulher, a FCB Brasil e o jornal Estado de S. Paulo, com o apoio do Disque Denúncia do Rio de Janeiro, lançam a campanha “Músicas de Violência”. 

Por meio do aplicativo de música Shazam – aplicativo de pesquisa e descoberta de músicas que escuta o que está sendo tocado ao redor e identifica instantaneamente músicas e letras  – a campanha faz um cruzamento de dados para mapear quais são as músicas nacionais e internacionais que possuem letras sobre abuso e violência.

Quando a pessoa usar o app para identificar uma música que contenha trechos que falem ou que façam apologia à violência contra a mulher, um banner irá avisá-lo sobre isso com a frase “Esta música contém violência contra a mulher”. E um áudio com um depoimento real de mulheres que sofreram agressão semelhante a letra da música. A ação já impactou mais de 1 milhão de usuários do aplicativo. A seleção das músicas foi feita de forma criteriosa por uma curadoria.

“O principal objetivo da campanha é convidar às pessoas a uma reflexão sobre o tema a partir das músicas que elas escutam. Acreditamos que a forma que encontramos para realizar a ação é, ao mesmo tempo, bem contextualizada e de impacto”, diz Flávio Pestana, Diretor Executivo Comercial do Estadão.

“Violência contra mulher é crime e com essa campanha temos a chance de usar a música e a tecnologia para levantar a questão sobre o tema”, comenta Joanna Monteiro, CCO da FCB. “A ideia não é censurar nada, mas convidar para reflexão”, completa.    

Alinhada ao posicionamento de O Estado de S. Paulo, que é o de promover debates agora para melhorar o futuro, o jornal pretende conscientizar e convidar a reflexão sobre o tema violência contra a mulher, por outra perspectiva nem sempre percebida quando ouvimos uma música.

O Disque-Denúncia trabalha há 20 anos no combate ao crime e auxiliando os órgãos responsáveis. Diariamente, através do seu núcleo de violência doméstica monitora as denúncias cadastradas, através do 2253-1177, com o objetivo de priorizar e qualificar o atendimento feito nas queixas de todos os tipos de violência contra a mulher.


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.