terça-feira, 9 de agosto de 2016

.: Inspirada em chacina, "Tiros em Osasco" estreia dia 18 no Sesi SP


Como você reage quando descobre que ocorreu um crime bem perto de você? A vida continua ou algo muda? O disparo inicial da montagem Tiros em Osasco, que reabrirá a programação do Espaço Mezanino do Sesi-SP dia 18 de agosto, às 20h30, começa justamente com esse clima de “o que está havendo? ”. A peça fica em cartaz no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso até 6 de novembro, com entrada gratuita.

Tomando como pano de fundo a chacina ocorrida em Osasco e Barueri há um ano, deixando 19 mortos e cinco feridos, o texto de Cássio Pires traz provocações bem articuladas sobre as relações de indiferença e violência nas grandes cidades – seja entre as pessoas, seja com o espaço.

“Para cada fala intolerante e desprovida de fundamento, de conhecimento ou reflexão dita por essas personagens, há um estampido que ressoa em algum lugar que a vista cansada e míope já não mais consegue alcançar”, afirma a diretora Yara de Novaes. É como se cada frase ácida dita em cena fosse um tiro, e cada tiro chegasse até o público acompanhado pelo som do disparo na peça encenada pelos jovens atores do Núcleo Experimental de Artes Cênicas do SESI-SP.

Dividida em cinco cenas curtas, a peça mergulha nos cômodos dos apartamentos de jovens adultos de classe média e em seus pensamentos – muitas vezes permeados de individualismo, preconceito e intolerância.

“Queremos que o teatro seja uma cena aberta da discussão de um tempo. Não estamos fazendo apenas entretenimento, estamos enfrentando problemas”, afirma o dramaturgo Cássio Pires, que buscou fazer uma ácida crítica social sobre atenção presente na dinâmica social atual.

Repetição, similaridade e espelhamento
Os elementos estéticos de "Tiros em Osasco" procuram refletir o universo e os valores das personagens: a luz, a trilha sonora e o cenário sugerem ideias de repetição, similaridade e espelhamento. “O mais marcante do cenário é a repetição, a reprodução desses espaços pré-fabricados em que a gente vive hoje”, comenta o cenógrafo André Cortez, vencedor do Prêmio Shell de Teatro.

Outros destaques são a iluminação criada por Wagner Antônio e uma trilha sonora original criada por Dr. Morris especialmente para este espetáculo. As letras de "I Started A Joke" (Bee Gees), "What’s Up" (4 Non Blondes), "Forever Young" (Alphaville) e "I Will Survive" (Gloria Gaynor) compõem a trilha sonora e traçam uma prévia do que o público pode esperar do novo trabalho do Núcleo.

Sobre Yara de Novaes
Atriz e diretora mineira, já dirigiu mais de 15 espetáculos e tem um premiado currículo. Seu reconhecimento mais recente foi o de melhor atriz pela Associação Paulista de Críticos de Arte (2013) por "Contrações".  Por seus trabalhos de direção, ganhou os prêmios Fundacen (1989), Sesc-Sated (1999) e Troféu USIMINAS/SINPARC (2003). Ao lado da atriz da Débora Falabella e do produtor Gabriel Paiva, integra o Grupo 3 de Teatro, no qual dirigiu "Noites Brancas", de Dostoievski, "A Serpente", de Nelson Rodrigues e "O Amor e Outros Estranhos Rumores – 3 Histórias de Murilo Rubião", de Silvia Gomez.

Sobre Cassio Pires
Dramaturgo e diretor paulistano contemplado com cinco prêmios, entre os quais se destacam o Prêmio Estímulo de Curtas-Metragens da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo (2003), o 2º lugar no Prêmio Plínio Marcos (Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, 2002) e a Menção Honrosa do Concurso Nacional de Literatura de Belo Horizonte (2002). É autor de "A Carne Exausta", "Vigília", "Ifigênia", "Peça de Elevador", entre outros. Também atua na adaptação de obras literárias para o palco, a exemplo de "O Fio das Missangas", de Mia Couto, e Sonata a Kreutzer, de Lev Tolstói. Com Yara de Novaes, adaptou "O Capote", do russo Nikolai Gógol para o teatro.

Sobre o Núcleo Experimental de Artes Cênicas do SESI-SP
Mais de 170 atores já passaram pelo Núcleo Experimental de Artes Cênicas do Sesi-SP desde 2001. O projeto atualmente é coordenado pela atriz e diretora Miriam Rinaldi. Além de aulas teóricas e práticas, o curso, dividido em três módulos – construção do personagem, construção da persona e lugar do narrador –, tem duração de 10 meses. Ao final da oficina, os artistas selecionados são convidados a participar de uma montagem profissional de texto original a ser realizada no ano seguinte.

Serviço:
Tiros em Osasco
Temporada: de 18 de agosto a 6 de novembro de 2016
Horários: quarta a sábado, às 20h30. Domingo, às 19h30.
Local: Espaço Mezanino do Centro Cultural Fiesp-Ruth Cardoso - Avenida Paulista, 1313 (em frente à estação Trianon-Masp do Metrô)
Classificação: 18 anos
Duração: 90 minutos
Gênero: drama
Capacidade: 50 lugares.
Grátis. Dois ingressos por pessoa.
Horário da bilheteria: quarta a sábado, das 13h às 20h30. Domingo, das 11h às 20h.

Ficha Técnica: Texto: Cássio Pires | Direção: Yara de Novaes | Assistência de direção e preparação corporal: Murillo Basso e Renan Ferreira | Assistência de direção: Elise Garcia | Elenco: Anna Gobbi, Ana Luiza Anjos, André Saboya, Guilherme Yazbek, Carlos Jordão, Marcella Vicentini, Marcelo Rodrigues, Magiu Mansur, Renata Becker, Renata Martins e Rodrigo Sampaio | Cenografia: André Cortez | Iluminação: Wagner Antônio | Figurino: Cassio Brasil | Direção musical e trilha sonora: Dr. Morris | Coordenação de produção: Bia Fonseca | Assistência de produção: Mariana Machado | Direção de produção: Marlene Salgado.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.