quinta-feira, 11 de agosto de 2016

.: "Melancia", de Marian Keyes, em edição de luxo na "Bienal do Livro"

Irlandesa que já vendeu mais de 30 milhões de exemplares no mundo estará no Brasil para a "Bienal do Livro de São Paulo", onde lançará edição de luxo de seu primeiro romance, “Melancia”, que escreveu depois de superar o alcoolismo.

Quando se formou em Direito na Irlanda, Marian Keyes (já entrevistada pelo Resenhando, neste link) jogou o diploma na gaveta e, para desespero da família, foi trabalhar como garçonete em Londres. Até arrumou emprego num escritório de contabilidade, mas, como ela mesma disse, achou que fosse acabar sua vida como “uma velha senhora, com 40 gatos, levando pedradas de crianças nas ruas”. Imaginou a cena? 

Não foi bem assim, mas, antes de virar uma escritora consagrada, Marian teve problemas com o alcoolismo, tentou o suicídio e foi para uma clínica de reabilitação. Isso tudo na casa dos 30 anos. A sua redenção, uma busca comum em tantas personagens que criou depois, veio pela literatura.

Ainda internada, ela começou a escrever contos e, depois que saiu da clínica, decidiu mandá-los para uma editora dizendo que tinha na gaveta um romance – o que não era verdade. Só que a moça gostou tanto do texto de Marian que pediu para ver o tal livro e disse que ia publicá-lo. E agora? “Pela primeira vez na minha vida autodestrutiva, não dei um tiro no pé. Escrevi quatro capítulos do ‘Melancia’ em uma semana e ganhei um contrato para escrever três livros”, conta ela em seu site oficial. O romance, de 1995, foi publicado pela primeira vez no Brasil em 2003, pela Bertrand Brasil, que agora lança uma edição nova, com tradução de Sônia Coutinho, de capa dura, para comemorar a vinda da autora para a Bienal Internacional do Livro, em São Paulo.

Semelhanças do livro com a vida da autora
A protagonista de “Melancia” guarda algumas semelhanças com Marian Keyes. Como a autora, Claire Walsh largou tudo na Irlanda e foi morar em Londres, onde também trabalhava como garçonete, e se apaixonou por um inglês, com quem casou e teve uma filha (Keyes também é casada com um inglês e mora com ele na Irlanda há 15 anos). 

O livro começa quando o marido, logo depois do parto, avisa que está indo embora e vai se casar com uma vizinha. O mundo desaba, Claire volta para a casa dos pais, começa a beber e tem que conviver com a mãe viciada em TV (e que nunca cozinhou um macarrão para a família), uma irmã hippie, a outra mimada demais e o pai, que cuida dos afazeres domésticos e tenta pôr ordem na casa.

Só o “Melancia” vendeu meio milhão de cópias no Brasil. A autora publicou, pela Bertrand, outros 12 livros, incluindo seu último romance, “A Mulher que Roubou a Minha Vida”. No mundo, já foram mais de 30 milhões de exemplares vendidos, em 33 línguas diferentes. A literatura de Marian Keyes, temperada pelo humor negro inglês, traz uma curiosa mistura de comédia e tragédia, com temas que vão da depressão, vícios e doenças ao feminismo, dietas e luta contra a violência doméstica. 

Para ela, a piada é quase sempre extraída do lado sombrio da vida. “Melancia”, por exemplo, é uma metáfora para a personagem que, com o tom de pele avermelhado e que está bem acima do peso, usa uma bata verde enorme que a deixa com a cara da fruta. “Todos os meus livros são diferentes, mas têm em comum a vida de pessoas que estão no “lado negro” e que encontram ali alguma forma de redenção. Eu estive no lado negro muitas vezes, não foi bom, mas minha saída foi sempre escrever sobre isso”. 

É a segunda vez que Marian Keyes visita o Brasil, a primeira a trabalho. Depois da Bienal, onde falará com o público no domingo, dia 28 de agosto, na Arena Cultural BNDES, ela viaja ao Rio de Janeiro, onde vai autografar seus livros para os fãs cariocas na Saraiva do shopping Rio Sul. No evento, ela será apresentada pela escritora Carina Rissi, que fez o texto de abertura da nova edição de “Melancia”. 

“O livro é engraçado, encantador, deliciosamente bem-escrito, mas acima de tudo, é franco. (...) Impossível não se identificar com a Claire, não sofrer com ela, não se reconhecer nela! Sua voz é tão nítida que poderia muito bem ser aquela sua amiga lhe contando a tragédia da vida dela, sem jamais perder o bom humor. Poderia ser você contando a sua história. Este é um dos talentos mais admiráveis de Marian Keyes: descortinar os segredos mais profundos da alma feminina”, escreve Carina Rissi, com a experiência de quem sabe fazer o mesmo e encantar milhares de fãs.

"Melancia no Brasil"Este livro conquistou uma legião de fãs no Brasil e no mundo ao contar a história de Claire Walsh e apresentar as mulheres da família Walsh, protagonistas de outros romances de Marian Keyes. Claire tinha tudo o que sempre quis na vida: um marido que ela idolatrava, um ótimo apartamento, um bom emprego. Mas, no que seria uma data muito especial em sua vida, o dia do nascimento da sua filha, James anuncia que a está deixando por uma vizinha com quem tem um caso há mais de seis meses. 

Com o coração partido, uma bebê recém-nascida e um corpo pós-parto para o qual ela mal consegue olhar, ela decide ir para a casa dos pais, em Dublin. Lá, recebendo os cuidados de sua excêntrica família, Claire avalia os prós e contras de um casamento de três anos e começa a se sentir melhor. Aliás, bem melhor. Até que o ex-marido reaparece, forçando-a a tomar uma decisão, que, de uma maneira ou de outra, mudará sua vida mais uma vez. Engraçadíssimo e irreverente, Melancia é um romance sobre sobrevivência e a arte de manter o bom humor mesmo diante das circunstâncias mais adversas.

Sobre a autora
Marian Keyes nasceu em Limerick, na Irlanda, em 1963. Depois de uma longa temporada em Londres, voltou a viver em seu país com o marido, Tony. Publicou seu primeiro romance, "Melancia", em 1995. Na sequência vieram "Casório?!", "Férias!", "É Agora... ou Nunca", "Sushi", "Los Angeles", "Um Best-seller Para Chamar de Meu", "Tem Alguém Aí?" (vencedor do British Book Awards e do prêmio Melissa Nathan na categoria Comédia Romântica), "Cheio de Charme" (vencedor do Irish Book Awards), "A Estrela Mais Brilhante do Céu", "Chá de Sumiço", "Mamãe Walsh" e "A Mulher que Roubou a Minha Vida", que juntos já venderam mais de 30 milhões de exemplares no mundo, dos quais mais de 1 milhão somente no Brasil. 

Seu mais recente lançamento no país é "Salva Pelos Bolos", livro de receitas no qual compartilha com seus leitores como a culinária a ajudou a sair da depressão. Saiba mais sobre Marian e sua obra em www.mariankeyes.com.

Serviço
"Bienal do Livro de São Paulo"
28 agosto 2016 - 11h às 12h - Arena Cultural BNDES

Saraiva do Shopping Rio Sul
30 de agosto – 18h45 – Carina Rissi apresenta Marian Keyes ao público
19h – Autógrafos

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.