terça-feira, 27 de setembro de 2016

.: Crônica: Vendas informais no comércio, por Mary Ellen F. Santos

Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em setembro de 2016



Árvores diversificadas que sobraram da última compra do shopping, assim como panelas de barro que estiveram por lá expostas, além de ajuda -financeira mínima- a surdos, saquinhos de temperos, panos para limpeza... De fato, a lista é ainda mais longa. Sem contar no homem que vinha diariamente vender um papelzinho medindo 8x5 centímetros, cheio de riscos coloridos, feitos numa sulfite, por aquelas réguas que fazem desenhos que voltaram com tudo e fazem sucesso na 25 de março, em São Paulo.

Esse é o cotidiano de uma loja em uma galeria pouco movimentada, embora esteja bem no coração do Gonzaga, em Santos. Complicado lidar com todas as obrigações quanto ao seu negócio enquanto se é interpelado repetidamente dessa forma. Detalhe: Querem, exigem, embora não levem ao menos uma bala que seja.

Após tanto pensar, conclui que deveria afixar uma placa bastante chamativa alertando a respeito. "Quer vender? Eu também! Antes de tentar comercializar seus produtos, que não implicam no pagamento de aluguel e outras responsabilidades, consuma aqui para que possamos conversar. Agradecemos desde já!" 


*Editora do site cultural www.resenhando.com. É jornalista, professora e roteirista. Twitter: @maryellenfsm

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.