terça-feira, 11 de outubro de 2016

.: Jornalista de Santos é contemplado em edital de texto de dramaturgia

Entrevistado pelo Resenhando.com (nesse link e nesse), o jornalista santista, escritor e cineasta santista José Roberto Torero foi contemplado no edital de texto de dramaturgia do Programa de Ação Cultural (ProAC) do Governo do Estado de São Paulo com a peça “Carlos e Frederico”, que selecionou peças inéditas de seis dramaturgos. 

Além deste edital, já foram anunciados os selecionados de 17 dos 44 editais lançados neste ano: teatro (produção, circulação e primeiras obras), dança (produção, circulação e primeiras obras), artes cênicas (produção e circulação voltado ao público infantojuvenil; e circulação para a rua), festivais de artes I e II, circo (produção de número circense) música (gravação de álbum inédito de canção com circulação de shows) e culturas populares e tradicionais, aprimoramento técnico-artístico, estímulo à leitura em bibliotecas e hip hop. Os demais resultados devem ser divulgados até novembro.

Este concurso contou com 150 projetos inscritos, que concorreram a seis prêmios de R$ 10 mil cada, que serão executados a partir de 2017. Foram selecionadas as propostas de Santos, Osasco, São José do Rio Preto e da Capital.

Torero é autor do best-seller “O Chalaça”, que recebeu o Prêmio Jabuti em 1995. Na peça contemplada pelo PROAC, o escritor fala em sua peça sobre a amizade entre Marx e Engels. Muito se escreveu sobre a obra, mas nada sobre sua relação pessoal. O objetivo de “Carlos e Frederico” é inverter essa perspectiva e falar sobre os nomes, não sobrenomes. 

Confira os demais contemplados:
Homero Ferreira (São José do Rio Preto) – "Alice & Baltazar" (título alugado provisoriamente)
A peça deseja contar uma história deflagrada pelo contexto da especulação imobiliária carioca, tendo como pano de fundo o carnaval.

Samantha Vitena Barbosa (Osasco) – "Esse Trem É Gente"
É uma história sobre Mayara e Miúda, desde criança até a adolescência, que acontece entre o ambiente familiar, o escolar e os trens. Também fala sobre o processo de descobrimento de raça e gênero, Mayara como mulher negra e Miúda como mulher trans.

Luciana Lyra (São Paulo) - "Josephina"
A peça tem como proposta falar sobre a vida e a obra da dramaturga e jornalista Josephina Álvares de Azevedo, ícone da luta feminista no Brasil.

Ramilla Souza (São Paulo) - "Periferida Carne Viva"
O texto trata sobre LGBTfobia na Periferia e trabalha com duas histórias paralelas. A de um menino que se descobre gay e torna-se drag queen na idade adulta; a outra fala sobre a vida de  uma menina trans que lida com a sua redesignação de gênero num contexto de extrema vulnerabilidade.

Walner Dansiger Junior (São Paulo) – "Selarón, Arquiteto do Delírio"
É uma livre interpretação poética da vida do pintor e ceramista Jorge Selarón, artista criativo, urbano, popular, megalonamíaco e delirante que construiu ao redor de si uma galeria de arte gratuita a céu aberto encravada no bairro da Lapa, no Rio de Janeiro.

Todos os resultados estão publicados no site da Secretaria da Cultura do Estado (www.cultura.sp.gov.br).

O Programa de Ação Cultural (ProAC), na modalidade editais, tem o objetivo de fomentar e difundir a produção artística em todas as regiões do estado, apoiando financeiramente projetos artísticos. Neste ano, foram disponibilizados 44 editais em 12 linguagens: teatro dança, música, literatura, circo, artes cênicas para crianças, festivais de arte, audiovisual, museus, diversidade sexual e étnica e artes visuais.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.