terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

.: Série “A Garota do Calendário” já soma 270 mil exemplares vendidos

.: Série “A Garota do Calendário” já soma 270 mil exemplares vendidos. Em alta no Brasil, livros eróticos fazem sucesso entre as leitoras, viraram fenômeno em menos de um ano e permanecem na lista dos mais vendidos.

Influenciada por E.L. James e Sylvia Day, Audrey Carlan começou a escrever de forma independente. A série “A Garota do Calendário” veio da necessidade de produzir algo mais divertido, que fosse totalmente diferente do seu trabalho anterior. Surgia aí um fenômeno mundial. A grande visibilidade online chamou a atenção da editora Waterhouse Press, em 2015. O que já era sucesso nas plataformas digitais chegou rapidamente ao primeiro lugar na lista do The New York Times, alcançou a venda de mais de três milhões de exemplares nos Estados Unidos e foi comercializado para mais de 30 países, incluindo o Brasil.

“Janeiro”, livro que abre a série, foi lançado pela Verus em junho de 2016. De lá para cá, a saga de Mia vendeu cerca de 270 mil exemplares e virou febre entre as leitoras de romances adultos. Agora a editora lança o box da série. A sequência de “Julho” a “Dezembro” chega às livrarias no início de março.

O destaque de “A Garota do Calendário” é a protagonista: Mia é decidida, dona do seu próprio corpo e confiante, o que gera uma identificação com o público. A jovem precisa juntar um milhão de dólares para pagar a dívida que o pai, viciado em jogos, adquiriu com um agiota – que, aliás, é seu ex-namorado. A única solução parece ser trabalhar para a sua tia Millie, dona de uma agência de acompanhantes de luxo, na qual cada encontro pode render um cheque de até seis dígitos. A proposta é simples: Mia passará um mês na casa de cada cliente, disponível para o que for necessário. Sexo não está incluído, exceto se for consensual. Neste caso, o dinheiro vai diretamente para a conta de Mia. Desta forma, em um ano, ela poderá juntar a quantia necessária para salvar o pai. Ao confiar em sua jornada, Mia começa a se autoconhecer e percebe que não há nada de errado em fazer o que quer.

Audrey Carlan mora em algum lugar da Califórnia com seus dois filhos e o marido.  Ela esteve no Brasil durante a Bienal do Livro de São Paulo. Quando não está escrevendo, está dando aulas de yoga, bebendo um bom vinho com suas melhores amigas ou devorando um romance super apimentado.

Compartilhar no WhatsApp
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.