quinta-feira, 1 de junho de 2017

.: Tudo sobre "Fera Radical", que estreia no canal VIVA


Trama de Walther Negrão estreia na próxima segunda, dia 5 de junho, no lugar de “Torre de Babel”, e integra a lista das 10 mais pedidas pelo público do VIVA
Um grande sucesso dos anos 1980 chega ao VIVA em junho: “Fera Radical” (1988). 

Escrita por Walther Negrão - com colaboração de Luiz Carlos Fusco, Ricardo Linhares e Rose Calza -, a novela tem a vingança como enredo principal e figura a lista das 10 mais pedidas pelos assinantes do canal, desde 2013. O folhetim estreia na próxima segunda, dia 5, e será exibido de segunda a sábado, às 14h30, com horário alternativo na faixa de 1h, substituindo “Torre de Babel”.

“Fera” e “radical” formam a combinação perfeita que simboliza a personalidade de Cláudia, a primeira protagonista de Malu Mader em novelas. Cheia de atitude, a motoqueira carrega todo o rancor de um passado marcado por injustiças e as fortes lembranças do extermínio de sua família. Quinze anos depois, a moça retorna à fictícia Rio Novo - Vassouras serviu como cenário da novela -, sua cidade natal, disposta a se vingar dos suspeitos pelo crime: os fazendeiros Altino Flores (Paulo Goulart) e Donato Orsini (Elias Gleizer).

A atuação de Yara Amaral como Joana, a matriarca da família Flores e principal rival de Cláudia, também é um destaque à parte na produção. A vilã foi o último trabalho da atriz na TV, que faleceu no naufrágio do Bateau Mouche, no Rio de Janeiro, no réveillon de 1988/89.

O elenco é composto por: Alexandra Marzo, Carla Camurati, Chica Xavier, Cláudia Abreu, Cláudia Magno, Cleide Blota, Denise Del Vecchio, Evandro Mesquita, George Otto, José Mayer, Laura Cardoso, Luiz Maçãs, Milton Gonçalves, Older Cazarré, Raul Gazolla, Rodrigo Santiago, Tato Gabus Mendes, Thales Pan Chacon, entre outros.

“Fera Radical” é inspirada na peça “A Visita da Velha Senhora”, de Friedrich Dürrenmatt, assim como “Cavalo de Aço” (1973), também de Negrão. O folhetim tem direção de Gonzaga Blota e Denise Saraceni, e direção geral de Blota.

A motoqueira de Malu Mader
“Verdades e Mentiras”, na voz de Maria Bethânia; “A Cura”, cantada por Lulu Santos; e a emblemática “Sonhos”, interpretada por Jane Duboc, viraram hits ao embalar as cenas da misteriosa Cláudia em “Fera Radical”. A personagem que lançou Malu Mader ao protagonismo de novelas é movida pela fúria que sustenta desde a infância, quando presenciou o massacre de sua família. Tomada por ódio e dúvidas, a moça é calculista e não mede esforços para colocar em prática o seu plano de vinganças, a começar pelo retorno a Rio Novo.


Cláudia já surpreende em sua chegada à cidade: interrompe a festa de noivado de Marilia (Carla Camurati) e Heitor (Thales Pan Chacon), dirigindo uma motocicleta da moda. Ela logo se infiltra e consegue emprego de analista de sistemas na Fazenda Olho d'Água, propriedade de Altino Flores (Paulo Goulart), um dos suspeitos pelo assassinato de sua família. Mas o que ela não esperava era encontrar um grande amor pelo caminho: Fernando (José Mayer), filho do novo patrão e de Joana (Yara Amaral). Antes disso, envolve-se com o irmão do rapaz, Heitor (Thales Pan Chacon), apenas como parte de sua estratégia contra a família. Quando o romance de Cláudia e Fernando engata, o casal precisa lidar com a perseguição e implicância de Joana. Afinal, coração de mãe não se engana e ela prevê, desde a chegada de Cláudia, que suas intenções não são das melhores. Joana não sossega até desvendar a verdadeira identidade da namorada do filho.

Vilã e último papel de Yara Amaral
Uma mescla de vilania com excesso de proteção. Essa é Joana, personagem de Yara Amaral em “Fera Radical”, que marcou sua despedida do público. No fim de 1988, ano em que a novela foi ao ar na Globo, a atriz foi vítima fatal do naufrágio do Bateau Mouche, no Rio de Janeiro.

Parceira de Altino há mais de 30 anos, a matriarca da família Flores é zelosa ao cuidar da fazenda e dos herdeiros: Heitor (Thales Pan Chacon), Fernando (José Mayer) e Olívia (Denise Del Vecchio).
Joana é a que mais se incomoda com a chegada de Cláudia (Malu Mader) a Rio Novo. A vilã faz de tudo para evitar as armações da rival e desperta ainda mais antipatia pela nora, ao descobrir que Cláudia foi criada por Marta (Laura Cardoso), antigo amor de Altino (Paulo Goulart). Marta é uma cafetina, que adotou a menina e a levou para longe de Rio Novo: Ipanema, no Rio de Janeiro. Olívia é fruto de seu romance com Altino, mas é criada por Joana como se fosse sua filha. 

Os donos da cidade
Os saudosos Paulo Goulart e Elias Gleizer interpretam os homens mais poderosos de Rio Novo, os fazendeiros suspeitos de matar cruelmente a família de Cláudia (Malu Mader). A maior evidência tem origem na antiga disputa acirrada de terras entre os empresários da cidade. O caso é investigado pelo delegado Damasceno (Milton Gonçalves).

O bom humor é uma das qualidades de Altino Flores (Paulo Goulart), que vive preso a uma cadeira de rodas - durante a novela, ele recupera os movimentos das pernas. O chefe dos Flores se dedicou aos negócios ao longo de sua vida, mas chega a hora de entregar o legado empresarial da família aos filhos Heitor (Thales Pan Chacon) e Fernando (José Mayer) - fruto de seu casamento com Joana (Yara Amaral). Enquanto Fernando é um peão simples, sem requintes, Heitor é o oposto, a começar pela preferência em viver na cidade grande. Os dois formam um quarteto amoroso cheio de reviravoltas, intrigas e paixão com Cláudia (Malu Mader) e Marília (Carla Camurati). Altino também é pai de Olívia (Denise Del Vecchio), sua filha com Marta (Laura Cardoso). Olívia mora no Rio com o marido, o oportunista Jorge (Rodrigo Santiago), e os filhos Ana Paula (Cláudia Abreu) e Rafael (George Otto). Se Ana Paula é a única da família a se interessar por agronomia, seu irmão só pensa nas pretendentes. A atual é Beth (Alexandra Marzo), que sofre por amor nas mãos do rapaz. Já Ana Paula nutre um fascínio não correspondido pelo tio Fernando.

Na fazenda vizinha, a Gaibu, moram os Orsini, liderados por Donato (Elias Gleizer). Amigo e sócio de Altino nos negócios, ele é um boa praça, cheio de trejeitos, que batalha para unir as famílias com o casamento da filha Marília com Heitor. Viúvo, Donato contou com o auxílio de Julia (Chica Xavier) na educação da herdeira. A doméstica também criou seus filhos Jaci (Daúde) e José Sebastião (Pratinha) na casa do patrão. 

A pensão e a escola de agronomia
O núcleo de comédia tem como destaque a pensão de Lourdes (Cleide Blota) e Robério (Older Cazarré), que rouba a cena em “Fera Radical”. As cenas da “república” foram gravadas no Retiro dos Artistas, instituição carioca.


O casal aluga quartos da casa para estudantes da Escola de Agronomia de Rio Novo. Entre eles: Paxá (Tato Gabus Mendes), Marcelo (Raul Gazolla), Dudu (Luiz Maçãs) e Alex (Evandro Mesquita). Paxá, o mais velho dos hóspedes, é considerado um eterno estudante, por nunca conseguir concluir o curso. O atlético Marcelo é tímido, enquanto Dudu só se mete em confusões. Em comum, os três mantêm uma atração por Ana Paula (Cláudia Abreu), mas ela só tem olhos para o tio Fernando (José Mayer).
Lourdes e Robério são pais da ingênua Beth (Alexandra Marzo) e da temperamental Victória (Cláudia Magno). 

A moça passou um tempo longe da família, mas, também está de volta à cidade, assim como Cláudia (Malu Mader). As duas são amigas de infância e vão se reaproximar, principalmente quando Victória descobre o plano de vingança da parceira e decide apoiá-la. 
“Fera Radical” também poderá ser assistida pelo VIVA Play e pelas plataformas VOD das operadoras NET, VIVO e Oi. Os capítulos serão disponibilizados sempre no dia seguinte à exibição na TV. 

VIVA - Canal Globosat
"Fera Radical" - inédito

Estreia 5 de junho
Horário principal: segunda-feira a sábado, às 14h30
Horário alternativo: segunda-feira a sábado, na faixa de 1h


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.