quarta-feira, 30 de agosto de 2017

.: Resenha crítica de "Dupla Explosiva", que é pura testosterona

Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em agosto de 2017


Dois rivais que se odeiam ao extremo, mas que a força da conspiração do destino os une para uma missão cheia de ação, comédia e até romance. Esse é o longa "Dupla Explosiva", estrelado por Ryan Reynolds e Samuel L. Jackson. Longe do famoso "Deadpool" e sem qualquer deformidade no rosto, mas em um uniforme 100% elegante, Reynolds dá vida a Michael Bryce. Tentando viver, após descer do posto tão sonhado ao perder um cliente importante, já nos minutos iniciais da produção, o requintado guarda-costas, recebe uma missão da ex-amada: Amelia Roussel (Élodie Yung).

Assim, Bryce fica incumbido de proteger um assassino de aluguel que precisa testemunhar na Corte Internacional de Justiça: Darius Kincaid (Jackson). De fato, o "reencontro" dos dois é pra lá de agitado. Entretanto, não basta haver ódio entre Bryce e Kincaid, pois o grande vilão da história é Gary Oldman quem dá vida ao maquiavélico Vladislav Dukhovich. No entanto, o poderoso Dukhovich tem seus fieis ajudantes e o enredo aguça ainda mais a adrenalina do público.

Em uma trama cheia de sangue jorrando, pancadaria e protagonistas desbocados, "Dupla Explosiva" aposta no romance dos encrenqueiros do pedaço. Calminha! O grande matador é cheio de amores pela latina e também brigona: Sonia Kincaid (Salma Hayek, que manda bem na comicidade). Já Bryce é encantado por Amelia Roussel (Élodie Yung), mas a vê como culpada por ter perdido o grande cargo dos sonhos. Assim, nessas idas e vindas dos casais, a trilha sonora fica por conta de "Hello", interpretada por Lionel Richie e "I Want To Know What Love Is", na voz de Foreigner. Difícil não cantar junto!

Como é possível cantar músicas de amor em um filme de muita testosterona explodindo na tela? Simples! Além de trazer dois sucessos dos anos 80, mais precisamente de 1984, a comédia é muito bem tratada nos diálogos do longa, assim há uma leveza diante do peso dos tiros, porradas e bombas. E, acredite, o único ponto fraco dos dois mestres da luta está nas respectivas parceiras. Entretanto, esse segredinho só é revelado ao público.

Procura por entretenimento no estilo dos filmes de ação dos anos 80 com toda a tecnologia da atualidade? "Dupla Explosiva", dirigido por Patrick Hughes, é uma excelente opção!


Filme: Dupla Explosiva (The Hitman´s Bodyguard)
Ano: 2017 
Gênero: Ação, aventura
Duração: 1h 58m
Direção: Patrick Hughes
Música composta por: Atli Örvarsson
Produtora: Nu Image
Distribuidora: Lionsgate Films
Classificação: 14 anos



*Editora do site cultural www.resenhando.com. É jornalista, professora e roteirista. Twitter: @maryellenfsm




Sobre o Cine Roxy: Em oito décadas, o Roxy é caso raro de cinema que acompanhou a transformação da maneira de se exibir um filme: dos primeiros e grandes rolos de película ao sistema digital. A rica trajetória se deve à perseverança e o senso empreendedor da família Campos: de pai para filho, chegou ao atual diretor do Roxy, Antônio Campos Neto, o Toninho Campos. A modernização, aliada à tradição, transformou o Roxy no principal cinema do litoral paulista, fato que rendeu a Toninho o Prêmio ED 2013 na categoria Exibição -Destaque Profissional de Programação, considerado o principal do país nos segmentos de exibição e distribuição. E o convite para ser diretor cultural do Santos & Região Convention Visitors Bureau.


Trailer


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.