segunda-feira, 4 de setembro de 2017

.: Chefs e Ana Paula Padrão falam do “MasterChef Profissionais"

Talent show volta ao ar nesta terça-feira, às 22h30, na tela da Band


Na véspera da estreia da segunda temporada do MasterChef Profissionais., os chefs Erick Jacquin, Henrique Fogaça e Paola Carosella e a apresentadora Ana Paula Padrão falam de suas expectativas sobre o talent show da Band.


Erick Jacquin
“Essa segunda temporada do MasterChef Profissionais me surpreendeu um pouco. É um desafio muito grande, as provas são muito difíceis e vai ter muita surpresa, porque ninguém imagina o quanto essa competição ficou mais difícil e mais dura. Nesta temporada vocês vão entender o que é ser profissional e ser cozinheiro de verdade”.

“Eu acho que todas as provas são difíceis, mas precisa saber jogar. Na hora da prova eliminatória, tem ficar no meio. Não pode ganhar a prova eliminatória, não precisa chamar atenção dos outros. Já a prova da Caixa Misteriosa é a hora de impressionar os jurados. Eu acho que o mais difícil são as provas rápidas, de 20 minutos”.

“Minha vida mudou com o MasterChef, mas eu não mudei. Deixei minha vida mudar, mas eu, pessoalmente, não mudei. Eu sou igual. Eu sou atrevido, falo palavrão, gosto de provocar, sou polêmico, apaixonado, choro e amo. Quem não gosta de mim, tudo bem. Nem todo mundo pode gostar de mim. Mas minha vida mudou, para melhor. Eu amo o que eu faço”.
“Eu acho que o profissional é uma coisa e a gastronomia é uma cultura que faz parte de um patrimônio deste país. O dono desse patrimônio cultural gastronômico brasileiro não são os profissionais, são as donas de casa. É lá que o MasterChef vai: dentro das casas, no meio das famílias. As crianças me param na rua e falam ’meu pai cozinhou pela primeira vez graças a você, graças a Paola, ao Fogaça, a Ana Paula, ao MasterChef.’ A mais bonita declaração que já recebi”.


Henrique Fogaça
“Nessa temporada do MasterChef Profissionais temos bons cozinheiros, provas muito diferenciadas de muita pressão. Os participantes vão ter que atender muitas pessoas em um casamento, então o bicho vai pegar. Mais pressão, mais cobrança, mais determinação: é isso que a gente espera. E os cozinheiros estão vindo mais bem preparados”.

“Para ser o próximo MasterChef Profissional, o cozinheiro tem que ter determinação, criatividade, aguentar a pressão, saber trabalhar em equipe”.
“Eu sinceramente não sei se eu entraria no programa porque é bem puxado, as provas são difíceis e eu não sei se teria a moral de dar a cara pra bater no MasterChef”.

“Nesta temporada temos bons cozinheiros. Com certeza eu iria peneirar ali três ou quatro para trabalhar comigo no restaurante Sal”.


Paola Carosella
“É incrível que já tenham passado seis temporadas do MasterChef. São quatro anos de programa. Eu vi uma evolução lenta, mas crescente, da conexão das pessoas coma cozinha. Não vou falar gastronomia, porque gastronomia fala de uma cozinha mais profissional, talvez. Mas sim com a cozinha. Das coisas que eu tenho ouvido e do que as pessoas tem me falado, como pessoas voltaram a se conectar cozinhando para assistir ao programa ou inspirados pelo MasterChef. Fizeram da hora do preparo da comida e do jantar uma espécie de brincadeira amorosa, de julgar uns aos outros”.

“Muitas pessoas que nunca tinham cozinhado, nem considerado cozinhar, começaram a fazer depois do programa porque se sentiram cutucados por essa coisa da paixão da cozinha, do sabor, da provocação da gastronomia, de como conquistar alguém com o sabor. Pais e filhos que não encontravam formas de se comunicar encontraram nas terças-feiras à noite um momento de conexão muito forte, que levaram pra fora depois desse horário, saindo pra jantar ou comprando livros de culinária e cozinhando juntos. Pessoas que não comiam e nem cozinhavam e para quais a comida não tinha nenhuma significância, incorporaram o sabor da comida e com isso, junto, as emoções que a comida traz”.

“Nós estamos num momento muito particular da comida nas nossas vidas, momentos onde ter tempo para cozinhar é raríssimo. Muitas pessoas moram sozinhas, então ninguém as espera com comida em casa. E perder essa conexão com o fato de você sentar para comer e compartilhar esse momento com outra pessoa, falar de comida é cultural e é muito importante. Talvez o maior orgulho que eu tenha de fazer parte desse programa é que eu vejo que o MasterChef leva para as pessoas muitas coisas que são fundamentais. A conexão com o que comemos, com quem comemos, da onde vem, qual é o impacto daquilo, como me conecto com você, como eu posso ser verdadeira e falar minha verdade sem te destruir, mas sendo dura quando necessário”.


Ana Paula Padrão
“Essa segunda temporada do MasterChef Profissionais de verdade atraiu profissionais que estão no mercado. Gente que, mesmo muito jovem, já tem uma participação importante em restaurantes, donos de restaurantes, pessoas com muita experiência no mercado, pessoas que já passaram por experiências no exterior, já trabalharam em restaurantes com estrela Michellin. Enfim, gente muito preparada. E por causa disso, as provas tem que ser muito mais técnicas. Técnica não é um problema para eles. O problema para eles é tempo e a convivência com os outros participantes, cozinhar em um ambiente de estúdio, em que eles não estão exatamente acostumados. Trabalhar em equipe com pessoas que eles não conhecem direito ainda. Os desafios tem que ser mais complicados, mais complexos, mais densos porque eles são profissionais mais preparados. E a gente conhece os competidores muito rapidamente. Já nos primeiros episódios a gente começa a torcer por alguns, a ter simpatia por outros. Enfim, é uma mecânica que tem muito mais agilidade; acho que ganhou muito em velocidade, o programa, e em facilidade de conexão entre os participantes e os espectadores. Acho que é uma temporada muito emocionante, muito densa, muito profunda. Eu estou gostando muito de fazer”.

“É muito difícil pra gente, quando está começando a gravar uma temporada, saber o que vai ser dela. Apesar de não ser um reality, não ter confinamento e uma câmera escondida, o esquema de gravação é um esquema de reality. A reação que eles vão ter a cada prova, as coisas que eles vão dizer, como os chefs vão reagir, como eu vou ter que me colocar: isso tudo acontece. Então, quando começa, a gente não sabe onde vai parar. Ainda não dá pra saber que personalidade vai imprimir esse MasterChef Profissionais, mas eu já tenho certeza que os personagens são muito fortes e são muito bem delineados. A gente entende rapidamente quem eles são. Eles despertam emoções que a gente não viu em outras edições do MasterChef porque eles são profissionais carimbados, eles sabem quem eles são e eles tem vontade de imprimir isso nos pratos que eles entregam”.

O MasterChef Profissionais, formato da Endemol Shine-Group, é uma co-produção da Band com o Discovery Home & Health que vai ao ar todas as terças-feiras, às 22h30, na tela da Band com transmissão simultânea no aplicativo e no portal da emissora. O programa é reapresentado às sextas-feiras, às 19h20, e aos domingos, às 18h50, no Discovery Home & Health. Saiba mais sobre o programa em www.band.com.br/MasterChef e curta nossa página no Facebook https://www.facebook.com/bandtv. Siga também nosso Twitter (@bandtv) e Instagram (@band).

Compartilhar no WhatsApp
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

Um comentário:

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.