domingo, 4 de março de 2018

.: Crítica: "Artista do Desastre" pode ser o último grande filme de James Franco


Por Helder Moraes Miranda, em março de 2018.

É de uma ousadia sem tamanho fazer um longa-metragem sobre os bastidores de uma obra que, até hoje, embora relativamente recente, é considerado "o 'Citizen Kane' dos filmes ruins" ou, mais ainda, "uma das piores películas já feitas na história do cinema", de acordo com a crítica especializada. 

"Artista do Desastre" ("The Disaster Artist", título original; e "Um Desastre de Artista", em Portugal)que pode ser o último grande filme de James Franco, tem a coragem de arriscar ao contar a história real do que aconteceu nas gravações do afamado "The Room", um filme que, de tão ruim, tornou-se cultuado e ganhou uma legião de fãs em todo o mundo, após um lançamento desastroso. O fascínio que existe em torno de "The Room" não é pelas características positivas do filme, pelo contrário, é pela forma incoerente e incompetente como foi realizado.

Desenvolvido por Seth Rogen e James Franco, que claramente não foi indicado para o Oscar de Melhor Ator por ter sido denunciado por casos de assédio, "Artista do Desastre" é baseado no livro "The Disaster Artist", publicado em 2013 por Greg Sestero, um dos atores que participou do filme. 

Se na literatura Sestero revela os problemas de produção de "The Room", o filme de 2017 começa com o início da amizade entre Tommy Wiseau e ele, um ator aspirante ao estrelato. Ambos se conhecem em um curso de teatro e logo ficam amigos. Para tentar a sorte, seguem para Los Angeles, para morar em um apartamento de Wiseau. Enquanto Sestero consegue algumas pontas como figurante, Wiseau, fora dos padrões, é rejeitado por Holywood e decide, por conta própria, estrelar, escrever, produzir e dirigir um filme que revelasse todos os seus talentos artísticos. 


Assim surgiu "The Room", de 2003Com pinta de vilão sombrio e extremamente egocêntrico a ponto de ser cômico, Wiseau decide que será o "mocinho" do longa-metragem e, sem entender nada de filmes, além de dar pitacos sem nenhum embasamento à equipe técnica que contratou a peso de ouro, Wiseau também não acata nenhuma opinião dos colegas de equipe mais experientes: só ele está certo, todos os outros estão errados. 

Os bastidores, em pé de guerra, são a matéria-prima para um filme instigante e imprevisível: a refilmagem, não o original, tendo em vista que vários foram os problemas durante as filmagens de "The Room". Muitos deles relacionados às reclamações da equipe de produção, que afirmavam que o roteiro e as ideias de Wiseau eram "inutilizáveis". Colaborou com o caos nos bastidores de "The Room" a inabilidade do próprio Wiseau em lidar com o elenco do filme, isso fica evidente em uma tomada sobre uma cena de sexo entre os protagonistas do longa que originou a refilmagem.

"The Room", o filme retratado em "Artista do Desastre", é um longa-metragem independente de 2003, que gira em torno do triângulo amoroso  entre um banqueiro chamado Johnny (Wiseau), sua futura esposa Lisa (Juliette Danielle) e seu melhor amigo, Mark (Greg Sestero). Parte do filme mostra uma série de subtramas sem conexão com a história principal, que não tem um desfecho na narrativa sem consistência do filme. 

Irreconhecível, James Franco faz e acontece no papel de Wiseau. Até fica nu, porque, na vida real, "o artista do desastre" acreditava que para o filme ter sucesso, deveria ter uma cena em que aparecesse a bunda de um ator. O roteiro de "The Room" é baseado em uma peça em que Wiseau estava escrevendo, e que iria acontecer dentro de um quarto, um local, segundo o idealizador do filme, "onde coisas boas e ruins podem acontecer".

Fracasso de crítica e de bilheteria em 2003, "The Room" era para ser um drama e, com o passar do tempo, foi redescoberto na internet, quando muitos passaram a fazer paródias e divulgar o longa-metragem. O boca a boca fez com que as vendas dos DVDs disparassem o suficiente para ganhar sessões de meia-noite que continuam até hoje ao redor do mundo, o que tornnou o filme lucrativo

"Artista do Desastre" não revela como Wiseau conseguiu dinheiro para financiar o projeto ou mesmo de onde ele veio e quantos anos tinha na época das filmagens, mas em  uma entrevista à revista Entertainment Weekly, ele revelou parte desse enigma: enriqueceu com a importação de jaquetas de couro da Coreia. Sestero, o autor do livro e testemunha ocular dos bastidores de "The Room", aponta que Wiseau já era rico antes de rodarem o filme pelo trabalho como empresário e com negócios imobiliários na região de Los Angeles e São Francisco.

"The Room" é um drama mal-feito que ao longo do tempo, a partir do olhar carinhoso do público, passou a ser encarado como uma obra de "humor negro". O filme foi originalmente exibido em um número limitado de cinemas na Califórnia. Virou cult devido à história e estrutura bizarras e nem um pouco convencionais, além de falhas técnicas, de continuidade e de narrativa, edição, direção e atuações ruins e falas desconexas. Custou US$ 6 milhões de dólares e Wiseau afirma que o filme chegou a esse valor porque vários atores e pessoal de produção foram trocados.

É possível afirmar que várias decisões ruins durante a execução do projeto o encareceram, como a construção de sets para cenas ao invés da filmagem em locações, ou a compra de equipamentos desnecessários, e até mesmo filmagem de cenas idênticas várias vezes em sets diferentes por muitas horas (ou até dias) porque Wiseau esquecia as próprias falas (que ele mesmo escreveu) ou também não gostava dos enquadramentos com as câmeras.

Em "Artista do Desastre", o ponto alto é a amizade que Wiseau nutre por seu "Baby Face", como ele chama Sestero, que, muitas vezes, dá a entender que é algo mais do que isso. Entretanto, é um filme sobre rebeldia, autoestima e, antes disso, até sobre acreditar em si mesmo. Pessoas que acreditam em si mesmas são capazes de coisas extraordinárias... Ou nem tanto!

Ficha Técnica:
"Artista do Desastre"("The Disaster Artist") (2017) 
País: EUA
Classificação: 14 anos
Estreia no Brasil: 25 de janeiro de 2018
Duração: 98 min.
Direção: James Franco
Roteiro: Michael H. Weber , Scott Neustadter
Elenco: James Franco, Dave Franco, Seth Rogen, Ari Graynor, Alison Brie, Zac Efron, Josh Hutcherson e Sharon Stone.

*Helder Moraes Miranda escreve desde os seis anos e publicou um livro de poemas, "Fuga", aos 17. É bacharel em jornalismo e licenciado em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura, pela USP - Universidade de São Paulo, e graduando em Pedagogia, pela Univesp - Universidade Virtual do Estado de São Paulo. Participou de várias antologias nacionais e internacionais, escreve contos, poemas e romances ainda não publicados. É editor do portal de cultura e entretenimento Resenhando.


Trailer

10 momentos estranhos em "The Room"

Compartilhar no WhatsApp
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.