sábado, 7 de abril de 2018

.: Flipoços: poetas contam como usam literatura para curar cicatrizes

Convidadas figuram em diferentes listas dos melhores livros do ano e participam de bate-papo no festival


O que a arte pode curar? Inspiradas nas próprias dores, cicatrizes e sangue, as poetas Lâmia Brito, Ryane Leão, Luiza Romão e Letícia Brito participam da mesa “Entre cicatrizes e sangue: o que fica?” que acontece no dia 04 de maio às 16h no Encontro de Arte da Periferia, parte da programação da 13ª edição do Festival Literário Internacional de Poços de Caldas, o Flipoços.

Esta é a primeira vez que as quatro convidadas, que em 2017 estiveram em várias listas como os melhores livros do ano, vêm ao Flipoços. No bate-papo elas vão falar sobre os processos de escrita e como as cicatrizes – delas e dos próximos - as levaram à literatura, como o nome da mesa sugere. A curadoria deste encontro é da jornalista Jéssica Balbino, bem como a mediação.

As quatro convidadas também vão lançar suas obras no Flipoços. Lâmia Brito chega com o livro “todas as funções de uma cicatriz”, que ajudou a pautar o título da roda de conversa. A poeta Ryane Leão é campeã de vendas, inclusive nas listas de mais vendidos, com o livro “tudo nela brilha e queima”, lançado no final de 2017. Ela também é conhecida pelo projeto “Onde Jazz Meu Coração”, em que cola lambes nas ruas de São Paulo e divulga na internet. Já Luiza Romão, que além de poeta é atriz, lança o livro bilíngue “Sangria”, com 28 poemas que recontam a história do Brasil pela ótica da mulher. Já a poeta Letícia Brito representou o Brasil no campeonato internacional de poesia falada Rio Poetry Slam e lança o livro “Senário ou paralelepípedo poético para quebrar vidraças literárias”.

Para a curadora do festival, Gisele Corrêa Ferreira, o bate-papo cumpre com a premissa da temática central do Flipoços neste ano, que é “A literatura & os outros saberes”. “O Encontro de Arte da Periferia já é uma tradição em nosso festival e também recorde de público. Neste ano, teremos uma mesa composta por escritoras periféricas que usam da poesia para lidar com o cotidiano e superar dores e traumas. Todas elas têm grande destaque no cenário nacional e será um prazer recebê-las com seus lançamentos”, destacou.

Além da mesa, o Encontro de Arte da Periferia recebe também o rapper Dexter, que fará uma visita e um bate-papo com os detentos do Presídio de Poços de Caldas no dia 04 de maio às 14h e às 21h, um show na Arena Cultural, lançando o disco “Flor de Lótus”. O espetáculo será gratuito e aberto ao público.

O Flipoços 2018 e a 13ª Feira Nacional do Livro de Poços de Caldas são realizados pela GSC Eventos Especiais e acontecem de 28 de abril a 06 de maio no Espaço Cultural da Urca. O Flipoços 2018 conta com o patrocínio do DME, Mineração Curimbaba, Codemge, BDM Cultural, Climepe, Fibrax, Supervale Supermercados e Prefeitura de Poços de Caldas. Parceiro Cultural Sesc Minas, Instituto Camões, Editoras Sextante, Dublinense, Malê, Faro Editorial, Aletria, Leya, Trilha Educacional, Edições Sesc São Paulo. Mais informações ligue (35) 3697 1551. A programação oficial do Flipoços 2018 está no ar pelo site www.flipocos.com. Agendamentos podem ser feitos com Maíra pelo coordenacao@gsceventos.com.br ou pelo telefone (35) 3697 1551.  

Compartilhar no WhatsApp
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.