segunda-feira, 2 de julho de 2018

.: Como identificar e lidar com as emoções durante a Copa

Dentro e fora do campo, evento mundial desperta sentimentos positivos e desagradáveis, como alegria, ansiedade, raiva e frustação. Especialista em aprendizagem socioemocional lista os principais deles e dá dicas de como enfrentar cada um


Emoções a flor da pele dentro e fora do campo são comuns nessa época de Copa do Mundo. Jogadores se deixam dominar pelo nervosismo extremo, torcedores revelam comportamentos exagerados, levados pelo fanatismo ou pela impulsividade. Um cenário que revela a falta de um trabalho estruturado ainda na infância, quando é possível desenvolver a chamada alfabetização emocional. “Assim como ensinamos português ou matemática nas escolas, podemos ensinar crianças e jovens a regularem as emoções”, explica Eduardo Calbucci, especialista em habilidades socioemocionais e um dos criadores do Programa Semente.

Segundo ele, embora mais eficaz durante a infância, a capacidade de controlar as emoções pode ser adquirida em qualquer momento da vida e aplicada em situações pontuais, como é o caso da Copa do Mundo, em que os ânimos ficam exaltados.

Confira abaixo como identificar sentimentos e lidar com cada um deles:

Frustração: sentimento provocado por uma expectativa não cumprida. 
Nesse caso, é sempre importante verificar se as expectativas eram realistas e lembrar que os erros podem ser um aprendizado para ações futuras.

Raiva: emoção que nasce da percepção de uma injustiça.
A raiva é um sentimento perigoso, porque é de alta intensidade. No caso da Copa do Mundo, é preciso entender que o esporte nem sempre é justo, que nem sempre o melhor ganha e que a arbitragem pode errar e prejudicar nossa seleção. É fundamental valorizar o esforço, a dedicação, o empenho, e não apenas o resultado.

Medo: emoção provocada pela proximidade de um perigo.
Um jogo que pode desclassificar o Brasil da Copa pode causar medo, mas é importante não exagerar no peso desse acontecimento. Nós, torcedores, não temos quase nenhuma influência sobre o resultado das partidas.

Ansiedade: um dos estados emocionais do medo.
A ansiedade é mais intensa do que a preocupação e o receio e menos intensa do que o desespero e o pânico. É normal e esperado que os torcedores fiquem ansiosos antes dos jogos do Brasil. Uma técnica eficiente de lidar com a ansiedade é focar na respiração: inspirar e expirar lentamente. Isso nos conecta com o momento presente, com o aqui e o agora, diminuindo os efeitos negativos da ansiedade.

Tristeza: sentimento provocado pela sensação de perda.
Uma desclassificação pode provocar tristeza, sobretudo nos torcedores mais fanáticos. É uma emoção desagradável, mas muitas vezes inevitável. A tristeza numa derrota nos ensina a valorizar mais ainda nossas vitórias e pode estimular a perseverança para continuar lutando.

Sobre o Programa Semente (programasemente.com.br) – Com uma abordagem moderna e inovadora, o Programa Semente está presente em escolas brasileiras contribuindo para o desenvolvimento socioemocional de alunos e educadores. A partir de um material escrito por educadores, médicos e psicólogos, sua metodologia possibilita que sejam trabalhadas em sala de aula questões como sociabilidade, autoconhecimento, autocontrole, empatia e decisões responsáveis, entre outras habilidades, cada vez mais presentes no mundo do trabalho e nas principais avaliações internacionais de educação, como o PISA. Desta forma, o Programa Semente contribui para a alfabetização emocional.

Compartilhar no WhatsApp
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.