quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

.: Made to move: A Barbie com mais articulações

Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em fevereiro de 2016


Muito foi falado sobre as novas curvas no corpo da boneca Barbie. Contudo, o que não se debate muito é a qualidade do produto oferecido como playline, ou seja, linha de produção para as crianças brincarem. No entanto, há um ponto ainda mais nebuloso: o que a Mattel fabrica e o que é importado. Nem tudo chega ao Brasil, infelizmente.

Tanto blá blá blá e... faltam respostas para todas as dúvidas. De um lado estão os que veneram todo lançamento da marca, independente de qualquer questão. Tudo é lindo, maravilhoso e incrível. Do outro lado, estão os colecionadores, aqueles que escolhem cada detalhe e exigem capricho. Não querem rebarbas de plástico, pinturas falhas ou calçados que se decomponham. Alguns são críticos, outros nem tanto e assim vai. Há um nicho para cada tipo de interessado.

Para complicar o meio de campo, tudo levava a crer que as bonecas articuladas da coleção "Made To Move" não chegariam ao Brasil, nas lojas. Desespero de muitos que já gostaram da novidade da Mattel exibida nas redes sociais. Por azar, pagaram bem mais caro para importá-las. Como não querer ter ao menos um exemplar do corpinho que tem tudo para desbancar os da coleção "Fashionistas" que, na época, prometia mais de 100 poses diferentes?

Para piorar, o tempo passou e a coleção das "Fashionistas" degringolou. As bonecas endureceram. Surgiram as "Dreamhouse", "Style Luxo" e, agora, talvez para agradar mais clientes, uma evolução: a coleção "Made To Move". Ok! As articulações nos joelhos e cotovelos não são das mais agradáveis de se ver, mas a liberdade proporcionada é incrível. A falta de beleza -ou delicadeza?- das partes dobradas -quando expostas, sem vestimentas-, causa um estranhamento. Não há como negar! Eis que surge aquele danado do... mas... Sim! Este "mas" indica que não está bom, mas não está ruim.


"Fashionista" ou "Made to Move"? Por hora, não há como comparar. Como tudo, ambos têm o lado bom e o ruim. O jeito é comprar ao menos um exemplar do lançamento e tirar as próprias conclusões. 

Confira uma análise das bonecas em: http://www.photonovelas.com.br/2016/02/barbie-made-to-move-mattel-18022016.html


* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com, jornalista, professora e roteirista, além de criadora do www.photonovelas.com.br. Twitter:@maryellenfsm


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.