segunda-feira, 24 de setembro de 2018

.: "Cabaré dos Afetos" estreia dia 29 de setembro no Espaço Parlapatões


Unindo teatro e circo o espetáculo "Cabaré dos Afetos" é uma parceria entre a Cia. da Pegada e o grupo de teatro Desabafo Coletivo. A Companhia da Pegada é um núcleo de pesquisa em circo que atua em São Paulo desde 2014, formada pelos artistas Flávio Falcone e Victor Abreu. 

O Desabafo Coletivo foi fundado em 2010, pela atriz Vanessa Carvalho e pela musicista Estela Carvalho, e tem como objetivo investigar a relação do ser humano contemporâneo com o feminino através de espetáculos interativos que integram diversas linguagens artísticas como música, dança, culinária, audiovisual, narração de histórias e teatro.

No primeiro semestre de 2018 a Cia da Pegada realizou o "Cabaré do Dr. D", abordando as temáticas do machismo e da homofobia no circo. Acalorada discussão se deu nas redes sociais e constatou-se que esses conceitos precisam ser melhor esclarecidos e debatidos. 

Ao falar sobre o assunto, muitas histórias vieram à tona, como a vivência de mulheres que se sentiram desrespeitadas e objetificadas durante audições para espetáculos de circo. No mesmo período, o Desabafo Coletivo iniciava a pesquisa para seu novo espetáculo A Noiva que fala sobre a instituição do casamento, sua relação com a propriedade privada e com o controle do corpo da mulher.

Desse encontro nasceu a vontade de juntar estética e afeto num cabaré de variedades. “Acreditamos que nesse momento histórico a heteronormatividade dos números pode deixar de ser regra e dar lugar para que cada artista seja genuíno em cena”, afirmam Flavio Falcone e Vanessa Carvalho, idealizadores do projeto.

Em "Cabaré dos Afetos" o circo e o teatro se unem para ampliar esse debate. Entre os artistas convidados estão poetas, performers, atrizes e atores, acrobatas, dançarinos e dançarinas, palhaços e palhaças, cantoras e cantores, trans e cis, héteros e homossexuais, além de MC's moradores da região da Cracolândia. “Sabemos que o machismo e a LGBTQfobia estão presentes em toda a sociedade, com as artes não é diferente. Não faltam denuncias contra diretores de teatro, músicos, atores famosos da TV. Esse assunto ainda levanta muita polêmica e no momento atual é importante que seja debatido, com toda liberdade, para que possamos nos fortalecer e combater essa mentalidade que ainda acredita que esse tipo de assédio seja normal. A humanidade parece caminhar para uma mudança de paradigmas sem precedentes, onde as ditas minorias ganham voz, ocupam seus lugares de representação, descobrem seu poder. Em contraponto, o conservadorismo ganha força, fazendo com que espetáculos como o Cabaré dos Afetos sejam cada vez mais necessários para que os avanços continuem acontecendo. Não tem mais volta, as mulheres saíram de dentro de casa, as LGBTQs saíram dos armários”, comenta Vanessa.

Entre os convidados do espetáculo estão artistas que vivem na região conhecida como cracolândia, no centro de São Paulo. “São usuários em tratamento que fazem parte de um projeto de utilização da arte como "porta de saída" da cracolândia. Todos que participam do projeto estão em fases diferentes do tratamento”, conta Flavio que é psiquiatra e desenvolveu metodologia única onde utiliza a arte circense como ferramenta para os processos de tratamento de dependentes químicos.

"Cabaré dos Afetos"
Espaço Parlapatões (100 lugares)
Praça Franklin Roosevelt, 158 – Consolação
Informações: (11) 3258-4449
Bilheteria: terça a quinta das 16h as 21h; sexta e sábado 16h a meia-noite, domingo 16h às 20h. Formas de Pagamento: dinheiro e todos os cartões de débito e crédito. Não aceita cheque. Estacionamento credenciado: Garagem Imeri (Franklin Rooselvelt, 194). Lanchonete, ar-condicionado e acesso para pessoas com deficiência.
  
Sábados, às 23h59
Ingressos: R$ 40

Duração: 80 minutos
Censura: 16 anos
Gênero: Circo-Teatro

Estreia dia 29 de setembro de 2018
Curta temporada: até 27 de outubro

Ficha técnica:
Concepção e produção: Flávio Falcone e Vanessa Carvalho
Músicos Convidados: Jorge Valente e Giulia Valentim
Artistas Convidados: Alba Brito, Andréa Macera, Ariane Artioli, Caco Pontes, Edson Gonçalves, Giovanna Velasco, Gisela Lourenção, Fabio Venturini, Fran Marinho, Irmãs Cola, Kadu Mendes, Lua de Morais, MC KawX, Mc Meia Noite, Rafael Munhoz, Sandra X e Vulcânica Pokaropa
Iluminação: Ricardo Silva
Foto: Ariane Artioli
Assessoria de imprensa: Morente Forte

.: "Fogo & Sangue": O novo livro de George R. R. Martin está em pré-venda


Trezentos anos antes de "A Guerra dos Tronos", dragões governavam Westeros. "Fogo & Sangue", primeiro volume de uma série que conta a história dos Targaryen, será publicado pela Editora Suma em novembro, com lançamento simultâneo ao dos Estados Unidos. O próprio George R. R. Martin divulgou a capa brasileira em primeira mão em suas redes sociais:



Por quase três séculos, a Casa Targaryen ocupou o Trono de Ferro e dominou os Sete Reinos. Poderosos, imponentes, os únicos senhores dos dragões em todo o mundo, eles eram amados e temidos na mesma medida. Invencíveis.

Mas o Trono de Ferro cobra seu preço em sangue, e embora nenhuma outra casa do reino ousasse desafiá-los, ambições e rivalidades internas logo começam a explodir, colocando dragão contra dragão nos céus de Westeros.

O que realmente aconteceu durante a Dança dos Dragões? Por que era tão perigoso visitar Valíria depois da Destruição? Qual foi a origem dos três ovos de dragão de Daenerys? Essas são apenas algumas das perguntas respondidas neste livro imperdível, narrado por um mestre da Cidadela, e ilustrado com mais de oitenta imagens assinadas por Doug Wheatley.

Os leitores tiveram vislumbres desta história em contos e novelas sobre o universo dos Sete Reinos, mas agora, pela primeira vez, a tapeçaria completa da mitologia dos Targaryen é revelada. Uma história escrita com fogo e sangue.


.: "O Paciente - O Caso Tancredo Neves" é o vencedor de Festival de Cinema

Estrelado por Othon Bastos, thriller médico de Sérgio Rezende ganha o prêmio de melhor filme do júri popular na mais importante mostra nacional realizada no exterior


Cena de "O Paciente - O Caso Tancredo Neves" com Othon Bastos


A Inffinito acaba de anunciar, na Flórida, o vencedor da 22ª edição do Festival de Cinema Brasileiro de Miami (BRAFF): "O Paciente - O Caso Tancredo Neves", thriller médico de Sérgio Rezende que revela detalhes da misteriosa morte do primeiro presidente civil eleito após a longa ditadura militar, em 1985, e que nunca tomou posse. Produzido por Mariza Leão e estrelado por Othon Bastos, o filme ganhou o troféu Lente de Cristal e está em cartaz nos cinemas brasileiros. No elenco principal estão Emilio Dantas, Esther Góes, Paulo Betti, Otávio Muller e Leonardo Medeiros. 

Realizada no tradicional cinema Regal South Beach, a mostra competitiva reuniu oito longas, selecionados pelos curadores Anna Marie de la Fuente (editora-chefe para América Latina da revista Variety), Flavia Guerra (jornalista e documentarista) e Carlos Gutierrez (diretor da distribuidora e produtora sediada em NY Cinema Tropical): O Paciente concorreu com a comédia Correndo Atrás, de Jeferson De; os dramas Benzinho, de Gustavo Pizzi; Aos Teus Olhos, de Carolina Jabor; e As Boas Maneiras, de Juliana Rojas e Marco Dutra; Berenice Procura, de Allan Fiterman; e as comédias Uma Quase Dupla, de Marcus Baldini, e Antes Que Eu Me Esqueça, de Tiago Arakilian. O prefeito de Miami Beach, Dan Gelber, entregou à Inffinito uma condecoração da cidade, em reconhecimento à importância do festival.

Em sessões hors concours, o festival apresentou dois aguardados documentários ainda inéditos no Brasil: Quero Botar Meu Bloco na Rua, de Adriana L. Dutra, sobre o carnaval de rua carioca, e Fevereiros, de Marcio Debellian, que registra a vitória da Mangueira quando homenageou Maria Bethânia e acompanha a cantora nas festas da Nossa Senhora da Purificação, na Bahia.

Além de Cacá Diegues, que foi homenageado nesta edição, as diretoras do festival, Adriana Dutra, Claudia Dutra e Viviane Spinelli receberam em Miami convidados como as produtoras Mariza Leão e Elisa Tolomelli, os atores Betty Faria, Alejandro Claveaux e Danton Melo, os diretores Carolina Jabor, Jeferson De, Sergio Rezende, Marcio Debellian e Tiago Arakilian, os roteiristas Helio de la Peña (de Correndo Atrás), Luisa Parnes (de Antes Que Eu Me Esqueça) e Flávia Guimarães (de Berenice Procura e Quero Botar Meu Bloco na Rua).

SOBRE O FESTIVAL DE CINEMA BRASILEIRO DE MIAMI - BRAFF: O BRAFF, Brazilian Film Festival of Miami, é um evento oficial das cidades de Miami e Miami Beach e do governo da Flórida. É realizado há 22 anos consecutivos, desde a retomada do cinema brasileiro. É o maior e mais importante festival de conteúdo exclusivamente brasileiro no exterior, uma vitrine natural para formação, reflexão, promoção, intercâmbio cultural, diversidade, articulações política e setorial, reconhecimento artístico, ações de caráter social, geração de emprego e renda, além de um crescente ambiente de negócios com extraordinário potencial econômico para a cadeia produtiva do audiovisual brasileiro.

ENTREVISTA SÉRGIO REZENDE (DIRETOR DO FILME O PACIENTE - O CASO TANCREDO NEVES): O cineasta Sérgio Rezende realizou 13 longas, entre os quais Em Nome da Lei, Mauá e Zuzu Angel, e os clássicos O Homem da Capa Preta e Guerra de Canudos. Premiado no Brasil e no exterior, teve seu trabalho, Salve Geral, indicado pelo Brasil ao Oscar em 2010.


Como você define o filme O Paciente - O Caso Tancredo Neves?
É um filme sobre o último mês de vida de Tancredo Neves, um homem que se preparou a vida inteira pra ocupar esse cargo de presidente do Brasil e que, na véspera de tomar posse, depois de 21 anos de ditadura, sente uma dor abdominal terrível, vai pro hospital com diagnóstico de apendicite, tem que ser operado de emergência, e não sai nunca mais. Sofre sucessivas operações, é transferido para São Paulo e finalmente morre, em 21 de abril de 85. É um thriller médico que se passa nesse período entre a internação dele no Hospital de Base de Brasília e a morte, em São Paulo.


Como surgiu a ideia do roteiro? Qual a importância em recontar essa história?
O filme é inspirado no livro homônimo do Luis Mir, um escritor e médico paulista que, ao longo de 10 anos, mergulhou em uma pesquisa minuciosa e teve acesso a todos os documentos oficiais, prontuários médicos, relatórios, além de falar com alguns dos envolvidos. E essa história, narrada desta forma, é desconhecida de quase todos nós. O roteiro partiu desta obra, que já tinha um começo e um final, mas nós desenvolvemos ao longo do processo. Eu acho importante por conta da fama do Brasil ser um país sem memória. As pessoas dizem muito isso. Cada vez mais, por conta da velocidade das informações, estamos vivendo muito o momento, o agora. É difícil para as pessoas olharem para trás, ver de onde as coisas estão vindo. Acho importante contar esse trecho da história, pois acredito que tenha sido determinante para o cenário político atual. É a história do nosso país e é importante entendê-la para mudá-la.


Como foi a escolha de Othon Bastos para o papel de Tancredo?
Othon é um antigo parceiro, eu sempre faço uma brincadeira com ele e digo: “Um Othon basta!”. Ele é uma força do cinema brasileiro. Este é nosso terceiro filme juntos, já rodamos “Mauá” e “Zuzu Angel”. Othon sabe tudo, além de ser um jovem no set.


Qual o papel deste filme mais de 30 anos depois da morte de Tancredo?
O interesse do filme não é fazer acusações, dizer se foi esse ou aquele que matou Tancredo. É uma conjunção de fatos em que ele é o personagem chave. Há mil sutilezas na história e a gente tem que procurar ser honesto com o que está narrando. O filme conta a história como aconteceu, o que vejo como um serviço à população, que, até hoje, ainda cria teorias sobre a morte dele.


De que forma os fatos são narrados?
Em parceria com Nonato Estrela, diretor de fotografia, decidimos filmar não de maneira clássica e nem de fazer uma decupagem ‘convencional’. Encontramos uma maneira mais próxima a um documentário, embora não seja. A câmera tem uma certa fluidez, como se as coisas estivessem acontecendo naquele momento e nos estivéssemos somente registrando. Uma outra curiosidade é que a trilha do David Tygel não vai ter musica, não tem violão, violino, bateria, piano. Ele procurou trabalhar sons da realidade retrada, como as máquinas do hospital.

Mais sobre o festival: inffinito.com

.: Resumo do 94º ao 98º capítulo de "As Aventuras de Poliana", do SBT

“As Aventuras de Poliana”

Resumo dos Capítulos 94 a 98 (24.09 a 28.09)

Poliana tira foto de Luísa e Afonso. Crédito das fotos: Lourival Ribeiro/SBT


Capítulo 94, segunda-feira, 24 de setembro

Vini e Jeferson descobrem que a máscara de rato do Waldisney era na verdade para uma festa a fantasia. Verônica decora toda sua sala de rosa e diz para Rogério que realmente está montando o Comitê do Laço Pink. Hugo vê João e vai com Éric atrás dele. Éric diz para Hugo soltar João e faz o amigo estranhar seu comportamento. Luísa fala para Afonso que os dois não podem namorar, pois o que sentem não passa de atração. Afonso insiste e convence Luísa a aceitar jantar com ele. Iuri deixa uma caixa de doces para Sophie com um bilhete de amor. Débora chega em sua sala de dança na escola e vê desenhos no espelho com os dizeres "Debônia". Débora grita e diz para Ruth ser um ato de vandalismo contra ela. 

Verônica insiste de todas as maneiras para que Dona Branca aceite fazer parte do Comitê do Laço Pink. A mulher chega até imaginar como seria um mundo pink ao lado de Branca e outras mulheres. Depois de muita conversa Dona Branca aceita fazer parte do comitê, mas pede para Verônica não contar nada para Glória por enquanto. Durval prepara a padaria com a ajuda de João para mais uma noite de samba. Débora diz que tirará um ponto da média de todos os alunos, com exceção de Filipa, até que o responsável pela travessura apareça. Ruth chama a atenção de Hugo e Éric. Heloísa cobra de Luca o vídeo de desculpa para Guilherme. Raquel descobre que Gabi a responsável por tirar fotos dela com Guilherme. Gabi diz para Raquel que fez as mensagens pois já passou pelo o que a Mirela está prestes a descobrir. Joana e Claudia vão até a casa de Luísa incentivar que ela se arrume para o jantar com Afonso.


Capítulo 95, terça-feira, 25 de setembro

Otto diz para Roger que está designando Sr. Pendlenton (que é ele mesmo) como braço direito das invenções da empresa. Luigi fala com Yasmin para saber o motivo dela ter se afastado. Yasmin diz que o grupo de Luigi não gosta dela, mas Filipa sim. Raquel impede que Guilherme quase confesse para Mirela que os dois namoram. Poliana tenta alegrar Débora e a professora decide usar a menina para que Marcelo reate o namoro com ela. Filipa expulsa Letícia e as gêmeas do grupo dela. Raquel se confunde e manda uma mensagem para Mirela no lugar de Guilherme. Arlete diz para Gleyce que ela tem inveja dela, por isso passou a trabalhar com Verônica. 

Mirela e Vini flagram Guilherme beijando Raquel. Mirela chega de surpresa ao afirmar: "Bonito, que bonito, hein". Afonso chega na casa de Poliana para buscar Luísa, que demora para aparecer após a arrumação. Joana e Claudia descem as escadas e perguntam se todos estão preparados para conhecer a Luísa que estava escondida (trata-se da estreia da atriz Thaísa Melchior como Luísa). Jeferson convida Brenda para ir ao samba da padaria. Mirela diz não querer mais ser amiga de Raquel. Yasmin revela para Luigi que escutou Kessya dizendo que ela era falsa. Mirela conta para a avó sobre o que aconteceu com Raquel.


Capítulo 96, quarta-feira, 26 de setembro

Gleyce dá para Kessya algumas das roupas usadas que ganhou de Verônica. Kessya gosta da tiara e Gleyce aconselha a filha ir para escola com o objeto. Luísa descobre que Afonso leva ela para o samba da padaria de Durval. A mulher não gosta da notícia, mas ao se deparar com as amigas Joana e Claudia aceita ficar.  Guilherme tenta falar com Vini antes do show para pedir desculpa, mas o loiro não consegue desculpar e Guilherme vai embora. Poliana recebe a prima Lorena em casa e faz uma encenação para ela. Guilherme tenta falar com Raquel, mas a garota insinua que talvez seja melhor os dois terminarem. Após se emocionarem, o casal se entende. Mirela vai para o show por ser a vocalista. João toca no lugar de Guilherme. Marcelo de separa com Luísa, diz que ela está diferente e ainda mais linda. Luísa agradece e responde que pelo visto todos vão dizer isso para ela hoje. Durval convida Claudia para dançar e ela aceita. Nadine também aparece na padaria para o samba.

Mirela e Vini descobrem que Raquel e Guilherme estão juntos. Crédito das fotos: Lourival Ribeiro/SBT

Capítulo 97, quinta-feira, 27 de setembro

Glória sente uma forte tontura e telefona para Marcelo pra pedir socorro. Débora atende o telefone, pois o filho saiu de casa. Glória deslia o celular. Antônio mostra para Lorena e Poliana fitas VHS com filmagens da infância da mãe, Alice, da tia Luísa e de Durval. Arlete joga um copo de bebida em Gleyce e finge ser acidente. Gleyce se enfurece e os maridos evitam a briga. Raquel aparece no meio do show e Mirela decide cantar a música "Traição". Brenda chega na padaria, Jefferson fica de olho nela, que é sua paquera, e é retribuído. Glória vai até a casa de Roger e melhora. Débora também vai ao local para ver como está a sogra. Marcelo vê Afonso tentando beijar Luísa, se descontrola e dá um soco do rapaz. Luísa manda Marcelo não se intrometer. O professor justifica que achou que ele estava forçando o beijo e pede desculpa aos dois. Os capangas do Rato (criminosos) vão até a padaria. João guarda a caixa de doações para evitar que eles a roubem. Vini e Jeferson se preocupam. No dia seguinte, Durval procura a caixa de doações, mas não encontra.

Capítulo 98, sexta-feira, 28 de setembro

Claudia devolve o celular de Yasmin por ela ter se comportado bem nos últimos dias. Mário e Luigi se escondem no carro da mãe para tentarem descobrir o lugar que ela e Sérgio trabalham. João percebe que os capangas que roubaram a caixa de doações de Durval e diz ao padeiro que irá recuperar. Salvador faz uma obra de arte e fica emocionado com ele mesmo. Nadine diz para Waldisney que Joana deve ter um caso. Afonso leva aliança de compromisso para Joana. Lindomar joga fora a obra de arte de Salvador por achar que era lixo. Salvador volta na sala com a diretora Ruth e chora ao perceber que sumiu seu invento. Afonso insiste para Luísa namorar com ele, mas a mulher responde que eles estão apenas se conhecendo. Poliana tenta convencer Raquel a se juntar com ela e Lorena para fazerem uma apresentação de escoteiras para surpreender Durval e Luísa com objetivo de uni-los. Filipa não gosta de ver Kessya com a tiara e pulseiras que eram suas. Acontece a primeira reunião entre Gleyce, Dona Branca e Verônica para falar sobre o Comitê do Laço Pink. Mário e Luigi entram na 0110 e descobrem que Sérgio trabalha ali. Após levarem uma bronca, os dois tentam saber se o pai e a mão trabalham juntos. Waldisney aparece.

“As Aventuras de Poliana” vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 20h50, no SBT. Site oficial da trama: sbt.com.br/asaventurasdepoliana

domingo, 23 de setembro de 2018

.: Crítico literário Hans Ulrich Gumbrecht no Sesc



O crítico literário Hans Ulrich Gumbrecht participa de duas atividades no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc no mês de setembro. Professor de literatura na Universidade de Stanford, Gumbrecht produziu, nos últimos 40 anos, mais de dois mil textos, incluindo livros traduzidos em mais de vinte línguas. Seus títulos mais recentes são "Atmosfera, ambiência, Stimmung: sobre um potencial oculto da literatura", "Após 1945: latência como origem do presente" e "Nosso Presente Amplo", todos traduzidos para o português e publicados no Brasil.

Ao lado da crítica Flora Sussekin e do ensaísta Guilherme Foscolo, com mediação do professor Alex Martoni, Gumbrecht  participa no dia 27 de setembro do debate Vida da Literatura: corpos, tecnologias, felicidade?, que aborda as relações críticas que se estabelecem entre literatura, corpos e tecnologias.

Já no dia 28, o crítico apresenta a palestra Experiência estética e produção de intensidade - no passado e hoje, na qual fala sobre o que consiste a experiência estética no passado e hoje.

Confira a programação: 
Literatura: corpos, tecnologias, felicidade?
Dia 27/9, quinta, das 19h às 21h30.
Inscrição - R$15,00 / R$7,50 / R$4,50

Neste debate, tem-se por objetivo constituir um espaço de reflexão teórica, discussão metodológica e análise crítica de práticas e projetos artísticos voltados ao fenômeno das transformações da percepção na experiência contemporânea.

O debate, nesse sentido, deverá por em movimento as diversas perspectivas que, no âmbito da filosofia, da teoria das artes, da crítica literária, das ciências da comunicação, dos estudos críticos da tecnologia, em diálogo com produções artísticas, interrogam as políticas de produção dos nossos sentidos - pelas quais se configura uma comunidade sensível.

Do entendimento de que todo ato perceptivo é também uma fabricação, pergunta-se, então, pela fabricação da felicidade. A felicidade emerge, a partir daí, como descrição que se constitui tecnopoliticamente pelas - e através das - obras de arte. O evento é organizado pelo Grupo de Pesquisas Avançadas em Materialidades, Ambiências e Tecnologias, da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB/CNPq) em parceria com o Centro de Pesquisa e Formação do Sesc-SP.

Com Hans Ulrich Gumbrecht.
Com Flora Sussekind - é crítica de cultura, professora associada do Curso de Estética e Teoria do Teatro do Centro de Letras e Artes da UNIRIO e pesquisadora junto ao Setor de Filologia da Fundação Casa de Rui Barbosa. Entre seus trabalhos mais recentes estão a tradução (ao lado de Ivone Margulies) de Uma Família em Bruxelas, de Chantal Akerman, em 2017, a publicação (ao lado de Tania Dias) dos três tomos de Cultura Brasileira Hoje: Diálogos, e no prelo o livro "Coros, Contrários, Massa", em processo de edição pela Cia Editora de Pernambuco (CEPE).

Com Guilherme Foscolo - é ensaísta, professor da Universidade Federal do Sul da Bahia e pesquisador. É doutor em Filosofia Moderna e Contemporânea pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, com estágio doutoral na Stanford University como bolsista Fulbright-CAPES. É coordenador do Grupo de Pesquisas Avançadas em Materialidades, Ambiências e Tecnologias (UFSB/CNPq). Tem capítulos de livro e artigos publicados em revistas como Raído (UFGD), Prometeus Filosofia (UFS), Viso (UFF), entre outros.

Mediação: Alex Martoni - Doutor em Estudos de Literatura pela Universidade Federal Fluminense, com doutorado-sanduíche/Capes pela Stanford University (EUA), e tem Pós-Doutorado PNPD/Capes pela UFF. Professor do Programa de Mestrado em Letras do Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora, é membro do GT Anpoll Intermidialidade: Literatura, Artes e Mídias, e vice-líder do Grupo de Pesquisa em Ritmo, Imagem e Pensamento (UFF) e do Grupo de Pesquisas Avançadas em Materialidades, Ambiências e Tecnologias (UFSB).

Experiência estética e produção de intensidade - no passado e hoje
Dia 28/9, sexta, das 14h às 18h
Inscrição - R$50,00 / R$25,00 / R$15,00

Neste encontro, Hans Ulrich Gumbrecht abordará o tema da experiência estética e da intensidade com que nossos corpos são afetados, através da história e nos dias atuais, por obras de arte e circunstâncias cotidianas.

Como definir "experiência estética"? Quais as proximidades e afastamentos entre a forma da experiência estética contemporânea e as formas desta experiência construídas no passado? Qual a relação entre a modernização dos sentidos e a experiência da fruição estética? É possível a fruição estética de eventos cotidianos, como um jogo de futebol? Qual a relação entre as novas tecnologias e a produção de distintas intensidades de experiência estética? O que se tornou, afinal, a experiência estética em nosso horizonte contemporâneo? O que foi designado por Gumbrecht de "Presente Amplo".

Sobre o CPF Sesc: Inaugurado em agosto de 2012, o Centro de Pesquisa e  Formação do Sesc é uma unidade do Sesc São Paulo voltada para a produção de conhecimento, formação e difusão e tem o objetivo de estimular ações  e desenvolver estudos nos campos cultural e socioeducativo.
Além do Curso Sesc de Gestão Cultural - que visa a qualificação para a gestão cultural de profissionais atuantes no campo das Artes, tanto de instituições públicas como privadas - a unidade proporciona o acesso à cultura de forma ampla, tematicamente, por meio de cursos, palestras, oficinas, bate-papos, debates e encontros nas diversas áreas que compreendem a ação da entidade, como artes plásticas e visuais, ciências sociais, comportamento contemporâneo e cotidiano, filosofia, história, literatura e artes cênicas, voltadas para o público em geral.

Serviço:
Recomendação etária: 16 anos. 30 vagas.
Tradução em Libras disponível. Faça sua solicitação com no mínimo dois dias de antecedência da atividade através do e-mail centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br.
Informações e inscrições pelo site (sescsp.org.br/cpf) ou nas unidades do Sesc no Estado de São Paulo. Serviço de van até a estação de metrô Trianon-Masp, de segunda a sexta, às 21h30, 21h45 e 22h05, para participantes das atividades.

CENTRO DE PESQUISA E FORMAÇÃO DO SESC
Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar.
Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 10h às 22h. Sábados, das 9h30 18h30. Tel: 3254-5600.

.: Maglore celebra 1 ano do disco “Todas as Bandeiras” com show em SP


Uma das bandas de maior destaque do rock nacional, a Maglore comemora um ano do seu disco mais recente, “Todas as Bandeiras” (Deck/ 2017), com show em São Paulo. A apresentação será na Casa Natura Musical, no dia 27 de setembro (quinta-feira), na segunda edição do TMDQA! Convida, evento com a curadoria do site Tenho Mais Discos que Amigos. 

Misturando referências que vão do indie à MPB e ao rock dos anos 1970 e 80, a Maglore   apresentou no trabalho 12 faixas autorais. Apesar de ser o disco mais político da banda, nem todas as canções têm vertente unicamente ideológica e em todas elas o grupo busca verdades bastante pessoais.

O   quarteto, formado por Teago Oliveira (voz e guitarra), Lucas Oliveira (voz e baixo), Lelo Brandão (teclados, guitarra e voz) e Felipe Dieder (bateria), toca no show todas as faixas na ordem do álbum, entre elas, músicas como “Aquela Força” e “Você me Deixa Legal”. Estão também no repertório do show sucessos dos três trabalhos anteriores, como “Mantra”, “Ai Ai” (na trilha de Malhação), “Dança Diferente”, “Se Você Fosse Minha”, “O Sol Chegou”, “Café com Pão”, “Aconteceu”, “Vampiro da Rua XV”, “Demodê”, “Demais”, “Baby!” e “Tudo de Novo”. Tornando a apresentação ainda mais especial, a banda será acompanhada por um trio de metais formado por Filipe Nader (sax), Douglas Antunes (trombone) e Gustavo Sousa (trompete).

“Todas as Bandeiras” está disponível em todas as plataformas digitais e em CD, pela Deck, e em vinil pela Polysom. 

Maglore – TMDQA! Convida
Show: Um Ano de “Todas as Bandeiras”
Data: 27/09 (quinta-feira)
Horário: 21h30
Abertura da casa: 20h
Ingressos
Meia-entrada para todos os setores
Pista: R$ 50 (lote 1)
R$ 60 (lote 2)
R$ 70 (lote 3)
Bistrô superior: R$ 100
Camarote: R$ 100
Lotação para este show: 710 lugares
Classificação etária: 12 anos (menor de 12 acompanhado pelos pais ou responsáveis)

Casa Natura Musical
Rua Artur de Azevedo, 2134, Pinheiros, São Paulo Ingressos sem taxa de conveniência na bilheteria da Casa
Ingressos podem ser pagos com dinheiro, cartões de crédito e débito
Horário da bilheteria: de terça a sábado, das 12h às 20h. Segundas e domingos, quando houver show. Em dias de espetáculo, a bilheteria fecha mais tarde, até uma hora após o início da apresentação.
Vendas de ingressos: Eventim (https://goo.gl/W8hCmh)
SAC Eventim: 4003-6860, das 11h às 17h, de segunda a sexta-feira Vendas para pessoas com deficiência: 4003-6860 

www.eventim.com.br
www.casanaturamusical.com.br
www.facebook.com/CasaNaturaMusical
www.instagram.com/casanaturamusical 
www.twitter.com/casanaturamus

.: Álbum infantil: Mundo Bita é indicado ao Grammy Latino

Bita e a Natureza, que concorre como melhor álbum na categoria infantil, é única indicação brasileira


O álbum Bita e a Natureza, produzido pela Mr. Plot - idealizadora do Mundo Bita- em parceria com a Sony Music, é finalista do Grammy Latino como melhor álbum infantil. A produção, lançada em 2017, abrange, de forma lúdica e educativa, assuntos relacionados à natureza como as águas, montanhas, fauna, flora, espaço sideral, clima e a tão necessária e atual reciclagem.

Com conteúdo 100% autoral e voltado aos pequenos, as músicas introduzem assuntos complexos e de extrema importância já nos primeiros anos de vida, como a concepção de uma vida. O resultado? Uma combinação mágica de músicas, aprendizado e alegria para toda a família em singles como "Chuva Chove", "Como é que a Gente Nasce", "Canção pro Universo", "Nem Tudo que Sobra é Lixo" e "Trem das Estações", com a participação especial de Milton Nascimento.

As letras ficam por conta de Chaps Melo, idealizador do Mundo Bita e um dos sócios da Mr. Plot, que também dá voz aos singles. "O que acho mais interessante na história da criação do Bita é que ?z pensando apenas na minha ?lha, no conforto do quarto, na tranquilidade e na alegria. Tem uma carga de amor muito grande nesse desenvolvimento. O fato de ter virado um personagem famoso foi puro acaso", explica.
O Mundo Bita surgiu quase que ao acaso. O principal personagem, simpática figura de bigode laranja e cartola na cabeça, teve sua primeira aparição no quarto da filha recém-chegada de Chaps. O executivo notou o potencial de sua criação e a apresentou aos amigos e sócios, João Henrique Souza, Felipe Almeida e Enio Porto, que decidiram transformá-la no primeiro personagem do Mundo Bita. Surgiu então um desenho de conteúdo autoral, com linguagem adaptada para crianças e diferente de tudo que havia sido criado anteriormente.

Em parceria com a Sony Music, a Mr. Plot abraçou o desafio de produzir um DVD por ano. "Bita e os Animais", o primeiro deles, é ganhador do disco de platina da Sony Music. O segundo, "Bita e as Brincadeiras", também recebeu o disco de platina pela gravadora. Já "Bita e o Nosso Dia", foi reconhecido com disco de ouro e "Bita e o Corpo Humano" tornou-se o DVD mais vendido do Brasil em outubro de 2016. A indicação de "Bita e a Natureza" ao Grammy chega para coroar ainda mais a Mr. Plot.
Este ano a empresa iniciou também seu processo de expansão global e leva o Mundo Bita para a América Latina. Canções e vídeos em espanhol já podem ser acessados nas redes sociais da atração. O primeiro lançamento apresentado foi Nuestra Granjita – tradução da clássica Fazendinha, do álbum Bita e os Animais – e, a cada semana, novos clipes ganham espaço.

.: Rita Ora lança o videoclipe de “Let You Love Me”

Faixa que anuncia o segundo álbum de estúdio da cantora, “Phoenix”, chega acompanhada de videoclipe inédito


Rita Ora anunciou esta semana detalhes do segundo álbum de estúdio, “Phoenix”, com lançamento previsto para 23 de Novembro. E, para celebrar a novidade, já está disponível, em todas as plataformas digitais “Let You Love Me”, single de estreia do projeto que chega acompanhado de videoclipe inédito. Dirigido por Malia James, com produção assinada por Tom Birmingham, direção de fotografia de Adric Watson e edição de Chris Roebuck, o registro foi feito em Londres e estrela a cantora durante uma noite de festa.
Clique e assista agora ao clipe de "Let You Love Me":

Co-autoria de Rita Ora, a faixa é um pop moderno que carrega toda a essência das músicas anteriores da cantora. A faixa revela as inseguranças dela em um novo relacionamento e se posiciona como o lançamento mais íntimo de Rita até o momento, mostrando toda a potência vocal da cantora, com nuances que vão de doce a performances mais sintetizadas. O single passeia pela delicadeza dos versos entoados pelas batidas hipnotizantes do refrão, o que traduz perfeitamente o desejo de se deixar levar pelo amor.

“Um dos sentimentos mais libertadores para mim é tocar e criar música. Este álbum é um verdadeiro trabalho de amor e foi importante para mim fazer do meu jeito. Sou muito grata ao amor e apoio daqueles que trabalharam comigo no projeto e me permitiram criar algo do qual tenho muito orgulho. Eles me deram espaço e liberdade para criar algo do meu coração. Ambos desafiadores e eufóricos às vezes. Estou muito orgulhosa e grata pela jornada que a realização de “Phoenix” me levou. Aos meus fãs, obrigada pela paciência e obrigado sempre por ouvir”, comentou Rita sobre o anúncio álbum.

sábado, 22 de setembro de 2018

.: Expoflora: Flor que não acaba mais para as boas-vindas à Primavera

A nova estação começa oficialmente neste sábado, dia 22 de setembro, às 22h53. Em nenhum lugar, em toda a América Latina, um local reúne tão grande quantidade de flores e plantas para comemorar a nova estação. São cerca de 276 mil hastes das mais diversas espécies em arranjos florais e mais de 13 mil vasos de flores e plantas ornamentais plantados nos jardins.

Em nenhum lugar, em toda a América Latina, um único local reúne tão grande quantidade de flores e tantas variedades para comemorar a nova estação como no parque da Expoflora, a exposição de flores que termina no domingo, 23 de setembro, em Holambra, interior de São Paulo. O evento abre às 9h  e fecha às 19h. Os ingressos custam R$ 48,00 na bilheteria e no site www.ingressorapido.com.br.

Somadas, são cerca de 276 mil hastes das mais diversas espécies em arranjos florais e mais de 13 mil vasos de flores e plantas ornamentais plantados nos jardins.

Somente na Exposição de arranjos florais, os decoradores Jan Willen e Jéssica Drost utilizaram 2 mil vasos de flores e 272 mil hastes de flores para contar a história da imigração holandesa em 14 ambientes. Nos jardins e canteiros do parque de 250 mil m², são mais 7.517 vasos plantados em 25 diferentes canteiros e jardins, incluindo 800 orquídeas e 340 bromélias instaladas nas árvores próximas aos bebedouros da Alameda do Beijo e no antigo Fusca, onde os turistas não resistem a infinitas selfies.

No canteiro do vitral estão 474 vasos de hibiscos. Exatos 4.048 sunpatiens compõem o jardim em frente à Sala da Imprensa, da Praça do Vitral e nos canteiros que enfeitam a arquitetura holandesa na Alameda do Beijo. Nos três corações próximos às Árvores dos Tamancos, há nada menos do que 500 antúrios. Para os três carros alegóricos que desfilam na Parada das Flores, a artista Stans Scheltinga usou 450 vasos de orquídeas, 100 de bromélias, 1.680 hastes de rosas, 2.000 hastes e 1.250 vasos de flores variadas.

Na Mostra de paisagismo, são 898 vasos de gérberas, girassóis, antúrios, ásteres, crisântemos, celósias, sansevérias, violetas, avencas, moreias, palmeiras, dracenas, zamioculcas, cicas, peixinhos e fórmios em 19 ambientes. E, para cada Chuva de pétalas, são utilizados 150 quilos de pétalas coloridas, que correspondem a 800 dúzias ou a 18 mil botões.

Nos 15 dias de evento, a quantidade equivale a 2.250 quilos de pétalas, a 12 mil dúzias ou a 270 mil botões de rosas, fazendo um espetáculo que encanta e emociona quando os milhares de visitantes erguem as mãos tentando pegar uma pétala antes que ela toque o chão para que os seus desejos sejam realizados. 

Para finalizar, no Shopping das Flores são disponibilizados quase 79 mil vasos de plantas e flores de 3.500 variedades de 300 espécies exibidas na exposição para serem adquiridos e levados para casa.

Dança pela paz: Também para comemorar a Primavera - estação que representa a renovação e as mudanças positivas -, 11 rodas de danças circulares, com mais de 180 pessoas, interagem com o público e convidam os visitantes para a “dança pela paz”. A apresentação será das 10h às 11h, no Parque das Tulipas, em frente ao Shopping das Flores.

A intenção é utilizar as técnicas da dança circular e, ao som do “Himno de la Paz” (Hino da Paz, de Ricardo Bustamante), emanar energia e as boas vibrações para “espalhar” a paz na Terra. 

Serviço:
37ª Expoflora
Localização: Holambra/SP
Data: até domingo, 23 de setembro
Horário: das 9h às 19h
Ingressos: R$ 48,00 na bilheteria e no site www.ingressorapido.com.br
Patrocínio: Coca-Cola Femsa Brasil, Água Mineral Crystal, Amstel e Ultragaz e apoio do Banco do Brasil e da Prefeitura Municipal da Estância Turística de Holambra.
Informações para o público: (19) 3802-1499

.: Marcelo Nova canta e conta experiências no Parque Dom Pedro

Foto: Divulgação


Marcelo Nova é atração do Memórias Musicais no domingo, 30 de setembro, às 16h, no Sesc Parque Dom Pedro II com entrada gratuita.  Projeto recebe personalidades da cena musical brasileira para bate-papos sobre as memórias que influenciam suas produções artísticas.

O artista é um ícone do rock nacional, fundador da banda Camisa de Vênus e que, ao longo de seus mais de 30 anos de carreira, contou com parcerias ilustres como Raul Seixas.

Músico participou de uns períodos mais efervescentes da história do rock nacional, protagonizou histórias dentro e fora do palco com ícones da cena musical e artística. Todas essas vivências serão costuradas por uma apresentação mais intimista de Marcelo Nova.

O projeto Memórias Musicais já também marcou presença com Emicida e Fióti, Negra Li e Fabiana Cozza.

Domingo, 30 de setembro, às 16h
Local: Palco
Grátis - Sem retirada de ingressos.
Não recomendado para menores de 12 anos

Sesc Parque Dom Pedro II
Praça São Vito, s/n – Brás
Horário de funcionamento: De quarta a domingo e feriados, das 10h às 18h. 
Telefone: (11) 3111-7400 
Redes Sociais
Site: sescsp.org.br
Facebook facebook.com/sescpqdompedro

Postagens mais antigas → Página inicial
Tecnologia do Blogger.