domingo, 23 de setembro de 2018

.: Crítico literário Hans Ulrich Gumbrecht no Sesc



O crítico literário Hans Ulrich Gumbrecht participa de duas atividades no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc no mês de setembro. Professor de literatura na Universidade de Stanford, Gumbrecht produziu, nos últimos 40 anos, mais de dois mil textos, incluindo livros traduzidos em mais de vinte línguas. Seus títulos mais recentes são "Atmosfera, ambiência, Stimmung: sobre um potencial oculto da literatura", "Após 1945: latência como origem do presente" e "Nosso Presente Amplo", todos traduzidos para o português e publicados no Brasil.

Ao lado da crítica Flora Sussekin e do ensaísta Guilherme Foscolo, com mediação do professor Alex Martoni, Gumbrecht  participa no dia 27 de setembro do debate Vida da Literatura: corpos, tecnologias, felicidade?, que aborda as relações críticas que se estabelecem entre literatura, corpos e tecnologias.

Já no dia 28, o crítico apresenta a palestra Experiência estética e produção de intensidade - no passado e hoje, na qual fala sobre o que consiste a experiência estética no passado e hoje.

Confira a programação: 
Literatura: corpos, tecnologias, felicidade?
Dia 27/9, quinta, das 19h às 21h30.
Inscrição - R$15,00 / R$7,50 / R$4,50

Neste debate, tem-se por objetivo constituir um espaço de reflexão teórica, discussão metodológica e análise crítica de práticas e projetos artísticos voltados ao fenômeno das transformações da percepção na experiência contemporânea.

O debate, nesse sentido, deverá por em movimento as diversas perspectivas que, no âmbito da filosofia, da teoria das artes, da crítica literária, das ciências da comunicação, dos estudos críticos da tecnologia, em diálogo com produções artísticas, interrogam as políticas de produção dos nossos sentidos - pelas quais se configura uma comunidade sensível.

Do entendimento de que todo ato perceptivo é também uma fabricação, pergunta-se, então, pela fabricação da felicidade. A felicidade emerge, a partir daí, como descrição que se constitui tecnopoliticamente pelas - e através das - obras de arte. O evento é organizado pelo Grupo de Pesquisas Avançadas em Materialidades, Ambiências e Tecnologias, da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB/CNPq) em parceria com o Centro de Pesquisa e Formação do Sesc-SP.

Com Hans Ulrich Gumbrecht.
Com Flora Sussekind - é crítica de cultura, professora associada do Curso de Estética e Teoria do Teatro do Centro de Letras e Artes da UNIRIO e pesquisadora junto ao Setor de Filologia da Fundação Casa de Rui Barbosa. Entre seus trabalhos mais recentes estão a tradução (ao lado de Ivone Margulies) de Uma Família em Bruxelas, de Chantal Akerman, em 2017, a publicação (ao lado de Tania Dias) dos três tomos de Cultura Brasileira Hoje: Diálogos, e no prelo o livro "Coros, Contrários, Massa", em processo de edição pela Cia Editora de Pernambuco (CEPE).

Com Guilherme Foscolo - é ensaísta, professor da Universidade Federal do Sul da Bahia e pesquisador. É doutor em Filosofia Moderna e Contemporânea pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, com estágio doutoral na Stanford University como bolsista Fulbright-CAPES. É coordenador do Grupo de Pesquisas Avançadas em Materialidades, Ambiências e Tecnologias (UFSB/CNPq). Tem capítulos de livro e artigos publicados em revistas como Raído (UFGD), Prometeus Filosofia (UFS), Viso (UFF), entre outros.

Mediação: Alex Martoni - Doutor em Estudos de Literatura pela Universidade Federal Fluminense, com doutorado-sanduíche/Capes pela Stanford University (EUA), e tem Pós-Doutorado PNPD/Capes pela UFF. Professor do Programa de Mestrado em Letras do Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora, é membro do GT Anpoll Intermidialidade: Literatura, Artes e Mídias, e vice-líder do Grupo de Pesquisa em Ritmo, Imagem e Pensamento (UFF) e do Grupo de Pesquisas Avançadas em Materialidades, Ambiências e Tecnologias (UFSB).

Experiência estética e produção de intensidade - no passado e hoje
Dia 28/9, sexta, das 14h às 18h
Inscrição - R$50,00 / R$25,00 / R$15,00

Neste encontro, Hans Ulrich Gumbrecht abordará o tema da experiência estética e da intensidade com que nossos corpos são afetados, através da história e nos dias atuais, por obras de arte e circunstâncias cotidianas.

Como definir "experiência estética"? Quais as proximidades e afastamentos entre a forma da experiência estética contemporânea e as formas desta experiência construídas no passado? Qual a relação entre a modernização dos sentidos e a experiência da fruição estética? É possível a fruição estética de eventos cotidianos, como um jogo de futebol? Qual a relação entre as novas tecnologias e a produção de distintas intensidades de experiência estética? O que se tornou, afinal, a experiência estética em nosso horizonte contemporâneo? O que foi designado por Gumbrecht de "Presente Amplo".

Sobre o CPF Sesc: Inaugurado em agosto de 2012, o Centro de Pesquisa e  Formação do Sesc é uma unidade do Sesc São Paulo voltada para a produção de conhecimento, formação e difusão e tem o objetivo de estimular ações  e desenvolver estudos nos campos cultural e socioeducativo.
Além do Curso Sesc de Gestão Cultural - que visa a qualificação para a gestão cultural de profissionais atuantes no campo das Artes, tanto de instituições públicas como privadas - a unidade proporciona o acesso à cultura de forma ampla, tematicamente, por meio de cursos, palestras, oficinas, bate-papos, debates e encontros nas diversas áreas que compreendem a ação da entidade, como artes plásticas e visuais, ciências sociais, comportamento contemporâneo e cotidiano, filosofia, história, literatura e artes cênicas, voltadas para o público em geral.

Serviço:
Recomendação etária: 16 anos. 30 vagas.
Tradução em Libras disponível. Faça sua solicitação com no mínimo dois dias de antecedência da atividade através do e-mail centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br.
Informações e inscrições pelo site (sescsp.org.br/cpf) ou nas unidades do Sesc no Estado de São Paulo. Serviço de van até a estação de metrô Trianon-Masp, de segunda a sexta, às 21h30, 21h45 e 22h05, para participantes das atividades.

CENTRO DE PESQUISA E FORMAÇÃO DO SESC
Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar.
Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 10h às 22h. Sábados, das 9h30 18h30. Tel: 3254-5600.

.: Maglore celebra 1 ano do disco “Todas as Bandeiras” com show em SP


Uma das bandas de maior destaque do rock nacional, a Maglore comemora um ano do seu disco mais recente, “Todas as Bandeiras” (Deck/ 2017), com show em São Paulo. A apresentação será na Casa Natura Musical, no dia 27 de setembro (quinta-feira), na segunda edição do TMDQA! Convida, evento com a curadoria do site Tenho Mais Discos que Amigos. 

Misturando referências que vão do indie à MPB e ao rock dos anos 1970 e 80, a Maglore   apresentou no trabalho 12 faixas autorais. Apesar de ser o disco mais político da banda, nem todas as canções têm vertente unicamente ideológica e em todas elas o grupo busca verdades bastante pessoais.

O   quarteto, formado por Teago Oliveira (voz e guitarra), Lucas Oliveira (voz e baixo), Lelo Brandão (teclados, guitarra e voz) e Felipe Dieder (bateria), toca no show todas as faixas na ordem do álbum, entre elas, músicas como “Aquela Força” e “Você me Deixa Legal”. Estão também no repertório do show sucessos dos três trabalhos anteriores, como “Mantra”, “Ai Ai” (na trilha de Malhação), “Dança Diferente”, “Se Você Fosse Minha”, “O Sol Chegou”, “Café com Pão”, “Aconteceu”, “Vampiro da Rua XV”, “Demodê”, “Demais”, “Baby!” e “Tudo de Novo”. Tornando a apresentação ainda mais especial, a banda será acompanhada por um trio de metais formado por Filipe Nader (sax), Douglas Antunes (trombone) e Gustavo Sousa (trompete).

“Todas as Bandeiras” está disponível em todas as plataformas digitais e em CD, pela Deck, e em vinil pela Polysom. 

Maglore – TMDQA! Convida
Show: Um Ano de “Todas as Bandeiras”
Data: 27/09 (quinta-feira)
Horário: 21h30
Abertura da casa: 20h
Ingressos
Meia-entrada para todos os setores
Pista: R$ 50 (lote 1)
R$ 60 (lote 2)
R$ 70 (lote 3)
Bistrô superior: R$ 100
Camarote: R$ 100
Lotação para este show: 710 lugares
Classificação etária: 12 anos (menor de 12 acompanhado pelos pais ou responsáveis)

Casa Natura Musical
Rua Artur de Azevedo, 2134, Pinheiros, São Paulo Ingressos sem taxa de conveniência na bilheteria da Casa
Ingressos podem ser pagos com dinheiro, cartões de crédito e débito
Horário da bilheteria: de terça a sábado, das 12h às 20h. Segundas e domingos, quando houver show. Em dias de espetáculo, a bilheteria fecha mais tarde, até uma hora após o início da apresentação.
Vendas de ingressos: Eventim (https://goo.gl/W8hCmh)
SAC Eventim: 4003-6860, das 11h às 17h, de segunda a sexta-feira Vendas para pessoas com deficiência: 4003-6860 

www.eventim.com.br
www.casanaturamusical.com.br
www.facebook.com/CasaNaturaMusical
www.instagram.com/casanaturamusical 
www.twitter.com/casanaturamus

.: Álbum infantil: Mundo Bita é indicado ao Grammy Latino

Bita e a Natureza, que concorre como melhor álbum na categoria infantil, é única indicação brasileira


O álbum Bita e a Natureza, produzido pela Mr. Plot - idealizadora do Mundo Bita- em parceria com a Sony Music, é finalista do Grammy Latino como melhor álbum infantil. A produção, lançada em 2017, abrange, de forma lúdica e educativa, assuntos relacionados à natureza como as águas, montanhas, fauna, flora, espaço sideral, clima e a tão necessária e atual reciclagem.

Com conteúdo 100% autoral e voltado aos pequenos, as músicas introduzem assuntos complexos e de extrema importância já nos primeiros anos de vida, como a concepção de uma vida. O resultado? Uma combinação mágica de músicas, aprendizado e alegria para toda a família em singles como "Chuva Chove", "Como é que a Gente Nasce", "Canção pro Universo", "Nem Tudo que Sobra é Lixo" e "Trem das Estações", com a participação especial de Milton Nascimento.

As letras ficam por conta de Chaps Melo, idealizador do Mundo Bita e um dos sócios da Mr. Plot, que também dá voz aos singles. "O que acho mais interessante na história da criação do Bita é que ?z pensando apenas na minha ?lha, no conforto do quarto, na tranquilidade e na alegria. Tem uma carga de amor muito grande nesse desenvolvimento. O fato de ter virado um personagem famoso foi puro acaso", explica.
O Mundo Bita surgiu quase que ao acaso. O principal personagem, simpática figura de bigode laranja e cartola na cabeça, teve sua primeira aparição no quarto da filha recém-chegada de Chaps. O executivo notou o potencial de sua criação e a apresentou aos amigos e sócios, João Henrique Souza, Felipe Almeida e Enio Porto, que decidiram transformá-la no primeiro personagem do Mundo Bita. Surgiu então um desenho de conteúdo autoral, com linguagem adaptada para crianças e diferente de tudo que havia sido criado anteriormente.

Em parceria com a Sony Music, a Mr. Plot abraçou o desafio de produzir um DVD por ano. "Bita e os Animais", o primeiro deles, é ganhador do disco de platina da Sony Music. O segundo, "Bita e as Brincadeiras", também recebeu o disco de platina pela gravadora. Já "Bita e o Nosso Dia", foi reconhecido com disco de ouro e "Bita e o Corpo Humano" tornou-se o DVD mais vendido do Brasil em outubro de 2016. A indicação de "Bita e a Natureza" ao Grammy chega para coroar ainda mais a Mr. Plot.
Este ano a empresa iniciou também seu processo de expansão global e leva o Mundo Bita para a América Latina. Canções e vídeos em espanhol já podem ser acessados nas redes sociais da atração. O primeiro lançamento apresentado foi Nuestra Granjita – tradução da clássica Fazendinha, do álbum Bita e os Animais – e, a cada semana, novos clipes ganham espaço.

.: Rita Ora lança o videoclipe de “Let You Love Me”

Faixa que anuncia o segundo álbum de estúdio da cantora, “Phoenix”, chega acompanhada de videoclipe inédito


Rita Ora anunciou esta semana detalhes do segundo álbum de estúdio, “Phoenix”, com lançamento previsto para 23 de Novembro. E, para celebrar a novidade, já está disponível, em todas as plataformas digitais “Let You Love Me”, single de estreia do projeto que chega acompanhado de videoclipe inédito. Dirigido por Malia James, com produção assinada por Tom Birmingham, direção de fotografia de Adric Watson e edição de Chris Roebuck, o registro foi feito em Londres e estrela a cantora durante uma noite de festa.
Clique e assista agora ao clipe de "Let You Love Me":

Co-autoria de Rita Ora, a faixa é um pop moderno que carrega toda a essência das músicas anteriores da cantora. A faixa revela as inseguranças dela em um novo relacionamento e se posiciona como o lançamento mais íntimo de Rita até o momento, mostrando toda a potência vocal da cantora, com nuances que vão de doce a performances mais sintetizadas. O single passeia pela delicadeza dos versos entoados pelas batidas hipnotizantes do refrão, o que traduz perfeitamente o desejo de se deixar levar pelo amor.

“Um dos sentimentos mais libertadores para mim é tocar e criar música. Este álbum é um verdadeiro trabalho de amor e foi importante para mim fazer do meu jeito. Sou muito grata ao amor e apoio daqueles que trabalharam comigo no projeto e me permitiram criar algo do qual tenho muito orgulho. Eles me deram espaço e liberdade para criar algo do meu coração. Ambos desafiadores e eufóricos às vezes. Estou muito orgulhosa e grata pela jornada que a realização de “Phoenix” me levou. Aos meus fãs, obrigada pela paciência e obrigado sempre por ouvir”, comentou Rita sobre o anúncio álbum.

sábado, 22 de setembro de 2018

.: Expoflora: Flor que não acaba mais para as boas-vindas à Primavera

A nova estação começa oficialmente neste sábado, dia 22 de setembro, às 22h53. Em nenhum lugar, em toda a América Latina, um local reúne tão grande quantidade de flores e plantas para comemorar a nova estação. São cerca de 276 mil hastes das mais diversas espécies em arranjos florais e mais de 13 mil vasos de flores e plantas ornamentais plantados nos jardins.

Em nenhum lugar, em toda a América Latina, um único local reúne tão grande quantidade de flores e tantas variedades para comemorar a nova estação como no parque da Expoflora, a exposição de flores que termina no domingo, 23 de setembro, em Holambra, interior de São Paulo. O evento abre às 9h  e fecha às 19h. Os ingressos custam R$ 48,00 na bilheteria e no site www.ingressorapido.com.br.

Somadas, são cerca de 276 mil hastes das mais diversas espécies em arranjos florais e mais de 13 mil vasos de flores e plantas ornamentais plantados nos jardins.

Somente na Exposição de arranjos florais, os decoradores Jan Willen e Jéssica Drost utilizaram 2 mil vasos de flores e 272 mil hastes de flores para contar a história da imigração holandesa em 14 ambientes. Nos jardins e canteiros do parque de 250 mil m², são mais 7.517 vasos plantados em 25 diferentes canteiros e jardins, incluindo 800 orquídeas e 340 bromélias instaladas nas árvores próximas aos bebedouros da Alameda do Beijo e no antigo Fusca, onde os turistas não resistem a infinitas selfies.

No canteiro do vitral estão 474 vasos de hibiscos. Exatos 4.048 sunpatiens compõem o jardim em frente à Sala da Imprensa, da Praça do Vitral e nos canteiros que enfeitam a arquitetura holandesa na Alameda do Beijo. Nos três corações próximos às Árvores dos Tamancos, há nada menos do que 500 antúrios. Para os três carros alegóricos que desfilam na Parada das Flores, a artista Stans Scheltinga usou 450 vasos de orquídeas, 100 de bromélias, 1.680 hastes de rosas, 2.000 hastes e 1.250 vasos de flores variadas.

Na Mostra de paisagismo, são 898 vasos de gérberas, girassóis, antúrios, ásteres, crisântemos, celósias, sansevérias, violetas, avencas, moreias, palmeiras, dracenas, zamioculcas, cicas, peixinhos e fórmios em 19 ambientes. E, para cada Chuva de pétalas, são utilizados 150 quilos de pétalas coloridas, que correspondem a 800 dúzias ou a 18 mil botões.

Nos 15 dias de evento, a quantidade equivale a 2.250 quilos de pétalas, a 12 mil dúzias ou a 270 mil botões de rosas, fazendo um espetáculo que encanta e emociona quando os milhares de visitantes erguem as mãos tentando pegar uma pétala antes que ela toque o chão para que os seus desejos sejam realizados. 

Para finalizar, no Shopping das Flores são disponibilizados quase 79 mil vasos de plantas e flores de 3.500 variedades de 300 espécies exibidas na exposição para serem adquiridos e levados para casa.

Dança pela paz: Também para comemorar a Primavera - estação que representa a renovação e as mudanças positivas -, 11 rodas de danças circulares, com mais de 180 pessoas, interagem com o público e convidam os visitantes para a “dança pela paz”. A apresentação será das 10h às 11h, no Parque das Tulipas, em frente ao Shopping das Flores.

A intenção é utilizar as técnicas da dança circular e, ao som do “Himno de la Paz” (Hino da Paz, de Ricardo Bustamante), emanar energia e as boas vibrações para “espalhar” a paz na Terra. 

Serviço:
37ª Expoflora
Localização: Holambra/SP
Data: até domingo, 23 de setembro
Horário: das 9h às 19h
Ingressos: R$ 48,00 na bilheteria e no site www.ingressorapido.com.br
Patrocínio: Coca-Cola Femsa Brasil, Água Mineral Crystal, Amstel e Ultragaz e apoio do Banco do Brasil e da Prefeitura Municipal da Estância Turística de Holambra.
Informações para o público: (19) 3802-1499

.: Marcelo Nova canta e conta experiências no Parque Dom Pedro

Foto: Divulgação


Marcelo Nova é atração do Memórias Musicais no domingo, 30 de setembro, às 16h, no Sesc Parque Dom Pedro II com entrada gratuita.  Projeto recebe personalidades da cena musical brasileira para bate-papos sobre as memórias que influenciam suas produções artísticas.

O artista é um ícone do rock nacional, fundador da banda Camisa de Vênus e que, ao longo de seus mais de 30 anos de carreira, contou com parcerias ilustres como Raul Seixas.

Músico participou de uns períodos mais efervescentes da história do rock nacional, protagonizou histórias dentro e fora do palco com ícones da cena musical e artística. Todas essas vivências serão costuradas por uma apresentação mais intimista de Marcelo Nova.

O projeto Memórias Musicais já também marcou presença com Emicida e Fióti, Negra Li e Fabiana Cozza.

Domingo, 30 de setembro, às 16h
Local: Palco
Grátis - Sem retirada de ingressos.
Não recomendado para menores de 12 anos

Sesc Parque Dom Pedro II
Praça São Vito, s/n – Brás
Horário de funcionamento: De quarta a domingo e feriados, das 10h às 18h. 
Telefone: (11) 3111-7400 
Redes Sociais
Site: sescsp.org.br
Facebook facebook.com/sescpqdompedro

.: "As Irmãs Siamesas" tem direção do francês Sébastien Brottet-Michel

Projeto das atrizes Cinthya Hussey e Nara Marques coloca em cena texto sensível e contundente de José Rubens Siqueira

Foto: Divulgação

Com encenação de Sébastien Brottet-Michel, diretor francês e ator do Théâtre du Soleil, desde 2002, o espetáculo As Irmãs Siamesas, de José Rubens Siqueira, estreia no dia 5 de outubro (sexta, às 21h), no Teatro Aliança Francesa. A peça revela a complexidade e ternura da alma feminina, inserida na relação familiar, a partir do reencontro de duas irmãs, interpretadas por Cinthya Hussey e Nara Marques, após a morte da mãe.

As Irmãs Siamesas foi escrita em 1986, rendendo o Prêmio APCA de Melhor Autor a Siqueira. As particularidades da alma humana, a personalidade e a individualidade aparecem de forma natural e contundente no reencontro de Marta e Maria.

A morte da mãe provoca o encontro e o confronto entre Marta, a irmã mais velha e cuidadora da mãe, e Maria, que partiu para uma vida nova em São Paulo. Frias e distantes, elas entram em casa envoltas pelo incômodo da presença uma da outra e precisam reaprender a se comunicar. As lembranças são inevitáveis. Cada memória vem carregada de rancor, mágoa, acusação ou mesmo ternura, leveza e humor. O passado é o fantasma de Marta que acredita não ter tido a oportunidade de ser feliz, obrigada a permanecer numa cidade do interior, carregando a responsabilidade da mãe doente sem opção de viver a própria vida. Agora, sente-se ainda mais perdida, sem a mãe e sem o filho que vive fora do país.

É preciso restabelecer os laços, a ligação fraterna que se perdeu. Os diálogos evoluem na mesma proporção das emoções. A muralha vai sendo transposta à medida que as questões vão sendo expostas, colocando-as numa posição de maior proximidade. O encontro é permeado por momentos de ternura e delicadeza, outros de raiva e até violência, até revelar os detalhes da vida de cada uma.

A magia de As Irmãs Siamesas está na simplicidade em como apresenta duas personalidades tão distintas na superficialidade e tão similares no íntimo. O afeto é o frágil elo que une Marta - mulher forte, severa, amarga e retraída, mas que comove por sua naturalidade - e Maria - jovem urbana, ousada, instintiva e de alma livre. Ao espectador cabe a imersão nessa história sensível que discute o tempo por meio das relações familiares e das consequências das escolhas do passado, ampliado pela ótica do feminino.

Sobre a direção, Sébastien Brottet-Michel diz que o fundamental é expor as características das personagens. “O caminho não é a busca psicológica dessas características, mas a imaginação, tanto a minha quanto a das atrizes, sobre o que é necessário para contar a história. O corpo do ator deve ser uma entidade que recebe a personagem; o psicológico vem pelo estado do corpo e da imaginação”. Sébastien afirma que não importa a interpretação propriamente dita, mas o fato de que as atrizes vivam, literalmente, as mulheres do texto com a máxima verdade. Segundo ele, o espectador precisa ler o corpo do ator a partir da possibilidade que o ator lhe dá. “Buscamos pelo melhor momento, pelo estado que trouxe a verdade para encantar a realidade por meio do deslocamento poético. Isto é percebido pela respiração, pela tensão interior. A emoção vem das descobertas em cena. E o drama é vivo: oferece-nos estados e diferentes possibilidades”. E com relação ao texto de José Rubens, o diretor diz que espera que o público se reconheça nas personagens, pois “o luto é inerente a todos, e a morte do pai ou da mãe é como um muro que desaba, trazendo a consciência da nossa própria finitude”.

O Brasil não é novidade para o diretor Sébastien Brottet-Michel. Há 10 anos, ele se apresenta no país com o Théâtre du Soleil. “Cinthya e eu estivemos juntos em vários projetos, sempre pensamos em realizar um espetáculo e agora aconteceu”. Para Cinthya Hussey, a direção de Sébastien fez um ajuste fino na obra de José Rubens Siqueira que se encaixa perfeitamente nas emoções das cenas. “A preparação foi um trabalho muito difícil e muito rico até chegarmos ao ponto pretendido por ele; aquele ponto onde o corpo diz uma coisa e o texto diz outra. E o coração? Ele também diz outra coisa”, comenta a atriz.

Cinthya conta que teve contato com o texto, em 2005, e já pensava em montá-lo. Fez algumas leituras e, em 2009, conheceu Nara, passando a compartilhar com ela, desde então, o desejo de levar As Irmãs Siamesas para o palco. “Pensei em Sébastien para dirigir essa peça porque admiro a forma como ele nos traz as imagens, fazendo a transição do real para o poético. Ele nos guia e nos insere no universo proposto pelo autor sem precisar do realismo material, penetrando nas camadas mais profundas das personagens”, revela a atriz.

Para Nara Marques, ter um texto brasileiro encenado com um olhar europeu é um privilégio, depois de anos à espera de concretizar esse sonho. Ela conta que, para ela, o trabalho foi muito desafiador e a tirou da zona de conforto: “Sébastien me pediu para transpor a vida, transpor o realismo para dentro da poesia e só assim cheguei a um lugar que eu não conhecia”. E completa afirmando que “esse processo foi fundamental para potencializar um texto cheio de humanidade e intensidade nas relações”.

E o autor José Rubens Siqueira também fala sobre a montagem de seu texto, mais de 20 anos após ser concebido. “Sempre que um autor vê seus personagens saltarem da página e ganharem corpo e voz sobre o palco, renova-se a fé na arte como instrumento de mudança pessoal e social. A sensibilidade e coragem dessa equipe jovem e talentosa é um alento neste momento sombrio que vivemos”.

A cenografia de As Irmãs Siamesas, assinada por Marisa Rebollo, também é cheia de poesia e foge do realismo: apresenta um baú dentro de outro baú para transparecer as diversas camadas da relação entre as irmãs. O baú é a simbologia da mãe, da vida, da morte, podendo representar as prisões internas, as lembranças guardadas, o túmulo. O estado interior das personagens é potencializado pela iluminação de Rodrigo Alves (Salsicha) e pela trilha sonora original de Wayne Hussey, conhecido cantor, guitarrista e compositor da banda inglesa The Mission. “Compor música para uma peça de teatro era algo que eu queria muito fazer. Evitei os instrumentos modernos, que exigem eletricidade para não colocar a peça em uma época determinada, e segui pela linha do acústico, com piano, violino e violão clássico, que se tornaram minha paleta de som exclusiva para a trilha: uma música mais lenta, vazia e aberta, não sentimental”. Wayne trabalhou em conjunto com o pianista inglês James Bacon e o violinista David Milsom na criação da série de adágios que compõem o clima da encenação. A trilha será lançada em CD, em edição limitada, e vendida após as apresentações do espetáculo.

Ficha técnica / Serviço

Texto: José Rubens Siqueira
Direção: Sébastien Brottet-Michel
Elenco: Cinthya Hussey e Nara Marques
Cenografia: Marisa Rebollo
Figurino e Visagismo: Kene Heuser
Iluminação: Rodrigo Alves ‘Salsicha’
Trilha sonora e sonoplastia: Wayne Hussey
Produção executiva: Maristela Bueno
Direção de cena: Nicolau Ayer
Assistente de direção: Thiago Lima
Assistente de produção: Sabrina Nask
Assistente de figurino: Léo Sgarbo
Cenotécnica: Armazém Cenográfico
Design gráfico: Francisco Júnior (Juh Ninho)
Fotografia: Heloísa Bortz
Assessoria de imprensa: Verbena Comunicação
Produção: Daniel Torrieri Baldi
Realização: Ecoman Produções Artísticas

Espetáculo: As Irmãs Siamesas
Estreia: 5 de outubro. Sexta, às 20h30
Temporada: 5 de outubro a 2 de dezembro de 2018
Horários: sextas e sábados (às 20h30) e domingos (às 19h)
Duração: 80 min. Gênero: Drama. Classificação: 14 anos
Ingressos: R$ 40,00 (meia entrada: R$ 20,00)
Bilheteria: 2h antes das sessões. Aceita todos os cartões.
Vendas antecipadas: ingressorapido.com.br.

Teatro Aliança Francesa
Rua Gen. Jardim, 182 - Vila Buarque. São Paulo - SP
Telefone: (11) 3572-2379
230 lugares. Ar condicionado. Acessibilidade. Bar/café.
www.teatroaliancafrancesa.com.br

.: SBT: Mário Sergio Cortella é o entrevistado do ‘Poder em Foco’

Imagem de divulgação


Débora Bergamasco recebe Mário Sergio Cortella no ‘Poder em Foco’ deste domingo, dia 23 de setembro. Filósofo, escritor, professor e palestrante, ele responderá questionamentos de Débora e dos jornalistas convidados Mariliz Pereira Jorge, da Folha de S. Paulo e canal Mynews; Miguel Martins da Cartacapital; e Lilian Ferreira do UOL. Questionado sobre política e ética, declarando: “se a gente olha a ética como sendo a capacidade de cuidar da decência, a tarefa da política é fazer com que a decência se edifique, se construa”. Questionado a respeito das redes sociais, afirma: “o mundo digital cumpre a tarefa de tornar mais ampliada a reflexão, o conhecimento, a possibilidade de acesso àquilo que é informação. Mas também cumpre uma função que muitas vezes é distrativa, desconecta, aliena”. 

Sobre sua fama de “filósofo pop”, o convidado analisa: “quando uma nação começa a ter filósofos como seus ídolos a ponto de pedir autógrafos pode ser uma coisa boa e acho que é. (...) Acho muito bom que a gente saia de dentro do mundo acadêmico sem perder a raiz”. Ele afirma não ver problema em popularizar a filosofia e pondera: “o que eu não quero é torna-la popularesca, algo baixo. É preciso fazer da filosofia algo que seja simples, jamais simplório”.

Cortella também opina sobre tempos de polarização e ódio. “Aquele que é intolerante já o era. Apenas ele não tinha um território onde pudesse exercer de maneira mais exuberante. (...) Se eu quisesse falar contra o governo, contra Deus ou o demônio eu tinha que subir em um caixote na praça da Sé. O mundo digital é um caixote imenso”, explica. Sobre o “clima bélico” que permeia o país, declara: “Guerra civil não tem vencedor, só tem sobrevivente”. E completa: “Nós temos pouco afeto pela democracia. Nós cuidamos mal dela... Tem gente até torcendo pra não ter segundo turno para não ter que sair de casa”. A respeito do conceito de felicidade, ele explica: “A felicidade é uma circunstância, uma ocorrência eventual. Quando ela vem abrace, segure, aproveite, porque ela vai embora. Mas depois ela vem de novo. Nós só percebemos a felicidade porque ela se ausenta. Se ela fosse constante, não a perceberíamos”.

‘Poder em Foco’ vai ao ar todos os domingos, a partir da meia noite, após o Programa Silvio Santos, no SBT. Site oficial: www.sbt.com.br/poderemfoco

.: Sandy chega ao Espaço das Américas com turnê "Nós, Voz, Eles"

Apresentação acontece no domingo, dia 9 de dezembro; ingressos serão vendidos a partir do dia 24 de setembro

Crédito: Brunno Rangel

Sandy volta a São Paulo com sua turnê "Nós, Voz, Eles" depois do grande sucesso da estreia com dois dias de ingressos esgotados em agosto. Desta vez, a apresentação será no Espaço das Américas no domingo, dia 9 de dezembro. Os ingressos para essa grande noite estarão disponíveis para venda a partir do dia 24 de setembro.

Além dos maiores sucessos, a cantora também levará canções do seu projeto homônimo, que está sendo lançado nas plataformas digitais em conjunto às apresentações. Cheias de história e emoção, a turnê e a websérie se completam e trazem o público mais próximo da artista, seja pelos singles escolhidos e palco com cenário intimista, ou pelas portas abertas do estúdio em sua casa para receber grandes músicos ao longo dos episódios.

Na apresentação, “Me Espera”, “Aquela dos 30”, “Morada”, “Nosso Nó(s)” e “Preciso de Você”, compõem o bem-cuidado repertório, que também conta com músicas inéditas, em parceria com os convidados do projeto. Entre elas estão “No Escuro”, com Maria Gadú, e “Areia”, com Lucas Lima, que estrelaram os primeiros episódios. Completam o elenco da websérie o músico Mateus Asato, o duo AnaVitoria, Thiaguinho, a Banda Melim, Iza e Xororó. E como não pode faltar em set list de veterana, que coleciona verdadeiros 'hinos' entre fãs cativos ao longo dos quase trinta anos na música, Sandy convida a todas para cantar junto durante a releitura de um dos seus maiores sucessos da nostálgica e inesquecível época da dupla com o irmão, Junior Lima, incluindo a tão pedida música “As Quatro Estações”.

A direção artística é da própria cantora, com direção musical de Lucas Lima e a belíssima cenografia assinada, mais uma vez, por Zé Carratu. A banda conta com Marinho Lima (bateria), Michel Cury (piano), Tiago Palone “Djape” (baixo), Edu Tedeschi e João Milliet (guitarras e violões). “Nós, Voz, Eles” estreou em agosto com sucesso de público nas capitais São Paulo e Rio de Janeiro.

Na websérie “Nós, Voz, Eles”, disponível no canal da cantora, em parceria com a Universal Music, Sandy abre o estúdio da sua casa e recebe grandes artistas da música brasileira para compartilhar e criar memórias, juntos. Os capítulos são lançados a cada duas semanas, sempre às terças, às 19h, com o webdocumentário, e às sextas, single e clipe. Canções lançadas durante os episódios serão incluídas no repertório da nova turnê conforme lançamento nas plataformas digitais.

Confira: https://www.youtube.com/user/ SandyVEVO  

Os ingressos já estão disponíveis. Para efetuar a compra, basta ir pessoalmente às bilheterias do Espaço das Américas (de segunda a sábado das 10h às 19h - sem taxa de conveniência) ou acessar o site da Ticket 360 (https://goo.gl/xgibPV ). Os ingressos vão de Setor Platinum:R$ 380,00 (inteira) e R$ 190,00 (meia) | Setor Azul Premium: R$ 280,00 (inteira) e R$ 140,00 (meia) | Setor Azul: R$240,00 (inteira) e R$ 120,00 (meia) | Setor A, B, C e D: R$ 180,00 (inteira) e R$ 90,00 (meia) | Setor E, F, G e H: R$ 140,00 (inteira) e R$ 70,00 (meia) | Setor PCD: R$ 140,00 (inteira) e R$ 70,00 (meia).

Serviço – Sandy com a turnê "Nós, Voz, Eles" | Espaço das Américas 

Show: Sandy
Data: 09 de dezembro de 2018 (domingo)
Abertura da casa: 18h
Início do show: 20h
Censura: 14 anos 
Local: Espaço das Américas (Rua Tagipuru, 795 - Barra Funda - São Paulo - SP)
Capacidade para este evento: 3.206
Acesso para deficientes: sim
Ingressos:  Setor Platinum:R$ 380,00 (inteira) e R$ 190,00 (meia) | Setor Azul Premium: R$ 280,00 (inteira) e R$ 140,00 (meia) | Setor Azul: R$240,00 (inteira) e R$ 120,00 (meia) | Setor A, B, C e D: R$ 180,00 (inteira) e R$ 90,00 (meia) | Setor E, F, G e H: R$ 140,00 (inteira) e R$ 70,00 (meia) | Setor PCD: R$ 140,00 (inteira) e R$ 70,00 (meia).
Compras de ingressos: Nas bilheterias do Espaço das Américas (de segunda a sábado das 10h às 19h - sem taxa de conveniência ) ou Online pelo site Ticket 360 (https://goo.gl/xgibPV)
Formas de Pagamento: Dinheiro, Cartões de Credito e Debito, Visa, Visa Electron, MasterCard, Diners Club, Rede Shop. Cheques não são aceitos.
Call center Ticket360: (11) 2027-0777

Objetos proibidos: Câmera fotográfica profissional ou semi profissional (câmeras grandes com zoom externo ou que trocam de lente), filmadoras de vídeo, gravadores de audio, canetas laser, qualquer tipo de tripé, pau de selfie, camisas de time, correntes e cinturões, garrafas plásticas, bebidas alcóolicas, substâncias tóxicas, fogos de artifício, inflamáveis em geral, objetos que possam causar ferimentos, armas de fogo, armas brancas, copos de vidro e vidros em geral, frutas inteiras, latas de alumínio, guarda-chuva, jornais, revistas, bandeiras e faixas, capacetes de motos e similares.  

.: Roberto Cabrini investiga possível prisão injusta de dançarina

Divulgação

O Conexão Repórter da próxima segunda-feira, 24 de setembro, traz um caso de cárcere sob suspeita. Roberto Cabrini realiza uma investigação exclusiva, apresentando indícios de que uma jovem dançarina condenada por assalto à mão armada pode ser um caso de erro da justiça. O jornalista traz fatos que indicam que Bárbara Querino de Oliveira estaria a quilômetros de distância do cena do crime, mesmo após três vítimas terem reconhecido a moça, primeiro por foto, depois pessoalmente. A defesa diz que as provas contra ela foram obtidas de forma ilegal e seus amigos afirmam que a moça é vítima de uma grande injustiça. Cabrini conversa com Bárbara em sua cela, falando ainda com familiares e pessoas próximas para buscar compreender quais são as provas contra a modelo e o que ela tem a dizer em sua defesa.

O Conexão Repórter vai ao ar às segundas, 23h30, logo após o Programa do Ratinho, no SBT. Site oficial: sbt.com.br/jornalismo/conexaoreporter
Postagens mais antigas → Página inicial
Tecnologia do Blogger.