domingo, 18 de novembro de 2018

.: Todas as traduções de "Caution", o novo álbum de Mariah Carey


"Caution" é o décimo quinto álbum de estúdio da cantora e compositora americana Mariah Carey. Foi lançado em 16 de novembro de 2018 pela Epic Records. "With You", lançado em 4 de outubro de 2018, foi o single principal do álbum. 


O álbum também foi apoiado pelos singles promocionais "GTFO", lançado em 12 de setembro de 2018, e "A No No", lançado em 1º de novembro de 2018. É o primeiro projeto de estúdio de Carey nos quatro anos seguintes a "Me. I Am Mariah... The Elusive Chanteuse", de 2014.


De acordo com o site agregador de revisões Metacritic, que atribui uma classificação média ponderada a um álbum baseado em avaliações independentes independentes selecionadas, o álbum tem uma pontuação de 83 em 100, com base em cinco resenhas, indicando "aclamação universal".



Todas as letras de "Caution", o novo álbum de Mariah Carey

1. "GTFO" ("Dê O Fora")

Que tal? / Que tal? / Você não deu valor ao meu amor / Me deixou perdida e desiludida / Esmagou meu coração como se tivesse planejado isso / Meu príncipe era tão injustamente lindo / Quem era um cavaleiro na armadura brilhante? / Eu podia jurar que você me amava mais / Pode muito bem acabar com essa garrafa de Caymus / Não sou do tipo que banca a mártir / Que tal você dar o fora? / Que tal você dar o fora? / Dê o fora / (Que tal) pegar suas coisas e seguir seu caminho feliz /Voe como num piscar de olhos, tchau tchau, querido / Que tal você me dar licença, querido? / Deixe-me chamar seu manobrista / (Só) pegue suas coisas e siga seu caminho feliz / Todos os meus amigos viram em seus olhos / Eles me disseram uma vez, me disseram duas vezes / Eu olhei além de todos os sinais /  Acredito que o amor tolo te cega / Quem era um cavaleiro na armadura brilhante? / (Você, você, você) /Eu podia jurar que você me amava mais / (Você, você, você) / Não me diga essas mentiras quando está blefando / Que tal dar o fora? / Vá ficar na casa de seus amigos ou algo assim / Não quero ser rude, mas pegue suas merdas e saia / (Que tal?) / Vá ficar na casa de seus amigos ou algo assim / (Que tal?) / Vá ficar com seu camarada, ele estava falando sobre isso / (Que tal?) / Não quero ser rude, mas você tem sorte  / (Que tal?) / Eu te dei um pé na bunda no fim de semana passado / (Que tal) você pegar suas coisas e seguir seu caminho feliz / (Que tal) voar num piscar de olhos / Tchau tchau, querido.

2. "With You" ("Por Você)

Uh, huh / Sim, sim, sim, ooh /  Por você / Por você, você, você / Por você, você, você / Por você, você, você / Mustard nessa batida, ho / Foi tudo tão avassalador / Ela ficou, tipo: "Não sei, não me diga" / Ele tinha olhos que diziam: "Garota, eu te salvarei" / Ela tinha dúvidas, de que talvez não pudessem conseguir / Então, os dois aguentaram firmes para encarar isso / Escreveram votos, ela estava prestes a aceitá-los / Ela estava cheia de receios / Ali, na frente de toda a nação / Era guerra, eu não podia prever a tempestade chegando / Prometa-me que me manterá aquecida / Não quero fazer este papel / Ele disse: "Ei, eu te amo há tanto tempo / Desde aquela música do Bone Thugs /  Você não irá desabar, você é muito forte" / Ooh, doses de Remy / Fazendo confissões, e nossos corpos se misturando / Ooh, estou apaixonada, é verdade / Sim, nossa, eu ferro com você / E todos nós cometemos erros às vezes / Mas nós nos confundimos / Não sei o que eu deveria fazer (garoto) / Amor, estou apaixonada, é verdade / Por você, você, você / Por você, você, você / Por você, você, você / Amor, estou apaixonada, é verdade / As ondas quebravam na costa / Enquanto nós saíamos de fininho pela porta / Tive que sair depois das 4 horas / Ainda assim, queria tocá-lo cada vez mais.

3. "Caution" ("Cuidado")

Nunca é tarde demais, você pode passar  / Eu vou ficar esperando / Eu não quero ninguém além de você  / Sem hesitação  / Porque toda vez que você sai eu desmorono / Garoto, você é o pedaço que falta do meu coração  /  E eu tento deixar você ir, mas você resiste e me puxa de volta  / E eu tento ficar sozinha, mas você persiste, eu encontrei meu par  /  Prossiga com cautela, não seja desonesto / Eu preciso de você mais perto de me amar mais / Prossiga com cautela, cara a cara / E me toque de um jeito diferente /  Prossiga com cautela, mas não me faça esperar  / Antes de muito tempo, só poderia desaparecer  / Prossiga com cautela, cautela, cautela, cautela, cautela  /  Nunca me dê o suficiente, me dê o seu toque  / Não quero perder tempo / Você me levanta, me dá essa pressa / Me diga que é todo meu / Eu vou desistir de tudo para estar bem onde você está / Eu vou te seguir daqui como se você fosse a estrela do norte / E eu tento deixar você ir, mas você resiste e me puxa de volta /  Você quer mais posses materiais? / Não é nada / Você quer mais? / Você pode se comprometer a ser meu tudo? / Você quer mais? / Baby, me convence com as palavras que você canta / Se você quer ser mais para mim, você deve proceder com cautela  / Cuidado, cautela, cautela  / Cuidado, cautela, cautela.

4. "A No No" ("Um Não Não")

Não estou nem brava / Não, não como antes / Suma daqui / Agora, rasteje pela porta / Cobras na grama / É hora de aparar o jardim / E agora você está com raiva, dizendo / Ei, você já era pra mim / (Não) / Você não vai mais mentir na minha cara / Chegar em mim com um "sinto muito" / Mas eu sinto muito / (Não) / Na-na-na-na-na-na-na-na-na-na / Não / Me coloque numa ligação com o Shapiro / Caso encerrado / Você deveria saber disso / É maior do que você / Você nunca saberá / O que eu já sei / Depois de tudo que eu já passei / Não posso mais perder tempo / Não posso mais prestar atenção em você / Eu disse não / Não, não, não / Um não, não / Não, não / Isso é um não, não / Não, não / Eu disse não / Não, não / Você chegou tão perto / Você apenas não sabe / Seja lá o que aconteceu / Não é nem digno de uma resposta esperta / Mesmo que eu fosse a última mulher viva / Eu seria como a Ginger / Você não é a "Ilha dos Birutas" / Realmente não me importo / Estou apaixonada pela ilha / Agitando no Dior / Porque combina com os meus diamantes / Comprei um vestido rosa / Desenhado pelo Alaia / Estarei no palco / Com um estádio iluminado / Ele é uma piranha / Ele é uma vagabunda / Ele é um louco / Tá com uma garota diferente / Todo dia da semana (confira) / Eu disse não (Eu disse não) / Um não, não (Olhe) / Eu disse não / Isso é um não, não (Eu disse não) / Não, não / Eu disse não (Não) / (Não, não, não) / Fala francês? Eu disse não / Deixe-me traduzir isso / Eu disse não / Posso dizer em espanhol / Não / (Não, não, não, não) / Português? Garoto, você sabe / Japonês? Garoto, você sabe / (Eu disse não) / (Eu disse) / (Eu disse não) / Eu disse não / Eu acho, eu acho que é isso / Sim.

5. "The Distance" ("Longe) (featuring Ty Dolla Sign)

E-S-P-Í-R-I-T-O, é ótimo de ver / Nós temos isso, o espírito / Ei, ei, vamos ouvi-lo / Ninguém vai nos parar / O que nós temos é perigoso / Deixe as opiniões deles na poeira / Disse que ninguém podia ferrar com a gente / Eles nunca encontrarão um jeito de nos fazer desaparecer / Nosso amor não vai desaparecer (não) / Eles nunca encontrarão um jeito de nos fazer desaparecer / Nosso amor não vai desaparecer (não) / Dias quentes, noites frias / Final de outubro / Separados, as pessoas dizem que o que temos acabou / Mas a inveja só nos fez ficar mais próximos (próximos) / E mais próximos (sim, sim, sim) / Disseram que não iríamos longe / Olhe para nós, estamos indo longe /Eles só querem ser a gente / Eles não querem nos ver /Indo longe (sim) / Para sempre, para sempre, la di da /Disseram que não iríamos longe / Para sempre, para sempre, la di da / Olhe para nós, estamos indo longe / Longe, oh / Não adiantou / Colocar as mãos para o alto / Tentando me diminuir / Sempre ficando acordada / De tocaia nas multidões / Apesar das dificuldades / Mas eles não conseguem, não conseguem, não conseguem / Tirar suas memórias preciosas (sim) / E eu não vou, não vou, não vou / Deixá-los ficar entre você e eu / Dias quentes, noites frias / Final de outubro / Separados, as pessoas dizem que o que temos acabou / Mas a inveja só nos fez / Ficar mais próximos (próximos) / Mais próximos / Disseram que não iríamos longe / Olhe para nós, estamos indo longe (ei) / Eles só querem ser a gente / Eles não querem nos ver / Indo longe (sim) / Para sempre, para sempre, la di da / Disseram que não iríamos longe / Para sempre, para sempre, la di da / Olhe para nós, estamos indo longe / Nós estamos indo até o fim / Até mais longe (oh, sim) / Somos muito fortes (muito fortes) / Somos bastante discretos (oh, sim) / Eles não podem nos parar / Estamos com Prada agora (oh) / Danem-se os comentários deles (os comentários deles) / Eles são tão tóxicos (são tão tóxicos) / Nós beijaremos em público/ Você gosta, eu amo / Você está nessa, eu estou nessa / Estamos indo longe / Disseram que não iríamos longe (nah) / Olhe para nós, estamos indo longe (ei) / Eles só querem ser a gente / Eles não querem nos ver / Indo longe (sim) / Para sempre, para sempre, la di da / Disseram que não iríamos longe / Para sempre, para sempre, la di da (oh, sim) / Olhe para nós, estamos indo longe / E-S-P-Í-R-I-T-O, é ótimo de ver / Nós temos isso, o espírito / Ei, ei, vamos ouvi-lo

6. "Giving Me Life" ("Me Dando Vida") (featuring Slick Rick and Blood Orange)

Ei, baby, o que está acontecendo? Como vai você'? /Nós podemos fazer isso, baby, eu e você /(Eu e você, eu e você, eu e você, eu e você) /Não foi realmente, não foi realmente /Não foi realmente muito /Não foi realmente /Então, é verão, vai um vinho /E esqueça disso /Se você é tão inclinado, vamos dar uma volta hoje à noite /Então, talvez se as estrelas se alinharem /Nós vamos consertar nossas mentes em outra tangente /E é meio impossível superar isso /Me dando vida e é tudo /Pensando sobre quando tínhamos dezessete anos /Sentindo-me como se eu fosse Norma Jean /Aqui em meus braços é onde você deveria estar /Não foi realmente, não foi muito /Não foi realmente muito /Não foi realmente, não foi realmente /Não foi muito a todos /Minha filosofia /Não se aplica a você e a mim /Mas eu não vou pensar muito /Então, venha e sinta meu toque /Não foi realmente muito /Apenas um pouco de sensibilidade, sim, é tudo /Aqui no meu coração é onde você deveria estar /Você está /Me dando vida e é tudo /Pensando sobre quando tínhamos 17 anos /Vivendo como babs porque é sempre verde /Aqui em meus braços é onde você deveria estar /Não foi realmente, não foi muito /Não foi realmente muito (realmente não foi) /Não foi realmente, não foi realmente (a régua) /Não foi muito a todos /Wassup, ma? Silêncio, tenho mosca /Aqui está uma questão, por que você saiu? Foi meu olho confuso? Por quê? /Relembrar, aspirante, hein? /Veja, hon, seguiu as ovelhas de uma vez o primeiro filhote /Clark wallabees ligado (bip, bipe) /Swag, mel gotejando, gastando algum tempo /Lembre-se deles rimas? /Suas frentes de ouro pareciam melhores do que as minas /Foi ecstasy, batendo no bm /Clownin 'me e isso foi muito antes de usar vestidos e a pele' /Me dando vida /Me dando vida e é tudo (mariah carey) /Pensando sobre quando tínhamos dezessete anos /Me sentindo como se eu fosse Norma Jeane (la, la, la-la) /Aqui em meus braços é onde você deveria estar (onde você deveria estar) /Ooh, você está me dando a vida (me dando a vida) /E é tudo (tudo) /Pensando sobre quando tínhamos dezessete anos /(Pensando sobre quando estávamos) /Vivendo como babs porque é sempre verde (porque é sempre verde)  /Aqui em meus braços é onde você deveria estar /Ooh, você está me dando a vida e é tudo /(Não foi realmente, não foi realmente) /Pensando sobre quando tínhamos dezessete anos /(Me fez pensar sobre quando estávamos, sim, sim) /(Não foi realmente muito) /Sentindo-me como eu sou norma jeane /(Disse, estou me sentindo como eu sou) /(Não foi realmente, não foi realmente) /Aqui em meus braços é onde você deveria estar (bem aqui em meus braços) /(Não foi realmente muito) /Me dando vida e é tudo /Foi um groove de pedra, meu homem /Você é o mais justo /Sim, certo, apenas dê o fora /(Cai fora, dá o fora daqui /Dê o fora, dê o fora /Oh oh oh oh oh /Me dando vida e é tudo (me dando vida) /Me dando a vida, da-da-da, yeah (sim, dando, me dando vida) /Me dando a vida e é tudo (não foi realmente muito, muito mesmo) /(Me dando vida) /Me dando a vida e é tudo (não foi, na verdade não foi) /Me dando vida e é tudo /Me dando vida e é tudo /Me dando vida e é tudo /Me dando vida e é tudo /Me dando vida e é tudo /Whoa whoa whoa /Me dando vida e é tudo /Oh, me dando vida e é tudo

7. "One Mo' Gen"

(Oh) você gostou quando eu coloquei meus lábios lá? /(Oh) porque eu gosto quando você está me beijando em todos os lugares / (Oh) você se importa se nós voltarmos? (Volte) /Um mo gen? (Um mo 'gen) /Yeah-yeah, yeah-yeah, um mo gen / Yeah-yeah, yeah-yeah, um mo gen /Yeah-yeah, yeah-yeah, um mo gen / Podemos apenas pegar isso em um momento? / Você me dá essa febre / Eu não estou tentando quebrar / Já faz um tempinho, mas não me importo com a espera / Eu vou precisar de uma carona para casa agora, mais cedo do que tarde / Eu devo reiterar? Podemos pegar o ritmo? / E uma vez que acendemos este inferno imponente (sim, sim) /A chama continua queimando mais alta, mais quente vamos (yeah, yeah) / E a temperatura está subindo, crack uma janela /Vamos ser o oposto do solitário / Venha e me dê o que você me deve, sim, sim / (Oh) você gostou quando eu coloquei meus lábios lá? / (Oh) porque eu gosto quando você está me beijando em todos os lugares / (Oh) você se importa se nós voltarmos? (Volte) / Um mo gen? (Um mo 'gen) / Yeah-yeah, yeah-yeah, um mo 'gen (da-da-da-da) / Yeah-yeah, yeah-yeah, um mo 'gen (da-da-da) / Yeah-yeah, yeah-yeah, um mo gen / Podemos apenas pegar isso em um momento? (mmm) /Não adianta ser mesquinho com isso /Se você acha que está saindo, esqueça /E se você acha que não é tudo para você, você está errado /Baby, é tudo para você /Viciado em você, venha apoiar meu hábito /Terceira pessoa, sim, ela tem que ter /Se você acha que eu estou de plantão por você, você está certo /Baby, estou em você /E uma vez que acendemos este inferno imponente (sim, sim) /A chama continua queimando mais alta, mais quente vamos (yeah, yeah) /E a temperatura está subindo, crack uma janela /Vamos ser o oposto do solitário (na-na-na-na-na) /Venha e me dê o que você me deve, sim, sim /(Oh) você gostou quando eu coloquei meus lábios lá? (C'est parti) /(Oh) porque eu gosto quando você está me beijando em todos os lugares (andiamo) /(Oh) você se importa se nós voltarmos? (Volte) /Um mo gen? (Um mo 'gen, comme tes pas que) /Yeah-yeah, yeah-yeah, um mo 'gen (c'est parti) /Yeah-yeah, yeah-yeah, um mo 'gen (apenas um mo' gen) /Yeah-yeah, yeah-yeah, um mo gen /Podemos apenas pegar isso em um momento? /Je te vois quand?[?] /Dónde vas /(Podemos apenas pegar em um mo 'gen?) [?] /Um mo 'gen, um mo' gen, um mo gen

8. "8th Grade" ("8 ª Série") 

Eu não sou seu mundo/ Não, eu não sou sua vida/ Me diga o que isso significa para você/ Se fosse eu que estava ao seu lado/ Ilimitado, sem regras/ Nada a perder/ Nunca sem pressão/ Apenas se coloque no meu lugar/ Eu não sou seu mundo/ Não, eu não sou sua vida/ Aquele cigarro, apagou, apagou/ Continue olhando meu caminho, vire-se, vire-se/ Este é um momento que você não pode comprar/ Eu vejo esse desejo em seus olhos/ Algo está me dizendo que você está pronto, estou errado?/ Talvez as letras sejam muito pesadas na minha música/ Como você se sentiria se você me tivesse, então eu teria ido embora?/ Melhor não estar me liderando/ Eu não sou seu mundo/ Não, eu não sou sua vida/ Me diga o que isso significa para você/ Se fosse eu que estava ao seu lado/ Ilimitado, sem regras/ Nada a perder/ Nunca sem pressão/ Apenas se coloque no meu lugar/ Eu não sou seu mundo/ Não, eu não sou sua vida/ Eu sou uma confirmação, se você se sentir inseguro/ Eu sou a segurança quando você é inseguro/ Eu serei aquela menina quando você / Não seja ambivalente comigo / Algo está me dizendo que você está pronto, estou errado?/ Talvez as letras sejam muito pesadas na minha música/ Como você se sentiria se você me tivesse, então eu teria ido embora?/ Melhor não estar me liderando/ Eu não sou seu mundo/ Não, eu não sou sua vida/ Me diga o que isso significa para você/ Se fosse eu que estava ao seu lado/ Ilimitado, sem regras/ Nada a perder (nada)/ Nunca sem pressão (nunca)/ Basta colocar-se no meu lugar (no meu lugar)/ Eu não sou seu mundo/ Não, eu não sou sua vida (eu não sou sua vida, oh baby eu sou)/ Eu não sou seu mundo/ Não, eu não sou sua vida (baby, eu quero ser sua vida)/ Me diga o que isso significa para você/ Se fosse eu que estava ao seu lado/ Sem limites, sem regras (sem limites)/ Nada a perder (nada a perder)/ Nunca sem pressão (sem pressão)/ Apenas se coloque no meu lugar/ Eu não sou seu mundo/ Não, eu não sou sua vida, baby/ Aah/ Quebre isso/ (Eu não sou seu mundo)/ (Não, eu não sou sua vida)/ (Me diga o que isso significa para você, eu não sou seu mundo / (Do seu lado) / (Sem limites, sem regras) / (Nada a perder)/ Nada a perder, sem pressão/ Uh (sem limite, sem regras)/ (Nada a perder)/ Nada (vamos, MC)/ Ooh, ooh, ooh, ooh (vamos)/ Nada a perder, sem pressão (quebre) / Nenhuma pressão (quebre) / Ooh (vamos, MC)/ Ah, ah, ah, ah (uh, vamos)/ La-da-da-da-da-da, eu não sou sua vida (o que você diz, garota?) / Sem limites, sem regras (quebrar)/ Sua vida (vamos lá, o que você diz, garota?)/ (O que você diz, garota?) / (O que você diz, garota?) / (Vamos lá)

9. "Stay Long Love You" ("Fique Muito Tempo Te Amo") [featuring Gunna]

Oh, whoa, whoa, whoa / Você se importaria, você se importaria? / Eu gosto do jeito que você está se movendo / Venha me encher com sua música, sim, sim / Você se importa se eu tentar? / Eu gosto do jeito que você está se movendo / Me controle, me faça perder isso, sim, sim/ Você se importaria? Você se importaria, baby? / Como você quer? Como você quer? / Me diga como você quer / Quente como a mamãe cozinhando na cozinha durante o verão / Porque se você quiser eu poderia servir, venha e pegue / Você não vai me deixar limpar o prato e lavar a louça? / Tudo o que eu quero é ser tudo que você precisa / Baby, na verdade / Ooh, seu bom amor fez algo comigo / Você me faz, me faz querer / Toca-te aí mesmo / Você me faz, me faz querer / Te beijar ali / Você me faz, me faz querer / Sim, sim / Você me faz, me faz querer / Faça essa coisa e faça isso, sim / Você me faz, me faz querer / Toca-te aí mesmo / Você me faz, me faz querer / Te beijar ali / Você me faz, me faz querer / Sim, sim / Você me faz, me faz querer / Você me faz, me faz querer / Quero ficar muito tempo, te amo / Eu tenho suas costas, eu não iria frente (não iria frente) / Eu vim naquela noite, você sabe que eu quero (quero) / Eu acordo com você de manhã (manhã) / E comer essa buceta para o almoço (coma essa buceta para o almoço) / E eu tomo conta de você como um filho (eu cuido de você como um filho) / Ouvi dizer que eles falariam mas não no domingo / Todos os dias ela me ajuda a contar como segunda-feira / Comprei seus diamantes apenas para combinar com a bolsa da Chanel (Chanel) / Nós nos unimos, podemos dominar o mundo inteiro (todo) / Eu sei que você espera mais reto do que um s-curl (whoa) / Você constantemente ganhando e cagando na minha ex-garota / Você me faz, me faz querer / Toca-te aí mesmo / Você me faz, me faz querer / Te beijar ali / Você me faz, me faz querer / Sim, sim / Você me faz, me faz querer / Faça essa coisa e faça isso, sim / Você me faz, me faz querer / Toca-te aí mesmo / Você me faz, me faz querer / Te beijar ali / Você me faz, me faz querer / Sim, sim / Você me faz, me faz querer / Você me faz, me faz querer / Quero ficar muito tempo, te amo / Fique por muito tempo, amor / Fique muito tempo, amor (fique, fique, fique) / Fique por muito tempo, amor / Fique muito tempo, amor (fique, fique) / Fique por muito tempo, amor (fique) / Fique por muito tempo, amor / Fale comigo agora / Você me faz, me faz querer (você me faz querer tocar em você) / Toca-te aí mesmo / Você me faz, me faz querer (você me faz querer beijar você) / Te beijar ali / Você me faz, me faz querer (oh-oh) / Uh, sim (oh, sim) / Você me faz, me faz querer / Faça isso e faça aquilo, yeah (você me faz querer) / Você me faz, me faz querer / Toca-te aí mesmo (te toca ali mesmo) / Você me faz, me faz querer / Te beijar ali / Você me faz, me faz querer / Uh, oh, sim (oh, você me faz) / Você me faz, me faz querer / Você me faz, me faz querer / Quero ficar muito tempo, te amo

10. "Portrait" ("Retrato")

Para onde eu vou daqui? / Como eu desapareço? / Aqui além do espelho / Em algum lugar fora do caminho batido / A dor do coração nunca parece passar, só dura / E eu iria... / Mas eu sei que o amanhã vem, então eu estarei aqui quando você se levantar / Fique bem perto e o momento irá diminuir / Olhe para o outro lado enquanto eu me engulo dentro / Eu não vou deixar as lágrimas derramarem hoje à noite/ Apenas me esconda e me esconda / Um retrato da minha vida / Um pouco dessensibilizada, ainda a mesma criança esperançosa / Assombrado por aqueles laços cortados / Empurrando os parasitas / Para baixo, mas não desmoralizado / Não confinado, mas não deixe ir.../ Sim, eu sei que amanhã vem, então eu estarei aqui quando você se levantar / Fique aqui perto e o momento vai diminuir / Olhe para o outro lado enquanto eu me engulo dentro / Eu não vou deixar as lágrimas derramarem hoje à noite / Apenas me esconda e me esconda / Um retrato da minha vida / E para o final, ela pode flutuar sem esforço / E sonhe com as horas em sua mente / E eu deixaria ir ... / Mas eu sei que o amanhã vem, então eu estarei aqui quando você se levantar / Fique aqui perto e o momento vai diminuir / Olhe para o outro lado enquanto eu me engulo dentro / Eu não vou deixar as lágrimas derramarem hoje à noite / Apenas me esconda e me esconda / Este retrato da minha vida.

.: Teatro em SP: Ainda dá para aproveitar nesses dias do feriadão

Por: Mary Ellen Farias dos Santos e Helder Moraes Miranda
Em novembro de 2018 


Feriadão prolongado e um domingo lindo. Que tal aproveitar o teatro paulista e ter a diversão completa? Nós do portal Resenhando.com elencamos abaixo puro entretenimento -alguns até para toda a família-, desde drama a musicais. Confira!



Cena do espetáculo. instagram.com/nataliafoschini



É fato que as aventuras de Alice, no "País das Maravilhas" ou "Através do Espelho", escritas por Lewis Caroll, são clássicas. Recheada de situações encantadoras tendo como pano de fundo a incerteza de quando deve ser grande ou pequena, recebe belas adaptações para livros infantis, cinema -em animação ou live-action- e no teatro. Assim, a "CIA VOIR De Teatro" volta ao Teatro Porto Seguro com "Alice – O Musical" e as canções que embalam o espetáculo infantil, etemporada de 13 de outubro a 25 de novembro, aos sábados e domingos, às 15h. 

O musical tem no elenco a multi talentosa Natália Foschini, na pele da protagonista, assim como Adriano Tunes, Márcio Godoy e Thiago Sak, trio que dá vida de modo brilhante ao Coelho Branco, à Rainha de Copas, o Gato Sorridente, os gêmeos Ding Dong, Chapeleiro Maluco entre outros, além da direção do ator e diretor Max Oliveira, que integrou o elenco de espetáculos musicais, como "Miss Saigon", "A Bela e a Fera""Cats", "New York, New York" e "A Madrinha Embriagada", e as produções "The Lion King" (O Rei Leão) na Espanha e na Austrália. Saiba mais!

.: Teatro Porto Seguro: "Alice, O Musical" chama para brincar e ler


Annie - O Musical



Antes de qualquer coisa, "Annie - O Musical", em cartaz no Teatro Santander, em São Paulo, é uma experiência para os olhos. A grandiosidade do espetáculo só se compara ao arrasa-quarteirão "Peter Pan", exibido no primeiro semestre do ano, com muito sucesso. Baseado na história em quadrinhos " Annie, a Pequena Órfã ", de Harold Gray, a personagem título é uma espécie de Oliver Twist de saias.

Em comum com o personagem de Charles Dickens, primeiro romance inglês protagonizado por uma criança e considerado uma obra prima da literatura inglesa, está a vontade de aproveitar as oportunidades da vida com unhas e dentes. Acrescente um pouco mais de doçura à obra e estamos diante de "Annie". Saiba mais!

.: Crítica: "Annie - O Musical" é ato de resistência para tempos sombrios



Natasha, Pierre e o Grande Cometa de 1812


"Natasha, Pierre e o Grande Cometa de 1812" é uma experiência sensorial que fala com o espectador de diversas maneiras. É um espetáculo que é plantado durante a apresentação e floresce depois, de diversas maneiras, para o espectador mais atento e sensível. 

Em cartaz no espaço 033 Rooftop, do Teatro Santander, em São Paulo, é diferente de tudo o que já foi apresentado e visto no Brasil e, nos tempos sombrios que ameaçam se aproximar, é um respiro de arte, cultura e entretenimento de primeira linha, tão necessários nos dias de hoje. O musical alterna vozes, cores, músicas e talento em um espetáculo inesquecível em que todos são movidos pelo amor. É sobre personagens que, enquanto o cometa vai, não esperam a vida passar e, no fundo, só querem amar e ser amados. Saiba mais!


Os últimos cinco anos

Toda bela história de amor precisa ser contada, mesmo que tenha chegado ao fim. "Os últimos cinco anos"musical off-broadway, protanizado por Beto Sargentelli e Eline Porto, em cartaz no Teatro Viradalata, em São Paulo, é sobre amor, separação e trabalho, mas não necessariamente nessa ordem -ou desordem. Afinal, tudo depende do ponto de vista de quem narra a trama.

No palco com um cenário "espelhado" -o conjunto de elementos visuais contidos numa metade, também está presente no outro lado-, Jamie Wellerstein (Beto Sargentelli) e Cathy Hyatt (Eline Porto) apresentam, separadamente seu ponto de vista a respeito da relação que firmaram. Contudo, o momento vivido por cada um é que interfere na narrativa e disposição do cenário, pois enquanto que um conta como tudo começou desde o início, outro opta iniciar pelo fim. Saiba mais!




.: Crítica: "Os Últimos Cinco Anos" deixa público de alma lavada



Piratas do Caramba
Crédito: Rodrigo Minassian

O espetáculo para crianças “Piratas do Caramba” continua em cartaz no Teatro Folha, com apresentações aos sábados e domingos, às 17h40, até 16 de dezembro. A peça, que mostra as aventuras de uma atrapalhada tripulação de piratas em busca do sonhado tesouro, também será apresentada em sessões extras nos feriados dos meses de outubro e novembro.

Os piratas Capitão Pantufa, Espadinha e Barnabé passam os dias recolhendo o lixo que encontram pelos oceanos e lembrando das antigas batalhas. Numa manhã encontram uma misteriosa garrafa que poderá transformar suas vidas. Surge um dilema: continuar suas vidas pacatas ou se arriscar no mar em busca do tesouro. Eles decidem por novas aventuras. Saiba mais!




.: “Piratas do Caramba” prorroga temporada no Teatro Folha, em SP



Quarta-feira, sem falta lá, em casa
Fotos: Caio Galucci

"Quarta-feira, sem falta lá, em casa" é um espetáculo para assistir de coração aberto, pois é pura emoção. Não somente por ser defendido no palco por dois monstros do teatro, Eva Wilma e Suely Franco, dupla que temos o orgulho de dizer que pertence ao meio cultural brasileiro, mas também pela trama desenrolada de modo muito surpreendente.

Em cartaz no Teatro Porto Seguro, em São Paulo, de sexta a domingo, até 25 de novembro, a montagem apresenta um encontro de revelações chocantes entre as amigas Alcina (Eva Wilma) e Laura (Suely Franco), que exercitam o carinho e o respeito da verdadeira amizade. Como nem tudo é o que parece, a trama tem uma inversão de papéis, assim que a narrativa começa a ganhar forma. Saiba mais!




.: Crítica: "Quarta-feira, sem falta lá, em casa" é afetuosa lição de vida



*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura e licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Twitter: @maryellenfsm 

sábado, 17 de novembro de 2018

.: A gentil tarefa de sobreviver, uma crônica de Helder Moraes Miranda

Por Helder Moraes Miranda, em novembro de 2018.

Há duas histórias sobre o sapato cor de abóbora que usei nos últimos dias. 
A primeira delas é que enquanto minha esposa vestia uma calça jeans em um provedor no Brás, centro comercial de São Paulo em que as roupas têm preços mais atrativos que o esperado, esse sapato brilhou para mim dentro de uma caixa de últimas peças. Horrível, escalafobético,  muitos tons acima da sobriedade de quem prefere cores neutras para se vestir e baratíssimo: foi amor à primeira vista.

Eu quis e acredito que foi recíproco, porque penso que qualquer coisa inanimada tenha o poder de escolha sobre quem vai servir. E vesti: nossa-como-ele-se-adequa-perfeitamente-aos-meus-pés-mentira-apertava-um-pouco-eu-quis-porque-estava-muito-barato-embora-fosse-um-produto-pirata-de-uma-marca-conhecida-enfim.

A outra história é que eu coloquei esse sapato depois de uma experiência de quase morte. O dia seguinte após você quase ter morrido seja por qualquer motivo é difícil de lidar. Antes disso, você pensa ser invencível e que nada de mau pode lhe acontecer mesmo se muita coisa ruim tenha dado as caras se você, como eu, é um velho que já avançou mais da metade da casa dos trinta.  Mas há muita coisa linda no meio de tudo isso e a maturidade não chega somente com os grisalhos e as rugas - há os filhos e, se você não os têm, há os agregados. 

Também há o lado que ninguém fala quando se quase morre, independente se você provocou ou não, de você ser culpado ou inocente na gentil tarefa de sobreviver, embora não tenha escolhido nem nascer, nem morrer, nem respirar: as coisas acontecem.

Mas quando se sobrevive, o dia seguinte vem carregado de vergonha. Inevitavelmente, mesmo que você não queira, o centro das atenções para quem sabe do que aconteceu é... você. Mesmo que a sua opção seja contar para a maioria das pessoas. São explicações repetitivas que fazem com que você reviva algo que, de alguma maneira, não se quer, nem se precisa, reviver.

E quando fui atropelado por uma moto em alta velocidade assim que saí da escola em que dou aula, e caí de costela, e senti algo entrando em uma de minhas pernas e arranhar a outra para depois eu me levantar em seguida enquanto o senhor que foi atingido do meu lado estava no chão, eu pensei estar morto. Como em uma cena de filme, em que o personagem se vê fora do corpo. Patrick Swayze em "Ghost - Do Outro Lado da Vida", Bruce Willis em "O Sexto Sentido"... Tanto que eu ficava me apertando, incrédulo, resoluto e definitivo na minha certeza. Ah, as referências são tudo e nada na vida de um homem...

A morte é uma experiência solitária em que tudo acontece muito rápido. Em um segundo, você está atravessando a rua, em outro, está estatelado no chão, para em seguida perceber que está machucado enquanto pessoas que não lhe conhecem gritam por você, berram, fazem caras de assustadas. Naquela noite, eu morri diversas vezes e renasci outras tantas.

Mas o que ninguém diz é que não se sente gratidão por estar vivo logo depois de acontecer uma coisa horrível com você. Isso só vem depois. Antes, você sente muita vergonha. Depois, sente-se culpado de fazer com que outras pessoas que não tem nada a ver com a sua vida presenciem cenas fortes e, de certa maneira, degradante. 

Se você tem o perfil de esperar a poeira baixar para contar aos outros, quando já está bem, vai se sentir muito só e passará da autopiedade à autocomplacência, quando percebe que precisa cuidar de si mesmo com o algum afago. Não é fácil aconchegar-se em você, mas é possível, como também é chorar no momento em que se percebe o quanto a experiência de viver é só e o quão vulnerável se é às coisas que não estão no nosso controle. Autocomiseracao, autocomplacência e lágrimas que brotam sem que você não consiga controlar, tudo em sequência, até resultarem em soluços.

Aí vem a raiva, o "e se...", a paronoia de voltar a andar na rua, a pisar no chão, a atravessar faixas, a lidar com quem você não quer. E tem o contraste do tênis cor de abóbora alaranjado que não combina com nada, mas que dá uma infusão de cor quando você está tão cinza por dentro.



*Helder Moraes Miranda escreve desde os seis anos e publicou um livro de poemas, "Fuga", aos 17. É bacharel em jornalismo e licenciado em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura, pela USP - Universidade de São Paulo, e graduando em Pedagogia, pela Univesp - Universidade Virtual do Estado de São Paulo. Participou de várias antologias nacionais e internacionais, escreve contos, poemas e romances ainda não publicados. É editor do portal de cultura e entretenimento Resenhando.

.: "MasterChef": cozinheiros enfrentam a mais desafiadora prova de confeitaria


Na próxima terça-feira, 20 de novembro, às 22h30, os cozinheiros do "MasterChef Profissionais" enfrentarão a prova de confeitaria mais desafiadora da temporada: preparar um bolo espelhado. Composta por várias camadas e uma cobertura brilhante, essa receita é extremamente complexa e necessita de várias etapas para ser executada.

Na prova de eliminação, os participantes terão a chance de fazer um prato criativo com ingredientes brasileiros escolhidos pelo chef convidado Alex Atala. O grande desafio dessa prova será harmonizar a receita com café. 

O "MasterChef Profissionais", formato da Endemol Shine-Group, é uma co-produção da Band com o Discovery Home & Health que vai ao ar todas as terças-feiras, às 22h45, na tela da Band com transmissão simultânea no aplicativo da emissora. O programa é reapresentado às sextas-feiras, às 20h30, e aos domingos, às 18h50, no Discovery Home & Health.


.: Musical "Lugar de Escuta" debate feminismo e dor e delícia de ser mulher


A mulher, o feminismo e a busca por lugares de fala, mas também de canto, de expressões e de reflexão sobre os desafios do nosso tempo. Um mergulho por esses temas é o que propõe o espetáculo "Lugar de Escuta", que estreia no dia 21 de novembro no Teatro do Núcleo Experimental, na Barra Funda, em São Paulo. 

Produção do Coletivo M.O.T.I.M (Mulheres Organizadas por um Teatro em Infinito Movimento) e da Arina Entretenimento, o musical tem em seu elenco somente mulheres, no total de oito atrizes, dirigidas por Fabiana Tolentino.

"O embrião da peça foi plantado em março desse ano. Surgiu primeiro da minha necessidade de fazer algo com a minha insatisfação com o mercado de musicais no Brasil, que reforça a cultura dos perfis e estereótipos, das caixas, se você fez coro, você é para sempre coro. Poucos conseguem furar isso. Eu tinha acabado de sair do '2 Filhos de Francisco', que foi uma experiência excelente artisticamente", explica Fabiana. 

"Eu queria mais. Decidi morar em São Paulo e comecei a estruturar o que seria o M.O.T.I.M, esse grupo de estudo. Em um segundo momento chamei umas amigas-artistas que tinham pensamentos criativos parecidos e dia 4 de julho foi nossa primeira reunião. De lá para cá, estudamos de um tudo sobre feminismo e o papel da mulher na arte, coletamos e estudamos referências, livros. O grupo foi aumentando e veio a vontade de fazer algo mais material com esses assuntos. Sonhei com a estrutura dessa peça, inspirada por um parque da artista francesa Niki de Saint-Phalle e resolvemos nos arriscar", diz ela, sobre o nascimento do M.O.T.I.M e a criação de "Lugar de Escuta".



O espetáculo
"Lugar de Escuta" é um espetáculo que se adapta a cada apresentação. As cenas, com diversos lugares de fala, buscam trazer um panorama sobre as infinitas questões e percalços que ser mulher e feminista nos dias de hoje representa sem deixar de falar das delícias, por isso é também uma celebração. 

No total, são 22 cenas inspiradas pelos 22 arcanos maiores do tarô, porém somente oito delas serão apresentadas por sessão. Essas cenas serão selecionadas por um jogo de tarô com a seguinte pergunta: “Que peça de teatro a plateia de agora precisa assistir?”. Sendo assim, a ausência de assuntos, de certa forma, também fala sobre eles.

"O feminismo ainda é algo bem recente, e essa palavra ainda é bastante vilipendiada. Muitas pessoas ainda acham, erroneamente, que feminismo seria o oposto de machismo, ou seria a superioridade das mulheres aos homens. O que o feminismo quer não é igualdade, é equidade, é poder adaptar as oportunidades, deixando-as justas pra todos", ressalta a diretora sobre o tema de "Lugar de Escuta".

Além da peça, haverá ainda espaço para exposição de obras de quatro artistas especialmente criadas para o espetáculo. Todas tem o trabalho ligado estritamente com o feminismo, transversalizando a comunicação, transmitindo sensações também de forma não verbal, incluindo e popularizando o acesso de jovens às artes plásticas e visuais.

Serão dois painéis de quatro metros de altura, idealizados por Beatriz Ghidalevich, Jessica Factor, Natalia Cares e Amanda Falcão, esta última também terá outros trabalhos expostos pelo teatro. "Lugar de Escuta" fica em cartaz às quartas e quintas, às 21h, no Teatro do Núcleo Experimental e faz temporada até 13 de dezembro.



"Lugar de Escuta"
Teatro do Núcleo Experimental
Rua Barra Funda, 637 – São Paulo - SP
Temporada de 21 de novembro a 13 de dezembro
Quartas e quintas-feiras, às 21h
Ingressos: R$ 60 inteira / R$ 30 meia
Duração: entre 1h e 1h20, dependendo das cenas sorteadas.
Classificação: livre
Gênero: livre
Lotação do teatro: 65 lugares 

Ficha Técnica
Idealização e Direção: Fabiana Tolentino
Texto: Coletivo M.o.t.i.M
Direção Musical: Ana Paula Villar
Elenco: Ágata Matos, Ana Paula Villar, Gabriela Medvedovski, Giovanna Moreira, Letícia Soares, Luisa Sabino, Luiza Borges Campos e Natália Glanz
Atriz Substituta: Nani Porto
Artistas Visuais/Exposição: Amanda Falcão, Beatriz Ghidalevich, Jessica Factor e Natalia Buell
Músicas originais: Déborah Cecília
Canções adicionais: Giovanna Moreira e Ana Paula Villar
Figurino: Paula Martins
Cenário: Mariane Simão
Luz: Fabiana Tolentino
Identidade Visual do Coletivo: Bia Riedel
Design de arte “Lugar de escuta”: Kau Swaelen
Produção executiva: Thaisa Areia
Produção geral: Kau Swaelen e Fabiana Tolentino
Assessoria de Imprensa: MercadoCom
Realização: Arina Entretenimento e Coletivo M.o.t.i.M

.: Cláudia Müller apresenta Mostra de Trabalhos no Sesc Avenida Paulista


Trabalho Normal – Mostra "Coleção" – Foto: Haroldo Saboia. Artista com projetos desenvolvidos em dança contemporânea, performance e vídeo estreia a ação Trabalho Normal, além de apresentar algumas de suas obras mais representativas, como Caixa-Preta, sobre a existência de duas caixas-pretas nos aviões. Programação também conta com um workshop, que preparará 15 pessoas para integrarem o espetáculo Exhibition.

A partir de 20 de novembro, a artista Cláudia Müller apresenta no Sesc Avenida Paulista uma mostra com alguns dos seus trabalhos mais representativos. "Coleção" traz cinco obras de dança contemporânea e performance, incluindo a inédita "Trabalho Normal", além de "Dança Contemporânea em Domicílio"; "Caixa-Preta", "Exhibition" e "HELP! Need Somebody".

Trabalho Normal
Composto por uma série de cinco ações, cada uma com a duração de uma jornada de trabalho convencional - oito horas (das 10h às 14h e das 15h às 18h) - "Trabalho Normal" parte de projetos de artistas que discutem o paradoxo da inutilidade da arte. Com um figurino que remete aos uniformes de grandes empresas, Cláudia Müller realizará ações inúteis e que não geram nenhum resultado ou produto do ponto de vista prático.

Inspirada na obra "Paradoxo da Prática 1": às vezes fazer alguma coisa leva a nada, de Francis Alÿs, a artista ficará enxugando um bloco de gelo (dia 20 de novembro, terça). Já no dia 21 de novembro, quarta, Cláudia busca inspiração na obra "Vestígios", de Marta Soares, para soprar com um canudo uma quantidade de açúcar. 

O artista Artur Barrio e sua obra 4 dias 4 noites é o mote da ação de quinta-feira, dia 22 de novembro, na qual a artista andará pela cidade em um trajeto pré-estabelecido, sendo que o público poderá acompanhar. Na sexta, dia 23 de novembro, Cláudia passará as oitos horas do seu trabalho chorando numa alusão a obra Projeto Umidades, da artista Brígida Baltar. "Trabalho Normal" se encerra no sábado, dia 24 de novembro, quando Cláudia Müller ficará sentada sem fazer nenhum movimento e sem dizer uma única palavra em uma menção a obra "One Year Performance - Cage Piece", de Tehching Hsieh.

Para Cláudia Müller apresentar uma mostra com seus trabalhos é um reconhecimento, além de uma oportunidade de entender a linha temporal dos seus 30 anos de carreira a partir do resgate de algumas de suas obras. "Mostrar esses trabalhos tão significativos é a chance de olhar para cada momento onde nasceu cada um e fazer um diálogo com os dias atuais", conta ela.

"Dança Contemporânea em Domicílio"
Imagine assistir uma apresentação de dança contemporânea sem sair de casa? Ou no local de trabalho, seja ele qual for? Ou ainda na praça, no restaurante? Levar a dança contemporânea aos locais onde ela não é esperada é justamente a proposta da obra "Dança Contemporânea em Domicílio".

Concebida por Cláudia Müller há 13 anos, a ação propõe-se a "entregar" dança contemporânea em lugares inesperados. Durante esse tempo, entregas foram feitas nos mais diferentes lugares, do Brasil e do exterior. Com essa proposta, qualquer pessoa pode solicitar gratuitamente, no período de 21 a 27 de novembro, das 10h às 18h, via telefone (11) 99305-3294, em qualquer lugar que queira recebê-la. A dança tem duração de cerca dez minutos e acontece entre os dias 28 e 30 de novembro, em diversos horários (a partir das 10h).

"Caixa-Preta"
Ao lado da bailarina Juliana Penna, Cláudia Müller apresenta nos dias 1º e 2 de dezembro, sábado às 20h30 e domingo às 17h30, o espetáculo "Caixa-Preta", que parte do conceito de que sempre há duas caixas-pretas nos aviões, uma que grava o som dos últimos trinta minutos de comunicação entre pilotos e controle, e a outra, os dados de navegação aérea. Acredita-se que o exame da caixa-preta após um acidente mostra imediatamente as suas causas, mas isso nem sempre acontece, pois tudo que está gravado ainda precisa ser interpretado. Quando encontrada, a caixa-preta é inserida num simulador de voo, de modo que possam ser revividos os fatos ocorridos.

"Caixa-Preta" integra dança contemporânea, performance e artes visuais, buscando uma linguagem própria para tratar dos interesses da peça. Pretende-se questionar a promessa do ideal de aqui-agora, frequente nas artes cênicas. No entanto, o que acontece na cena é quase sempre marcado, repetido, ensaiado. O trabalho reside, então, em encontrar maneiras criativas de comunicar algo que não está presente. O original está perdido. Há um lapso entre o "original" e a versão.

"Exhibition"
Em "Exhibition", que acontece dia 7 de dezembro, sexta-feira, às 20h30, a apresentação ocupa o posto de coadjuvante. Ganham destaque elementos como vernissage, coquetel, crítica e notícia. Encena-se um universo de aparências, e o espectador é levado a questionar aspectos geralmente ocultos nos trabalhos de dança. O que legitima uma obra de arte? O que se espera quando se vai a um espetáculo de dança? Na montagem, o espectador faz parte de um evento que se desdobra, culminando em acontecimentos imprevisíveis e incomuns em espetáculos de dança.

O espetáculo desenha uma coreografia de gestos estratégicos e políticos, trazendo para primeiro plano os movimentos de construção, distribuição e agenciamento de uma obra. O projeto problematiza a relação de forças e interesses que constituem o sistema da arte, dando visibilidade aos agentes deste sistema: o artista, o crítico, o curador, os espaços destinados à arte, o público e a mídia.

Workshop
Com o objetivo de preparar dez a quinze artistas para integrar a apresentação do espetáculo "Exhibition", Cláudia Müller ministra uma oficina teórico-prática de 4 a 6 de dezembro, terça a quinta-feira, das 10h às 13h. No workshop serão abordados as relações entre a dança contemporânea, a performance, a intervenção e o processo de criação do trabalho. Nesta obra, as relações entre corpo/imagem, obra artística/produto são levadas ao extremo através de um irônico culto: um espetáculo destinado a investigar os mecanismos de produção e validação de um produto artístico. A Arte Conceitual, a Arte Relacional e a Crítica Institucional serão abordadas através de alguns artistas pela influência de suas propostas na dança contemporânea.

As inscrições gratuitas podem ser feitas até o dia 23 de novembro mediante envio de currículo resumido (10 linhas) e carta de interesse para o e-mail oficinas@avenidapaulista.sescsp.org.br. Público alvo: estudantes e artistas de dança, teatro e artes visuais. Os selecionados devem ter disponibilidade para comparecer a todos os dias de oficina e participar de ensaio e apresentação.

"HELP! I Need Somebody"
Com apresentações dias 8 e 9 de dezembro, sábado às 20h30 e domingo às 17h30, "HELP! I Need Somebody" é um convite para o encontro, trazendo o foco para o coletivo temporário formado quando um número de pessoas configura o chamado público. Uma pessoa no escuro de uma plateia é a primeira imagem que surge quando se pensa, tradicionalmente, no espectador. Quais as implicações de retirar o público do lugar de invisibilidade?

O espetáculo tem início desde a reserva de ingressos, feita diretamente com os artistas através do telefone/whatsapp (21) 99359-0073, até a confirmação do local de apresentação, que será agendando individualmente com cada participante.

Sobre Cláudia Müller
Artista-etc (termo conceituado por Ricardo Basbaum, que discute a natureza e a função do artista nos seus diversos papéis possíveis para além da produção de obras. Esta reflexão é apresentada no texto Eu amo os artistas-etc) com projetos desenvolvidos em dança, performance e vídeo, Cláudia Müller investiga as poéticas e políticas do encontro, as margens dos espaços tradicionalmente destinados à arte, a crítica institucional e o binômio visibilidade-invisibilidade nos processos artísticos. 

Doutoranda e Mestre em Artes pela UERJ (2012) e professora do curso de Dança da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) atuou em cias. de dança em SP, RJ e na Alemanha (1990-2000).

Serviço:

"Coleção"
Mostra de trabalhos da artista Cláudia Müller. De 20 de novembro a 9 de dezembro, no Sesc Avenida Paulista.

"Trabalho Normal"De 20 a 24 de novembro, terça-feira a sábado das 10h às 14h e das 15h às 18h. Local: Térreo – em frente a praça. Grátis. Livre. Concepção, criação e performance: Cláudia Müller. Colaborações: Clarissa Sacchelli e Renan Marcondes.

"Dança Contemporânea em Domicílio" 
De 28 a 30 de novembro, quarta a sexta-feira, diversos horários a partir das 10h. Local: Arredores da unidade Sesc Avenida Paulista. Grátis. Livre. Agendamentos pelo telefone (11) 99305-3294 de 21 a 27 de novembro, das 10h às 18h. Concepção e criação: Cláudia Müller. Performance: Cláudia Müller, Clarissa Sacchelli e Micheline Torres. Dramaturgia: Micheline Torres.

"Caixa-Preta" 
Dias 1º e 2 de dezembro, sábado às 20h30 e domingo às 17h30. Local: Praça (térreo). Livre. Duração: 50 minutos. Ingressos – R$ 20,00 (inteira); R$ 10,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 6,00 (credencial plena). Concepção e criação Cláudia Müller e Cristina Blanco. Performance: Cláudia Müller e Juliana Penna. Colaboração: Juliana Penna. Colaboração (1ª fase): Karenina de los Santos.

"Exhibition"
Dia 7 de dezembro, sexta-feira, às 20h30. Local: Praça (térreo). Livre. Grátis – Vagas limitadas (retirada de ingressos 1h antes, no térreo). Duração: 55 minutos. Concepção e criação: Cláudia Müller. Colaboração: André Masseno e Tuca Pinheiro. Colaboração Dramatúrgica: Micheline Torres.

"HELP! I Need Somebody"
Dias 8 e 9 de dezembro, sábado às 20h30 e domingo às 17h30. Local: Praça (térreo). Livre. Duração: 60 minutos. Grátis. Reservas de ingressos unicamente pelo telefone/whatsapp (21) 99359-0073. Concepção e direção: Cláudia Müller. Criação: Clarissa Sacchelli e Cláudia Müller. Performance: Clarissa Sacchelli, Cláudia Müller e Juliano Gomes. Preparação vocal e direção sonora: Ana Paula Emerich. Músicos: Jonas Hocherman e Gabriel Pontes. Ajudas criativas: Bernardo Fragoso, Filipe dos Santos Barrocas, Juliano Gomes, Leandro de Paula, Miriam Gandelman, Paloma Calle e Theo Dubeux.

Sesc Avenida Paulista
Avenida Paulista, 119, Bela Vista, São Paulo
Telefone: (11) 3170-0800
Transporte Público: Estação Brigadeiro do Metrô – 350m
Horário de funcionamento da unidade: terça a sábado, das 10h às 22h. Domingos e feriados, das 10h às 19h.
Horário de funcionamento da bilheteria: terça a sábado, das 10h às 21h30. Domingos e feriados, das 10h às 18h30.
Site: sescsp.org.br/avenidapaulista
Facebook: facebook.com/sescavpaulista 
Instagram: @sescavpaulista

App Sesc Avenida Paulista: disponível para download gratuito em celulares e tablets no endereço sescsp.org.br/avenidapaulista

Postagens mais antigas → Página inicial
Tecnologia do Blogger.