sábado, 16 de janeiro de 2021

.: Diário de uma boneca de plástico: 16 de janeiro de 2021

Querido diário,

Eu amo RuPaul. Ano passado, foram os vários programas derivados do liderado pela drag queen mais amada do mundo que me deixou feliz e mais em paz mesmo estando em plena pandemia, enquanto seguia o confinamento. As cores vibrantes, o talento das participantes ou todas as atividades realizadas durante o programa... tudo é muito agradável de se assistir. Sabe quando se está pra baixo e algo lhe dá ânimo? 

E o que é melhor de tudo, diário? Já está acontecendo a 13ª edição de "RuPaul´s Drag Race" e estou apaixonadíssima já por algumas drags que brilharam bastante nos dois primeiros episódios como Elliott with 2 Ts, Oliva Lux e GottMik.

Ontem foi ao ar o terceiro episódio e seis das participantes que totalizam 13 drag queens, mas estão no grupo que levou "Sashay away" no primeiro lipsync... só que eu ainda não assisti!! Desespero me define!! Preciso ficar em dia já!!

Beijinhos pink cintilantes e até amanhã,

Donatella Fisherburg
Redes sociais:
facebook.com/Photonovelas
twitter.com/DonaFisherburg
instagram.com/donatellafisherburg
youtube.com/c/Photonovelas


.: Donatto tem participação de Igor na música “Ei Amor”


Donatto deu o pontapé inicial em 2021 apresentando a música “Ei Amor”, sua colaboração com o cantor Igor. Composta pelos dois artistas junto com Guiggow, a canção foi produzida por Donatto. A faixa também ganha hoje um videoclipe com uma vibe que tem tudo a ver com o verão. 

O cantor falou sobre o lançamento: “Fazer ‘Ei amor’ foi muito especial para mim, pois ela traz uma mensagem de que nem tudo está perdido nos relacionamentos. A vida sempre pode nos dar novas oportunidades e não tem estação melhor no ano para isso que o verão. Essa é a minha primeira composição com o Igor, um cara que eu acompanho e curto muito o estilo. Fizemos a faixa em um dia, rolou muita sintonia e o clipe tem tudo a ver com a gente. Já o Guiggow, que é meu parceiro em outras composições, deu seu toque especial a esta música. ‘Ei amor’ tem tudo para aquecer ainda mais o verão. Espero que todos vocês curtam muito”.

“‘Ei Amor’ é um samba meio pagode, uma música que retrata um momento especial e ainda fala sobre os lugares do Rio de Janeiro, trazendo também um pouco da nossa energia. Fiquei muito feliz de fazer essa música porque é um estilo musical que tem muito a ver comigo. Quando começamos a compor, o Donatto já tinha o refrão, escrevi minha parte com ele e Guiggow no estúdio e a música ficou pronta em um dia. A faixa fala sobre relacionamentos perdidos, reencontros e reconquistas. Acho que ela traz uma mensagem de amor para uma pessoa especial que cada um escreveu um pouquinho ali”, disse Igor.

Em novembro, Donatto apresentou a música “Vem pra Cá”, cujo videoclipe, que foi gravado em São Paulo, tem a direção assinada por Gabriel Caviness e conta com a  participação da modelo Ray Leon. Após um 2020 de grandes êxitos, o artista segue trilhando seu caminho como um dos grandes novos nomes da música. Donatto já trabalhou ao lado de Anitta, em seu projeto "Anittinha" (Gloob); de Belo e PK, na música “Indomável”, além de ser um dos compositores e arranjador de “Envolvente”, sucesso na voz de Buchecha. Ele também participa de outros sucessos com Lexa, Lucas e Orelha, Ludmilla, Mc Rebecca, Mc Duduzinho, Mc Zaac, Nego do Borel, UM44K, entre outros.

“Ei Amor” - Donatto

“Vem pra Cá”- Donatto

.: “Amor Embaçado” em música e videoclipe da dupla Julia & Rafaela


Os fãs de Júlia & Rafaela podem comemorar o aniversário das gêmeas e um início de ano cheio de novidades em grande estilo. Após anunciar nova fase na carreira, a dupla comemora 19 anos, cinco anos de carreira profissional e reafirma a vocação para cantar o amor em todas suas variedades com a união de diversos estilos e sonoridades no lançamento de “Amor Embaçado”. O primeiro single do ano já está disponível em todos os aplicativos de música. A canção chega acompanhada do videoclipe oficial, já disponível no canal oficial da dupla no YouTube.  

Composta por Denner Ferrari, Felipe Goffi, Luciano Lima e Jimmy Luzzo, a faixa traz na letra o sofrimento de um fim de relacionamento, mas se engana quem pensou que se trata de uma sofrência. Com a união de instrumentos como Dobro Resonator, Bouzouki, Mandolin e Steel Guitar e variantes do sertanejo como o raiz, o universitário, country e o folk, a canção é uma balada animada que inspira a cantar e dançar junto com a interpretação impactante de Júlia & Rafaela.

“Gravar uma música nova é sempre uma experiência surreal. Fazer com que as pessoas ouçam sua voz e, principalmente, seu sentimento colocado em cada nota. E com ‘Amor embaçado’ não foi diferente. Colocar voz nela foi entregar toda nossa energia,  amor e um pouquinho de raiva também (risos). Retratamos um relacionamento sem ser recíproco, mas que todos passam por isso um dia”, conta Rafa.

“‘Amor Embaçado’ é uma música muito especial, gostamos muito de cantá-la, pois é animada. Mesmo com a mensagem de um término, dá pra sorrir do mesmo jeito a ouvindo”, explica Júlia. “Amor Embaçado” dá sequência aos lançamentos iniciados com “Cangote” e “Mó Confusão”, que revelam a maturidade musical adquirida pelas gêmeas que, desde os 14 anos, cantam e encantam os apaixonados pela música sertaneja.

“Amor Embaçado” - Julia & Rafaela





sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

.: Eduardo Costa lança segunda parte do DVD "Pantanal"

EP com quatro músicas chega às plataformas digitais e no YouTube. Capa do EP - "Pantanal, Ep. 2"


O cantor Eduardo Costa lança nesta sexta-feira (15), a segunda parte do DVD "Pantanal". O EP traz mais quatro músicas que trazem de volta a origem da música caipira, trazendo a cultura sertaneja raiz que o cantor tanto ama. As quatro faixas se juntam às outras cinco do primeiro EP, que já estão disponíveis nas plataformas digitais, assim como os vídeos no canal oficial do YouTube.

"Chega de Sujeira", "A Saudade é uma Estrada Longa", "Chalana" e "Saudade Pesada" são as faixas dessa segunda parte do trabalho, que teve todo o repertório escolhido por Eduardo Costa enquanto viajava pelo Pantanal, produzindo e gravando durante quatro dias, no "berço da música caipira", como ele mesmo define.

O resultado de toda essa entrega e inspiração são regravações de clássicos da música sertaneja e uma grande homenagem aos cantores que marcaram época, verdadeiras inspirações para Eduardo como Tião Carreiro e Pardinho, Almir Sater, Rick e Renner, Lourenço & Lourival, Sérgio Reis e tantos outros.

Com o DVD "Pantanal", Eduardo mostra que as canções tradicionais do sertanejo se mantêm atuais e, mesmo com o passar do tempo, ainda encontram um público fiel à cultura sertaneja. Prova disso são os números do projeto, que, até o momento, todas as cinco faixas do primeiro EP já somam mais de 10 milhões de visualizações no canal do cantor no YouTube e outros milhões de streams nas plataformas digitais.

O novo EP de Eduardo Costa, "Pantanal, Ep. 2", está disponível nas plataformas digitais via ONErpm e o vídeo de "Chega de Sujeira" está disponível no YouTube.

Sobre a ONErpm: Considerada uma potência na redefinição da nova indústria da música, a ONErpm é uma das empresas do ramo que mais crescem no mercado global. Com mais de 3 mil canais do YouTube que geram coletivamente mais de 8,5 bilhões de views por mês, a ONErpm é também a maior network de música da América Latina e uma das maiores do mundo.

Com escritórios e estúdios em Nova York, Nashville, Miami, Atlanta, Los Angeles, São Francisco, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Lima, Santiago do Chile, Buenos Aires, Bogotá, Cidade do México, Kingston, Madrid, Kiev, Abuja e Moscou, a ONErpm ocupa um espaço único entre gravadora tradicional e distribuidora, aproveitando de sua própria tecnologia, marketing, análise e suporte local para fornecer soluções de negócios para mais de mais de 100.000 artistas, gravadoras e criadores de vídeos em todo o mundo.

Ouça "Pantanal, Ep. 2": onerpm.ffm.to/pantanal_ep2

Assista "Chega de Sujeira"


.: 18ª Flip continua em três mesas de debate literário em janeiro


Convidados como a drag queen Rita von Hunty, a travesti negra Letícia Nascimento e o cantor André Abujamra vão discutir temas como representatividade, literatura com causa e o livre pensar.

Parceira da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), a Saíra Editorial dá continuidade à programação da 18ª edição do evento virtual em 2021. No próximo dia 19, a editora vai promover mais um dia de debates ao vivo com grandes nomes do mundo artístico, educacional e literário, para discutir temas como educação, pensamento livro e literatura com causa.

Entre os participantes confirmados estão a drag queen brasileira Rita von Hunty, persona do professor e ator Guilherme Terreri; a pedagoga e travesti negra Letícia Nascimento; o cantor, ator e multi-instrumentalista André Abujamra; a professora de Literatura Brasileira da USP Yudith Rosenbaum; e a professora feminista negra Talíria Petrone. Confira a agenda e o perfil dos convidados:



Mesa 4:
14h às 15h30 - "Literatura com Causa"
Mediação: Fábia Alvim

Rita von Hunty: a persona drag de Guilherme Terreri, ator formado pela UniRio e professor de língua e literatura inglesa formado pela USP. Hoje atua no cinema e no teatro, apresenta um programa de TV ("Drag Me As A Queen") e mantém um canal no YouTube com 650 mil inscritos ("Tempero Drag"), além de viajar o país oferecendo cursos e formações que discutem, por meio dos Estudos de Cultura, temas centrais da vida em sociedade.

Letícia Carolina Nascimento: mulher travesti, negra e gorda. Pedagoga e professora da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Atualmente doutoranda em Educação pela UFPI. É vinculada aos seguintes núcleos e movimentos sociais: Nepegeci, Fonatrans, Rimas e GPTrans. É pesquisadora da área de Gênero e Educação com foco em transfeminismo, feminismo negro e interseccionalidades.  



Mesa 5:
16h às 17h30 - "Representatividade"
Mediação: Thayslane Ferreira
Tarília Petrone Soares: mulher negra, feminista, socialista, professora, graduada em História pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro e mestre em Serviço Social e Desenvolvimento Social pela Universidade Federal Fluminense. Deu aula na favela da Maré, em São Gonçalo e em Niterói, e a realidade das escolas sempre foi um motivo para ir à luta. Em 2016, foi eleita a vereadora mais votada em Niterói e, em 2018, foi eleita deputada federal pelo Rio de Janeiro, com 107.317 votos - a nona mais votada do estado do Rio de Janeiro.

Elisa Lucinda: uma das autoras que mais vendem no Brasil. Possui 18 livros publicados, dentre os quais a Coleção Amigo Oculto, de livros infantojuvenis, que lhe rendeu, em 2002, o prêmio Altamente Recomendável [FNLIJ] por "A Menina Transparente". Lucinda encena e circula muito de sua obra pelos palcos brasileiros e estrangeiros, e comemora o reconhecimento de ser uma das escritoras que mais popularizam a poesia em nosso tempo. "Versos de Liberdade", que ensina a palavra poética aos jovens que cumprem medidas, pessoas em vulnerabilidade e pessoas trans, é um dos projetos que a sua instituição Casa Poema desenvolve, entre cursos de Poesia Falada para todos.


Mesa 6:
18h às 19h30 - "O Livre Pensar"
Mediação: Maura Dias
André Abujamra: filho de um dos grandes atores do teatro brasileiro, Antônio Abujamra (in memoriam), André herdou do pai o talento e a necessidade de provocar a ordem vigente. Em mais de 40 anos de carreira, firmou-se como um dos grandes artistas criativos do Brasil. Multiartista, André é cantor, compositor, guitarrista, percussionista, pianista, produtor musical, ator e diretor de teatro e cinema. Iniciou a carreira artística nos palcos em 1985, em parceria com Maurício Pereira, na banda Os Mulheres Negras. Em 1994, estreou a banda Karnak, e seu disco de estreia foi considerado pela revista americana Rolling Stone um dos melhores lançamentos da década de 1990. Em 2020, lançou seu primeiro livro, "Robô Não Solta Pum", voltado ao público infantil.

Yudith Rosenbaum: professora de Literatura Brasileira na USP, onde fez mestrado e doutorado em Teoria Literária e Literatura Comparada. Graduou-se em Psicologia pela PUC/SP e trabalha na interface da literatura com a psicanálise, pesquisando autores do século XX, como Manuel Bandeira, Guimarães Rosa e Clarice Lispector. É autora dos livros “Manuel Bandeira - Uma Poesia da Ausência”, “Metamorfoses do Mal - Uma Leitura de Clarice Lispector” e “Clarice Lispector” (2002), entre outros.

.: Popularizada por Hebe Camargo, Neide Boa Sorte retorna ao teatro


O ator Eduardo Martini reestreia nesta sexta-feira, 15 de janeiro, o espetáculo "Neide Boa Sorte", no Teatro União Cultural, com sessões sempre às sextas, às 21h, até 26  de março. 

Em cartaz com o monólogo “Simplesmente Clô” aos sábados e domingos, Eduardo Martini reestreia nesta sexta-feira, 15 de janeiro, também no Teatro União Cultural, um dos espetáculos mais exitosos de sua carreira, “Neide Boa Sorte”, com sessões às sextas, sempre às 21h, até 26 de março.

A personagem, que ficou famosa por sua participação no programa "Hebe", no SBT, em 2007, aborda com muito humor e sarcasmo, temas universais como casamento, família, sucesso, entre outros. “A Neide surgiu de uma brincadeira no programa da Hebe e nunca mais saiu de cena. Já foram inúmeras temporadas e aparições em outros televisivos. Nunca pensei que, após 14 anos, ainda estaria interpretando-a”, revela Eduardo Martini, que além de estrelar o espetáculo, também atua como gestor do Teatro União Cultural. É obrigatório o uso de máscara no hall do teatro e durante o espetáculo.  Será feita a aferição da temperatura na entrada.

Serviço:

"Neide Boa Sorte"
Data:
15 de janeiro a 26 de março
Local: Teatro União Cultural - São Paulo (SP)       
Horário: sextas às 21h

Lotação: 130 lugares, obedecendo as medidas de distanciamento.
Endereço: Rua Mário Amaral 209, telefone : 11-38852242
Preço do ingresso: R$ 35 (meia) a R$ 70 (inteira)
Classificação etária: 12 anos
Link para compra: https://beta.sympla.com.br/

Ficha técnica
Texto:
Marcelo Saback, Eduardo Martini e Pablo Diego
Figurinos: Adriana Hitomi
Trilha Sonora: Herbert Azul
Iluminação: Felipe Souza
Concepção e direção geral: Eduardo Martini  


.: "Palavras nas Paredes do Banheiro" estreia nas plataformas digitais


Estrelado pelos jovens Taylor Russell ("Escape Room") e Charlie Plummer ("A Rota Selvagem"),  o drama romântico  “Palavras nas Paredes do Banheiro” ("Words on Bathroom Walls", 2020) baseado no livro de Julia Walton que conta a trágica história do introspectivo Adam, diagnosticado com esquizofrenia tendo que lidar com sua nova condição na atual  escola do ensino médio. 

Quando se apaixona pela sua recente colega Maya, Adam tenta manter sua doença em segredo, mas o amor pode inspirá-lo a abrir seu coração e ultrapassar seus próprios limites. O astro Andy Garcia faz parte do elenco e o filme tem direção de Thor Freudenthal, mesmo diretor de "Diário de Um Banana" e "Percy Jackson e o Mar de Monstros".

Elenco e ficha técnica
Direção:
Thor Freudenthal
Roteiro: Nick Naveda, Julia Walton
Produção: Thor Freudenthal, Mickey Liddell e Pete Shilaimon
Elenco: Charlie Plummer, Andy Garcia, Taylor Russell, AnnaSophia Robb, Beth Grant, Devon Bostik, Lobo Sebastian, Molly Parker, Walton Goggins, Jared Bankens

Especificações
Duração:
111 minutos, aproximadamente
Classificação indicativa: 12 anos
Plataformas digitais exclusivamente para aluguel e compra: Apple TV (iTunes), Google Play, Microsoft Films &TV (Xbox) e PlayStation Store
Plataformas digitais exclusivamente para aluguel: Looke, NOW, SKY e Vivo Play

Trailer de "Palavras nas Paredes do Banheiro"


.: Darlan Cunha lança primeiro single, grava clipe e entra no TrapFunk


O artista, que interpretou o personagem Laranjinha na série "Cidade dos Homens", migra pro Trap/funk e fala sobre próximos passos na carreira.

Aos 32 anos, o artista Darlan Cunha entra para o mundo da música, mais precisamente pro Trap Funk. Conhecido pelo eterno e icônico personagem Laranjinha da série "Cidade dos Homens", Darlan começou a atuar com apenas nove anos e provou que a veia artística sempre esteve presente na sua vida. Durante toda sua carreira, o carioca marcou presença no cinema, novelas e séries. Agora, chegou a hora de Darlan mostrar seu talento no universo musical.

O novo single "Motivação" já ganhou um clipe, lançado nesta quarta-feira, dia 13. O vídeo é todo ambientado no Real Parque, bairro localizado no distrito do Morumbi, Zona Sul de São Paulo, que retrata bem o contraste social entre favela e condomínios luxuosos dividindo o mesmo espaço urbano. O clipe é um verdadeiro show de imagens, com cortes especiais e animações, que mostra a perspectiva de um morador da comunidade. O clipe será lançado no canal da GR6 Explode, a maior plataforma do ritmo funk do Brasil e do mundo. A música teve produção do DJ Nenê, que coleciona mais de 800 milhões de visualizações em seus trabalhos.

''Estou muito feliz em conseguir conciliar minhas duas paixões: música e atuação, através dos clipes e dos shows. Sonho em trabalhar com todos os artistas que admiro, lançar álbuns, mas principalmente conseguir levar conteúdos positivos para os meus fãs. Estou estudando muito, aprendendo, praticando e escrevendo. Após um ano sabático, em 2019, decidi iniciar meu projeto em 2020, aí veio a Pandemia. Por um lado, foi muito importante, porque tive tempo de pensar com calma e buscar os profissionais certos para estarem ao meu lado. Agora, no início de 2021, estamos aí, com minha primeira música na rua, clipe pronto e tudo preparado para esse novo universo que me espera. O público vai se surpreender'', conta Darlan.

"Motivação" - Darlan Cunha (clipe)


.: Diário de uma boneca de plástico: 15 de janeiro de 2021

Querido diário,

É tão gostoso colecionar, principalmente pelo fato de eu focar totalmente na parte sobre o que aquilo me remete, geralmente, a coisas de infância. Contudo, há também desejos da colecionadora adulta também. 

Pois é... Quem nunca viu uma nova boneca e não se apaixonou muito, mas o precinho da pequenina era enorme? E, para piorar, a danada era importada e produzida em pequena escala.

No entanto, tenho para mim a premissa de que "o que é seu, um dia chega". 

Eis que ter algo assim tão desejado em mãos é uma sensação maravilhosa!

Beijinhos pink cintilantes e até amanhã,

Donatella Fisherburg
Redes sociais:
facebook.com/Photonovelas
twitter.com/DonaFisherburg
instagram.com/donatellafisherburg
youtube.com/c/Photonovelas

Foto do meu ensaio fotográfico "Sorry: photonovelas.blogspot.com/2016/02/sorry.html






quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

.: Resenha de "A Verdadeira História de Ned Kelly": soco no estômago

Por: Mary Ellen Farias dos Santos*


Quem foi Ned Kelly? O longa "A Verdadeira História de Ned Kelly", do diretor Justin Kurzel, retrata o bandido ou vingador pela ótica do escritor Peter Carey, no livro best-seller  "A História Do Bando De Kelly", de 2002. Tal qual a publicação da Editora Record -que inspirou a película-, a trama é forte e prende a atenção do início ao fim, ou seja, desde quando conhecemos o pequeno Ned até a vida adulta -o fim.

Por meio do olhar de quem dá o nome ao longa, Ned Kelly dita o ritmo da narrativa, assim, o longa tem momentos de pura explosão e outros de aparente calmaria. Na nova produção, o matador australiano é interpretado na vida adulta pelo talentoso George MacKay, personagem interpretado anteriormente pelo cantor Mick Jagger e o inesquecível ator Heath Ledger.

MacKay defende muito bem o personagem a ponto de distribuir pancadas de amor e ódio ao público. A adaptação é como que um diário em mãos alheias, sendo devorado por um curioso. O passado de violência de toda uma sociedade, os traumas, desamores e a falta de escrúpulos de Ned são expostos na tela. Tudo, muitas vezes, justificado pela criação recebida, na maior parte, da mãe: Ellen Kelly (Essie Davis) e, inclusive por quem passou por seu caminho, desde o padrasto (Russell Crowe) ou o oficial Constable Fitzpatrick (Nicholas Hoult).

De fato, o jogo entre o certo e o errado, sempre em posições trocadas, movem a história e fazem Ned ser quem é. Assim, os cortes de cenas e as sequências longe de serem mastigadas, aumentam ainda mais a tensão de quem assiste. Ned, sempre na tênue linha entre o bem e o mal, cria um ambiente de receio a respeito do que acontecerá, como que uma preparação para alguma tragédia anunciada.

Não há como deixar de comentar o elenco de primeira. No longa estão George MacKay, Russell Crowe, Nicholas Hoult e Charlie Hunnam que convencem ainda mais a assistir "A Verdadeira História de Ned Kelly". Em pouco mais de 2 horas, tem-se uma aula de história australiana no período de vida do maior fora da lei do país. Vale a pena conferir!


Filme: A Verdadeira História de Ned Kelly (True History of the Kelly Gang )

Diretor: Justin Kurzel

Autor: Peter Carey

Adaptação de: A História Do Bando De Kelly

Gênero: Faroeste, drama

Duração: 2h04m

Elenco: George MacKay, Russell Crowe, Nicholas Hoult, Charlie Hunnam, Essie Davis

Distribuído por: A2 Filmes

Data de lançamento: 2 de abril de 2020 (Brasil)

*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura, licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos e formada em Pedagogia pela Universidade Cruzeiro do Sul. Twitter: @maryellenfsm


Postagens mais antigas → Página inicial

#ResenhandoIndica

20 20 20
Tecnologia do Blogger.