domingo, 19 de maio de 2019

.: 10 anos da estreia de Glee e muitos sucessos para recordar



Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em maio de 2019



Glee foi uma série de sucesso que deu novas roupagens a diversos sucessos do rock, pop e até de números da Broadway, assim como gravou músicas originais. Hoje, 19 de maio, a série de televisão criada e produzida por Ryan Murphy, Brad Falchuk e Ian Brennan completa 10 anos de estreia e, para tanto, nós do Resenhando.com elencamos alguns sucessos, sem mencionar "Don´t Stop Believin´", uma vez que esse é o hino do seriado.



Somebody to love: O clássico do Queen foi regravado pelo New Directions e, até hoje, arranca lágrimas discretas e arrepia. Canção exibida no quinto episódio da primeira temporada, "The Rhodes Not Taken".



Jessie´s girl: A música de Rick Springfield é interpretada por Finn (Corey Monteith) quando ele demonstra total interesse em Rachel (Lea Michele), que no momento namora Jesse St. James (Jonathan Groff). Exibido no 18º episódio da primeira temporada, "Laryngitis".

Defying Gravity e For Good: Ambas canções do musical "Wicked" são o tempero perfeito na série "Glee". Os duetos de Rachel (Lea Michele) e Kurt (Chris Kolfer) são arrepiantes. Enquanto "Defying Gravity" foi exibido na primeira temporada, do nono episódio, "For Good" foi exibido no 22º episódio da segunda temporada, "New York".


Run Joey Run: A música que pertence ao episódio "Bad Reputation" é uma brincadeira incrivelmente engraçada, seja pelo fato de Rachel (Lea Michele) tentar ser a menina disputada pelos caras ou pela simples produção do videoclipe que inclui gravação diante dos armários da escola enquanto os outros alunos passam diante da câmera sem se importar. Exibido no 17º episódio da primeira temporada.

Keep Holding On: Como segurar as lágrimas quando a líder de torcida Quinn Fabray (Dianna Agron) se sente sozinha, por estar grávida na adolescência, e todos amigos a apoiam? Música pertencente ao sétimo episódio da primeira temporada, intitulado "Throwdown".




Forget You: A série contou com diversas participações ilustres, mas a mais divertida, sem dúvida foi da atriz Gwyneth Paltrow como a professora substituta Holly Holliday. E já de cara ela interpretou o sucesso de Cee-Lo Green e agradou o público. A música foi exibida no sétimo episódio da segunda temporada, intitulado "The Substitute".



Toxic: A música que foi capaz de reunir mais vez uma trindade Queen, Santana e Brittany numa nova interpretação pra lá de sensual da música de Britney Spears, está no 12º episódio, da quinta temporada, intitulado "100". No entanto, a canção já havia ganhado nova roupagem dos cantores de Glee, no episódio "Britney/ Brittany", o segundo da segunda temporada.



Bye Bye Bye e I want it that way: Que fã das boy bands Backstreet Boys e N´Sync não ficou feliz e se sentiu homenageada com esse mashup? Com direito a fãs enlouquecidas gritando pelos garotos, o duelo das bandas foi incrível. Do episódio "Feud", o 16º da quarta temporada.




Valerie: A música que fez sucesso na voz de Amy Winehouse agitou a série por duas vezes, além de entrar no repertório de "Glee 3D: O Filme". Apareceu pela primeira vez no episódio 9, da segunda temporada "Special Education" e ganhou outra roupagem no episódio 12º episódio, da quinta temporada, intitulado "100".

You´re the one that I want: Aos fãs do musical protagonizado por John Travolta e Olivia Newton-John, "Grease", a série fez uma linda homenagem. Na época, houve a troca dos protagonistas, portanto, no videoclipe em Glee da canção que fecha o musical dirigido por Randal Kleiser foi protagonizado, inicialmente, por Marley Rose (Melissa Benoist) e Ryder Lynn (Blake Jenner) e, posteriormente por Rachel (Lea Michele) e Finn (Corey Monteith).




The Scientist: A música do Coldplay emociona por todo o sentimento de solidão vivido por Finn (Corey Monteith), mas também ganhou um toque de tristeza quando o ator morreu. A música exibida no episódio "The Break-Up", quarto episódio da quarta temporada.



I Lived: A música que encerrou a série de sucesso que resgatou e apresentou diversas canções para o público, do One Republic, é de embargar a voz de qualquer um que acompanhou "Glee" ao longo de seis anos. 




*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura e licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Twitter: @maryellenfsm




.: Glee estreava há 10 anos e tem lista com 10 motivos para ver e rever

Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em maio de 2019



Há 10 anos, em 19 de maio de 2009 estreava na televisão gringa o seriado "Glee". Exibido em mais de 60 países, até 2015, no Brasil pela FOX, não demorou a fazer sucesso nas terras tupiniquins. A história do fenômeno mundial se passa na fictícia William McKinley High School, em Lima, Ohio, e o grupo de estudantes entusiasmados e ambiciosos que integram o clube do coral selecionado pelo professor de espanhol, Will Schuester. No entanto, ele precisa manter o grupo e combater a treinadora Sue Sylvester que faz o inferno para acabar com as artes na escola. Assim, músicas de sucesso antigas e da época ilustram as aulas e os temas em debate.





1. Covers inesquecíveis: as canções interpretadas foram de clássicos dos anos 60 ao Pop de sucesso até março de 2015. Como esquecer da interpretação de "Don´t Stop Believing", sucesso da banda Journey, "Somebody to love", sucesso dos roqueiros da banda Queen ou ainda "Teenage Dream", da cantora Katy Perry?

2. Músicas originais: após borborinhos de que a série apenas regravava sucessos ou fazia mashups, foram apresentadas músicas próprias e marcantes, como, "Pretending", "Loser like me" e "Get it right".

3. A escola como pano de fundo: O ambiente que para alguns traz boas lembranças e para outros nem tanto é o espaço em que a história dos alunos acontece. Enquanto que o professor Will Schuester tenta formar o clube do coral, mesmo que de modo duvidoso, a professora Sue Silvester, inimiga número 1, faz de tudo para acabar com o professor de espanhol, sempre tentando impedir ensaios e até removendo os alunos do auditório.

4. Flash mob: Várias pessoas reunidas cantando -e dançando- juntas. A série musical não só deu destaque para o movimento, como realizou um no 16th Street Mall, com a música "Safety Dance", de Men Without Hats, no 19º episódio da primeira temporada, intitulado "Dream On", em que Artie sonha dançar, sendo que ele é cadeirante. 



5. Elenco: A maior parte do elenco foi selecionada por Ryan Murphy e poucos atores tinham experiência no ramo, o que, inicialmente, deu certa incredibilidade no seriado, pois não havia algum famoso no elenco. No entanto, a série caiu no gosto do público.

6. Participações especiais: De 2009 a 2015, a série que falava diretamente com os jovens, teve a participação de grandes nomes do cinema e da música, entre eles: Gwyneth Paltrow, Britney Spears, Kristin Chenoweth, Jonathan Groff, Idina Menzel, Adam Lambert, Olivia Newton-John, Neil Patrick Harris, Demi Lovato.



7. Da Broadway para a televisão: Glee deu destaque mais amplo a grandes nomes da Broadway, como Matthew Morrison (Will Schuester, professor de espanhol e do coral), Kristin Chenoweth (April Rhodes, ex-aluna do William McKinley High School), Idina Menzel (Shelby Corcoran, mãe de Rachel) e Jonathan Groff (Jesse St. James, concorrente do New Directions com o Vocal Adrenaline).

8. Sem medo de tocar na ferida: A série tinha tamanha conexão com o público que tratava de diversos assuntos sem mistério. Da sexualidade, ia da virgem ao gay, o uso de drogas, bullying, religião, sonhos entre outros.

9. Filme 3D: Foi inegável o sucesso da série musical e em 6 de agosto de 2011 foi lançado nos cinemas "Glee 3D: O Filme". Em 1h 40m o grupo interpreta os números de maiores sucesso da série mesclado a depoimento de fãs sobre a importância do seriado para a vida deles. 

10Sucesso até o fim: a série foi um dos programas da televisão a cabo mais assistidos nos Estados Unidos. Contudo, a morte de Corey Monteith durante a exibição da quinta temporada, desordenou o grupo. Assim, o seriado terminou na sexta temporada. Na época da morte do protagonista da série, as gravações foram suspensas por um tempo e a emoção tomou conta do público na exibição do terceiro episódio intitulado "The Quarterback", exibido em 10 de outubro de 2013. Corey morreu de overdose em 13 de julho de 2013. Recentemente, o ator Mark Salling cometeu suicídio, em 30 de janeiro de 2018, ao aguardar a sentença por posse de pornografia infantil. 


*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura e licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Twitter: @maryellenfsm

.: Estreia "O Bote da Loba" no Teatro de Arena Eugênio Kusnet


Parte do Projeto Ocupação Plinio Marcos, que vem acontecendo desde 2014 no Teatro Garagem, penúltimo texto do polêmico autor marca a parceria do diretor Marcos Loureiro com a atriz Anette Naiman e agora conta com a atriz convidada Dani Moreno.

Plínio Marcos é considerado um dos maiores dramaturgos brasileiros. Sua obra "O Bote da Loba" foi escrita em 1997, e permaneceu inédita até a montagem realizada pelo Teatro Garagem, em 2016. Esta obra, que integra o Projeto Ocupação Plinio Marcos, aborda o universo feminino sob a ótica de duas mulheres que se encontram para uma sessão de tarô. Veriska (Anette Naiman), a maga vidente, por meio dos seus poderes místicos, tentará ajudar a cliente Laura (Dani Moreno), mulher casada e reprimida, a libertar-se de suas angústias e de seu sofrimento. O espetáculo estreia dia 22 de maio no Teatro de Arena Eugênio Kusnet 
Penúltimo texto escrito pelo polêmico dramaturgo em 1997, dois anos antes de sua morte, "O Bote da Loba" traz à tona temas e questões atuais de extrema relevância para a sociedade. A obra gira em torno, principalmente, da questão do prazer feminino, reprimido por tantos milênios e considerado como “tabu” até os dias de hoje, abordando o encontro entre o prazer feminino, proibido historicamente com a perpetuação de uma cultura misógina, machista e patriarcal, e o conhecimento do corpo feminino, onde há uma protagonização de tal busca por duas mulheres. 

De acordo com o autor, seus textos poderiam ser utilizados como referência para a percepção temporal do desenvolvimento da sociedade brasileira. Plínio foi um homem de seu tempo, retratou aquilo que vivenciava cotidianamente, observando e registrando a visão da sociedade de sua época. Seus textos podem ser utilizados como documentos históricos, pois retratam valores, costumes e pensamentos do passado, de um tempo de uma sociedade, e comprovam se a sociedade brasileira, ao longo dos anos, progrediu e caminhou para a modernização de um pensamento social. Consequentemente, seus textos tornaram-se clássicos da dramaturgia brasileira.

Em 2016, o Teatro Garagem celebrou seus 12 anos de existência com a estreia deste texto, até então inédito, que também faz parte do projeto “Ocupação Plinio Marcos no Teatro Garagem” que atualmente conta com o espetáculo "Navalha na Carne" em cartaz. Ambos com direção de Marcos Loureiro e com a participação da atriz e idealizadora do projeto Ocupação Plinio Marcos, Anette Naiman, interpretando a antológica prostituta Neusa Sueli, de Plinio.

"O Bote da Loba"
Teatro de Arena Eugênio Kusnet (99 lugares)
Rua Dr. Teodoro Baima, 94 - Vila Buarque
Informações: (11) 3256-9453
Bilheteria: abre uma hora antes do espetáculo. Pagamento somente em dinheiro pela Funarte e em cartão de débito e crédito pela produção. Acesso para cadeirantes.

Quartas-feiras, às 20h
Ingressos: R$ 20
Duração: 60 minutos
Recomendação: 18 anos
Gênero: drama

Estreia dia 22 de maio
Temporada até dia 24 de julho

Ficha Técnica:
Direção, luz e sonoplastia: Marcos Loureiro
Elenco: Anette Naiman e Dani Moreno
Figurino: Anette Naiman e Dani Moreno
Assessoria de imprensa: Morente Forte (da peça) e Adriana Monteiro (do teatro / Projeto Ocupação Noites Sujas)
Fotos: Priscila Prade
Arte: André Kitagawa
Apoio: Pop Vegan Food

.: Santana apresenta mais uma faixa do álbum “Africa Speaks”

Carlos Santana segue apresentando seu novo álbum, “Africa Speaks”, com lançamento previsto para o dia 7 de junho, e disponibilizou no YouTube o trailer do projeto. O vídeo mostra Carlos e Buika falando sobre o disco e inclui imagens no estúdio, com Rick Rubin. 

Para aumentar a ansiedade dos fãs que aguardam o álbum, a faixa “Yo Me Lo Merezco”, também já está disponível em todas as plataformas digitais. Do repertório do novo disco já foram apresentadas as músicas “Breaking The Door Down” e “Los Invisibles”.  

Contando com o renomado produtor Rick Rubin, Santana e sua banda se reuniram no estúdio Rubin's Shangri-La Studios, nos EUA. Um dos elementos dramáticos da criação do álbum veio na participação da cantora espanhola Buika, cujos vocais celestiais lançam um feitiço mágico ao longo do álbum.


.: Como diminuir conflitos na escola por meio de métodos alternativos

Evento gratuito na PUCPR apresenta métodos não punitivos e preventivos para resolução de problemas no ambiente escolar


Os desafios do ambiente escolar são muitos e por se tratar de um ambiente muito plural também é normal que alguns conflitos surjam no dia a dia. Nestes momentos, utilizar algumas técnicas de Práticas Restaurativas, já usadas no Sistema Judiciário, para mediar os conflitos, pode contribuir com a resolução pacífica de alguns problemas, além de trazer novas ferramentas para lidar com as experiências vividas em sala de aula.

Pensando nisso, a área social do Grupo Marista em conjunto com o Núcleo de Direitos Humanos da PUCPR, promovem o Seminário gratuito “Educação, Direitos Humanos e a Construção da Autonomia”. O evento será realizado no próximo dia 21 de maio, no auditório Tristão de Ataíde da PUCPR, em Curitiba.

O objetivo do Seminário é discutir as questões relacionadas à mediação e solução de conflitos e aprofundar conhecimentos sobre as experiências que vêm sendo implementadas no Brasil. “Os modelos restaurativos abrem uma gama de possibilidades não punitivas para resolver um conflito, além de valorizar a liberdade, responsabilidade e a autonomia de todos os envolvidos”, explica o coordenador educacional das Escolas Sociais do Marista, Diego Oliveira de Lima.

O Seminário é destinado a assistentes sociais, professores, gestores de escolas, operadores dos Sistema Judiciário, agentes de saúde, estudantes e profissionais que atuam como coordenadores de equipes de trabalho em diversos contextos interessados na diminuição do problema da violência. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas por meio do link bit.ly/2E7zShw

Serviço:
"Práticas Restaurativas: Educação, Direitos Humanos e a Construção da Autonomia" 
Local: Auditório Tristão de Ataíde – PUC-PR
Endereço: R. Imaculada Conceição, 1155 - Prado Velho - Bloco Amarelo. Curitiba (PR)
Horário: das 19h30 às 22h
Inscrições: bit.ly/2E7zShw

.: HBO divulga primeiro teaser do seriado brasileiro "Pico da Neblina"


Com estreia marcada para agosto, série se passa em uma São Paulo ficcional em que a maconha foi legalizada.

"Pico da Neblina", produção original da HBO realizada no Brasil, acaba de ganhar um vídeo de 40 segundos com as primeiras imagens da série, que tem direção geral de Quico Meirelles. O seriado terá dez episódios com uma hora de duração cada e se passa em uma São Paulo ficcional onde a maconha foi recentemente legalizada. 

A trama gira em torno do jovem traficante paulistano, Biriba (Luis Navarro), que decide deixar para trás a vida do crime e usar seus conhecimentos para vender o produto dentro da lei junto com um sócio investidor pouco experiente, Vini (Daniel Furlan). Biriba terá que lidar com o peso e as pressões do seu passado do tráfico, ligado a seu amigo Salim (Henrique Santana), e as inúmeras armadilhas do mundo dos negócios.

A produção original da HBO Latin America tem direção geral de Quico Meirelles, que também assina a direção de episódios com Fernando Meirelles, Luis Carone e Rodrigo Pesavento. "Pico da Neblina" é produzida por Luis F. Peraza, Roberto Rios e Eduardo Zaca, da HBO Latin America Originals, e Andrea Barata Ribeiro, Bel Berlinck e Fernando Meirelles, da O2 Filmes. O roteiro é de Cauê Laratta, Chico Mattoso, Marcelo Starobinas e Mariana Trench. A série é realizada integralmente com investimentos próprios da HBO Latin America.


Teaser de "Piso da Neblina"

.: Último fim de semana para visitar o "Museum of Me", experiência imersiva


Neste fim de semana de Virada Cultural, paulistanos podem aproveitar para conferir a instalação "Museum of Me – Um Mergulho em Sua Alma Digital". Em um cubo imersivo, o visitante passa por uma experiência única na qual confere o seu DNA virtual, com imagens, textos e sons, a partir dos seus compartilhamentos nas redes sociais.  

A instalação apresentada pela Accenture, com apoio institucional do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB SP), está na Avenida Paulista, 1.230 (prédio do BB). A entrada é gratuita. 

O Museum of Me utiliza um sistema de fila virtual para que o público possa aproveitar a experiência sem ter que esperar no próprio local. Funciona assim: o visitante chega, informa o seu número de telefone à equipe da exposição e pode seguir com os seus compromissos nos arredores. Na sua vez, ele recebe um SMS confirmando a sua posição na fila.

"Museum of Me"
Até dia 20 de maio de 2019
Segunda a sexta-feira: 10h às 20h
Sábado: das 10h às 02h00 (excepcionalmente por conta Virada Cultural) e no domingo das 10h às 18h
Entrada gratuita
Edifício Banco do Brasil (Avenida Paulista, 1.230 – Bela Vista, São Paulo)

.: Toxoplasmose é mesmo uma doença causada pelo gato?

Veterinário alerta sobre o risco de contrair a doença em lugares públicos e dá dicas para viver sem medo com o pet


Também conhecida como ‘doença do gato’, a Toxoplasmose é causada por um protozoário facilmente encontrado na natureza, especialmente em regiões de clima tropical. A enfermidade pode causar implicações sérias para o feto quando adquirida durante a gestação, motivo pelo qual muitas mulheres grávidas são aconselhadas a doarem seus felinos.

Para o veterinário Jorge Morais, fundador da rede Animal Place, no entanto, os riscos de contrair a doença não aumentam por conta da gravidez ou da convivência com um gatinho e por isso é preciso desmistificar essa relação, uma vez que o contágio pode ocorrer em lugares públicos, como praias e parques. “Os gatos são vítimas e não os causadores da Toxoplasmose. O principal meio de contágio por humanos é a partir da ingestão de alimentos mal cozidos ou mal lavados”, salienta.

Morais recomenda apenas alguns cuidados de higiene, como lavar bem as mãos antes de manusear alimentos, usar luvas na hora de limpar as caixas sanitárias, além de utilizar areia apropriada e de boa qualidade para felinos. Ainda sobre a bandeja sanitária, o profissional dá um alerta para quem tem filhos que estão começando a andar ou engatinhar. “Os pequenos podem colocar a mão na areia e depois levá-la à boca, o que aumenta a chance de contaminação se o animal for portador da doença. O ideal é isolar o local ou ficar muito atento”.

Vale acrescentar que a doença pode ser evitada se o tutor fizer exames preventivos em seu bichinho de estimação. “Ao adotar um animal, leve-o ao veterinário e peça um check-up e, no caso dos gatos, também solicite o exame de sangue que detecta a Toxoplasmose”, finaliza.

Sobre Animal Place: Criada em 1997 pelo veterinário Jorge Morais, a Animal Place é focada em cuidados para animais de estimação. A rede de franquias oferece a integração de serviços de hospital, veterinário, centro estético, hotel, loja e franquias, com soluções criativas e atraentes para os clientes. Todas as lojas disponibilizam espaços exclusivos para felinos e filhotes, em que os profissionais têm controle de ruídos e stress e baixo risco de contaminação. No canal da rede no youtube, animalplace100, é possível encontrar dicas e cuidados para pets com o Dr. Jorge. Mais informações: animalplace.com.br

sábado, 18 de maio de 2019

.: Há 20 anos os Backstreet Boys lançaram o álbum "Millennium"

Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em maio de 2019



Fãs histéricas e empurra-empurra das apaixonadas pelo quinteto do momento. Assim era o caminho por onde a boy band Backstreet Boys passava. Os BSB que era composto pelos ídolos mundiais, Nick Carter, A.J. McLean, Kevin Richardson, Brian Litrell e Howie D resistiram ao tempo. 

Em meio mudanças, no decorrer do tempo, as jovens seguidoras tornaram-se mulheres casadas e até mães, e os rapazes perderam a participação de um membro, o grandão e mais velho, primo de Brian, o Kevin. Na época, alegou a falta de tempo para curtir a família. Assim, o álbum "Unbreakable" e "This is Us" perdeu a voz madura e grave. Já atualmente, todos têm filhos. 

Nick Carter até se arriscou em um filme de zumbis, com pegada do clássico trash "Sharnado", "Dead 7" em que foi o co-escritor e escreveu o roteiro. O loirinho, o mais jovem da banda, estrelou ao lado do parceiro de banda AJ McLean e Howie Dorough, e ainda contou com a participação de membros de outras bandas: 98 Degrees, O-Town, 'N Sync e All-4-One. No entanto, o quinteto voltou a atuar completo, fez shows ao lado da primeira boy band de sucesso "New Kids on The Block" e lançaram o álbum DNA no início do ano. 



Cena de "Dead 7"

Eis que em 2019, os garotos da rua de trás, celebram hoje, os 20 anos de lançamento do mais badalado álbum da banda: Millennium, que foi o terceiro de estúdio e o de maior sucesso deles. Em 1999, nos Estados Unidos, ele foi o mais vendido totalizando 11 milhões de cópias, o que garantiu a indicação a cinco prêmios Grammy e quatro singles no Top 40.

O álbum "Millennium" é composto por "Larger the life", "I want it that way", "Show me the meaning of being lonely", "It´s gotta be you", "I need you tonight", "Don´t want you back", "Don´t wanna lose you now", "The one", "Back to your heart", "Spanish eyes", "No on else comes close" e "The perfect fan".


Enfim, quem assim como eu é -ou foi- fã desses caras, sonhou e muito estar na tour em que eles entravam surfando em cima do público. Quanta tecnologia! Como esquecer a fofoca de que o Kevin chegou a cair da prancha? Muitas sonhadoras até desejaram ser a "felizarda" de estar bem na direção dele. Coisas de fãs bobas!! 

Época muito boa!!



*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura e licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Twitter: @maryellenfsm




Vídeoclipe de "I want it that way"

Vídeo da tour 'Millennium"

Vídeo de "No place"





Uma publicação compartilhada por Backstreet Boys (@backstreetboys) em


.: Álbum com gravações de 1972 de Marvin Gaye mostra a força da soul


Por Luiz Gomes Otero*, em maio de 2019.

Um disco de Marvin Gaye gravado em 1972 e que permaneceu inédito desde então foi finalmente lançado. "You´re the Man" mostra o cantor e compositor, que faleceu em 1984, no seu auge como intérprete. E fica difícil até entender porque essa joia musical permaneceu inédita durante tanto tempo.

Esse álbum sucederia o antológico "What´s Going On", de 1971. E talvez por isso Marvin Gaye não tenha tido motivação para lançá-lo. Trata-se de um disco menos homogêneo e conceitual do que o de 1971. Mas nem por isso menos genial. Sua voz está limpa e cristalina.  Os arranjos são impecáveis e há vários momentos brilhantes.

As faixas funcionam individualmente, ao contrário de "What´s Going On", onde as canções se interligavam com os temas explorados por Marvin, como a violência e o preconceito racial. Na faixa que deu nome ao disco ("You´re the Man") há uma guitarra com efeito wah-wah que dá o tom exato do que o ouvinte vai encontrar pela frente: soul music da melhor qualidade.

Eu particularmente gostei bastante da faixa "Piece Of Clay", uma canção soul com toques gospel e um piano que remete o ouvinte ao blues em alguns momentos. E a batida irresistível de "I´m Going Home" mostra a força do groove de Marvin na soul music.

Este lançamento acaba prestando um belo tributo ao mestre da soul music. Ainda que tardia, a  homenagem é justa e merecida. Para quem curte o estilo, a audição desse disco é mais do que obrigatória.


"You´re The Man"

"Woman Of The World"

"Symphony"


*Luiz Gomes Otero é jornalista formado em 1987 pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Trabalhou no jornal A Tribuna de 1996 a 2011 e atualmente é assessor de imprensa e colaborador dos sites Juicy Santos, Lérias e Lixos e Resenhando.com. Criou a página no Facebook Musicalidades, que agrega os textos escritos por ele.

Postagens mais antigas → Página inicial
Tecnologia do Blogger.