quarta-feira, 19 de junho de 2019

.: Roberta Sá lança "Giro" em show com ingressos esgotados no Sesc Santos

Show do álbum que reúne canções inéditas de Gilberto Gil e parceiros.

Com ingressos esgotados, na próxima sexta-feira, dia 21 de junho, no Teatro do Sesc Santos Roberta Sá faz o lançamento do seu novo álbum Giro (Rosa Produções/Deck), o show conta com repertório inédito, composto por Gilberto Gil e parceiros.

Tudo começou nos encontros em torno da mesa farta dos almoços de domingo do saudoso amigo e jornalista Jorge Bastos Moreno, no final de 2016. Nesse ambiente inspirador, Roberta teve a ideia de gravar um projeto só com canções do compositor baiano.

Pouco depois, Gil a presenteou com a inédita “Giro”, já composta para o novo disco. O segundo presente foi “Afogamento”, parceria de Gil e Jorge Bastos Moreno (a gravação em dueto com Gil foi lançada em 2018, no álbum Ok Ok Ok, do baiano). A partir dessas canções desenhou-se o álbum de inéditas de Gilberto Gil e parceiros, entre eles a própria Roberta, co-autora das canções “Cantando as Horas”(Gil e Roberta),“Xote da Modernidade”(Gil/Bem Gil/Roberta Sá), “Outra Coisa”(Gil/Roberta Sá/Yuri Queiroga) e “Fogo de Palha”(Gil/Bem Gil/Roberta Sá).

Bem Gil assina a produção de Giro e cuidou de arregimentar o time de músicos. “O papel do Bem foi fundamental, foi ele quem sugeriu fazer um disco só com inéditas e provocou a minha primeira parceria com Gil, 'Cantando as Horas'”, pontua Roberta Sá. Além das já citadas, Gil compôs três canções sozinho: “A Vida de Um Casal”, “O Lenço e o Lençol” e “Aurorretratinho”.

A pedido de Roberta, Gil retomou a parceria com Jorge Ben Jor depois de mais de 40 anos: juntos os dois assinam “Ela Diz que me Ama”, primeiro single do álbum que contou com a participação de Ben Jor nos vocais, em estúdio. A direção do show é de Gabriela Gastal e o cenário de Valéria Costa, mesma dupla por trás do show "Delírio". O desenho da luz é de Ivan Marques e Gabriel Marques e o figurino da estilista Helô Rocha. A banda de feras é formada por Bem Gil (violão e guitarra), Alberto Continentino (baixo), Marcelo Costa (bateria e percussão) e Danilo Andrade (teclado).

“O processo foi muito afetuoso, sem pressa alguma. Gil é uma pessoa muito generosa e, acima de tudo, um músico apaixonado por quem pensa e faz música”, finaliza Roberta.

Servico:
Roberta Sá e a Turnê de seu novo álbum "Giro"
Teatro do Sesc| Dia 21 de junho, sexta-feia, 20h
Livre
Ingressos esgotados
R$ 30. R$ 15 (meia). R$ 9 (credencial plena).

.: "Persona em Foco" homenageia Marcelo Serrado


Nesta quinta-feira, dia 20, o "Persona em Foco" recebe o ator, autor, produtor e diretor brasileiro Marcelo Serrado. Nascido no Rio de Janeiro e formado pela Casa de Arte das Laranjeiras, Marcelo estreou na TV em 1987, na novela "Corpo Santo", da TV Manchete.

Dois anos depois, participou da novela "Pacto de Sangue" na Globo, emissora na qual permaneceu e participou de importantes telenovelas e minisséries. Trabalhou ainda na Rede Record, nas novelas "Prova de Amor", "Vidas Opostas" e "Poder Paralelo". A seguir, retornou à TV Globo, em 2011, para interpretar na novela "Fina Estampa" o mordomo Clodoaldo, ou Crô, personagem que ganhou filme próprio mais tarde. 

O "Persona em Foco" desta semana conta com Alessandra Maestrini e Brenda Nadler como entrevistadoras e vai ao ar à 00h, na TV Cultura, no Youtube e no aplicativo Cultura Digital.




terça-feira, 18 de junho de 2019

.: "When They See Us" é o retrato assustador dos "Olhos Que Condenam"


Em junho de 2019


"When They See Us" ou "Olhos Que Condenam", da Netflix, não é somente um seriado sobre o caso dos cinco do Central Park -Central Park 5-, mas uma produção que gera um verdadeiro turbilhão de emoções a quem assiste as histórias dos adolescentes negros do Harlem: Antron McCray (Caleel Harris e Jovan Adepo), Kevin Richardson (Asante Blackk e Justin Cunningham), Yusef Salaam (Ethan Herisse e Chris Chalk), Raymond Santana (Marquês Rodriguez e Freddy Miyares) e Korey Wise (Jharrel Jerome), que foram julgados e condenados por um estupro que não cometeram. 

Ambientada na Nova Iorque de 1989, quando aconteceram os primeiros interrogatórios, a série criada e dirigida pela co-autora Ava DuVernay tem um toque do clássico seriado "Cold Case", com canções ao fim dos episódios, embora remeta ao mais moderno, porém incrível "American Crime Story". No entanto, o seriado de apenas quatro capítulos é extremamente intenso, pois ora revolta, ora emociona a ponto de tirar lágrimas.

Com produção executiva de Oprah Winfrey e Robert De Niro, está disponível desde o dia 31 de maio, a série que reacendeu o famoso caso de abuso de poder em seu limite absoluto que estragou a vida de cinco jovens. Tudo é de dar um nó na garganta, desde a falsa acusação à pressão para que os jovens assumissem a qualquer custo o estupro da executiva bancária de 28 anos, Trisha Meili.

A chance do "poderia ser eu" é o que, fatalmente fisga a atenção do público. Recordei que há menos de um ano assinei um contrato de trabalho após ser pressionada -de modo verbal- e quando meu marido foi envolvido numa falsa história como espião no trabalho que estava há mais de 8 anos. Como não lembrar também do caso Escola Base? Sem contar que estamos na era das fake news. Cada situação, por mais diversa que seja cria uma conexão pela semelhança no abuso de poder, coação e teia de mentiras. Tudo, consequentemente, muda a vida dos meninos e também de todos que os cercam.

Embora tenha grandes nomes como John Leguizamo ("Moulin Rouge") na pele do pai de um dos envolvidos, Raymond Santana Sr., Famke Janssen ("X-Men" e "How To Get Away With Murder") como Nancy Ryan, além de Vera Farmiga ("Bates Motel" e "Invocação do Mal") e Felicity Huffman ("Desperate Housewives"interpretando as promotoras Elizabeth Lederer e Linda Fairstein, respectivamente, há destaque para o ator de "Moonlight: Sob a Luz do Luar"Jharrel Jerome.

O jovem dá um show de talento e interpretação, o único dos atores que é um dos cinco desde o início do fato até a fase adulta. Tanto é que, espertamente, a dele, é a última história a ser contada. E é aí que está a mira em que o público é o alvo atingido com maestria. Não há como escapar impune. Caso ainda não tenha chorado nos três episódios anteriores, no quarto o chororô é garantido. Seja pela curiosidade em saber qual a história de Korey Wise, o único que foi para a prisão de adultos -tinha 16 anos- ou pela brilhante e convincente atuação de Jharrel Jerome.

"When They See Us" tem classificação indicativa de 18 anos, além do terrível peso de sentenciar inocentes a assumirem a culpa de outro. Vale a pena ver e se tiver energia, maratonar.




Após a série: Com mídia dando destaque ao fato, os alunos da Associação de Estudantes Negros de Direito acusaram de racismo, Elizabeth Lederer, promotora do caso e professora na universidade. Após pressionar a faculdade para removê-la do corpo docente, Lederer renunciou ao cargo no dia 12 de junho. Enquanto que Linda Fairstein, a outra promotora abandonou o cargo na ONG Safe Horizon, que ajuda vítimas de abuso e crimes violentos em Nova York. Segundo o TMZ, os funcionários ficaram indignados com o fato de Fairstein ter permanecido no conselho de uma organização para minorias por tanto tempo.

Série: When They See Us (Olhos que Condenam, BR)
Temporada: 1
Episódios: 4
Duração: 64min, 71 min, 73 min, 88 min
GêneroDrama
Criadora: Ava DuVernay
Baseado em Os Cinco do Central Park
País de origem: Estados Unidos
Idioma original: Inglês
Diretora: Ava DuVernay
Produtores: Amy J. Kaufman, Ava DuVernay, Christiana Hooks, Jane Rosenthal, Jeff Skoll, Jonathan King, Oprah Winfrey
Produtores executivos: Oprah Winfrey, Robert De Niro
Cinematografia: Bradford Young
Distribuída por Netflix
Roteirista: Ava DuVernay
Elenco: Adepero Oduye, Ariel Shafir, Asante Blackk, Aunjanue Ellis, Aurora Perrineau, Blair Underwood, Caleel Harris, Chris Chalk, Ethan Herisse, Famke Janssen, Felicity Huffman, Jasmin Walker, Jharrel Jerome, Jimmy Gary Jr., John Leguizamo, Joshua Jackson, Jovan Adepo, Kate Easton, Kylie Bunbury, Mark Borkowski, Marquis Rodriguez, Marsha Stephanie Blake, Michael K. Williams, Niecy Nash, Reginald L. Barnes, Storm Reid, Vera Farmiga, William Sadler


*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura e licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Twitter: @maryellenfsm


Trailer

.: "A Banheira" permanece em cartaz com Carol Hubner

Foto: Jeronimo Gomes

Peça estará no Maria Della Costa até o final do agosto


A peça sucesso de público há 4 anos em cartaz na capital paulista está agora no teatro Maria Della Costa. Carol Hubner, atriz que interpreta Fernanda na montagem permanece na montagem.

A história desenrola quando o pai de família leva para sua casa uma amante completamente diferente dos padrões, um pouco inusitada, porém um ladrão aparece no apartamento prendendo os dois no banheiro. Durante o imbróglio instituído ainda descobrem que a amante é parente da mulher traída. 

A montagem é uma comédia, escrita pelo dramaturgo Gugu Keller e se destaca por seu humor ágil, dinâmico e leve, além de cativar a todos e colaborar significativamente para a inserção do universo teatral na sociedade brasileira. A linguagem é coloquial e faz com que o público se identifique favorecendo ao espetáculo e quebrando o preconceito da simplicidade da fala. “A Banheira” leva também a reflexão sobre os valores da vida atual.

No elenco, Carol Hubner interpreta Fernanda, a esposa que é o fio condutor da história e tem questões de sua vida expostas durante a trama. Hubner é uma atriz experiente e muito conhecida pelo seu trabalho em diversas peças nos palcos de São Paulo. “Amo interpretar a Fernanda por todas as oportunidades que ela me deu. Sempre uma felicidade voltar com essa personagem”.

O espetáculo marcado pelo humor e irreverência está nos palcos do Teatro Maria Della Costa às sextas e sábados no horário das 21h30.

Mini bio: Carol Hubner, atriz de 38 anos participou de novela, longa, curta e publicidade. Com carreira sólida no teatro está constantemente em cartaz, foi vencedora do Reality Show "Casa dos Artistas protagonistas de Novelas" e é casada com o ex-tenista e medalha de ouro no pan americano de 2003 Fernando Meligeni, eles são pais de um lindo casal.


Serviço:
“A Banheira”
Sextas e sábados às 21h30
Até 31 de agosto.
Duração: 75 minutos
Classificação: 14 anos
Gênero: Comédia
Teatro Maria Della Costa
Texto: Gugu Keller
Rua Paim 72 - Bela Vista
Ingressos 60,00 e 70,00
Informações: 3256.9115


.: 10 anos: "Palavra de Mulher" com Lucinha Lins, Tania Alves e Virgínia Rosa

Fotografia: Ricardo Pimentel e João Caldas


As cantoras Lucinha Lins, Tania Alves e Virgínia Rosa estreiam "Palavra de Mulher", espetáculo com dez anos de sucesso, nos dias 13 (sábado) e 14 (domingo) de julho, no Teatro Procópio Ferreira em São Paulo. Com um misto de show e teatro, as cantoras/atrizes interpretam personagens femininas da obra de Chico Buarque. Uma novidade é que esta versão recebeu uma atualização ao longo destes 10 anos, incluindo novos textos e músicas diferentes.

Desde então, "Palavra de Mulher" conquistou a crítica (em 2014, foi indicado em 4 categorias ao prêmio Bibi Ferreira) e arrebatou o público por onde passou – e não foram poucos os palcos em que foi apresentado. Ao longo desses anos todos, o espetáculo foi visto por mais de 250 mil pessoas em mais de 60 cidades país afora, as principais delas:

No estado de São Paulo: 
Campinas / Ribeirão Preto / São José dos Campos / Santos / São José do Rio Preto / Santo André / Bauru / Piracicaba / Guarulhos / Sorocaba

Pelo Brasil: 
Aracajú / Belém / Brasília / Belo Horizonte Curitiba /
Fortaleza / Goiânia / João Pessoa / Maceió / Manaus / Mossoró / Natal /Recife / Rio de Janeiro (uma temporada) / Salvador / São Luís / São Paulo (duas temporadas) / Uberaba / Uberlândia / Vitória.

Revisitar o universo feminino a partir das canções de Chico Buarque, num momento em que a condição e o empoderamento da mulher estão no centro do debate, é não só oportunidade de desfrutar momentos de grande beleza e qualidade artísticas, mas também um estímulo à reflexão sobre tão relevante tema.

Num espetáculo que canta e encanta, faz rir e faz chorar, Lucinha Lins, Tania Alves e Virgínia Rosa emprestam corpo e voz a tantas outras mulheres para, num clima de cabaré, falar, através da música, de amores, dores de amores, esperança, solidão, encontros, desencontros, sedução, felicidade, força, abandono, liberdade, sonhos e conquistas.

Acompanhadas pelos músicos Ogair Júnior, Ramon Montagner e Robertinho Carvalho essas três talentosas cantoras/atrizes trazem um repertório que inclui músicas como "À Flor da Pele", "Teresinha", "Meu Namorado", "Palavra de Mulher", "Bem-Querer", "O Meu Amor", Folhetim", "Atrás da Porta", "Tango de Nancy", "Tatuagem", entre outras.

Serviço: "Palavra de Mulher"
Teatro Procópio Ferreira
Endereço / tel: Rua Augusta, 2823, Cerqueira César, São Paulo/SP – (11) 3083-4475
E-mail: atendimento@teatroprocopioferreira.com.br
Capacidade: 624 lugares
A partir de 13 e 14 de julho – Sábado (21h) e domingo (19h30).
Ingressos: Plateia: R$ 100,00 / meia entrada: R$ 50,00.
Classificação: 12 Anos
Duração: 85 minutos
Gênero: Musical
Ingressos: compre.ingressorapido.com.br/event/60418-2/d/60227/s/316086

FICHA TÉCNICA
Concepção e direção-geral Fernando Cardoso
Direção musical Ogair Júnior
Músicos Ogair Júnior ou João Cristal (piano e acordeão)
Robertinho Carvalho (contrabaixo)
Ramon Montagner (bateria e percussão)
Figurinos: Cantoras e Cláudio Tovar
Direção de movimento: Alex Neoral
Cenografia: Fernando Cardoso
Iluminação: Wagner Freire
Fotografia: Ricardo Pimentel e João Caldas
Tratamento de imagem: Jujuba Digital
Programação visual: Rodolfo Rezende / Estúdio Tostex
Técnico de som: Kiko Carbone
Técnico de luz: Jerfesson Bessa
Contrarregras: Agilson dos Santos
Camareira: Gisele Pereira
Produção Executiva: Elisangela Monteiro
Direção de produção: Fernando Cardoso e Roberto Monteiro
Realização Mesa 2 Produções
Assessoria de Imprensa: Madalena Martins / M2 Comunicação


Trailer do espetáculo

.: Tudo sobre Cris Carniato, a Fernanda de "As aventuras de Poliana"

Foto: divulgação


Natural de Maringá, no Paraná, Cris Carniato mudou-se para São Paulo aos 18 anos, quando teve a oportunidade de trabalhar como modelo, após vencer o concurso de Miss de sua cidade natal. 

Na capital paulista, ela deu os primeiros passos em direção a sua consagrada carreira artística. Cris foi convidada para integrar um grupo musical, que chegou a assinar contrato com a BMG. Já como modelo, estrelou em campanhas publicitárias no Brasil e no exterior para grandes marcas, como Citröen, O Boticário, Bradesco, Pepsi, Budweiser, Moe, Ninho, Cacau show, entre outros; além de ter trabalhado em Paris, Lion, Nova York, Buenos Aires e Cidade do México - onde, inclusive, morou uma temporada.

Atriz e cantora por formação, ela estudou na escola de música “Voices”; com especializações com  profissionais como Tutti Bae, Wilson Gava, Amélia Gumes, e na "Casa de Artes Operária". Em relação ao teatro, é formada pela Oficina de atores Nilton Travesso, e seu currículo conta com Cursos de Interpretação para o Cinema, com Fernando Leal, Cininha de Paula e Stúdio Fátima Toledo. 

Em seu extenso currículo, esteve nos espetáculos "Entre Paredes Escuras" e "O Especialista", ambos produzidos pela Carniato & Carniato produções Artísticas e ganhadores do Prêmio "Aniceto Matti", em 2013 e 2015 respectivamente; "O Telescópio" (direção de Guilherme Santana), "O Automóvel do Inferno" (direção de Andréa Egídio), "O Urso" (direção de Nill De Pádua), "Um Bonde Chamado Desejo" (direção de Sergio Milagre), Teatro Musical "Glee" (direção de Luciano Andrey). 

Nas telinhas, esteve em "Insensato Coração", de Dennys Carvalho (2011). Na novela da Globo, interpretou Viviane, par romântico de Lázaro Ramos. Desde então, já esteve na série "Os Experientes" (episódio "O Assalto", 2015), de Fernando Meirelles, para o Festival 50 anos da Globo; esteve na minissérie "Maysa, Quando Fala o Coração", de Jayme Monjardim (2009); na novela "Amor e Intrigas", de Edson Spinello, Record TV (2008); além de ser a apresentadora do canal 1,  da Sky (2009 a 2011). Também fez parte do elenco dos curtas "Lar doce Lar", dirigido por Tassia Quirino (2014); e "Noir", de Diego Ruiz e Helton Ladeira (2007), sendo este último  finalista na categoria de melhor filme, no 15º Gramado Cine Vídeo, e vencedor do prêmio de melhor direção, da 7ª Mostra de Curtas de Goiânia.

Atualmente, Cris está em "As aventuras  de Poliana", do SBT, no papel de Fernanda Rios, uma mãe workaholic, que abandona as filhas para trabalhar na Europa, e depois volta para tumultuar a vida do ex marido e das crianças, prometendo muitas reviravoltas na trama. “Nessa novela também estou tendo a oportunidade de aliar meu trabalho como cantora, tive duas cenas cantando e uma dessas músicas está sendo usada como trilha sonora”, revela, feliz, a atriz. 

Sobre sua vida pessoal, Cris é casada e mãe do pequeno Gael, de 4 anos.

A atriz na novela "As Aventuras de Poliana". Foto: divulgação SBT

.: Fora da Caixa é atração gratuita no Museu Felícia Leirner

Fora da Caixa é atração do Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro


Na quarta-feira, dia 19, véspera do feriado de Corpus Christi, o Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro, instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, geridas pela ACAM Portinari, saem do contexto institucional para levar apresentações artísticas, ações educativas e a divulgação das atrações de julho para a população jordanense.

O Fora da Caixa acontecerá na Praça Ministro Sérgio Motta (Praça do Gazebo), no bairro da Abernéssia, das 16h às 19h.  Em caso de chuva será no Mercado Municipal, até às 18h. A participação é gratuita.

A atividade integra a programação de 40 anos de inauguração dos equipamentos culturais. O projeto é realizado em parceria com a Prefeitura de Campos do Jordão e artistas locais para intensificar a relação com a comunidade e convidá-los a fazer parte das ações cotidianas do Museu e Auditório

Serviço:
Fora da Caixa
Data: 19 de junho de 2019
Local: Praça Ministro Sérgio Motta (praça do Gazebo), em caso de chuva a ação acontecerá no Mercado Municipal
Horário: quarta-feira, das 16h às 19h
Informações: (12) 3662-6000

#SejaSolidário – os visitantes poderão contribuir com a doação de agasalhos e cobertores, que serão destinados a instituições de caridade do município

.: Na "Sala de Cinema" da TV Cultura, tem "Mestre Cabelo"


Mestre Cabelo poderia ser considerado um dos maiores violeiros que o Brasil já teve, ao mesmo tempo em que um dos menos conhecidos. Na quarta-feira, dia 19, a faixa "Sala de Cinema" traz o documentário que leva o nome do artista, discute o caminho para a fama da música instrumental no Brasil e aborda o porquê de alguns – por mais talentosos que sejam – não conseguirem atingir o reconhecimento público em vida.

O longa-metragem traz depoimentos de ícones da música instrumental brasileira, como Hermeto Pascoal, Yamandú Costa, Badi Assad, Raul de Souza, Arismar do Espírito Santo, Caíto Marcondes e Amilton Godoy. A atração vai ao ar às 22h30, na TV Cultura e no aplicativo Cultura Digital.

Ficha Técnica
Título: Mestre Cabelo
Dirigido por: Fausto Noro e Marina Previato
Classificação: livre
Gênero: documentário musical
Distribuidor: Na Laje Filmes Produções Ltda.


segunda-feira, 17 de junho de 2019

.: "Escola do Rock" chega ao Brasil quatro anos após estreia na Broadway

Baseado no filme da Paramount escrito por Mike White. Libreto: Julian Fellowes. Letras: Glenn Slater. Músicas: Andrew Lloyd Webber. Originalmente dirigido por Laurence Connor. Direção Geral: Mariano Detry. Versão Brasileira: Mariana Elizabetsky e Victor Mületahler. Diretor associado: Floriano Nogueira. Diretor Musical: Daniel Rocha. Coreógrafo: Philip Thomas. A Escola do Rock é apresentada por um acordo especial com a Really Usefull Group. Estreia dia 15 de Agosto no Teatro Santander. A partir de hoje, ingressos à venda: www.ingressorapido.com.br

São  63 atores, o maior elenco jamais apresentado no Brasil (42 crianças e 21 adultos) em mais uma super produção do Atelier de Cultura, desta vez em parceria com Andrew Lloyd Webber.

Três elencos de 14 crianças revezam-se em uma aventura eletrizante, com coreografias arrojadas, cenários grandiosos, em um show de luzes e som, no qual quatro crianças do elenco tocam seus instrumentos ao vivo: guitarra, baixo, bateria e teclado. Acredite: elas tocam instrumentos ao vivo! O espetáculo tem o patrocínio da Comgás.

Baseado no filme "School of Rock", de 2003, escrito por Mike White e estrelado por Jack Black, "Escola do Rock" conta a história de Dewey Finn, um cantor e guitarrista  na casa dos 30 e poucos anos,  que ainda deseja se tornar uma estrela do rock. Depois de identificar o talento musical em seus alunos, ao fingir ser um professor substituto em uma prestigiosa e conservadora escola, Dewey forma um grupo do quinto ano, na tentativa de ganhar o próximo concurso: a Batalha das Bandas.

O mais novo sucesso de Andrew Lloyd Webber, o mesmo compositor e produtor de "O Fantasma da Ópera", "Cats", "Jesus Cristo Superstar", entre outros, estreou em dezembro 2015 na Broadway, em 2016 em Londres, em 2017 iniciou turnê nos Estados Unidos e em 2018, subiu aos palcos em Sidney. A produção do Atelier de Cultura, em 2019, é o primeiro licenciamento internacional do título, e a primeira vez que o espetáculo será apresentado em versão para a língua local.

A montagem no Brasil, apresentada pelo Ministério da Cidadania e Comgás, é dirigida por Mariano Detry, responsável pela direção de Chaplin o musical em São Paulo, Antuérpia e Amsterdã. Foi também responsável pela nova montagem de Les Miserábles e Cats na Espanha. Detry traz projeto cênico inédito que nos faz transitar pelo mundo do rock’n’roll com gigantesca eficácia: “É incrível dirigir 'Escola do Rock',  um musical encantador para toda família que não vai te deixar parado”, diz o diretor.

O espetáculo traz um arrojado projeto de cenografia e figurino, ambos desenvolvidos especialmente para o Brasil pela cenógrafa e figurinista da produção original na Broadway e no West End, Anna Louizos de Nova Iorque, também responsável pelo design das produções de Avenida Q, In The Heights e Rodgers & Hammerstein’s Cinderella. 

Sua nova cenografia explora a altura da boca de cena do Teatro Santander e cria alturas com cinco elevadores automatizados construídos sob medida para a produção, além de projeções mapeadas que tornam os ambientes empolgantes.

Os figurinos remetem às tradicionais escolas americanas e ao mundo do rock, com pintura de tecido feita a mão e diversas aplicações de hotstamps, penas e lantejoulas que engrandecem ainda mais o musical.

A coreografia de "Escola do Rock", é assinada por Philip Thomas, coreógrafo inglês que colaborou nas coreografias de "Aladdin", "Sweeny Todd", "Tick Tick Boom,  Oliver!", "As Bruxas de Eastwick", "Mary Poppins" e "Mamma Mia!". Assim como a composição, a coreografia é fundamental para o ritmo elétrico que conduz o espetáculo.

A direção musical é do Maestro Daniel Rocha, responsável por "Annie" e "Billy Elliot", do Atelier de Cultura, que também será o regente da orquestra composta por nove músicos. As músicas de Andrew Lloyd Webber serão reproduzidas na formação original da orquestra, como realizado em Londres e em Nova Iorque.

O desenho de luz fica a cargo do premiado inglês Mike Robertson, um dos maiores nomes para iluminação de teatro musical da atualidade. Robertson é vencedor do prêmio Olivier Award, entre outros tantos, ao redor do mundo. Seu projeto é criado em conexão com a composição das músicas, do cenário e das movimentações do elenco, do texto e das coreografias, construindo momentos emocionantes. Robertson também foi o iluminador dos projetos de "Annie" e "Billy Elliot", do Atelier de Cultura.

A versão de letras de música e texto são de autoria de Mariana Elisabetsky e Victor Mühlethaler ("Billy Elliot", "Wicked", "A Pequena Sereia", "Cantando na Chuva") e revelam singular aderência das letras de Glen Slater e ao texto de Julian Fellowes (o mesmo autor do roteiro de “Downton Abbey”) para o português.

Realizada pela produtora Atelier de Cultura, a montagem brasileira apresenta 42 crianças que se revezam durante as seis sessões semanais. Alguns estreantes em suas carreiras, outros gabaritados atores e atrizes mirins, são responsáveis por dar vida à icônica classe de Horace Green.

O espetáculo terá sua estreia nacional no Teatro Santander, um dos mais importantes e modernos palcos do país. O Atelier de Cultura renova a parceria com a casa de espetáculos que também sediou a bem-sucedida temporada de "Annie, o Musical". Com varas automatizadas e boca de cena com mais de 15 metros de altura, faz com que os projetos desenvolvidos para seu palco estejam em linha com o que há de melhor em termos de qualidade técnica no mundo.

Não perca a oportunidade única de assistir no Brasil a grandiosa produção de "Escola do Rock", o mais novo hit da Broadway e West End. Trata-se da primeira produção mundial não realizada pela Really Useful Group, detentores originais do espetáculo, uma exclusividade do Atelier de Cultura. Uma experiência teatral tão forte e emocionante, que ficará para sempre em seu coração.



Sobre o Atelier de Cultura
Com experiência na gestão de mais de R$ 120 milhões em patrocínio, suas últimas realizações incluem a temporada do musical Billy Elliot (2019), Annie (2018/2019), A Noviça Rebelde (2018), O Homem de La Mancha (2013/2014, 2017 e 2018), espetáculos que garantiram mais de 15 premiações ao Atelier, realizando 1.034 sessões de teatro musical e atingindo mais de 600 mil espectadores. Além das produções de entretenimento ao vivo, foi responsável por implantar o primeiro curso profissional e Formação de Atores em Teatro Musical reconhecido pelo MEC do Brasil em parceria com o SESISP, tendo recebido a Medalha Arthur de Azevedo (2013) por serviços prestados a indústria do Teatro Musical.

Sobre a Comgás
A Companhia de Gás de São Paulo trabalha para ser a melhor alternativa energética para as pessoas, as empresas e a sociedade.

Com fornecimento ininterrupto e atendimento 24h, a Comgás atende mais de 1,9 milhão de clientes em sua área de concessão no Estado de São Paulo: a Região Metropolitana de São Paulo, a Região Administrativa de Campinas, a Baixada Santista e o Vale do Paraíba.

A Companhia possui mais de 16 mil quilômetros de rede de distribuição em 88 municípios, abastecendo com gás natural os segmentos industrial, comercial, residencial e automotivo, além de viabilizar projetos de cogeração e disponibilizar gás para usinas de termo geração.

Vivo apoia a Cultura
A Vivo acredita e investe na cultura como elemento de transformação. Há 14 anos, por meio do Teatro Vivo, em São Paulo, e de espetáculos com circulação nacional, a empresa busca proporcionar novas experiências culturais e ampliar a conexão com o público. Esse compromisso com a arte valoriza tanto atores consagrados como novos artistas em espetáculos por todo país.

Sobre o Teatro Santander
O Teatro Santander é considerado um dos mais modernos do mundo e o primeiro teatro multiuso de São Paulo, com quatro possibilidades diferentes de configuração, o que permite realizar no local desde shows musicais, desfiles de moda e eventos corporativos até grandes produções da Broadway sem a necessidade de qualquer adaptação. A versatilidade se deve ao exclusivo sistema de poltronas retrátil, que pode acomodar 1.100 pessoas sentadas ou até 1.800 espectadores em outros formatos. O Teatro Santander tem 13.000m2 de área construída e é o único teatro do pais com 56 varas cênicas motorizadas.

Ficha Técnica:
Libreto Julian Fellowes
Letras Glenn Slater
Músicas Andrew Lloyd Webber
Originalmente dirigido por Laurence Connor
Direção Geral Mariano Detry
Versão Brasileira Mariana Elizabetsky e Victor Mületahler
Diretor associado Floriano Nogueira
Diretor Musical Daniel Rocha
Coreógrafo Philip Thomas
Cenógrafa Anna Louizos
Cenógrafa Associada Christine Peters
Figurinistas Anna Louizos e Abby Hahn
Figurinista Associada Ligia Rocha
Designer de Luz Mike Robertson
Designer de Luz Associado Adam Motley
Designer de Som Gaston Birski
Designer de Som Associado Alejandro Zambrano
Visagista Feliciano San Roman
Produtora de Elenco Marcela Altberg
Produtores Associados Cleto Baccic, Carlos A. Cavalcanti e Vinícius Munhoz
 Apresentado por: Ministério da Cidadania e Comgás
Patrocínio: Zurich-Santander, Vivo e Eurofarma
Apoio: Johnson & Johnson e Prosegur
Hotelaria Oficial: Radisson Blu
 Realização: Atelier de Cultura, Secretaria Especial de Cultura e Governo Federal

Elenco:
Arthur Berges – Dewey Finn
Sara Sarres – Rosalie Mullins
Cleto Baccic – Ned Schneebly
Thais Piza – Patty Di Marco

Elenco infantil:
Mafê Mossini, Nina Medeiros e Sophia Marie – Katie (Baixista)
Agyei Augusto, Henrique  Bonadio, e Nicolas Cruz – Zack (Guitarrista)
João Pedro Delfino, Rafael Mezadri e Thomas Diniz – Freddy (Baterista)
Dudu Ejchel, Henry Gaspar e Kauã Soares – Lawrence (Tecladista)
Bia Brumatti, Dudda Artese e Luisa Bresser – Summer
Luiza Gattai, Maria Clara Rosis e Rinon Ueyama – Tomika
Gigi Patta, Giovana Maciel e Valenthina Rodarte – Schonelle
Isabella Daneluz, Julia Ribak e Martha Nobel – Marcy
Felipe Costa, Felipe de Souza e Luis Prudêncio – Andy
Lorenzo Tarantelli, Isidoro Gubnitsky e Paulo Gomes – Billy
Davi Lourenço, Gustavo Spinosa e Rodrigo Spinosa – James
Juju Morgade, Mariana Dias e Milena Blank – Madison
Gu Ferreira, Gabriel Meirelles e Michel Singer – Mason
Duda Ramalho, Erin Borges e Paula Serra – Sophie

Ensemble feminino:
Clarty Galvão
Jana Amorim (Cover de Rosalie Mullins)
Kelia Bueno
Laura Carolinah
Leilane Teles
Luciana Artusi
Roberta Jafet

Ensemble masculino:
Abner Depret
Bernardo Berro
Bruno Sigrist
Cadu Batanero
Fabricio Negri
Guilherme Leal
Mau Alves
Thiago Perticarrari
Tony Germano
Tchello Gasparini (Cover de Dewey)

Serviço
"Escola do Rock"
Teatro Santander (1.100 lugares)
Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2041
Informações: (11) 4810-6868
Bilheteria: domingo a quinta, das 12h às 20h ou até inicio do espetáculo. Sexta e sábado, das 12h às 22h. Aceita todos os cartões de crédito e débito. Não aceita cheque. Estacionamento no local, R$ 35.

Vendas: www.ingressorapido.com.br
Quinta e sexta às 20h30 | Sábado e domingo às 15h e 18h30
Ingressos:
De R$ 75 a R$ 310
Duração: 120 minutos (com 20 de intervalo)
Classificação: Livre
Gênero: musical
Estreia dia 15 de agosto de 2019
Clientes Vivo tem 25% de desconto na aquisição de ingressos A partir de hoje, ingressos à venda. www.ingressorapido.com.br

.: “It’s Your Life” - Entrevista com Zeeba e a cantora Isadora


Por Raphaela Ribeiro e Danilo Dias, da #LigaDoJornalismo, em junho de 2019.

Com uma carreira em ascensão, o cantor Zeeba lançou no último dia 17 a sua mais nova música, “It’s Your Life”, em parceria com a cantora Isadora e a DJ Marina Diniz. 

Marcos Lobos Zeballos, conhecido como Zeeba, é um cantor e compositor estadunidense, filho de brasileiros, que iniciou sua carreira ainda cedo em uma banda, mas somente quando começou sua experiência solo que teve mais notoriedade mundial. Um dos seus sucessos mais conhecidos é a música “Hear Me Now” em parceria com o DJ Alok e o produtor Bruno Martini.

A música “It’s Your Life” foi lançada, em lyric vídeo, no YouTube, dia 17 de maio, e tem um estilo musical bem pop e dançante, coisa que pega muito bem na pista. Sua letra trata sobre a positividade e com seu ritmo contagiante, ela consegue levantar o astral de qualquer um. A Liga do Jornalismo realizou uma entrevista com o cantor para saber um pouco mais sobre ele e esta nova canção.

Zeeba gosta bastante de pensar de maneira positiva e suas canções sempre expressam esse sentimento do cantor, transmitindo para seus fãs uma vibe mais leve e boa. Além da letra que nos passa a mensagem de que nunca devemos desacreditar ou desistir dos nossos sonhos, o ritmo da canção não nos decepciona e nos dão energia e alegria suficiente para levantarmos da cadeira e começarmos a dançar. Aproveite agora para escutar a música “It’s Your Life” do cantor e entrar nessa onda de positividade e diversão.


RESENHANDO - De quem partiu a inspiração da letra da música?
ZEEBA - A letra de “It’s Your Life” já existia. A Marina trouxe um rascunho dela, já tinha parte da letra, uma letra super positiva e otimista, que é o que eu me identifico muito. E eu só completei com outras coisas, fiz alguns versos. Mas é isso, na minha vida eu levo muito isso comigo de acreditar, mentalizar, visualizar as coisas que você quer que aconteça e essa é uma música que fala sobre isso, de acreditar e ir atrás dos seus sonhos.


RESENHANDO - Na letra de “It’sYour Life” você fala sobre não desistir dos seus sonhos, poderia nos dizer qual é o seu maior sonho e se já o realizou?
ZEEBA - Eu estou vivendo o meu maior sonho. Eu lembro que visualizava muito, eu, assim em cima do palco com uma multidão cantando uma música minha e, foi muito louco quando isso aconteceu né. Aliás, assim, foi muito louco quando eu estava na Argentina, a primeira vez que eu saí do Brasil depois que a música “Hear Me Now” tinha estourado na época, e estava todo mundo cantando, era um mar de gente no Lollapalooza Argentina e a galera cantando minha música junto comigo. Aquilo foi um sonho realizado e é muito gratificante isso, mas é óbvio que nós sempre temos objetivos, estamos sempre sonhando cada vez mais alto para chegar cada vez mais longe.

ISADORA - Olha, eu faço das palavras do Marcos as minhas palavras, porque eu acho que a gente está em construção, e eu estou desenvolvendo a minha carreira agora, começando a pensar em montar o meu show, então isso para mim realmente já é um sonho, sempre almejei isso. Já estou vivendo meu sonho, estou construindo a minha carreira e estou muito feliz com isso, a música “Sun Goes Down” foi muito positiva na minha carreira, me ajudou bastante na questão dessa projeção, assim como a “It’s Your Life” vai me ajudar bastante e já está abrindo portas para mim. E é isso, almejando sempre mais e construindo isso com parceiros como o Zeeba e a Marina.



RESENHANDO - Há quanto tempo você conhece a Isadora e Marina Diniz? Já tinha pensado em fazer parceria com elas antes?
ZEEBA - Bom, nós nos conhecemos há uns cinco anos. Eu conheci a Isa, ela estava cantando em um bar com uma banda cover na época, e eu a vi cantando e a achei incrível, fui falar com ela e depois já a levei para o estúdio do Bruno Martini e já fizemos um projeto juntos, que foi a música “Sun Goes Down”, sendo essa a nossa primeira parceria, mesmo que eu tenha ficado por trás das cortinas nela. Desde então, sempre trabalhamos cantando juntos. E quando chegou essa música, que a ideia era ter um dueto, a Isadora foi a primeira pessoa que eu pensei para chamar e deu super certo.

ISADORA - Eu também já participei de shows do Marcos, então nós já vínhamos orquestrando essa parceria, desenvolvendo isso. Por exemplo, em shows nós cantamos a música “Sun Goes Down” juntos de vez em quando, enfim, fazemos um cover ou outro também. Eu comecei fazendo backing vocal para ele no início da carreira e assim nós fomos construindo uma amizade.


RESENHANDO - Você diria que o hit “Hear Me Now” com o Alok, ajudou a alavancar sua carreira?
ZEEBA - Eu acho que sim. A “Hear Me Now” não só me ajudou como também o Alok e o Bruno Martini. Foi uma música e parceria que deu super certo, abriu diversas portas. Nós viajamos o mundo todo cantando essa música, o mundo inteiro a conheceu assim como os nossos nomes. “Hear Me Now” foi uma música que, ela começou sendo mais um indie rock no meu EP que o Bruno estava produzindo, mas um dia o Alok escutou e curtiu bastante, então resolveu fazer uma versão mais eletrônica, a que todos conhecem. A letra dessa música é muito positiva, que é um dos motivos principais dela ter dado tão certo. Eu estava em uma fase que eu tinha acabado de sair da minha banda, que eu acreditava muito em uma banda que tinha ganhado um Grammy, mas que infelizmente não deu certo e depois que saí me vi em um momento que eu fiquei muito “Meu Deus, o que eu vou fazer da minha vida?”, então comecei a gravar esse EP e o Alok veio. Enfim, foi uma combinação que deu muito certo.


RESENHANDO - Pretende fazer alguma turnê nacional?
ZEEBA - Irei fazer alguns shows este mês, então quem ainda não me segue, dá uma olhada lá no meu Instagram (@zeeba) que tem tudo lá. Vou fazer algumas coisas aqui no Brasil agora, depois vou para a Europa passar um tempo lá, mas depois estarei de volta para fazer mais shows. Inclusive estarei no Game XP Rio de Janeiro dia 27 de julho, que será um show bem legal e já estou com a presença marcada no Rock In Rio junto ao Alok no palco principal do pop mundo e no pop eletrônico com o Bruno Martini, ou seja, vocês me verão duas vezes no Rock In Rio esse ano.

ISADORA - Eu estou fazendo umas coisas pelo Rio e São Paulo, mas principalmente em estúdio agora, trabalhando principalmente em composições minhas e montando meus shows.


RESENHANDO - Pode nos dizer se tem mais hits como esse chegando ou quais parcerias tem em mente?
ZEEBA - Bom, meu álbum vai sair no final desse ano e tem algumas coisas bem legais, vai ter mais parcerias com o Alok, vai ter músicas em português também então eu já estou pensando em ‘colabs’ com algumas pessoas. E é isso, então podem esperar por muitas coisas legais.

ISADORA - Então, tem uma parceria pra sair com o Dj Bhaskar, também voltada a cena eletrônica e, assim, vontade de fazer parcerias com outros artistas eu tenho bastante, sempre pensei nos artistas que me inspiram como a Iza, gosto muito da Glória Groove, do Liniker, do Jão que vem fazendo um trabalho bem bacana. Enfim, vários artistas em ascensão que eu admiro bastante.


RESENHANDO - O seu ingresso ao mundo da música foi conturbado ou algo que fluiu naturalmente?
ZEEBA - Para mim foi naturalmente, mas é óbvio que temos nossos altos e baixos, momentos que ficamos meio na dúvida do que devemos fazer e o que vai acontecer, mas eu acho que é isso, devemos sempre acreditar, manter a cabeça sempre erguida e com pensamentos positivos, pois há momentos que são realmente mais difíceis. Mas, apesar de ter dito que foi algo natural e fácil, já passei por muita coisa conturbada também.


RESENHANDO - Além de cantar, sabemos que você também compõe hits que bombam nas rádios e plataformas de streaming. O que você sente quando vê que uma canção sua está tocando em todo lugar?
ZEEBA - É muito gratificante! É uma conquista, assim como para qualquer músico ou artista, saber que sua música está tocando muitas pessoas e que está fazendo a diferença na vida dessas pessoas.

ISADORA - É engraçado, porque quando eu escutava a “Sun Goes Down”, às vezes eu nem acreditava, ficava pensando “Gente, será que sou eu mesma que estou cantando? Gente, mentira que é a minha voz mesmo!”. Mas é muito legal ver esse reconhecimento depois de um trabalho árduo, de um trabalho duro, de muitos anos construindo entende? Você ver isso é muito positivo e te encoraja cada vez mais a continuar. É muito bom!


RESENHANDO - Poderia nos dizer se tem algum álbum vindo com todos estes incríveis hits?
ZEEBA - Vai ter álbum sim este ano, cheio de músicas novas, bem legais e nessa linha que eu já venho demonstrando com outras, como “Hear Me Now”, “Live In The Moment”, “Never Let Me Go” etc, e tem outras com uma pegada mais diferente, num estilo que eu nuca lancei, que é mais piano e voz, uma coisa mais orgânica também irá ter no CD. Entre outras novidades também, como algumas coisinhas em português também.


Postagens mais antigas → Página inicial
Tecnologia do Blogger.