domingo, 21 de julho de 2019

.: Ator de "The Originals" vem ao Brasil para pocket show na próxima semana


O ator Chase Coleman, que viveu o personagem Oliver no seriado "The Originals", estará no Brasil para próxima semana para o lançamento da Nexxt Comunication, atender a imprensa e realizar um pocket show para os fãs. O pocket show acontece no dia 27, às 15h, na sede da Nexxt Comunication em São Paulo. 

No evento, Chase vai falar sobre a sua carreira, participar de uma sessão de perguntas e respostas, tirar fotos e cantar músicas da sua banda, Mercy Mode. Os valores dos ingressos variam entre R$30,00 e R$100,00 e podem ser adquiridos no site https://www.eventbrite.com.br/e/chase-coleman-no-brasil-tickets-65281415471.

Chase Coleman
Chase Coleman nasceu em 20 de março de 1985 em Tuscaloosa, Alabama e cresceu em Monroe, Louisiana. Como um talentoso ator e músico, ele é mais conhecido por seus papéis como Billy Winslow na série de TV da HBO, "Boardwalk Empire", e interpretar o lobisomem Oliver na série de sucesso da CW, "The Originals".

Antes de se tornar ator, Coleman frequentou a Grace Episcopal School para o ensino fundamental e médio. Ele se formou em St. Frederick Catholic High School. No entanto, durante o seu segundo ano do ensino médio, Coleman se tornou o vocalista líder de uma banda de rock chamada Crawl Space, até se formar. Mais tarde, enquanto cursava a faculdade na Universidade de Louisiana em Monroe, Coleman ficou interessado em atuar. 

Ele começou a se apresentar com grupos de teatro locais e em seu primeiro ano, assinou com a Agência Baton Rouge, Stage 2000. Durante esse tempo, Coleman viajou para Dallas para competir no Mike Beaty Model e Talent Expo, ganhando vários prêmios enquanto estava lá. Ele então conheceu Suzanne Schachter da Suzelle Enterprises e foi convidada a viajar para Nova York no verão.

O primeiro show de atuação de Coleman foi interpretar o personagem, Garrett, no popular programa diurno One Life to Live. A partir daí, ele conseguiu vários papéis como ator convidado, incluindo: "The Good Wife", "Gossip Girl", "Law & Order: Criminal Intent" e "Kings", além de muitos outros papéis principais e coadjuvantes em filmes independentes como "New York City Serenade", "Catahoula" e "God". Ele também interpretou o papel de Andrew na peça off- Broadway "My Big Gay Italian Wedding".

Em 2010, Coleman ganhou o Screen Actors Guild Award por "Melhor Performance de um Ensemble em Série Dramática", por seu papel no Boardwalk Empire. Em 2011, ele foi indicado ao prêmio Indie Soap Award de "Melhor Ator Coadjuvante em um Drama", por sua interpretação do Dr. Dane Sullivan no programa In Between Men.

Coleman fundou a produtora Bloodstone Productions e escreveu o curta-metragem Into the Rose Garden, que ele também dirigiu e estrelou. Então, no verão de 2012, estrelou como Robert no piloto da série de TV "The Americans", também filmando a segunda temporada de "In Between Men".

Em 2014, Coleman foi escalado como Oliver em "The Originals", o popular show de "The Vampire Diaries". A corrida de Oliver durou 12 episódios entre a primeira temporada e a segunda temporada da série. Mais tarde, em 2016, ele estrelou na série da NBC, "Aquarius", como Terry Melcher, um personagem que durou três episódios.

Atualmente, Coleman está aparecendo em várias convenções de fãs desenvolvidas para "The Vampire Diaries" e "The Originals", tanto como convidada como músico. Além disso, ele também tem vários outros projetos de atuação em produção, além de fazer turnês com sua banda, Mercy Mode.

Serviço – Chase Coleman – Pocket Show
Data: 27 de julho de 2019
Horário: 15h
Local: Nexxt Comunication
Endereço: Rua Estados Unidos, 1765 – Jardim América – São Paulo/SP

Ingressos
R$ 30 – Pocket Show + Q&A
R$ 50 – Pocket Show + Q&A + Meet
R$ 100 – Convivência (40 minutos de conversa com Chase)

Vendas Online -> https://www.eventbrite.com.br/e/chase-coleman-no-brasil-tickets-65281415471#tickets

quarta-feira, 17 de julho de 2019

.: Exposição "Olá, Maurício!" comemora 60 anos da MSP


Há anos, seja nos quadrinhos, nas telinhas, agora também nas telonas e em diversos outros espaços, a Turma da Mônica está presente na vida dos brasileiros. No mês que completa 60 anos, a Mauricio de Sousa Produções (MSP) inaugura a exposição "Olá, Mauricio!" no Centro Cultura Fiesp, reunindo obras que mostram parte das criações das centenas de personagens e trajetória do desenhista Mauricio de Sousa.

A exposição inédita destaca a história dos quase 500 personagens da MSP, base da criação de diversos produtos culturais, como os quadrinhos, reconhecidos no processo de alfabetização de milhares de brasileiros, além de apps, jogos, desenhos animados, filmes, animações e mais de 3.500 produtos licenciados.

A história da MSP começou em 19 de julho de 1959, com a publicação de uma tira do Bidu e seu dono Franjinha no jornal Folha da Tarde, atual Folha de S. Paulo. A exposição dará espaço especial ao cenário dessa tira, além de muitos outros que serão representados de forma bem-humorada, fazendo com que o público sinta-se dando um passeio pelo Bairro do Limoeiro.

Até o final da exposição haverá distribuição gratuita da segunda história do novo personagem da Turma da Mônica, o Edu, menino de 9 anos de idade que tem Distrofia Muscular de Duchenne (DMD), doença genética rara caracterizada pela deterioração muscular progressiva. O projeto faz parte de uma parceria entre a Sarepta, líder em medicamentos genéticos para doenças neuromusculares raras, e a Mauricio de Sousa Produções. A DMD ocorre em um a cada 5 mil meninos em todo o mundo e sua evolução é rápida, podendo levar ao falecimento do paciente na adolescência ou no início da fase adulta.



Entre as atrações, a mostra contará com ovo do Horácio, Livro dos Mortos da Turma do Penadinho interativo, esculturas para fotos (photo opportunity), cadernos da infância de Mauricio de Sousa e muitas outras surpresas, como obras inéditas da coleção "História em Quadrões" – releituras de pinturas de artistas consagrados com os personagens da turminha.

"São 60 anos de muito trabalho e constante realização de sonhos. Não só os nossos sonhos, mas de todos os fãs que nos acompanham. E tem muito mais para os próximos anos", comenta o desenhista e criador da Turma da Mônica, Mauricio de Sousa.

Com curadoria de Jacqueline Mouradian, a exposição estará em cartaz de 17 de julho a 15 de dezembro no Espaço de Exposições do Centro Cultural Fiesp, localizado na Avenida Paulista. A visitação é gratuita e poderá ser conferida de terça a sábado, das 10h às 22h, e domingo, das 10h às 20h. A mostra será acessível, e os textos descritivos das obras também serão bilingues, nas línguas portuguesa e inglesa.

Serviço:
Exposição "Olá, Mauricio!"
Período: 17 de julho a 15 de dezembro de 2019
Horários: terça a sábado, das 10h às 22h, e domingo, das 10h às 20h
Local: Espaço de Exposições do Centro Cultural Fiesp - Avenida Paulista, 1313 (em frente ao metrô Trianon-Masp )
Classificação indicativa: livre
Agendamentos escolares e de grupos: ccfagendamentos@sesisp.org.br
Entrada gratuita. Mais informações em www.centroculturalfiesp.com.br.



.: Eclipse solar foi visto de um avião no Chile: as fotos são impressionantes


O Chile foi testemunha privilegiada de um eclipse solar total que durou pouco mais de 2 minutos e 30 segundos em toda a sua fase. Quase um milhão de turistas lotaram a região de Coquimbo para testemunhar o espetáculo. A National Geographic ofereceu uma experiência singular com uma visão desobstruída para apreciar o evento astronômico em todo seu esplendor: uma viagem de avião para visualizar o eclipse total e ter um registro que poucos podem repetir. 

Mais de 70 pessoas, além da tripulação, puderam desfrutar deste fenômeno de uma forma única, onde 10 delas embarcaram graças a um concurso realizado pela National Geographic em conjunto ao Samsung Galaxy S10.
                                                    
Dentro do avião, mais de 15 câmeras foram posicionadas em posições diferentes para registrar as diferentes fases do eclipse e a reação dos assistentes, pilotos e tripulação, o que gerou um registro sem precedentes do maravilhoso evento astronômico.

"Nós, da National Geographic, estamos muito animados por termos oferecido esta oportunidade ao público chileno, dando-lhes acesso especial a uma experiência original que nenhum de nós esquecerá. Pudemos compartilhar a admiração e paixão por este fenômeno astronômico, apreciando-o de uma perspectiva diferente! E o acesso exclusivo da mão de especialistas nos ajudou a entender melhor e de forma simples esse fenômeno. Foi um momento maravilhoso, indescritível e que nos deu imagens especiais que queremos compartilhar com o mundo inteiro", comentou Santiago De Cárolis, General Manager da National Geographic Latin America.

“Into the Dark, Viagem ao Eclipse” começou com uma experiência interessante no Planetário de Santiago: o início contou com a exibição do filme "Eclipse, Um Juego de Luz y Sombras", e então levou a uma mesa de conversa da qual participaram Andrea Obaid como moderadora, e grandes expoentes da ciência como Gabriel León, comunicador científico; Gaspar Galaz, doutor em astrofísica; Eduardo Bendek, engenheiro chileno da NASA, e a astrônoma premiada nacionalmente de ciência, María Teresa Ruiz. No final, houve um show de música com a apresentação de "Santiago Sob as Estrelas". Posteriormente, o grupo mudou-se para a base de onde o voo esperado decolou.

"Foi uma experiência sensacional, a atmosfera era incrível. O horizonte começou a escurecer pouco a pouco, ficou vermelho e de repente ficou escuro. Você podia ver a coroa solar, havia estrelas e foi realmente impressionante: houve um grande silêncio no avião. Tenho orgulho de ter vivido essa experiência com a National Geographic", comentou Gabriel León, comunicador científico.

O voo partiu às 15h35 e sobrevoou Coquimbo às 16h30. Por quase três minutos, a 39.000 pés e com uma velocidade de quase 500 km/h, os ocupantes do avião observaram como o céu começava a escurecer e a lua cruzava em frente ao sol, alcançando uma imagem inédita e vendo um dos maiores fenômenos da natureza.

Em pleno eclipse, o avião desacelerou — a velocidade média geralmente é de 800 a 900 km/h — para poder aproveitar todo esse fenômeno, obtendo 10 segundos a mais de visibilidade de todo o eclipse do que o que se via do solo. Em completo silêncio, a emoção de ver o fenômeno se manifestou em todos os participantes, enquanto uma playlist de música de fundo criada por Gabriel Leon e Gepe soava como um momento especial e espacial.

"Fiquei muito entusiasmado durante esta experiência, nunca tinha visto um eclipse total, o sol parecia espetacular e como foi acordado com a lua foi um 'show' que nos moveu a todos. Como a lua era negra, além disso, o eclipse fez a paisagem ver um horizonte iluminado com nuvens negras e o céu cheio de estrelas, foi emocionante ", disse María Teresa Ruiz, astrônoma e vencedora do Prêmio Nacional de Ciência.

Entre os participantes estavam executivos e fotógrafos da National Geographic, uma equipe de mais de 10 pessoas e 15 câmeras para gravar o evento, a imprensa convidada e os sortudos vencedores de um concurso organizado entre a National Geographic e o Samsung Galaxy S10.





.: Concurso DragStar: quem será a “Drag da Cidade: Rainha do Rival”?

Em julho tem uma nova temporada do Concurso DragStar. As apresentações desta terceira temporada começam no dia 17 de julho no Teatro Rival Petrobras, na Cinelândia, com novidades: da banca de juradas sai Ravena Creole e entra Palloma Maremoto, maquiadora e drag queen aclamada no Rio. E a Ravena? A super super se unirá a Miami Pink na apresentação do concurso. As inscrições para as drags que quiserem participar das seletivas e concorrerem ao título de “Drag da Cidade: Rainha do Rival” já estão acontecendo na pelas redes sociais do DragStar.

Então, prepare-se para uma noite de luz, glitter, glamour, luxo, poder e glória na final repleta de emoção e lindas performances. O concurso tem como juradas-mentoras Andreia Andrews, Chloe Van Damme, Palloma Terremoto e Samara Rios, que acompanharão as ‘queens’ participante. Ao longo do concurso, as drags cantaram, dançaram, duelaram em performances que arrancaram aplausos do público. As seletivas aconteceram ao estilo dos programas internacionais "RuPaul's Drag Race", "The Voice", "XFactor" e "American Idol".

Quem será a próxima “Drag da Cidade: Rainha do Rival” que, além do título ganhará premiação em dinheiro e produtos de beleza, entre outros itens?

Serviço
Teatro Rival Petrobras – Rua Álvaro Alvim, 33/37 – Centro/Cinelândia – Rio de Janeiro. Data: 17 de julho (quarta) Horário: 19h30. Abertura da casa: 18h. Ingressos: R$ 40,00 (Inteira), R$ 20,00 (meia-entrada). Venda antecipada pela Eventim – http://bit.ly/TeatroRival_Ingressos2GIaEKp  Bilheteria: Terça a Sexta das 13h às 21h | Sábados e Feriados das 16h às 22h Censura: 18 anos. www.rivalpetrobras.com.br. Informações: (21) 2240-9796. Capacidade: 350 pessoas. Metrô/VLT: Estação Cinelândia.

*Meia entrada: estudante, Idosos, Professores da Rede Pública, Funcionários da Petrobras, Clientes com Cartão Petrobras e Assinantes O Globo.

.: Episódio número 50 do "Dancing Brasil" terá especial sobre os anos 1950

Programa faz especial sobre os anos 1950 para comemorar o 50º episódio
do reality show; 
Xuxa entra no clima da década e dança no palco sucesso
de Elvis Presley
Nesta quarta-feira, dia 17, o "Dancing Brasil" entra no clima dos anos 1950 para comemorar o 50º episódio do reality show, considerando a contagem desde a primeira temporada do programa, que estreou em 2017. Xuxa anima a noite ao dançar com os bailarinos o sucesso “JailHouse Rock”, de Elvis Presley. O episódio desta semana fará uma homenagem à estética e às músicas que marcaram a década.

A cantora Maria Cecília foi a primeira estrela eliminada desta temporada. Quem será a próxima a deixar a competição? As notas serão dadas pelo trio de jurados, Fernanda Chamma, Jaime Arôxa e Paulo Goulart Filho, e também pelo telespectador, por votação no portal R7.

As três estrelas com as menores notas da noite encaram a zona de risco. E então, o público de casa escolhe dentre elas as duplas que devem continuar na disputa. Quem chegar à final e for o mais votado pelo público, leva para casa o prêmio de R$ 500 mil.

"Dancing Brasil", formato da BBC Studios com produção da Endemol Shine Brasil, com direção de Marcelo Amiky e direção do núcleo de realities de Rodrigo Carelli, é transmitido ao vivo, todas as quartas-feiras, logo após o "Power Couple Brasil". A atração também está disponível no PlayPlus, plataforma de streaming e VoD do Grupo Record, que pode ser acessada pelo www.playplus.com.

.: "Sala de Cinema" da TV Cultura apresenta "A Casa de Alice"


Na quarta-feira, dia 17 de julho, a TV Cultura exibe o longa nacional "A Casa de Alice" na faixa Sala de Cinema. Premiado em festivais nacionais e internacionais, é um dos mais comoventes filmes produzidos no Brasil nos últimos tempos. 

A trama conta a história de Alice, interpretada por Carla Ribas, uma manicure que atende mulheres ricas e está com a vida estagnada. Ela mora na periferia da cidade de São Paulo com seu marido e três filhos. Entretanto, Alice sabe que o cônjuge a traí com outras mulheres, mas acaba relevando porque também sai com outros homens. A atração vai ao ar na tela da emissora e no aplicativo Cultura Digital, às 22h30.

Ficha Técnica:
Duração: 1h32
Direção: Chico Teixeira
Elenco: Carla Ribas, Vinicius Zinn e José Carlos Machado
Gênero: Drama, Romance
Nacionalidade: Brasil
Classificação indicativa: 14 anos

terça-feira, 16 de julho de 2019

.: Crítica: "Merlin e Arthur - Um Sonho de Liberdade", um musical inesquecível


Por Helder Miranda, em junho de 2019.

Ao contrário do que se pode pensar à primeira vista, "Merlin e Arthur - Um Sonho de Liberdade" não é uma peça infanto-juvenil voltada para garotos ávidos por viver aventuras mesmo trancafiados em uma selva de pedra como São Paulo. É para todos, homens e mulheres, jovens ou velhos. 

O motivo é simples: fala sobre temas que são universais para todos, entre eles o trisal coragem, amor e lealdade. A profundidade do texto, somada à presença impactante de Vera Holtz em holograma no papel do mago que povoa o imaginário da garotada (e rendeu até filme da Disney), à interpretação possante de Paulinho Moska (uma surpresa como ator, já que embora ele tenha feito muita coisa, ainda é uma faceta desconhecida), o carisma dos vilões, a doçura dos mocinhos e músicas conhecidas e outras nem tanto de Raul Seixas fazem do musical algo imbatível. É claro que a orquestra ao vivo e a direção certeira de Guilherme Leme Garcia tornam tudo ainda mais especial.


Foto: Camila Mira 
Nunca se fez uma reinvenção tão improvável, maluca e agradável das canções de Raul Seixas como neste espetáculo, que segue em cartaz até 18 de agosto no Shopping Frei Caneca, em São Paulo. As músicas caem como cristais nas vozes de todo o elenco, mas é de Kacau Gomes e de Patrick Amstalden, que interpretam os vilões Anamorg e Dreadmor, os momentos mais marcantes - ao som das músicas "Eu Sou Egoísta" e "Rockixe". 

Uma química difícil de se ver em cena quando esses dois vilões engraçados se encontram. Patrick acaba de sair de um personagem dramático, como o noivo de Natasha em "Natasha, Pierre e o Grande Cometa de 1812" (crítica neste link) e surpreende com um papel cheio de graça e, até certo ponto, leveza (apesar do tamanho do ator que, muito alto, fica gigante em cena - o que está longe de ser uma crítica). Já Kacau consegue colocar o espetáculo abaixo com o vozeirão e o carisma que emprestou à personagem.


Foto: Caio Gallucci
Rodrigo Salvadoretti, Saulo Segreto e Natália Glanz, que interpretam Arthur, Lancelott e Guinevere na juventude, preparam, com muita competência, o caminho para que Paulinho Moska , Gustavo Machado e Larissa Bracher interpretarem o trio que protagoniza o triângulo amoroso conhecido das lendas e recontado várias vezes nas histórias e no cinema. 

O encontro desses três só poderia dar em uma explosão de sentimentos. Larissa Bracher parece flutuar de tão suave com uma atuação que oscila entre a doçura e a firmeza. Gustavo Machado, o Lancellot apresenta ao público uma abnegação que convence ao público a torcer por ele. Paulinho Moska, surpresa já mencionada, merece todos os prêmios possíveis. 

Uma história para curtir do início, ao fim e o meio que, também, é a soma de todos os sentimentos que, misturados, só podem culminar no perdão. Não perca. Para crianças de todas as idades, até as que já cresceram, sobretudo aquelas que ainda pretendem aprender alguma coisa sobre a vida.

Ficha Técnica:
"Merlin e Arthur, Um Sonho de Liberdade"
Concepção e direção: Guilherme Leme Garcia.
Texto: Márcia Zanelatto.
Elenco: Vera Holtz, Paulinho Moska, Larissa Bracher, Gustavo Machado, Patrick Amstalden, Kacau Gomes, Rodrigo Salvadoretti, Natália Glanz, Saulo Segreto, Gabi Porto, Ubiracy Brasil, Santiago Villalba, Fernanda Gabriela, Daniel Haidar, Oscar Fabião, Laíze Câmara, Thainá Gallo, Dennis Pinheiro, Renato Caetano, Paola Poliny, Leonam Moraes, Carol Pita e Félix Boisson.
Direção musical e arranjos: Fabio Cardia e Jules Vandystadt.
Direção de Movimento e Coreografia: Toni Rodrigues.
Set design, cenografia, iluminação e videodesign: Anna Turra, Camila Schmidt e Roger Velloso.
Figurino: João Pimenta.
Visagismo: Fernando Torquatto.
Desenho de som: Carlos Esteves.
Produção de elenco: Marcela Altberg.
Com apresentação do Ministério da Cidadania e da Bradesco Seguros, patrocínio da Riachuelo.

Serviço
"Merlin e Arthur, Um Sonho de Liberdade"
Temporada: de 7 de junho a 18 de agosto de 2019.
Sextas-feiras, às 20h. Sábados, às 16h e 20h. Domingos, às 19h.
Duração: 2h15min + 15 minutos de intervalo.

Classificação Indicativa: livre.
Teatro Frei Caneca
Rua Frei Caneca, 569 - Bela Vista - São Paulo. 

*Helder Moraes Miranda é bacharel em jornalismo e licenciado em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura, pela USP - Universidade de São Paulo, e graduando em Pedagogia, pela Univesp - Universidade Virtual do Estado de São Paulo. Participou de várias antologias nacionais e internacionais, escreve contos, poemas e romances ainda não publicados. É editor do portal de cultura e entretenimento Resenhando.


.: "Carne de Mulher": Paula Cohen se apresenta em espetáculo de Dario Fo

Foto: Lenise Pinheiro
O espetáculo "Carne de Mulher", com Paula Cohen, terá três apresentações especiais na Galeria Olido - Avenida São João, 473. Nesta sexta-feira, 19 de julho, e sábado, dia 20, as apresentações acontecem às 20h30. Domingo, dia 21, às 18h. 
O solo de Paula Cohen, com direção de Georgette Fadel,  leva à cena um texto de Dario Fo e Franca Rame escrito em 1977. A peça expõe uma trajetória de violência na qual a protagonista foi exposta durante a vida, tendo como grande vilão o sistema patriarcal que é profundamente enraizado na cultura em que os pilares são o caminho da opressão e da violência contra a mulher.

Ficha Técnica:
"Carne de Mulher"
Concepção e Atuação: Paula Cohen
Texto: Dario Fo e Franca Rame
Direção: Georgette Fadel
Direção de Produção: Jessica Rodrigues e Victória Martinez
Iluminação e Cenografia: Marisa Bentivegna
Trilha: Claudia Assef
Responsável técnica: Patricia Morim
Arte Gráfica: Patrícia Cividanes
Fotos: Lenise Pinheiro
Produção: Contorno Produções
Assistência de Produção: Leticia Gonzalez
Realização: Dulcineia Produções, Prêmio Cleyde Yaconis e Secretaria Municipal da Cultura

.: Peça teatral em homenagem a Paulo Freire é apresentado em Campinas

A peça conta a inspiradora trajetória e a visão de mundo de um dos principais educadores brasileiros. Serão três apresentações gratuitas em Campinas entre os dias 19 e 22 de julho. Como não há cobrança de ingressos, o público pode deixar a contribuição que quiser no "chapéu". Basta retirar os ingressos uma hora antes de cada apresentação. Foto: Dalton Valério

A força, os ensinamentos e a obra de um dos maiores educadores brasileiros são trazidos ao palco pelo ator Richard Riguetti na peça “Paulo Freire, o Andarilho da Utopia”, que será apresentada em Campinas entre 19 e 22 de julho. O ator campineiro, radicado no Rio de Janeiro, encena o espetáculo no Barracão Teatro (Barão Geraldo) e no Auditório da Associação de Docentes da Unicamp.


No Barracão, as sessões acontecem nos dias 19 e 21 de julho (sexta-feira e domingo), às 20h. Os ingressos são gratuitos, limitados e devem ser retirados no local uma hora antes do espetáculo. Na Unicamp – exclusivamente para discentes e alunos – a apresentação será no dia 22 (segunda-feira), às 19h. A realização é do Grupo Off-Sina e do Espaço Cênico. Como as apresentações são gratuitas, o público pode contribuir com a quantia que quiser durante a passagem do “chapéu consciente”, após cada espetáculo.

Sobre a peça
Com elementos de linguagem do teatro de palco, do teatro de rua e do circo, “Paulo Freire, o Andarilho da Utopia” oferece, em um monólogo de 70 minutos, uma reflexão sobre a sociedade e o planeta em constante mudança, a partir da ótica freiriana.

O protagonista é interpretado pelo ator Richard Riguetti, que comemora 40 anos de atividade artística como ator e palhaço. Junio Santos assina o roteiro e Luiz Antônio Rocha é responsável pela encenação. O ator e o diretor promovem uma roda de conversa com os espectadores sobre o mestre patrono da educação brasileira após cada apresentação.

“Elencamos a figura de Paulo Freire por acreditarmos na abrangência e na profundidade da educação que ele propõe. A teoria freiriana, que tem como uma de suas bases o diálogo, possibilita a conscientização dos jovens com o objetivo de formar cidadãos transformadores das ordens social, econômica e política”, comenta Richard.

Conversar com Nita Freire, viúva do pensador, foi o primeiro passo para a elaboração da peça. “Ela se encantou com a nossa proposta, e esse encontro nos alimentou durante todo o processo, para que a gente organizasse o nosso ato no sentido da afetuosidade”, conta o ator. De acordo com ele, a principal característica que norteou a produção foi a amorosidade de Paulo Freire em relação ao mundo, às pessoas e aos seres vivos, além do profundo respeito ao diálogo, à compreensão e à aceitação das diferenças.

O dramaturgo Junio Santos explica que é complicado extrair o conteúdo do texto entre tantos materiais significativos escritos por Paulo Freire. “Criamos roteiros cenopoéticos – ou seja, temperados com cantigas e poemas – para propagar a esperança que não cansa na voz, no corpo e na força que desejamos imprimir com o espetáculo", ressalta.

Sobre Richard Riguetti
Ator, diretor, palhaço e professor, Richard Riguetti é fundador do Grupo Off-Sina, da Companhia de Circo Teatro de Rua e da Escola Livre de Palhaço (Eslipa) – primeira do gênero da América Latina e única gratuita.

Sua vida artística começou em 1978 quando ganhou uma bolsa de estudo de teatro no Rio de Janeiro com os mestres Sérgio Britto, Amir Haddad, Hamilton Vaz Pereira, Eric Nielsen, Klauss Vianna e Glorinha Beuttenmüller. Formou-se em Teatro pela UniRio, em Gestão Cultural pela Universidade Cândido Mendes e em Música pela Escola Villa-Lobos.

Foi considerado Ator Revelação por Yan Michalski, crítico do Jornal do Brasil, pela peça “Rasga Coração”. Como ator, trabalhou em mais de 40 espetáculos de teatro, viajou por 24 estados e mais de 3.200 cidades, sempre com apresentações gratuitas pelas ruas.

Sobre Junio Santos
Um dos principais nomes da cena cultural do Nordeste, Junio Santos é ator, dramaturgo, diretor, poeta e palhaço. Criou o Movimento Popular Escambo Livre de Rua, que reúne diversas linguagens artísticas, e o Centro Volante de Assessoria Teatral na cidade de Icapuí, no Ceará, que promove montagens, cursos, oficinas e vivências.

Sobre Luiz Antônio Rocha
Produtor, autor, cenógrafo, figurinista e diretor teatral, Luiz Antônio Rocha é um dos mais conceituados diretores de casting do mercado, de acordo com a Revista Veja. Em 2012, fez parte do júri oficial do International Emmy Awards, realizado em Nova York. Seus espetáculos contêm uma marca autoral com grande sensibilidade e valorização do papel do ator e do texto.

Ficha técnica
Dramaturgia: Junio Santos
Elenco: Richard Riguetti
Encenação: Luiz Antônio Rocha
Cenário e figurino: Eduardo Albini
Direção de movimento: Michel Robin
Projeto de luz: Ricardo Lira Jr.
Preparação de ator: Beth Zalcman
Preparação física: Aline Bernardi
Preparação vocal: Jane Celeste
Assessoria pedagógica: Josy Dantas
Assistente de direção: Marcia Rosa
Letras de músicas: Ray Lima e Junio Santos

Serviço
“Paulo Freire, o Andarilho da Utopia”
Classificação indicativa: 12 anos
Realização: Grupo Off-Sina e Espaço Cênico Produções Artísticas
Parcerias: Sindicato Químicos Unificados, Sinpro, ADunicamp, Barracão Teatro, Ateliê da Notícia, Revista Flash, Restaurantes: Salvia, Katori Sushi, Villani

Data: sexta-feira, dia 19, e domingo, dia 21
Local: Barracão Teatro (Rua Eduardo Modesto, 128 - Vila Santa Isabel - Barão Geraldo), em Campinas
Horário: 20h
Ingressos: No chapéu. Para o dia 19, serão distribuídos 40 ingressos com uma hora de antecedência do início do espetáculo. Para o dia 21, a apresentação é fechada para convidados, porém será feita uma lista com aqueles que não conseguirem entrar na sessão de sexta-feira (19/07).

Data: segunda-feira, dia 22
Local: Auditório da Associação de Docentes da Unicamp (Av. Érico Veríssimo, 1479 - Cidade Universitária), em Campinas
Horário: 19h
Reservas pelo e-mail: imprensa@adunicamp.org.br

.: Sesc Santo André recebe exposição "Selenograma Lua Tempo Design"

Com curadoria da designer Mari Pini, mostra apresenta ao público diversos olhares 
sobre o único satélite natural da Terra
No dia 19 de julho de 2019, véspera da data que marca o 50º aniversário da primeira vez que o homem andou sobre a Lua, o Sesc Santo André inaugura a exposição Selenograma Lua Tempo Design, com curadoria da designer Mari Pini. A mostra, que ocupa a Galeria da unidade até novembro, se divide em diversas frentes e reflete sobre as influências lunares nos mais diferentes campos do conhecimento. Durante todo o período de visitação, a exposição também conta com visitas mediadas e agendamentos de grupos.

Selenograma Lua Tempo Design nos leva para uma viagem gráfica por calendários lunares minimalistas editados anualmente por Mari Pini desde 1977, trabalho que captou 15.340 luas em suas trajetórias ao longo de sucessivas noites até os dias atuais. Além da ocupação na Galeria, o Gramado do Sesc Santo André recebe "A Grande Lua", intervenção iluminada que representará as diferentes fases da Lua ao longo dos próximos meses.

No dia da abertura, às 19h, aterriza no jardim Lorena Pipa com a performance Lunares, que celebra nosso único satélite natural. O corpo luminoso de Pipa forma desenhos no espaço a medida em que se movimenta, encontrando-se com uma roda composta por 28 luas, que representam o tempo cíclico lunar. Além da performance, "A Voz da Lua" integra a mostra com imagens da lua captadas pela Sonda Espacial Kaguya do Japão, concebido por Mari Pini e dirigido e produzido por Bijari.

O Sesc Santo André realizadurante o final de semana diversas atividades paralelas à exposição, como a oficina "Moda e Estilo: Qual o Seu Estilo?", com Wellington Mendes, e a contação de histórias "Lua, Luar, me Ensina a te Olhar", com Cia. Clara Rosa.

O "Almanaque da Lua", preparado por Mari Pini, imerge o público nas mais variadas temáticas que envolvem o único satélite natural da Terra: dos conceitos científicos aos simbolismos; dos fenômenos terrestres e calendários às conquistas do território lunar; das teorias e mistérios às obras de ficção científica.

Para a curadora, a mostra elenca "a Lua como objeto da multiplicidade de projeções do homem, observação, estudos, inspiração, imaginação, desejo, conquista. E, propõe recriar o universo lunar para aproximar o públicocom o tema, aprofundar nossas reflexões e explorar as diferentes mídias utilizando instalação, performance, vídeo, painéis gráficos com abordagens científica, astronáutica, poética e simbólica, apoiado em ampla pesquisa e no seu trabalho visual".

No painel expositivo "Antigos Artefatos do Tempo", a exposição traz uma série de calendários produzidos ao longo dos milênios, com destaque para os diferentes diagramas do tempo baseados em cálculos matemáticos e astrológicos que se apoiam nos ciclos da Lua. Cada cultura representou a medida do tempo apoiada em suas crenças e de acordo com os movimentos dos astros no céu.

No lado da razão e da ciência, a Lua é único corpo celeste já alcançado pela presença da humanidade. O astro, que está a meros 380.400 km de distância da Terra, se tornou o emblema da disputa entre EUA e a antiga URSS durante a Guerra Fria. Do lado russo, o Sputnik, primeiro satélite artificial, lançado em 1958, e a viagem de Iuri Gagarin, primeiro homem a viajar pelo espaço, em 1962,impulsionaram forte investimento financeiro e tecnológico dos americanos. 

Após as novidades dos russos, o ex-presidente John F. Kennedy lançou o desafio de "enviar homens à Lua e retorná-los a salvo até o fim da década". Como resultado, as missões do Programa Apollo levaram Neil Armstrong e EdwinAldrin a serem os primeiros homens a pisarem em solo lunar, em 1969. Depois deles, mais dez homens pisariam na Lua até hoje.

A partir de sua pesquisa, Mari Pini nos convida a refletir sobre o que esses feitos nos referenciam atualmente: como a conquista do território lunar nos aproximou do objeto? Como a ciência avançou em seus propósitos? Quais conhecimentos se renovaram em relação ao nosso satélite natural? Com essas e outras questões, "Selenograma Lua Tempo Design" aproxima o público de medidas do tempo, as fases da Lua e sua relação com homem, a percepção dos fenômenos lunares e um mergulho no imaginário simbólico evocado pela Lua durante toda a história da humanidade.

Serviço:
"Selenograma Lua Tempo Design"
Curadoria: Mari Pini
Abertura dia 19 de julho, às 19h. 
20 de julho a 17 de novembro de 2019
Terça a sexta, das 10h às 22h.
Sábado, domingo e feriados, das 10h às 19h.
Grátis.
Agendamentos
Atendimento a grupos com visita mediada às terças, quartas e sextas (estudantes, professores, empresas e instituições) pelo email: agendamento@santoandre.sescsp.org.br

"Performance Lunares", com Lorena Pipa 
Sexta-feira, dia 19 de julho, às 19h.
A performance inicia-se com cortejo até o círculo de Luas, onde haverá dança performática com movimentos luminosos criados a partir do corpo da artista. Uma dinâmica de corpo e luz no espaço interagem com as Luas.Ao final, a dança circular com todos os participantes em celebração ao satélite natural.

"Moda e Estilo: Qual o Seu Estilo?", com Wellington Mendes
Sábado, dia 20, às 14h30.
A oficina tem como intuito explorar relações de cultura e comportamento de moda e beleza sob a influência dos astros, levando cada participante a um momento de auto percepção e consequente potencialidade da composição visual no dia a dia.

"Lua, Luar, me Ensina a te Olhar", com Cia. Clara Rosa
Sábado, dia 20, às 17h.
A Lua, anciã da natureza, acompanha o imaginário do ser humano e dela deriva um universo de histórias.Desde as antigas tradições, ensinamos as crianças a observar a Lua. Porém, este propõe o estímulo para o olhar infantil da observação com importância, que exalta a admiração pelos luares e seus mistérios. Esta apresentação, por meio da força da palavra narrada, traz o encantamento e a sabedoria da Lua, num repertório de histórias que provocam suspiros, delicadezas, mistérios e encantamentos, capaz de aproximar a conexão com a lua num diálogo afetuoso e íntimo. Histórias, cantigas, poesias e mitologias, serão narradas com ludicidade, trazendo a inspiradora presença da Lua num acalanto de histórias para todas as idades.

Postagens mais antigas → Página inicial
Tecnologia do Blogger.