Mostrando postagens com marcador EventoLiterario. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador EventoLiterario. Mostrar todas as postagens

sábado, 17 de fevereiro de 2024

.: Em SP, Mauricio Stycer lança "Gilberto Braga, o Balzac da Globo" em bate-papo


Após o sucesso do lançamento no Rio de Janeiro, a Livraria da Vila Fradique recebe o jornalista e escritor Mauricio Stycer para sessão de autógrafos do livro "Gilberto Braga, o Balzac da Globo" e bate-papo com o dramaturgo Alcides Nogueira na próxima terça-feira, 20 de fevereiro. O evento terá início às 18h30. Na obra, Mauricio e Artur Xexéo, falecido em 2021, retratam a trajetória de um dos maiores novelistas da história da televisão brasileira. 

As histórias contadas por Xexéo e Stycer sobre a infância e a juventude de Gilberto Braga, que se dividiu entre a Tijuca e a Zona Sul do Rio de Janeiro, explicam o porquê de o autor ter se tornado um retratista tão prolífico das classes média e alta. Muitas narrativas presentes nas novelas de Gilberto foram baseadas nas vivências dele, que nunca abandonou o olhar crítico porém sensível. 

A obra remonta aos primeiros anos da carreira de Gilberto, quando foi professor da Aliança Francesa e crítico de teatro de O Globo. As páginas também relatam como teve início o trabalho do dramaturgo na televisão, após um convite de Daniel Filho, além das dificuldades que enfrentou ao longo de sua jornada profissional. 

O livro é, ainda, um tributo às novelas de Gilberto por parte dos autores, que dão ao leitor a chance de relembrar tramas e conhecer muitas curiosidades sobre as produções. A biografia conta com depoimentos de artistas que puderam trabalhar ao lado do mestre, conhecido pelo pioneirismo na TV ao tratar de temas considerados tabus, como racismo e sexualidade. Compre o livro "Gilberto Braga, o Balzac da Globo", de Artur Xexéo e Mauricio Stycer, neste link.


Sobre o livro:
“Balzac da Globo”
 é como Artur Xexéo e Mauricio Stycer se referem a Gilberto Braga, que era assim chamado por causa das temáticas abordadas pelo dramaturgo em suas novelas, que incluíam dinheiro, ambição e vingança. A mente fértil de Gilberto para criar histórias tem raízes nos acontecimentos de sua própria vida - que daria, por si só, uma novela, como a dupla de jornalistas nos apresenta na biografia, lançada em janeiro pela Intrínseca.  

“Muitas qualidades foram atribuídas a Anos dourados, mas o que ficou para Malu Mader, ‘além do forte traço feminista’, foi ‘o elogio à bondade dos personagens’, segundo ela, algo incomum na obra de Gilberto. A atriz tem razão ao observar que o novelista é mais festejado como um grande criador de vilãs e vilões. Marcos e Lurdinha, apesar de bons, eram cativantes e interessantes. ‘Me orgulha ter feito uma personagem por onde ele expressou tão bem a transformação pelo amor.’ Malu conta que, assim como Lurdinha, ela própria foi se transformando ao longo da história. Durante as gravações da minissérie, decidiu sair da casa dos pais e morar sozinha. ‘Anos dourados me mostrou a dimensão mais profunda e mágica da profissão.’”

Além de homenagear o dramaturgo, a biografia celebra o trabalho de Artur Xexéo, falecido em 2021, aos 69 anos. A voz do jornalista é amplificada por Mauricio Stycer, que recebeu a missão de finalizar o manuscrito. Garanta o seu exemplar de "Gilberto Braga, o Balzac da Globo", escrito por Artur Xexéo e Mauricio Stycer, neste link.

Foto: Paulo Severo

Mauricio Stycer nasceu no Rio de Janeiro em 1961. É jornalista especializado em televisão e atualmente é colunista da Folha de S.Paulo. Publicou os livros "História do Lance!" (Alameda, 2009), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), "Topa Tudo por Dinheiro" (Todavia, 2018) e "O Homem do Sapato Branco" (Todavia, 2023).

Artur Xexéo passou pelas redações de Veja, IstoÉ, Jornal do Brasil e O Globo. Escreveu as biografias de Janete Clair, Hebe Camargo e sua autobiografia sobre as coberturas das Copas do Mundo das quais participou. Foi comentarista de cultura da GloboNews no programa Estúdio i e da rádio CBN no programa Liberdade de expressão. 

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2024

.: João Silvério Trevisan fala sobre caminhos e descobertas no Sesc 14 Bis


Um dos pioneiros na defesa dos direitos da comunidade LGBTQIAP+,  João Silvério Trevisan reflete sobre o valor transcendental da literatura. Foto: acervo pessoal


Na próxima quarta-feira, dia 21 de fevereiro, a partir das 19h00, a Biblioteca do Sesc 14 Bis recebe o escritor João Silvério Trevisan para o segundo encontro dentro do projeto "Os Livros que Me Acompanham", que traz personagens de diversas áreas para falar sobre a literatura como ofício e como afeto. Um dos pioneiros na defesa dos direitos da comunidade LGBTQIAP+, tendo construído carreira nas letras que passou por romances, ensaios, contos, poesia, traduções, cinema, dramaturgia e jornalismo, o autor reflete sobre o valor transcendental da literatura.

“Eu gostaria que o público compreendesse de que modo as leituras influenciam a vida não apenas de quem escreve, mas das pessoas em geral. A literatura pode ser fonte de prazer intelectual e descoberta do mundo, seja ela não-ficcional, ficcional ou poética. Quando a gente mergulha num livro, está abrindo caminho para conhecer alguém que expõe generosamente sua própria compreensão da vida. Livros são vasos comunicantes entre os humanos”, afirma.

Sobre a própria experiência como leitor, fala a respeito de suas expectativas em relação ao bate-papo e do entendimento de si através dos textos que o acompanharam pela vida: “Pretendo especificar os tipos de livros que me marcaram até hoje e de que modo isso aconteceu. É muito belo compreender os caminhos que eles me apontaram e as descobertas que me propiciaram. De certo modo, é como revisitar meu passado e percorrer minha trajetória até ser quem sou hoje. Esses livros oferecem um mapa de mim mesmo e ajudam a me compreender. Nos meus 80 anos, será a oportunidade de fazer uma espécie de revisão de vida na companhia das obras que iluminaram minha jornada”, finaliza.

"Os Livros que Me Acompanham" continuará ao longo do ano, sempre às quartas-feiras, às 19h. Para o mês de março está confirmada a presença da escritora Amara Moira, que conversará com Renan Quinalha.


Sobre João Silvério Trevisan
João Silvério Trevisan
nasceu em 1944 em Ribeirão Bonito, em São Paulo. Além de escritor, é roteirista e diretor de cinema, dramaturgo, tradutor e jornalista. Recebeu três vezes os prêmios Jabuti e da Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA). Sua obra foi traduzida para o inglês, alemão, espanhol, italiano, polonês e húngaro. Compre os livros de João Silvério Trevisan neste link.


Serviço
Bate-papo "Os Livros que Me Acompanham" com o escritor João Silvério Trevisan.
Quarta-feira, dia 21 de fevereiro, das 19h00 às 20h30.
A partir de 14 anos. 50 pessoas. Biblioteca - Piso térreo. Grátis

Serviço do Sesc 14 Bis
Horário de funcionamento: terça a sábado, 10h às 21h; domingos e feriados, 10h às 19h.
R. Dr. Plínio Barreto, 285 - Bela Vista / São Paulo.

Estacionamento
Vagas para carros, motos e bicicletas. Valores: R$ 12,00 para as 3 primeiras horas e R$ 2,00 a cada hora adicional (credencial plena) R$ 18,00 para as três primeiras horas e R$ 3,00 a cada hora adicional (público em geral). Para atividades no Teatro Raul Cortez, preço único: R$ 12,00 (Credencial Plena) e R$ 18,00 (público em geral). Em dias de shows e espetáculos é possível retirar o veículo após o término das apresentações. Transporte gratuito da unidade até a estação de metrô Trianon-Masp da linha 2-verde para os participantes das atividades, de terça a sexta, às 21h40, 21h55 e 22h05.

Como chegar
Ônibus: a 260 metros do ponto Getúlio Vargas 2 (sentido Centro-Bairro), a 280 metros do ponto Parada 14 Bis (sentido Bairro-Centro) e a 2000 metros do Terminal Bandeira.
Metrô: a 700 metros da estação Trianon-Masp da Linha 2-Verde e a 2000 metros da estação Anhangabaú da Linha 3-Vermelha.

domingo, 28 de janeiro de 2024

.: Biografia de Gilberto Braga é lançada em bate-papo com Ricardo Linhares


O jornalista e escritor Mauricio Stycer se reúne com o dramaturgo Ricardo Linhares em um bate-papo sobre o livro "Gilberto Braga, o Balzac da Globo" na próxima terça-feira, 30 de janeiro, na Livraria da Travessa do Shopping Leblon. O evento, que também incluirá uma sessão de autógrafos com o autor, começa às 18h30. Na obra, Mauricio e Artur Xexéo, falecido em 2021, retratam a trajetória de um dos maiores novelistas da história da televisão brasileira.

As histórias contadas por Xexéo e Stycer sobre a infância e a juventude de Gilberto Braga, que se dividiu entre a Tijuca e a Zona Sul do Rio de Janeiro, explicam o porquê de o autor ter se tornado um retratista tão prolífico das classes média e alta. Muitas narrativas presentes nas novelas de Gilberto foram baseadas nas vivências dele, que nunca abandonou o olhar crítico porém sensível. 

A obra remonta aos primeiros anos da carreira de Gilberto, quando foi professor da Aliança Francesa e crítico de teatro de O Globo. As páginas também relatam como teve início o trabalho do dramaturgo na televisão, após um convite de Daniel Filho, além das dificuldades que enfrentou ao longo de sua jornada profissional. 

O livro é, ainda, um tributo às novelas de Gilberto por parte dos autores, que dão ao leitor a chance de relembrar tramas e conhecer muitas curiosidades sobre as produções. A biografia conta com depoimentos de artistas que puderam trabalhar ao lado do mestre, conhecido pelo pioneirismo na TV ao tratar de temas considerados tabus, como racismo e sexualidade. Compre o livro "Gilberto Braga, o Balzac da Globo", de Artur Xexéo e Mauricio Stycer, neste link.


Sobre o livro:
“Balzac da Globo”
é como Artur Xexéo e Mauricio Stycer se referem a Gilberto Braga, que era assim chamado por causa das temáticas abordadas pelo dramaturgo em suas novelas, que incluíam dinheiro, ambição e vingança. A mente fértil de Gilberto para criar histórias tem raízes nos acontecimentos de sua própria vida - que daria, por si só, uma novela, como a dupla de jornalistas nos apresenta na biografia, lançada em janeiro pela Intrínseca.  

“Muitas qualidades foram atribuídas a Anos dourados, mas o que ficou para Malu Mader, ‘além do forte traço feminista’, foi ‘o elogio à bondade dos personagens’, segundo ela, algo incomum na obra de Gilberto. A atriz tem razão ao observar que o novelista é mais festejado como um grande criador de vilãs e vilões. Marcos e Lurdinha, apesar de bons, eram cativantes e interessantes. ‘Me orgulha ter feito uma personagem por onde ele expressou tão bem a transformação pelo amor.’ Malu conta que, assim como Lurdinha, ela própria foi se transformando ao longo da história. Durante as gravações da minissérie, decidiu sair da casa dos pais e morar sozinha. ‘Anos dourados me mostrou a dimensão mais profunda e mágica da profissão.’”

Além de homenagear o dramaturgo, a biografia celebra o trabalho de Artur Xexéo, falecido em 2021, aos 69 anos. A voz do jornalista é amplificada por Mauricio Stycer, que recebeu a missão de finalizar o manuscrito. Garanta o seu exemplar de "Gilberto Braga, o Balzac da Globo", escrito por Artur Xexéo e Mauricio Stycer, neste link.

Foto: Paulo Severo

Mauricio Stycer nasceu no Rio de Janeiro em 1961. É jornalista especializado em televisão e atualmente é colunista da Folha de S.Paulo. Publicou os livros "História do Lance!" (Alameda, 2009), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), "Topa Tudo por Dinheiro" (Todavia, 2018) e "O Homem do Sapato Branco" (Todavia, 2023).

Artur Xexéo passou pelas redações de Veja, IstoÉ, Jornal do Brasil e O Globo. Escreveu as biografias de Janete Clair, Hebe Camargo e sua autobiografia sobre as coberturas das Copas do Mundo das quais participou. Foi comentarista de cultura da GloboNews no programa Estúdio i e da rádio CBN no programa Liberdade de expressão.

domingo, 14 de janeiro de 2024

.: Rafael Gallo lança romance "Rebentar" no Rio com bate-papo nesta segunda


O escritor Rafael Gallo lança na próxima segunda-feira, dia 15, às 19h00, a nova versão do romance "Rebentar" na livraria Janela, no Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Além de sessão de autógrafos, ele fará bate-papo com o escritor Carlos Eduardo Pereira. Essa é a nova versão do livro emocionante que foi vencedor do prêmio São Paulo de Literatura em 2016. Confira a entrevista com ele - "Minhas histórias sempre são uma forma de lidar com questões" - neste link. 

O corajoso e emocionante romance ganhou nova versão, com redução de trechos, inclusão de um capítulo inédito e novos desdobramentos da história de alguns personagens. O livro, que narra o momento de reconstrução de uma mãe que decide parar de buscar seu filho desaparecido, foi totalmente reescrito pelo autor. Dono de uma escrita sensível, comovente e para um público diverso, o autor também venceu os prêmios José Saramago 2022 e o Sesc de Literatura 2012. A nova edição de Rebentar tem texto de orelha de João Anzanello Carrascoza.

"Rebentar" conta a história de Ângela, uma mãe cujo filho desapareceu aos 5 anos de idade e jamais foi encontrado. Desde então, ela passa a viver em função da procura por Felipe: parou de trabalhar, juntou-se a instituições de busca por crianças desaparecidas, rompeu relações, não teve outros filhos e viveu um luto particular - “alguém que não é reencontrado nunca se perde em definitivo”.

Depois de 30 anos sem resultado, Ângela renuncia à busca, e a narrativa parte do momento em que sua decisão é anunciada. A protagonista, convivendo com os sentimentos de culpa, desamparo e dor causados por essa ausência que, agora, é definitiva, precisará desintegrar a própria casa, literal e metafórica, para reconstruí-la por dentro. “Um filho desaparecido é um filho que morre todos os dias”, escreve.

Publicado pela primeira vez em 2016, "Rebentar" ganha agora uma nova versão. Não se trata apenas de uma nova edição. “Este é um novo tratamento da história. O que faz dela, em algum grau, uma nova história”, explica o autor. A escrita arrebatadora de Rafael Gallo se reencontra consigo mesma para entregar desfecho e descanso definitivos à dolorosa trajetória de Ângela. Compre o livro "Rebentar", de  Rafael Gallo, neste link.


O que disseram sobre o livro
“A vida, como o mar e suas ondas, vaza das margens de 'Rebentar' - bela e dolorida história que rebate, em nós, as águas da compaixão.” João Anzanello Carrascoza, escritor.


Sobre o autor
Paulistano nascido em 1981, ele também é autor dos romances "Dor Fantasma"vencedor do Prêmio José Saramago 2022, w do livro de contos "Réveillon e Outros Dias", vencedor do Prêmio Sesc de Literatura 2012. Tem ainda diversos textos em antologias e coletâneas, incluindo publicações em países como França, Estados Unidos, Cuba, Equador e Moçambique. Garanta o seu exemplar de "Rebentar", escrito por Rafael Gallo, neste link.


Serviço
Lançamento do livro "Rebentar", de Rafael Gallo, e bate-papo com o escritor Carlos Eduardo Pereira. Segunda-feira, dia 15 de janeiro, às 19h. Livraria Janela. Rua Maria Angélica, 171 - loja B - Jardim Botânico / Rio de Janeiro.


segunda-feira, 20 de novembro de 2023

.: Conceição Evaristo participa da série "Encontros com Autores"


Evento acontecerá no dia 23 de novembro no Theatro Municipal de São Paulo; último encontro será com o autor vencedor do Livro do Ano do Jabuti 2023. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil


A escritora Conceição Evaristo, uma das vozes mais expressivas da literatura afro-brasileira contemporânea, participará do próximo “Encontros com Autores” do Prêmio Jabuti, uma série de diálogos promovida pela Câmara Brasileira do Livro (CBL) e pelo Theatro Municipal de São Paulo. Este penúltimo encontro será realizado no dia 23 de novembro, no Salão Nobre do Theatro Municipal de São Paulo, às 19h, e terá a mediação de Catita.

Conceição Evaristo, nascida em Belo Horizonte e radicada no Rio de Janeiro desde a década de 1970, traz em sua trajetória um profundo compromisso com a valorização das raízes afro-brasileiras, tanto em sua atuação como educadora como em sua produção literária. Com uma sólida formação acadêmica, que inclui mestrado em Literatura Brasileira pela PUC-Rio e doutorado em Literatura Comparada pela UFF, Evaristo utiliza sua escrita como uma ferramenta de luta e expressão, contribuindo significativamente para o debate sobre raça, gênero e classe social no Brasil.

Seus textos, que transitam entre a poesia, a ficção e o ensaio, têm ganhado cada vez mais destaque no cenário nacional e internacional, com participações em publicações na Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos. Além disso, seus contos são objeto de estudos em universidades brasileiras e estrangeiras, reafirmando a importância e a urgência de suas narrativas. Catita fará a mediação deste encontro. Ela é “escrivinhadora”, professora e pesquisadora e atuante no cenário literário brasileiro, cofundadora do Coletivo de Escritoras Negras Flores de Baobá e sócia na Editora Feminas.

Este evento se insere na programação da série "Encontros com Autores", iniciada em setembro de 2023, que já reuniu grandes nomes da literatura brasileira, como Pedro Bandeira, Aline Bei, Itamar Vieira Jr.Jeferson Tenório e Luiza Romão. E para encerrar o ciclo de encontros, a próxima conversa será feita com o autor vencedor do Livro do Ano de 2023, que será anunciado na 65ª edição do Prêmio Jabuti no dia 5 de dezembro. A conversa será mediada pelo curador do prêmio, Hubert Alquéres, e pela presidente da CBL, Sevani Matos.

 

Confira abaixo a programação completa
Programação da série de “Encontros com Autores 2023”, no Theatro Municipal de São Paulo:

23 de novembro, quinta-feira, 19h. Encontro com Conceição Evaristo - Mediação de Catita, “escrivinhadora” e professora
Maria da Conceição Evaristo de Brito nasceu em Belo Horizonte, em 1946, e migrou para o Rio de Janeiro, na década de 1970. Graduada em Letras pela UFRJ, trabalhou como professora da rede pública de ensino na capital fluminense. É Mestre em Literatura Brasileira pela PUC do Rio de Janeiro, com a dissertação “Literatura Negra: uma poética de nossa afro-brasilidade” (1996). Doutora em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense, com a tese “Poemas malungos, cânticos irmãos” (2011), na qual estuda as obras poéticas dos afro-brasileiros Nei Lopes e Edimilson de Almeida Pereira, em confronto com a do angolano Agostinho Neto. Participante ativa dos movimentos de valorização da cultura negra em nosso país, estreou na literatura em 1990, quando passou a publicar seus contos e poemas na série Cadernos Negros. Escritora versátil, cultiva a poesia, a ficção e o ensaio. Desde então, seus textos vêm angariando cada vez mais leitores. A escritora participa de publicações na Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos. Seus contos vêm sendo estudados em universidades brasileiras e do exterior, tendo, inclusive, sido objeto da tese de doutorado de Maria Aparecida Andrade Salgueiro, publicada em livro em 2004, que faz um estudo comparativo da autora com a americana Alice Walker. Em 2003, publicou o romance “Ponciá Vicêncio”, pela Editora Mazza, de Belo Horizonte. Catita, a “escrivinhadora” e professora, fará a mediação desse encontro. Ela também é pesquisadora, editora, e co-fundadora do Coletivo de Escritoras Negras Flores de Baobá, além de sócia na Editora Feminas (desde 2022). Compõe suas obras, os livros Morada (Ed Feminas, 2019 - poemas), Notícias da Incerteza (Ed. Desconcertos, 2021 - crônicas) e Das Raízes à Colheita, em co-autoria com o coletivo Flores de Baobá (Ed Feminas, 2022). Compre os livros de Conceição Evaristo neste link.


7 de dezembro, quinta-feira, 19h. Encontro especial com o autor(a) vencedor (a) do Livro do Ano de 2023. Mediação - Hubert Alquéres e Sevani Matos
O último encontro terá realização especial. Contará com a presença do autor contemplado com a premiação de Livro do Ano de 2023. A conversa será mediada pelo Hubert Alquéres, que foi presidente da Imprensa Oficial de São Paulo, de 2003 a 2011. Atuante nas áreas de cultura e educação há mais de 40 anos, tem uma história antiga com o mais importante prêmio do livro brasileiro: durante seis anos, coordenou a Comissão do Prêmio Jabuti na Câmara Brasileira do Livro (CBL). Iniciou sua carreira na área acadêmica como professor na Escola Politécnica da USP e no Colégio Bandeirantes. Foi secretário estadual e secretário executivo na Secretaria de Educação, além de ter presidido por quatro vezes o Conselho Estadual de Educação de São Paulo, do qual é membro desde 1998.​ Atua como vice-presidente da Câmara Brasileira do Livro há 12 anos. Preside a Academia Paulista de Educação e o Conselho de Administração do Museu AfroBrasil, e é membro da Associação Amigos da Biblioteca Mário de Andrade. A presidente da CBL, Sevani Matos, também participa deste bate papo que compõem a série de Encontros com Autores. Com mais de 20 anos de carreira nas áreas administrativa e comercial, com passagens por empresas nacionais e multinacionais, ela também atuou no setor gráfico de livros. Formada em Comunicação Social, Sevani possui MBA em Administração e Gestão de Negócios, além de especialização em Marketing Digital. Já trabalhou na Artmed Editora e, há mais de 16 anos, atua como diretora-geral na VR Editora. Foi eleita em 28 de fevereiro de 2023 para a presidência da CBL integrando a chapa “O livro nos une”, para o biênio 2023-2025. Sevani já ocupava o cargo de diretora na CBL.

.: Edney Silvestre lança livro "Segredos de Um Repórter" em São Paulo


Nesta terça-feira, dia 21 de novembro, o jornalista e escritor Edney Silvestre lança o livro "Segredos de Um Repórter", na Livraria da Travessa do Shopping Iguatemi, em São Paulo, a partir das 19h. Publicada pela editora Almedina Brasil, a obra reúne as dicas, truques, conselhos, histórias e alguns vexames de um dos melhores jornalistas do Brasil, escalado para cobrir marcos históricos como os atentados de 11 de Setembro e os últimos dias de Saddam Hussein no Iraque.

Com experiência de sobra, Edney reflete sobre o faro jornalístico, a arte de conduzir uma boa entrevista e a necessidade de criar fontes. Ele lista exemplos de perguntas eficazes, explica por que um repórter deve saber mais sobre o entrevistado do que o próprio entrevistado e oferece insights sobre como lidar com as situações imprevisíveis, traiçoeiras e comuns que um repórter enfrenta durante transmissões ao vivo.

Ganhador dos prêmios Jabuti e São Paulo de Literatura, Silvestre conversa com estudantes, jornalistas em início de carreira e profissionais experientes na área, além de escancarar a realidade (nada) glamourosa de quem trabalha de frente para as câmeras. Compre o livro "Segredos de Um Repórter", de Edney Silvestre, neste link


Sobre o livro
Edney Silvestre não sabia nem sequer como segurar um microfone diante das câmeras quando deixou o status consolidado de correspondente e cronista do jornal O Globo em Nova Iorque para, já passado dos 40 anos, encarar o desafio de virar correspondente internacional de uma das cinco maiores redes de TV do mundo. Não foi fácil. Nem sem críticas contundentes, como ele mesmo admite neste livro, que é uma mistura rica e bem-humorada de bastidores de notícias, memórias de tropeções e de acertos em coberturas e entrevistas. 

Com a mesma audácia que enfrentou a timidez, a dislexia e as dificuldades de fala, Edney Silvestre é um dos grandes repórteres da TV brasileira, tendo coberto desde os horrores dos atentados terroristas do World Trade Center, até percorrido o tapete vermelho do Oscar, entrevistando algumas das maiores estrelas de Hollywood, dos teatros da Broadway e da música internacional. A lista de celebridades que compartilharam o microfone com ele é longínqua. 

Ganhadores do Prêmio Nobel, artistas formidáveis, nomes do universo musical, da MPB, além de (seus entrevistados favoritos) as mulheres e os homens admiráveis e anônimos do nosso país, mostrados em seu programa Brasileiros. Hoje consagrado como um dos melhores jornalistas de sua geração, e um dos grandes correspondentes internacionais que já passaram pela TV Globo, Edney Silvestre firmou-se também como escritor de ficção, vencendo o Prêmio Jabuti de Melhor Romance e o Prêmio São Paulo de Literatura, os dois maiores prêmios literários do Brasil, pelo romance Se eu fechar os olhos agora. Aqui, ele conta, sem restrições, como foi este percurso vitorioso. Nunca nenhum repórter revelou bastidores tão profundamente. Garanta o seu exemplar de "Segredos de Um Repórter", escrito por Edney Silvestre, neste link.


Serviço
Noite de autógrafos do livro "Segredos de Um Repórter" de Edney Silvestre. Terça-feira, dia 21 de novembro, às 19h. Livraria da Travessa do Shopping Iguatemi - Av. Brig. Faria Lima, 2232 - Piso Superior - Jardim Paulistano, São Paulo - SP, 01489-900.



terça-feira, 14 de novembro de 2023

.: Jeferson Tenório celebra literatura brasileira no “Encontros com Autores”


Autor do aclamado “O Avesso da Pele” reúne-se com o público no próximo dia 16, no Theatro Municipal de São Paulo

A série de “Encontros com Autores 2023”, que faz parte das comemorações dos 65 anos do Prêmio Jabuti, promovendo a interação de grandes nomes da literatura nacional com o público em geral, terá Jeferson Tenório no próximo evento, dia 16 de novembro, no Salão Nobre do Theatro Municipal de São Paulo. Nascido no Rio de Janeiro em 1977 e morando atualmente em Porto Alegre, Tenório ganhou o Prêmio Jabuti em Romance Literário de 2021 com “O Avesso da Pele”, obra que teve seus direitos vendidos para países como Portugal, Itália, Inglaterra, Canadá, França, México, Eslováquia, Suécia, China, Bélgica e EUA.

Doutor em Teoria Literária pela PUC-RS, Tenório foi colunista dos jornais Zero Hora e Uol/Folha de S. Paulo, além de professor visitante de Literatura na renomada Brown University, nos Estados Unidos. Sua obra literária inclui textos adaptados para o teatro e histórias traduzidas para inglês e espanhol. Ele também é autor do livro "Estela sem Deus" (2018).

A mediação do Encontros com Tenório será feita por Raquel Cozer, jornalista e editora com mais de 20 anos de experiência profissional. Cozer já atuou como repórter e colunista de literatura na Folha de S.Paulo e O Estado de S. Paulo, tendo recebido em 2015 o Prêmio Comunique-se como melhor jornalista de cultura em mídia impressa. Também foi editora-executiva nas editoras Planeta e Intrínseca, e diretora editorial na HarperCollins.

Iniciada em setembro de 2023, a série “Encontros com Autores” tem reunido renomados autores finalistas e ganhadores do Prêmio Jabuti, como Pedro Bandeira, Aline Bei, Itamar Vieira Junior e Luiza Romão. Nos encontros, os escritores tratam de temas ligados à Literatura, como criação e produção de obras nos diversos gêneros da ficção e não ficção. O próximo “Encontros”, ainda em novembro, terá a ilustre presença de Conceição Evaristo e mediação de Catita, “escrivinhadora” e professora.

Para encerrar o ciclo de debates, um encontro especial será feito com o autor premiado com o Livro do Ano de 2023, que será anunciado na 65ª edição do Prêmio Jabuti no dia 05 de dezembro. A conversa será mediada pelo curador do prêmio, Hubert Alquéres, e pela presidente da CBL, Sevani Matos.


Confira abaixo a programação completa
Programação da série de “Encontros com Autores 2023”, no Theatro Municipal de São Paulo:

27 de outubro, sexta-feira, 19h. Encontro com Itamar Vieira Junior - Mediação de Guilherme Sobota
Itamar Vieira Jr.
 é aclamado por seu notável romance "Torto Arado", que conquistou o Prêmio LeYa de 2018, o Prêmio Jabuti de 2020 e o Prêmio Oceanos de 2020. Nascido em Salvador, Bahia, em 1979, Itamar é geógrafo e doutor em Estudos Étnicos e Africanos pela UFBA. Seu romance "Torto Arado" é considerado um dos maiores sucessos da literatura brasileira das últimas décadas, cativando público e crítica. A obra foi traduzida em mais de vinte países e está prestes a ser adaptada para o audiovisual. Além disso, pela Editora Todavia, Itamar publicou também "Doramar ou a Odisseia: Histórias" e "Salvar o Fogo". A mediação ficará por conta de Guilherme Sobota, editor-chefe do PublishNews. Jornalista formado pela UFPR, Sobota atuou como repórter do Estadão por sete anos, cobrindo mercado editorial e literatura, bem como música, cinema, TV e artes visuais. Também foi coordenador de comunicação da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo e, depois, jornalista freelancer de jornais, revistas e clubes de leitura. Ele também já trabalhou como produtor cultural e em assessoria de imprensa política.


16 de novembro, quinta-feira, 19h. Encontro com Jeferson Tenório -- Mediação de Raquel Cozer
Jeferson Tenório
, autor nascido no Rio de Janeiro, em 1977, e atualmente radicado em Porto Alegre, é doutor em Teoria Literária pela PUC-RS e teve uma carreira literária rica e diversificada. Jeferson Tenório foi colunista dos jornais Zero Hora e Uol/Folha de S. Paulo, até abril de 2023. Além disso, ele foi professor visitante de Literatura na renomada Brown University, nos Estados Unidos. Sua obra literária inclui textos adaptados para o teatro e histórias traduzidas para inglês e espanhol. Ele é autor de obras como "Estela sem Deus" (2018) e "O Avesso da Pele" (2020), que não apenas ganhou o Prêmio Jabuti em Romance Literário de 2021, mas também teve seus direitos vendidos para países como Portugal, Itália, Inglaterra, Canadá, França, México, Eslováquia, Suécia, China, Bélgica e EUA. A mediação será feita pela jornalista e editora Raquel Cozer. Compre os livros de Jeferson Tenório neste link.


23 de novembro, quinta-feira, 19h. Encontro com Conceição Evaristo - Mediação de Catita, “escrivinhadora” e professora
Maria da Conceição Evaristo de Brito
 nasceu em Belo Horizonte, em 1946, e migrou para o Rio de Janeiro, na década de 1970. Graduada em Letras pela UFRJ, trabalhou como professora da rede pública de ensino na capital fluminense. É Mestre em Literatura Brasileira pela PUC do Rio de Janeiro, com a dissertação “Literatura Negra: uma poética de nossa afro-brasilidade” (1996). Doutora em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense, com a tese “Poemas malungos, cânticos irmãos” (2011), na qual estuda as obras poéticas dos afro-brasileiros Nei Lopes e Edimilson de Almeida Pereira, em confronto com a do angolano Agostinho Neto. Participante ativa dos movimentos de valorização da cultura negra em nosso país, estreou na literatura em 1990, quando passou a publicar seus contos e poemas na série Cadernos Negros. Escritora versátil, cultiva a poesia, a ficção e o ensaio. Desde então, seus textos vêm angariando cada vez mais leitores. A escritora participa de publicações na Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos. Seus contos vêm sendo estudados em universidades brasileiras e do exterior, tendo, inclusive, sido objeto da tese de doutorado de Maria Aparecida Andrade Salgueiro, publicada em livro em 2004, que faz um estudo comparativo da autora com a americana Alice Walker. Em 2003, publicou o romance “Ponciá Vicêncio”, pela Editora Mazza, de Belo Horizonte. Catita, a “escrivinhadora” e professora, fará a mediação desse encontro. Ela também é pesquisadora, editora, e co-fundadora do Coletivo de Escritoras Negras Flores de Baobá, além de sócia na Editora Feminas (desde 2022). Compõe suas obras, os livros Morada (Ed Feminas, 2019 - poemas), Notícias da Incerteza (Ed. Desconcertos, 2021 - crônicas) e Das Raízes à Colheita, em co-autoria com o coletivo Flores de Baobá (Ed Feminas, 2022). Compre os livros de Conceição Evaristo neste link.


7 de dezembro, quinta-feira, 19h. Encontro especial com o autor(a) vencedor (a) do Livro do Ano de 2023. Mediação - Hubert Alquéres e Sevani Matos
O último encontro terá realização especial. Contará com a presença do autor contemplado com a premiação de Livro do Ano de 2023. A conversa será mediada pelo Hubert Alquéres, que foi presidente da Imprensa Oficial de São Paulo, de 2003 a 2011. Atuante nas áreas de cultura e educação há mais de 40 anos, tem uma história antiga com o mais importante prêmio do livro brasileiro: durante seis anos, coordenou a Comissão do Prêmio Jabuti na Câmara Brasileira do Livro (CBL). Iniciou sua carreira na área acadêmica como professor na Escola Politécnica da USP e no Colégio Bandeirantes. Foi secretário estadual e secretário executivo na Secretaria de Educação, além de ter presidido por quatro vezes o Conselho Estadual de Educação de São Paulo, do qual é membro desde 1998.​ Atua como vice-presidente da Câmara Brasileira do Livro há 12 anos. Preside a Academia Paulista de Educação e o Conselho de Administração do Museu AfroBrasil, e é membro da Associação Amigos da Biblioteca Mário de Andrade. A presidente da CBL, Sevani Matos, também participa deste bate papo que compõem a série de Encontros com Autores. Com mais de 20 anos de carreira nas áreas administrativa e comercial, com passagens por empresas nacionais e multinacionais, ela também atuou no setor gráfico de livros. Formada em Comunicação Social, Sevani possui MBA em Administração e Gestão de Negócios, além de especialização em Marketing Digital. Já trabalhou na Artmed Editora e, há mais de 16 anos, atua como diretora-geral na VR Editora. Foi eleita em 28 de fevereiro de 2023 para a presidência da CBL integrando a chapa “O livro nos une”, para o biênio 2023-2025. Sevani já ocupava o cargo de diretora na CBL.

terça-feira, 24 de outubro de 2023

.: Itamar Vieira Junior fala sobre sucesso de suas obras em encontro literário


Itamar Vieira Junior fala sobre sucesso de suas obras no “Encontros com Autores” do Prêmio Jabuti 2023. Conversa com o autor acontecerá no dia 27 de outubro na Praça das Artes em SP; Jeferson Tenório e Conceição Evaristo serão os próximos convidados da série, que acontece até o início de dezembro. Foto: divulgação


O "Encontros com Autores 2023" continua surpreendendo os amantes da literatura com uma nova edição marcada para o dia 27 de outubro, na Sala do Conservatório da Praça das Artes, em São Paulo. Desta vez, o evento trará Itamar Vieira Junior, autor do aclamado romance"Torto Arado", que conquistou os prêmios Jabuti de 2020, LeYa de 2018, e Oceanos de 2020.

Itamar Vieira Junior, nascido em Salvador, Bahia, em 1979, é geógrafo e doutor em Estudos Étnicos e Africanos pela UFBA. Seu romance "Torto Arado" é considerado um dos maiores sucessos da literatura brasileira das últimas décadas, cativando tanto o público quanto a crítica literária. A obra já foi traduzida para mais de vinte países e está prestes a ser adaptada para o audiovisual. Além de "Torto Arado", Itamar publicou outros trabalhos notáveis, como "Doramar ou a Odisseia: Histórias" e "Salvar o Fogo", pela editora Todavia.

O evento será mediado por Guilherme Sobota, editor-chefe do PublishNews. Com uma sólida formação em jornalismo pela UFPR e experiência no mercado editorial, Sobota mediará a conversa sobre o trabalho de Itamar Vieira Junior e sua contribuição para a literatura brasileira. O projeto "Encontros com Autores 2023" tem como objetivo proporcionar oportunidade aos leitores e fãs de se aproximarem de escritores talentosos, explorarem suas obras e discutirem temas literários. A série de eventos é uma iniciativa da Câmara Brasileira do Livro (CBL) e do Theatro Municipal de São Paulo. Mais informações sobre ingressos e detalhes do evento podem ser obtidas no site oficial do Theatro Municipal, pela busca de “Encontros com Autores 2023” na programação. Compre os livros de Itamar Vieira Junior neste link.


Próximos convidados
A série de eventos “Encontros com Autores 2023” continua até dezembro, e contará com participações de autores de peso da literatura brasileira, como Jeferson Tenório e Conceição Evaristo. Os encontros explorarão diversos temas literários, processos criativos e a jornada dos escritores nos distintos gêneros literários, culminando em um encontro especial em dezembro com o autor premiado com o Livro do Ano de 2023.


Confira abaixo a programação completa

Programação da série de “Encontros com Autores 2023”, no Theatro Municipal de São Paulo:

27 de outubro, sexta-feira, 19h. Encontro com Itamar Vieira Junior - Mediação de Guilherme Sobota
Itamar Vieira Jr.
é aclamado por seu notável romance "Torto Arado", que conquistou o Prêmio LeYa de 2018, o Prêmio Jabuti de 2020 e o Prêmio Oceanos de 2020. Nascido em Salvador, Bahia, em 1979, Itamar é geógrafo e doutor em Estudos Étnicos e Africanos pela UFBA. Seu romance "Torto Arado" é considerado um dos maiores sucessos da literatura brasileira das últimas décadas, cativando público e crítica. A obra foi traduzida em mais de vinte países e está prestes a ser adaptada para o audiovisual. Além disso, pela Editora Todavia, Itamar publicou também "Doramar ou a Odisseia: Histórias" e "Salvar o Fogo". A mediação ficará por conta de Guilherme Sobota, editor-chefe do PublishNews. Jornalista formado pela UFPR, Sobota atuou como repórter do Estadão por sete anos, cobrindo mercado editorial e literatura, bem como música, cinema, TV e artes visuais. Também foi coordenador de comunicação da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo e, depois, jornalista freelancer de jornais, revistas e clubes de leitura. Ele também já trabalhou como produtor cultural e em assessoria de imprensa política.


16 de novembro, quinta-feira, 19h. Encontro com Jeferson Tenório -- Mediação de Raquel Cozer
Jeferson Tenório
, autor nascido no Rio de Janeiro, em 1977, e atualmente radicado em Porto Alegre, é doutor em Teoria Literária pela PUC-RS e teve uma carreira literária rica e diversificada. Jeferson Tenório foi colunista dos jornais Zero Hora e Uol/Folha de S. Paulo, até abril de 2023. Além disso, ele foi professor visitante de Literatura na renomada Brown University, nos Estados Unidos. Sua obra literária inclui textos adaptados para o teatro e histórias traduzidas para inglês e espanhol. Ele é autor de obras como "Estela sem Deus" (2018) e "O Avesso da Pele" (2020), que não apenas ganhou o Prêmio Jabuti em Romance Literário de 2021, mas também teve seus direitos vendidos para países como Portugal, Itália, Inglaterra, Canadá, França, México, Eslováquia, Suécia, China, Bélgica e EUA. A mediação será feita pela jornalista e editora Raquel Cozer. Compre os livros de Jeferson Tenório neste link.


23 de novembro, quinta-feira, 19h. Encontro com Conceição Evaristo - Mediação de Catita, “escrivinhadora” e professora
Maria da Conceição Evaristo de Brito
nasceu em Belo Horizonte, em 1946, e migrou para o Rio de Janeiro, na década de 1970. Graduada em Letras pela UFRJ, trabalhou como professora da rede pública de ensino na capital fluminense. É Mestre em Literatura Brasileira pela PUC do Rio de Janeiro, com a dissertação “Literatura Negra: uma poética de nossa afro-brasilidade” (1996). Doutora em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense, com a tese “Poemas malungos, cânticos irmãos” (2011), na qual estuda as obras poéticas dos afro-brasileiros Nei Lopes e Edimilson de Almeida Pereira, em confronto com a do angolano Agostinho Neto. Participante ativa dos movimentos de valorização da cultura negra em nosso país, estreou na literatura em 1990, quando passou a publicar seus contos e poemas na série Cadernos Negros. Escritora versátil, cultiva a poesia, a ficção e o ensaio. Desde então, seus textos vêm angariando cada vez mais leitores. A escritora participa de publicações na Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos. Seus contos vêm sendo estudados em universidades brasileiras e do exterior, tendo, inclusive, sido objeto da tese de doutorado de Maria Aparecida Andrade Salgueiro, publicada em livro em 2004, que faz um estudo comparativo da autora com a americana Alice Walker. Em 2003, publicou o romance “Ponciá Vicêncio”, pela Editora Mazza, de Belo Horizonte. Catita, a “escrivinhadora” e professora, fará a mediação desse encontro. Ela também é pesquisadora, editora, e co-fundadora do Coletivo de Escritoras Negras Flores de Baobá, além de sócia na Editora Feminas (desde 2022). Compõe suas obras, os livros Morada (Ed Feminas, 2019 - poemas), Notícias da Incerteza (Ed. Desconcertos, 2021 - crônicas) e Das Raízes à Colheita, em co-autoria com o coletivo Flores de Baobá (Ed Feminas, 2022). Compre os livros de Conceição Evaristo neste link.


7 de dezembro, quinta-feira, 19h. Encontro especial com o autor(a) vencedor (a) do Livro do Ano de 2023. Mediação - Hubert Alquéres e Sevani Matos
O último encontro terá realização especial. Contará com a presença do autor contemplado com a premiação de Livro do Ano de 2023. A conversa será mediada pelo Hubert Alquéres, que foi presidente da Imprensa Oficial de São Paulo, de 2003 a 2011. Atuante nas áreas de cultura e educação há mais de 40 anos, tem uma história antiga com o mais importante prêmio do livro brasileiro: durante seis anos, coordenou a Comissão do Prêmio Jabuti na Câmara Brasileira do Livro (CBL). Iniciou sua carreira na área acadêmica como professor na Escola Politécnica da USP e no Colégio Bandeirantes. Foi secretário estadual e secretário executivo na Secretaria de Educação, além de ter presidido por quatro vezes o Conselho Estadual de Educação de São Paulo, do qual é membro desde 1998.​ Atua como vice-presidente da Câmara Brasileira do Livro há 12 anos. Preside a Academia Paulista de Educação e o Conselho de Administração do Museu AfroBrasil, e é membro da Associação Amigos da Biblioteca Mário de Andrade. A presidente da CBL, Sevani Matos, também participa deste bate papo que compõem a série de Encontros com Autores. Com mais de 20 anos de carreira nas áreas administrativa e comercial, com passagens por empresas nacionais e multinacionais, ela também atuou no setor gráfico de livros. Formada em Comunicação Social, Sevani possui MBA em Administração e Gestão de Negócios, além de especialização em Marketing Digital. Já trabalhou na Artmed Editora e, há mais de 16 anos, atua como diretora-geral na VR Editora. Foi eleita em 28 de fevereiro de 2023 para a presidência da CBL integrando a chapa “O livro nos une”, para o biênio 2023-2025. Sevani já ocupava o cargo de diretora na CBL.

terça-feira, 10 de outubro de 2023

.: Clube de Leitura da Japan House São Paulo discute liberdade e vida nômade


A edição de outubro do Clube de Leitura Japan House + Quatro Cinco Um discute liberdade e vida nômade a partir do livro "Sunny Sunny Ann!", escrito por Miki Yamamoto. Na última quinta-feira do mês, 26 de outubro, às 19h, o cartunista convidado Caco Galhardo, autor de “Os Pescoçudos” - tirinha veiculada na Folha de S. Paulo entre 1997 e 2010 - conversa com os mediadores Paulo Werneck, diretor de redação da Quatro Cinco Um e Natasha Barzaghi Geenen, Diretora Cultural da JHSP, sobre a publicação.

O título narra as situações vividas pela protagonista Ann, uma mulher independente e livre que decidiu viver uma vida nômade, seguindo seu rumo, dirigindo pelo mundo. Sua casa é seu carro e a estrada é sua rotina. Durante suas aventuras, se depara com diferentes questionamentos sobre a vida em sociedade, liberdade e felicidade. Miki Yamamoto tem fortes influências de Kyoko Okazaki, autora de “Pink, Happy House” e carrega em seu estilo gráfico peculiar, traços fortes que se mesclam com a própria personalidade de Ann.

"Sunny Sunny Ann!" foi publicado entre 2011 e 2012 e ganhou o Prêmio Cultural Osamu Tezuka, como Nova Artista em 2013 e foi finalista do Festival Internacional de Quadrinhos Angoulême em 2019. O gênero mangá já foi discutido em outras edições do Clube de Leitura com títulos como Ayako, de Osamu Tezuka e Kanikōsen de Takiji Kobayashi, esta última contou com as leituras do livro original e da versão em quadrinhos.

Miki Yamamoto estudou Artes na universidade de Tsukuba e estreou sua carreira artística com o mangá Bakudan no Ribbon, um mangá sem falas, tema de suas pesquisas. Também é autora de How Are You, que foi selecionado pelo júri para o 19º Japan Media Arts Festival. Miki é professora de arte e design na Universidade de Tsukuba. Compre o livro "Sunny Sunny Ann!", de Miki Yamamoto, neste link.


Sobre o Clube de leitura Japan House São Paulo + Quatro Cinco Um
Com um caráter informal, o Clube de leitura Japan House São Paulo + Quatro Cinco Um, conta sempre com a presença de um leitor convidado e já recebeu grandes profissionais da tradução japonesa no Brasil, autores brasileiros contemporâneos, editores, críticos, jornalistas e personalidades da cultura.

Com a mediação de Natasha Barzaghi Geenen, Diretora Cultural da JHSP, e Paulo Werneck, editor da revista Quatro Cinco Um, o Clube discute livros de autores nipônicos traduzidos diretamente do japonês para o português, com o objetivo de ampliar o acesso dos brasileiros a este universo literário. Todo mês, o encontro de caráter informal conta também com a presença de um leitor convidado, e já recebeu grandes profissionais da tradução japonesa no Brasil, autores brasileiros contemporâneos, editores, críticos, jornalistas e personalidades da cultura. Garanta o seu exemplar de "Sunny Sunny Ann!", escrito por Miki Yamamoto, neste link.


Serviço
Clube de Leitura JHSP + Quatro Cinco Um. “Sunny Sunny Ann”, de Miki Yamamoto. Quinta-feira, 26 de outubro de 2023, às 19h. Duração: aproximadamente 90 minutos. Custo: participação gratuita, mediante inscrição prévia (vagas limitadas). Inscrição: https://www.sympla.com.br/evento-online/clube-de-leitura-jhsp-451-sunny-sunny-ann-outubro/2183243Acesso: on-line, via plataforma Zoom. O link de acesso é enviado aos inscritos por e-mail.  Os participantes terão 20% de desconto na compra do livro "Sunny Sunny Ann!" pelo site da livraria Martins Fontes Paulista por meio do cupom "jhsp451set23". O cupom é de uso único por CPF e fica vigente entre até dia 29 de outubro.

terça-feira, 3 de outubro de 2023

.: “Encontros com Autores” do Prêmio Jabuti conversa com Pedro Bandeira


Conversa com o autor faz parte de série de eventos que acontece até o início de dezembro, e que contará com participações de Aline Bei, Itamar Vieira Jr, Jeferson Tenório e Conceição Evaristo. Foto: Ayumi Yamamoto


Na próxima quinta-feira, dia 5 de outubro será promovido, pela Câmara Brasileira do Livro (CBL) e pelo Theatro Municipal de São Paulo, mais uma conversa da série “Encontros com Autores 2023”, que integra a celebração dos 65 anos do Prêmio Jabuti. Desta vez, o papo será com o autor Pedro Bandeira, Personalidade Literária da 65ª edição do Prêmio Jabuti. A mediação será da jornalista Maria Fernanda Rodrigues.

Bandeira é um dos mais influentes autores da literatura infantojuvenil brasileira, e é o homenageado do ano por sua contribuição para o mundo literário e seu compromisso em enriquecer a imaginação de leitores de todas as idades. Ao longo de sua carreira, Bandeira escreveu mais de 130 livros, com a venda de mais de 28 milhões de exemplares. Sua dedicação à literatura e a qualidade de suas narrativas renderam-lhe uma série de prêmios além do Prêmio Jabuti, com a obra "O Fantástico Mistério de Feiurinha" (1986); Troféu APCA; Adolfo Aizen; o da Academia Brasileira de Letras; e da União Brasileira de Escritores, além do reconhecimento pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.

Nascido em Santos, São Paulo, em 1942, Pedro trilhou um percurso diversificado antes de se destacar como renomado escritor. Com experiências no teatro, atuando como ator, diretor e cenógrafo, e também na produção de comerciais de televisão, Bandeira iniciou sua incursão na literatura em 1972 com a publicação de suas primeiras histórias infantis. A partir de 1983, dedicou-se integralmente à escrita, marcando o início de uma prolífica jornada literária com "O Dinossauro que Fazia Au-Au". O ápice de sua carreira ocorreu em 1984, com o lançamento de "A Droga da Obediência", que deu origem à famosa série "Os Karas". Sua versatilidade literária abrange contos, poemas e narrativas de diversos tons, e sua habilidade de envolver leitores de todas as idades, aliada à excelência de suas criações, o consagra como um verdadeiro pioneiro na literatura infantojuvenil.

A mediadora, Maria Fernanda Rodrigues é jornalista, repórter de literatura e colunista do jornal O Estado de S. Paulo. É responsável pelas colunas "Babel" e "Um Livro Por Semana". Foi editora do PublishNews e fez assessoria de imprensa para editoras e eventos literários e culturais. É formada pela Universidade Católica de Santos e fez pós-graduação em Semiótica e Psicanálise na Puc-SP.

Os encontros seguirão até o mês de dezembro, com a participação de renomados autores finalistas e ganhadores do Prêmio Jabuti, como Aline Bei, Itamar Vieira Junior, Jeferson Tenório e Conceição Evaristo. Os escritores abordarão temas ligados à Literatura, à criação e à formação do autor e abordarão como produzir obras nos diversos gêneros de ficção e não ficção. O mês de dezembro contará ainda com um encontro especial, com o autor contemplado com o Livro do Ano de 2023.


Programação da série de “Encontros com Autores 2023”, no Theatro Municipal de São Paulo:

5 de outubro, quinta-feira, 19h – Encontro com Pedro Bandeira – Mediação Maria Fernanda Rodrigues
Pedro Bandeira, a Personalidade Literária do Prêmio Jabuti 2023, nasceu em Santos, São Paulo, em 1942, e trilhou um caminho multifacetado antes de se estabelecer como um escritor notável. Sua trajetória inclui trabalhos no teatro profissional, tanto como ator quanto como diretor e cenógrafo. Ele também desempenhou funções de redator, editor e ator em comerciais de televisão. Em 1972, teve suas primeiras histórias infantis publicadas em revistas da Editora Abril. A partir de 1983, dedicou-se exclusivamente à escrita, marcando o início de uma jornada literária com a publicação do livro "O Dinossauro que Fazia Au-Au".


18 de outubro, quarta-feira, 19h. Encontro com Aline Bei - Mediação de Cláudio Leal
Aline Bei nasceu em São Paulo, em 9 outubro 1987. É formada em Letras pela PUC-SP, em Artes Cênicas pelo Teatro Escola Célia-Helena e pós-graduada em Escritas Performáticas pela PUC-RIO. “O Peso do Pássaro Morto”, finalista do prêmio Rio de Literatura e vencedor do prêmio São Paulo de Literatura e do prêmio Toca, é o seu primeiro livro. Em 2021, lançou seu segundo livro, “Pequena Coreografia do Adeus”, pela Companhia das Letras. O romance foi finalista do Prêmio Jabuti e do Prêmio São Paulo de Literatura e já vendeu mais de 100 mil cópias. Está sendo adaptado para o teatro por Tarcila Tanhã e foi adaptado para uma videodança por Georgia Palomino e Suzane Rossan. Foi publicado em Portugal pela Particular Editora. Responsável pela mediação, Cláudio Leal é jornalista, colaborador da Folha de S.Paulo e doutorando em Teoria, História e Crítica de Cinema pela ECA-USP.


27 de outubro, sexta-feira, 19h. Encontro com Itamar Vieira Junior
Itamar Vieira Junior é aclamado por seu notável romance "Torto Arado", que conquistou o Prêmio LeYa de 2018, o Prêmio Jabuti de 2020 e o Prêmio Oceanos de 2020. Nascido em Salvador, Bahia, em 1979, Itamar é geógrafo e doutor em Estudos Étnicos e Africanos pela UFBA. Seu romance "Torto Arado" é considerado um dos maiores sucessos da literatura brasileira das últimas décadas, cativando público e crítica. A obra foi traduzida em mais de vinte países e está prestes a ser adaptada para o audiovisual. Além disso, pela Editora Todavia, Itamar publicou também "Doramar ou a Odisseia: Histórias" e "Salvar o Fogo".


16 de novembro, quinta-feira, 19h. Encontro com Jeferson Tenório
Jeferson Tenório, autor nascido no Rio de Janeiro, em 1977, e atualmente radicado em Porto Alegre, é doutor em Teoria Literária pela PUC-RS e teve uma carreira literária rica e diversificada. Jeferson Tenório foi colunista dos jornais Zero Hora e Uol/Folha de S. Paulo, até abril de 2023. Além disso, ele foi professor visitante de Literatura na renomada Brown University, nos Estados Unidos. Sua obra literária inclui textos adaptados para o teatro e histórias traduzidas para inglês e espanhol. Ele é autor de obras como "Estela sem Deus" (2018) e "O Avesso da Pele" (2020), que não apenas ganhou o Prêmio Jabuti em Romance Literário de 2021, mas também teve seus direitos vendidos para países como Portugal, Itália, Inglaterra, Canadá, França, México, Eslováquia, Suécia, China, Bélgica e EUA.


23 de novembro, quinta-feira, 19h. Encontro com Conceição Evaristo
Maria da Conceição Evaristo de Brito
nasceu em Belo Horizonte, em 1946, e migrou para o Rio de Janeiro, na década de 1970. Graduada em Letras pela UFRJ, trabalhou como professora da rede pública de ensino na capital fluminense. É Mestre em Literatura Brasileira pela PUC do Rio de Janeiro, com a dissertação “Literatura Negra: uma poética de nossa afro-brasilidade” (1996). Doutora em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense, com a tese “Poemas malungos, cânticos irmãos” (2011), na qual estuda as obras poéticas dos afro-brasileiros Nei Lopes e Edimilson de Almeida Pereira, em confronto com a do angolano Agostinho Neto. Participante ativa dos movimentos de valorização da cultura negra em nosso país, estreou na literatura em 1990, quando passou a publicar seus contos e poemas na série Cadernos Negros. Escritora versátil, cultiva a poesia, a ficção e o ensaio. Desde então, seus textos vêm angariando cada vez mais leitores. A escritora participa de publicações na Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos. Seus contos vêm sendo estudados em universidades brasileiras e do exterior, tendo, inclusive, sido objeto da tese de doutorado de Maria Aparecida Andrade Salgueiro, publicada em livro em 2004, que faz um estudo comparativo da autora com a americana Alice Walker. Em 2003, publicou o romance “Ponciá Vicêncio”, pela Editora Mazza, de Belo Horizonte.


7 de dezembro, quinta-feira, 19h. Encontro especial, com o autor contemplado com o Livro do Ano de 2023. Mediação – Hubert Alquéres
O último encontro terá realização especial. Contará com a presença do autor contemplado com a premiação de Livro do Ano de 2023. A conversa será mediada pelo Hubert Alquéres, que foi presidente da Imprensa Oficial de São Paulo, de 2003 a 2011. Atuante nas áreas de cultura e educação há mais de 40 anos, tem uma história antiga com o mais importante prêmio do livro brasileiro: durante seis anos, coordenou a Comissão do Prêmio Jabuti na Câmara Brasileira do Livro (CBL). Iniciou sua carreira na área acadêmica como professor na Escola Politécnica da USP e no Colégio Bandeirantes. Foi secretário estadual e secretário executivo na Secretaria de Educação, além de ter presidido por quatro vezes o Conselho Estadual de Educação de São Paulo, do qual é membro desde 1998.​ Atua como vice-presidente da Câmara Brasileira do Livro há 12 anos. Preside a Academia Paulista de Educação e o Conselho de Administração do Museu AfroBrasil, e é membro da Associação Amigos da Biblioteca Mário de Andrade.

terça-feira, 26 de setembro de 2023

.: Clube de Leitura da Japan House São Paulo discute "As Últimas Crianças de Tóquio"


Acontece na próxima semana a edição de setembro do Clube de Leitura Japan House + Quatro Cinco Um. O livro "As Últimas Crianças de Tóquio", de Yoko Tawada, protagoniza a edição. A convidada especial é Juliana Leite, autora de "Humanos Exemplares", com mediação de Paulo Werneck, diretor de redação da Quatro Cinco Um e Natasha Barzaghi Geenen, diretora cultural da JHSP, sobre a obra da aclamada autora japonesa. O romance da aclamada escritora japonesa reflete sobre o amor familiar em meio ao cenário de caos. O encontro ocorre na última quinta-feira do mês, 28 de setembro, às 19h.

Essa é a segunda vez que um livro de Yoko Tawada é escolhido para o Clube de Leitura, que, em 2019, estreou o projeto com um encontro que discutiu a obra zoopoética “Memórias de Um Urso Polar”, publicada em maio do mesmo ano. Em “As Últimas Crianças de Tóquio”, lançamento de 2023 com tradução de Satomi Takano Kitahara, o cenário apocalíptico marca uma atmosfera de desilusão e desesperança na vida dos personagens.

Animais extintos, catástrofes naturais, poluição e a fragilidade das crianças que morrem cada vez mais cedo, são algumas das características dessa Tóquio ficcional. Entretanto, o engajamento de Yoshirô, um homem de oitenta anos, em salvar seu bisneto se transforma em uma inspiração para que a cura para as crianças seja encontrada. É o amor fraterno que proporciona um vislumbre de esperança em meio ao caos.

Yoko Tawada nasceu em Tóquio em 1960 e mudou-se para Hamburgo, na Alemanha, aos 22 anos. A autora vive em Berlim e escreve em japonês e alemão. Publicou livros em diversos estilos como romances, poemas, peças teatrais e ensaios - esta é a terceira obra de Tawada traduzida para a língua portuguesa. É uma das autoras mais aclamadas do Japão, sendo reconhecida por premiações como o Prêmio Akutagawa, o Prêmio Adelbert von Chamisso, o Prêmio Tanizaki, o Prêmio Kleist e a Medalha Goethe. Compre o livro "As Últimas Crianças de Tóquio", de Yoko Tawada, neste link.


Sobre o Clube de leitura Japan House São Paulo + Quatro Cinco Um
Com um caráter informal, o Clube de leitura Japan House São Paulo + Quatro Cinco Um, conta sempre com a presença de um leitor convidado e já recebeu grandes profissionais da tradução japonesa no Brasil, autores brasileiros contemporâneos, editores, críticos, jornalistas e personalidades da cultura.

Organizado pela Japan House São Paulo e Quatro Cinco Um, o projeto gratuito e aberto para todos os públicos, põe a literatura japonesa em diálogo com grandes tradições literárias internacionais. Seu objetivo é promover uma discussão de alto nível, realizada a partir das chaves de leitura apresentadas pelos convidados e da experiência compartilhada pelos participantes. A mediação e curadoria é feita em conjunto pela Quatro Cinco um e a Japan House São Paulo. Garanta o seu exemplar de "As Últimas Crianças de Tóquio", escrito por Yoko Tawada, neste link.


Serviço
Clube de Leitura JHSP + Quatro Cinco Um. “As Últimas Crianças de Tóquio”, de Yoko Tawada pela Todavia (tradução de Satomi Takano Kitahara. Quinta-feira, 28 de setembro de 2023. Horário: 19h. Duração: aproximadamente 90 minutos. Custo: participação gratuita, mediante inscrição prévia (vagas limitadas). Inscrição: https://bit.ly/ClubeJHSP451set. Acesso: on-line, via plataforma Zoom. O link de acesso é enviado aos inscritos por e-mail. Participantes do clube têm acesso a compra com 20% de desconto, cedido pela Todavia, no site da Livraria Martins Fontes. Para usá-lo, basta aplicar o cupom toquio20.

segunda-feira, 31 de julho de 2023

.: Memorial dá início ao Clube do Livro Latino-americano nesta quarta-feira


A premissa é realizar, todos meses, encontros híbridos e debates acerca da obra escolhida na Biblioteca Latino-americana. O romance "98 Segundos Sem Sombra", escrito pela premiada autora boliviana Giovanna Rivero, vai estrear a atividade. Os debates presenciais do Clube do Livro ocorrerão na Biblioteca Latino-americana. Foto: divulgação


A produção literária latino-americana é destaque em nova atividade do Memorial da América Latina. A Fundação vai sediar, a partir da próxima quarta-feira, dia 2 de agosto, das 19h às 21h, o Clube do Livro Latino-americano. O objetivo é ler e debater obras que foram produzidas por autores representativos de diferentes países do continente uma vez ao mês. O romance "98 Segundos Sem Sombra" (2022), escrito pela premiada autora boliviana Giovanna Rivero e lançado pela editora Jandaíra, vai estrear a atividade. O livro narra a história de uma jovem dos anos 1980 em um ambiente rural latino-americano devastado pelo tráfico de drogas.

As escolhas dos livros a serem debatidos são todos de autoria feminina. Os outros livros já confirmados para o clube são: "De Amor e de Sombra" (1984), da chilena Isabel Allende, em 20 de setembro; "A Autobiografia de Minha Mãe" (1996), da caribenha Jamaica Kincaid, em 4 de outubro; "Exploração" (2023), da peruana Gabriela Weiner, em 25 de novembro. Os encontros terão formato híbrido.

Além dos participantes se reunirem presencialmente no auditório da Biblioteca Latino-americana, os interessados poderão participar virtualmente, por meio de sessão aberta em tempo real via Zoom – o link será sempre disponibilizado no site memorial.org.br. O Clube do Livro é gratuito e contará sempre com a presença de mediadores que definem os temas-chaves das leituras e organizarem os comentários. 

Para a próxima quarta-feira, os participantes contarão com a mediação de Nadia Ayelen Medail e Giulia Tofanini de Souza, ambas alunas da pós-graduação da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH/USP). O auditório da Biblioteca Latino-Americana tem capacidade para receber até 100 pessoas. 

Para participar do Clube do Livro, basta chegar no local com pelo menos dez minutos de antecedência. A entrada do Memorial mais próxima da biblioteca é o Portão 2, a 300 metros da saída da Estação Barra Funda (Metrô, CPTM, Rodoviária) e logo ao lado da Universidade Nove de Julho (Uninove) – Memorial. A programação prevista pode ser consultada no site memorial.org.br ou nas redes sociais da Fundação (@memorialdaamericalatina). Compre o livro "98 Segundos Sem Sombra", de Giovanna Rivero, neste link.


Giovanna Rivero é a autora da obra que vai estrear o Clube do Livro. Foto: Irene Antúnes/ divulgação

"98 Segundos Sem Sombra" narra a história de Genoveva Bravo Genovés, jovem que vive em Therox, lugar fictício dentro de um país real. Lugar de nome tão forasteiro à Bolívia como os agentes da DEA infiltrados na cidade, cuja economia depende sobretudo do narcotráfico. Uma garota como tantas, como todas, tateando sua identidade em meio ao dia a dia com a família, no colégio só para senhoritas, através do encantamento com o misterioso Mestre Hernán e sua aura de guru new age. Giovanna Rivero é a autora da obra que vai estrear o Clube do Livro. 

Neste romance de formação, os valores rígidos do catolicismo, tão arraigados em nosso continente, colidem com o misticismo popular que a adolescente vivencia em casa ao lado da cálida e colorida figura da avó. A distância no tempo e espaço (estamos em meados dos anos 1980) em nenhum momento afasta Genoveva de nós.

Pelo contrário, seu crescimento ao longo do romance nos parece tão íntimo, sua dimensão humana tão visceral, que nos tornamos mais do que testemunhas de sua história; enquanto nossa heroína-narradora escreve em um diário os pensamentos e até as maldades próprias da soberba juvenil, nos tornamos seus confidentes, uma espécie de diário-leitor (ou leitor-diário), capazes de entrever suas incoerências, falhas de julgamento, as mentiras que conta a si mesma, mas também sua ternura e, acima de tudo, a vontade de alçar voos maiores, muito maiores do que a pequena Therox pode oferecer. Garanta o seu exemplar de "98 Segundos Sem Sombra", escrito por Giovanna Rivero, neste link.


Sobre o Memorial

O Memorial da América Latina não é museu, não é teatro, muito menos galeria de artes, fórum de pesquisas científicas e acadêmicas, ou um espaçoso centro de convenções, festas e shows de música. Não é nada disto isoladamente, mas é tudo isso ao mesmo tempo e em um mesmo lugar. Esse generoso espaço de 84.840 m², colado ao Terminal do Metrô Barra Funda, transformou-se em realidade no dia 18 de março de 1989, quando foi inaugurado, e de lá para cá é conhecido como a “esquina da América Latina em São Paulo”.

Nasceu com essa missão: ser polo de integração social, cultural e político dos países de língua latina e caribenha, para resgatar a antiga ideia de solidariedade e de união defendidas pelos libertadores da América no século 19. Era preciso que os latino-americanos não se esquecessem de seu passado, de suas origens. Assim surgiu o “espetáculo da arquitetura”, como o próprio Oscar Niemeyer traduziu a obra que saiu de sua prancheta. Nela, o antropólogo Darcy Ribeiro se inspirou para costurar o conceito cultural que dialoga com a criação do arquiteto em todas as suas vertentes e atividades.

O Memorial da América Latina é uma fundação de direito público do Governo do Estado de São Paulo, sem fins lucrativos. Tem autonomia financeira e administrativa e está vinculado à Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, de acordo com o decreto nº 52.085, de 23 de agosto de 2007.


Serviço:

Clube do Livro Latino-americano com o livro "98 Segundos Sem Sombra", escrito por Giovanna Rivero. Periodicidade: mensal. Horário: das 19h às 21h. Link: memorial.org.br. Endereço: Auditório da Biblioteca Latino-Americana. Rua Tagipurus, n.º 500 - São Paulo. Próximo à estação Barra Funda de metrô (linha vermelha), CPTM e rodoviária. Entrada gratuita.

domingo, 16 de julho de 2023

.: Bienal do Livro Rio: Carla Madeira e Valter Hugo Mãe se encontram


Carla Madeira e Valter Hugo Mãe se encontram em painel que promete emocionar o público com histórias reais, mediado pelo influenciador digital Pedro Pacífico. Foto de 
Valter Hugo Mãe: Hiroki Kobayashi. Foto de Carla Madeira: divulgação.


A edição que comemora os 40 anos da Bienal do Livro Rio, maior festival de literatura, cultura e entretenimento do país, coloca frente a frente dois best-sellers: a brasileira Carla Madeira e o português Valter Hugo Mãe. Mediado pelo influenciador Pedro Pacífico, o painel “Escritas com o Coração” está previsto para o feriado de 7 de setembro, às 15h, no Riocentro, Barra da Tijuca. Esta será a primeira vez de ambos juntos em um evento literário.

Carla Madeira é autora de dois dos livros mais lidos no Brasil: “Tudo É Rio” (2014) e “Véspera” (2021), além de “A Natureza da Mordida” (2018, todos da Editora Record). Já Valter Hugo Mãe é um dos fenômenos da literatura de língua portuguesa pós José Saramago. “A Minha Mãe é a Minha Filha” acaba de sair pela Globo Livros, editora que já publicou outros 13 títulos do autor.

Já o mediador Pedro Pacífico lançará o seu primeiro livro em agosto: o autobiográfico “Trinta Segundos sem Pensar no Medo – Memórias de Um leitor”, que será lançado pela editora Intrínseca. Para quem acompanha as suas postagens e pensa que desde sempre havia quase meio milhão de seguidores por lá, Pedro rebobina os seus passos como leitor e revela como foi o processo de criação do Bookster. E a surpresa maior: o texto da quarta capa foi escrito pela Carla Madeira e a orelha, por Valter Hugo Mãe.

A Bienal do Livro Rio será realizada entre os dias 1° e 10 de setembro, no Riocentro, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Serão mais de 300 autores e 200 horas de programação para toda a família na já considerada "Bienal das Narrativas", regada a diversão, efervescência, troca e proximidade.

segunda-feira, 10 de julho de 2023

.: Jenna Evans Welch, autora de "Amor & Gelato", estará na Bienal do Livro Rio


Autora de “Amor & Gelato”, Jenna Evans Welch virá à Bienal do Livro Rio para lançar “Feitiço para Coisas Perdidas”.


Mais um nome internacional de peso confirmou participação na edição comemorativa dos 40 anos da Bienal do Livro Rio: a autora estadunidense Jenna Evans Welch. Ela virá ao Brasil para autografar o recente “Feitiço para Coisas Perdidas”, lançado no Brasil pela editora Intrínseca, que chegou às livrarias em março. O maior festival de literatura, cultura e entretenimento do país será realizado entre os dias 1° e 10 de setembro, no Riocentro, no Rio de Janeiro.

Leitora voraz desde criança, Jenna já estreou na literatura com o best-seller “Amor & Gelato” (2016), publicado em cerca de 20 países e adaptado em 2022 pela Netflix. A Intrínseca também já publicou “Amor & Sorte” (2018) e “Amor & Azeitonas” (2021). Juntos, os três já venderam mais de 630 mil exemplares para os leitores brasileiros.

“Feitiço para Coisas Perdidas”, o novo romance da autora, traz uma trama encantadora sobre amor, família e descobertas. Willow e Mason sentem que não pertencem a lugar nenhum. A jovem Willow acredita que a única maneira de encontrar o seu verdadeiro lar é viajando pelo mundo, mas os seus planos são interrompidos quando a sua mãe a leva para longe a fim de resolver uma herança inesperada.

Já Mason é um garoto solitário que sempre se sentiu deslocado. Ele vive entrando e saindo de lares temporários e o seu maior desejo é reencontrar a mãe, que não vê há muitos anos. Enquanto isso, ele se agarra ao estudo do céu noturno na esperança de que, um dia, tudo se alinhará. Quando Willow e Mason se conhecem, a conexão é imediata. É como se as estrelas estivessem enviando um recado.

Sem a certeza de que poderão ficar juntos, eles embarcam em uma jornada para desvendar os mistérios por trás da família de Willow. Conforme o passado secreto e mágico da família da jovem vem à tona, eles terão que unir forças e, quem sabe, lançar um feitiço para desfazer uma maldição que se perpetua há gerações. “Feitiço para Coisas Perdidas” é divertido e emocionante na mesma medida, marca registrada da escrita de Jenna Evans Welch, que participou on-line da Bienal do Livro Rio em 2021. Compre o livro “Feitiço para Coisas Perdidas”, de Jenna Evans Welch, neste link.

terça-feira, 27 de junho de 2023

.: Mia Couto vem a Ribeirão Preto para a 22ª Feira Internacional do Livro


Depois de duas participações on-line, em 2021 e 2022, autor moçambicano, vencedor do Prêmio Camões, fará conferência no Theatro Pedro II e sessões de autógrafos na Biblioteca Sinhá Junqueira

Um dos principais autores contemporâneos da Língua Portuguesa, Mia Couto, estará em Ribeirão Preto nos dias 16 e 17 de agosto, durante a realização da 22ª edição da Feira Internacional do Livro (FIL). Será a terceira participação do escritor moçambicano no evento. Em 2021, participou remotamente do projeto Recortando Palavras e, no ano seguinte, fez uma conferência, também on-line, diretamente de Maputo, capital de Moçambique, onde vive.

Mia Couto tem 68 anos. É biólogo, jornalista e autor de mais de 30 livros, entre prosa e poesia. Seu romance “Terra Sonâmbula” é considerado um dos 12 melhores livros africanos do século XX. Recebeu uma série de prêmios literários, entre eles o Camões, em 2013, o mais prestigioso da Língua Portuguesa; o Neustadt International Prize, em 2014, e foi indicado para o Man Booker International Prize de 2015. 

É membro correspondente da Academia Brasileira de Letras e tem suas obras publicadas no Brasil pela Companhia das Letras. Seu livro mais recente é “As Pequenas Doenças da Eternidade”, um volume de contos que tem relação com a pandemia de Covid-19 e com a infância do autor em Beira, a quarta maior cidade de Moçambique, na África.

A conferência com Mia Couto será realizada no dia 16 de agosto, às 19h30, na Sala Principal do Theatro Pedro II, com mediação da escritora Aline Bei, autora de “O Peso do Pássaro Morto”, vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura (2018) e do Prêmio Toca, e de “Pequena Coreografia do Adeus”. Para a curadora da FIL, a educomunicadora Adriana Silva, a participação de Mia Couto, de forma presencial nesta 22ª edição, representa a consagração da internacionalidade da feira. “Trazê-lo para Ribeirão Preto ecoa a vontade de muitos leitores. Há anos somos abordados pelos participantes para promovermos uma conferência com o escritor. O aceite dele nos qualifica enquanto projeto literário”, conclui. Compre o livro de contos "As Pequenas Doenças da Eternidade", o mais recente de Mia Couto, neste link.



Encontro com o leitor
Além da conferência, Mia Couto também participará de sessões de autógrafos no dia seguinte, 17 de agosto, na Biblioteca Sinhá Junqueira. Os horários serão das 10h às 11h30 e das 14h30 às 16h. O autor trará uma edição especial para os leitores brasileiros do seu mais recente lançamento: o livro de contos “As Pequenas Doenças da Eternidade”. Nesta obra, constam histórias que tratam de grandes males que assombram a sociedade, dos tempos mais remotos aos dias atuais. 

A perspectiva da finitude, o medo do abandono, indiferença, traições, guerras e pandemias - são estes alguns dos temas que perpassam os textos aqui reunidos. Haverá distribuição de senhas 1h antes da atividade. A capacidade máxima é de 70 pessoas por sessão e serão assinados somente livros do autor. "Peço a Deus que me dê a felicidade das pequenas doenças", assim começa o conto que dá título a esta coletânea de textos de Mia Couto. Nele, uma mãe e seu filho rezam para evitar graves enfermidades e tentam, sem sucesso, postergar o próprio fim. A saúde - assim como a paz, a igualdade, a dignidade - é a súplica que permeia todas estas páginas.

O velho que recebe em casa um enfermeiro em serviço de rastreio da covid-19; uma mulher que aguarda a volta do marido; um rapaz que retorna à sua aldeia e não é reconhecido; as sombras do abandono numa sala de espera de hospital. Entre uma reflexão e outra, o leitor encontra personagens e cenas que não lhe sairão tão cedo da memória.Garanta Garanta o seu exemplar de "As Pequenas Doenças da Eternidade", escrito por Mia Couto, neste link.


Sobre a FIL
A 22ª edição da Feira Internacional do Livro de Ribeirão Preto (FIL) acontece de 12 a 20 de agosto, com abertura oficial no dia 11 e traz como tema central a proposição “Entre os extremos, as dualidades: a literatura como elo”. O evento acontecerá de forma presencial em sete locais simultâneos: Praça XV de Novembro, Theatro Pedro II, Centro Cultural Palace, Biblioteca Sinhá Junqueira, Teatro Municipal, SESC Ribeirão Preto e RibeirãoShopping e também prevê atividades on-line.

Para essa edição, os homenageados da FIL são: Gilberto Gil (autor), Gilberto Dimenstein (autor educação), Luiza Romão (autora local), Madelaine Pires (professora), Stella Maris Rezende (autora infantojuvenil) e Danilo Santos de Miranda (patrono).


Sobre a Fundação
A Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, responsável pela realização da Feira Internacional do Livro da cidade, hoje considerada a segunda maior feira a céu aberto do país. Com uma trajetória sólida, projeção nacional e agora internacional, a entidade ganhou experiência e, atualmente, além da feira, realiza muitos outros projetos ligados ao universo do livro e da leitura, com calendário de atividades durante todo o ano. A Fundação do Livro e Leitura se mantém com o apoio de mantenedores e patrocinadores, com recursos diretos e advindos das leis de incentivo, em especial do Pronac e do ProAc.

Serviço
Conferência com Mia Couto e mediação de Aline Bei na 22ª Feira Internacional do Livro de Ribeirão Preto (FIL). Data: 16 de agosto. Horário: 19h30. Local: Sala Principal do Theatro Pedro II. Endereço: Rua Álvares Cabral, 370, Centro | Ribeirão Preto/SP. O que: Lançamento do livro “As Pequenas Doenças da Eternidade”, de Mia Couto (edição especial para brasileiros). Data: 17 de agosto. Horários: 10h às 11h30 e das 14h30 às 16h. Local: Biblioteca Sinhá Junqueira (Auditório). Endereço: Duque de Caxias, 547 - Centro | Ribeirão Preto/SP.

domingo, 11 de junho de 2023

.: Mariana Elisabetsky lança o primeiro livro "Seu Vô e a Baleia"


Com 30 anos de carreira no teatro, TV e cinema, Mariana Elisabetsky lança seu primeiro livro, o infantil Seu Vô e a Baleia, A atriz, cantora, dubladora e roteirista tem se destacado recentemente por assinar as versões brasileiras dos musicais "Wicked" e "Once" e do filme live-action "A Pequena Sereia", da Disney


Dona de uma carreira bem-sucedida no teatro, na música, na TV e no cinema, Mariana Elisabetsky tem se destacado nos últimos anos como atriz, apresentadora, manipuladora de bonecos, locutora, dubladora, roteirista e versionista/tradutora de musicais, séries de TV e filmes.

Agora, ela se prepara para estrear no universo da literatura ao lançar o livro infantil "Seu Vô e a Baleia" (editora Martins Fontes – selo Martins), com ilustrações de Valentina Fraiz. O evento acontece no dia 24 de junho, às 15h, na Livraria Martins Fontes – Jardins, seguido por um pocket show, às 16h.

"Seu Vô e a Baleia" conta a história de como o garoto Mundinho, filho e neto de pescadores, aprende a lidar com a morte de Seu Vô. O vazio deixado por ele ganha corpo de uma forma inesperada. Com o tempo, ele se lembra como sorrir e brincar e vai processando a perda até a dor virar saudade.

“O livro é um convite para as famílias falarem com as crianças sobre assuntos delicados como a perda, o luto, o vazio, e a saudade. O assunto não é fácil, mas necessário. E às vezes, achar uma maneira de dividir a perda é uma forma de dizer ‘Vamos ficar tristes juntos até a saudade virar outra coisa?’”, filosofa a autora.

Elisabetsky ainda conta que a história foi tomando a forma de um livro infantil quase que sem querer. “Comecei a escrever achando que era uma peça de teatro ou um roteiro audiovisual, mas, aos poucos, a história me contou que queria ser um livro. Me surpreendi, já que nunca havia escrito um livro antes. Mas deixei a narrativa me mostrar pra onde ela queria ir. Acho que o meu repertório teatral e minha experiência em roteiro ajudam a trazer um aspecto bem imagético ao livro. E, ainda que tenha nascido em forma de literatura, já consigo enxergar essa história sendo contada num curta de animação ou até em cima de um palco. Vai saber pra onde a onda leva...”.

Para ela, produzir cultura para crianças é expandir os olhares dos pequenos para além do imediato. “É nutrir a imaginação e a curiosidade; é arrancar essas gerações das telas e do conteúdo que já vem mastigado; é ajudar a formar leitores, escritores, plateias, consumidores de arte, ilustradores, diretores, roteiristas e contadores de histórias", completa.

E, para marcar o lançamento de "Seu Vô e a Baleia", a atriz e cantora ainda promete que, no evento, vão rolar pipoca para a criançada e uma apresentação no melhor estilo voz e violão de canções de Dorival Caymmi e Clara Nunes. Compre o livro "Seu Vô e a Baleia" neste link.

Mais sobre Mariana Elisabetsky
Mariana Elisabetsky
teve sua estreia nos palcos aos 13 anos e, desde então, integrou o elenco de “Estado de Sítio”, ”Boca de Ouro”, “Peer Gynt”, “Um Réquiem para Antonio”, todos dirigidos por Gabriel Villela. Além disso, fez parte dos elencos dos musicais “Mudança de Hábito”, “Godspell”, “Meu Amigo, Charlie Brown”, “Sitio do Picapau Amarelo”, “A Flauta Mágica”, “O Mágico de Oz”, “Pinocchio”, “Grease”, “Cazas de Cazuza”, “Pocket Broadway”, entre outros. 

Ela também integra o elenco fixo do projeto “Aprendiz de Maestro”, com diversas apresentações anuais na Sala São Paulo, nas quais atua e canta com orquestra, sob regência do Maestro João Maurício Galindo. Integrará o elenco da próxima edição, no dia 1° de Julho de 2023.

Dentre seus diversos créditos em televisão, apresentou durante três anos os programas “Turma da Cultura” e “Traquitana”, ambos na TV Cultura e atuou como manipuladora de bonecos nas séries “Igarapé Mágico” (TV Brasil) e “Rádio Zoo” (ZooMoo / Canal Futura – Globoplay). Além de fazer a voz original para séries brasileiras e dublar séries internacionais.

Foi responsável pela versão brasileira dos musicais “Once”, “Meu Amigo, Charlie Brown” (pelo qual recebeu o Prêmio Bibi Ferreira de melhor versão brasileira) e “RENT” (2016/2017). Em parceria com Victor Mühlethaler, versionou para o português os musicais “Charlie, A Fantástica Fábrica de Chocolate” (2021), “A Escola do Rock” (2019, versão vencedora do Prêmio Bibi Ferreira), “Billy Elliot” (2019, versão indicada ao Prêmio Bibi Ferreira), “Sunset Boulevard” (2019), “Cantando na Chuva” (2017, vencedor do Prêmio Bibi Ferreira), “A Pequena Sereia” (indicada ao Prêmio Bibi Ferreira) e “Wicked” (2016 e 2023, indicada ao Prêmio Bibi Ferreira, além de ter feito atualização do script de “O Fantasma da Ópera” para a montagem de 2018/2019. 

Fez supervisão de roteiro e escreveu letras para o musical original “O Pequeno Príncipe” (2022), colaborou no roteiro do musical “Dois Filhos de Francisco” (2018) e escreveu, em parceria com Daniela Cury, a dramaturgia do espetáculo infantil “Bento Batuca”, ganhador do Prêmio APCA de melhor espetáculo musical infantil de 2018. O texto também foi indicado ao Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem (antigo Prêmio Femsa).

Suas versões para cinema incluem os filmes “A Pequena Sereia” (live action da Disney), “Matilda” (Netflix), “Pinocchio” (Disney), “Pinocchio” (Netflix), “Encanto” (Disney), “Red, Crescer É Uma Fera”(Disney/Pixar), Ä Fera do Mar” (Netflix), “Próxima Parada: Lar Doce Lar (Netflix) , “Vivo” (Netflix), “Arlo, O Menino Jacaré” (Netflix), “Cruella”, “Soul” (Disney/Pixar), “A Dama e o Vagabundo”, “Mulan” (live action), “Frozen 2”, “O Rei Leão” (live action) “Aladdin” (live action), “O Retorno de Mary Poppins”, “Dumbo”, “Viva, a Vida É Uma Festa”, “Moana”, “A Bela e a Fera” (live action), “Carros 4”, “Christopher Robin”, “Ralph Wi-fi”, entre outros. Além de adaptar para o português as canções de mais de quarenta séries da Disney e dez séries da Netflix. Garanta o seu exemplar de "Seu Vô e a Baleia" neste link.

Serviço
Lançamento do livro "Seu Vô e a Baleia". Dia 24 de junho, às 15h | Pocket show: às 16h. Livraria Martins Fontes – Alameda Jaú, 1742, Jardins/São Paulo. Entrada grátis.  Editora: Martins Fontes – Selo Martins.

Postagens mais antigas → Página inicial
Tecnologia do Blogger.