Mostrando postagens com marcador Podcast. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Podcast. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 16 de setembro de 2020

.: Podcast do Arcanjo estreia na OLA Podcasts com Antonio Fagundes


O ator Antonio Fagundes é o entrevistado da estreia e gravou dias antes do decreto da quarentena. Foto: Rafael Sales

O jornalista Miguel Arcanjo Prado lança o "Podcast do Arcanjo" em parceria com a OLA Podcasts. O ator Antonio Fagundes é o entrevistado da estreia e gravou dias antes do decreto da quarentena. Toda quinta, um episódio inédito com os bastidores da cultura estará disponível na OLA Podcasts, com app disponível gratuitamente no Google Play e na Apple Store. Arcanjo ainda está à frente do Blog do Arcanjo, em fase independente com mais de 1 milhão de visualizações.

CEO da OLA Podcasts, Bruno Venga celebra a parceria. "A OLA Podcasts nasceu de um sonho de dar voz a todos, principalmente a quem tem como maior propósito apresentar informação e conteúdo de qualidade ao mundo. Ter o Miguel Arcanjo conosco é prova importante que estamos no caminho certo", afirma. 

Curador de conteúdo da OLA Podcasts, Bruno Motta também comemora: “Miguel Arcanjo traz para a OLA Podcasts seu olhar plural para a cultura, com a inteligência e leveza que só ele tem. Sua marca ao cobrir teatro, TV e as artes chega a essa nova mídia que é o podcast. Tenho certeza que o ouvinte vai ter por ele o mesmo carinho que todos os artistas e leitores têm".

O jornalista comenta a parceria: “Fiquei honrado com o convite do Bruno Venga e do Bruno Motta para mergulhar neste formato em expansão chamado podcast, que atinge milhões em todo o mundo. O jornalismo está em constante reinvenção para seguir conectado ao novo público, como busco fazer nestes 17 anos de comunicação profissional. Experiência que trago agora para o Podcast do Arcanjo”.

No mercado desde 2019, a OLA Podcasts é uma plataforma agregadora de podcasts 100% brasileira. Além de produzir conteúdo exclusivo, como o Podcast do Arcanjo, permite que qualquer pessoa crie seu próprio podcast de forma simples, intuitiva e gratuita.

O "Podcast do Arcanjo" segue a linha editorial que consolidou o Blog do Arcanjo, criado em 2012, como veículo respeitado na área cultural: um olhar inteligente para a diversidade do mercado artístico, abrindo espaço nas redes para profissionais exporem suas criações e pensamentos, além de produzir críticas e análises. “É uma honra falar com credibilidade para este público altamente qualificado, inteligente e exigente que me acompanha”, pontua Arcanjo.

Eleito três vezes um dos melhores jornalistas culturais do Brasil pelo Prêmio Comunique-se e criador do Prêmio Arcanjo de Cultura no Theatro Municipal de São Paulo, Miguel Arcanjo Prado é mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela ECA-USP e jornalista bacharel em Comunicação Social pela UFMG, além de ter sido vice-presidente da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes). Atualmente, é coordenador de Extensão Cultural da SP Escola de Teatro, instituição dirigida por Ivam Cabral. Já passou por veículos como Globo, Record, Folha, Agora, Editora Abril, Contigo, Superinteressante, Claudia, Record News,  UOL, R7, Band, Gazeta, Rede TV!, Rede Brasil e TV UFMG, entre outros.

"Podcast do Arcanjo"
https://olapodcasts.com/channels/miguelarcanjo

terça-feira, 15 de setembro de 2020

.: Podcast de Xico Sá serve irresistíveis crônicas em tom de conversa de bar


Conhecido pela irreverência e criatividade das palavras, o jornalista Xico Sá traz – pela primeira vez, suas icônicas e marcantes crônicas para um novo formato: o podcast.

O “No Balcão”, que retoma as raízes do rádio de Xico, chega com exclusividade a Orelo, aplicativo de conteúdos em áudio, e convida os ouvintes a aproveitarem histórias semanais em tom de conversa de bar. O cardápio? Muito variado. Pode ser amor, humor, sexo, política, literatura, futebol e claro, um pouco de tudo e de tudo um pouco. E como uma boa conversa no balcão, não poderia faltar a luxuosa colaboração de uma boa rede de garçons.

“Em tempos tão difíceis e de isolamento social pelo qual estamos passando, quis trazer aqui um pouco daquele bom bate papo no balcão de um bar clássico e antigo que todos gostamos para contar sobre os últimos acontecimentos. Vamos matando as saudades dessa forma...”, comenta o jornalista. Os episódios são semanais, sempre no começo da semana, e estão disponíveis na Orelo, novo aplicativo de podcasts que pode ser baixado na Apple Store e Google Play.

sábado, 18 de julho de 2020

.: Volta da radionovela traz suspense de Vinicius de Moraes


Isolamento social faz pesquisadores do teatro se reinventarem durante pandemia

Em tempos onde o distanciamento das pessoas virou regra, atuantes das artes tiveram de buscar alternativas para continuar a produzir e apresentar seus trabalhos. E mesmo os estudantes de teatro que tiveram as aulas presenciais interrompidas precisaram de um plano “B” para concluir um curso tão prático como esse. Alunos da disciplina de “Montagem” da escola Recriarte que estão prestes a se formar tiveram de adaptar seus trabalhos de conclusão de curso para um formato de enorme sucesso na década de 1950: as radionovelas.

Escolhido para ser rememorada nessa iniciativa, a peça “Procura-se uma Rosa”, de Vinicius de Moraes, foi criada em cima de um fato real retratado pelos jornais da época onde uma personagem desaparece da vista de seu amado em uma estação de trem movimentada. O espetáculo consiste em um único ato e relata a busca de Lino dos Santos pela sua amada Rosa.

Impedidos de ensaiar desde março devido às restrições de funcionamento impostas pelos órgãos do Governo, as aulas tiveram de migrar para o ambiente digital e transformar a apresentação da peça em uma transmissão radiofônica foi uma solução criativa e que também pôde manter todos em atividade.

Para Aline Ferraz, professora do módulo e que assina a direção da peça, o compromisso dos alunos para fazerem uma adaptação digna do texto de Vinícius fez enorme diferença no produto final. “Durante os encontros virtuais para a retomada dos estudos tive o privilégio de presenciar artistas-pesquisadores engajados. A medida que o trabalho de mesa (leitura, discussão do texto, construção da gênese, entre outros) crescia, a noção de que voz é presença se efetivava”, explica Aline.

Com estreia marcada para hoje, 13 de julho, a radionovela foi dividida em três capítulos e poderá ser acessada de forma gratuita para os amantes da arte e, em especial, do teatro. A iniciativa tem caráter acadêmico e não possui fins lucrativos. No ano em que se comemora o aniversário de 40 anos da partida do poeta, a singela homenagem é o mínimo que esses estudantes poderiam oferecer a quem fez tanto pela nossa arte.

Serviço:
Radionovela “Procura-se Uma Rosa” – Uma obra original de Vinicius de Moraes.
Ouça através do link: www.soundcloud.com/lmendesproducoes


segunda-feira, 29 de junho de 2020

.: Adriane Galisteu entra para o mundo dos podcasters e lança "Fala Galisteu"


A apresentadora Adriane Galisteu comanda o podcast "Fala Galisteu", em que aborda temas do universo feminino. A aposta no podcast, formato de conteúdo que mais cresce na atualidade, mostra a atuação multiplataforma da comunicadora, que possui uma rede com milhões de seguidores em suas plataformas digitais. Ela, que construiu uma bem-sucedida carreira como comunicadora multiplataforma, usará sua experiência na indústria da comunicação para comandar o programa, que trata dos desafios impostos às mulheres em suas trajetórias profissionais. 

No podcast, a paulistana discutirá, ao lado de convidados, os desafios e particularidades da atuação feminina nas áreas de moda e entretenimento, com subsídio de suas experiências pessoais e dos debates atuais sobre o olhar feminino e a desigualdade de gênero. Tudo sem filtros ou ensaios. Os debates sobre o universo feminino são parte importante da trajetória da comunicadora, que tem programas como "Ponto G" (Gazeta), "É Show" (Record), "Charme" (SBT) e "Muito+" (Bandeirantes) em seu portfólio.

Com mais de 7 milhões de seguidores em suas redes sociais, Galisteu faz sucesso compartilhando dicas e contando anedotas do cotidiano feminino, sempre com positividade e sua perspectiva pessoal para suas seguidoras. Conquistando novos fãs e reforçando sua credibilidade como uma influenciadora atenta aos desafios do feminino no mundo contemporâneo, o "Fala Galisteu" trará seu olhar aguçado para uma nova audiência, além de apresentar o formato podcast para milhões de pessoas em sua base de seguidores. 

Na Pod360, o maior hub brasileiro dedicado à produção de podcasts, Adriane Galisteu passa a fazer parte de um casting estrelado que conta também com Fernando Rocha, Alison Paese, André Vasco, Elcio Coronato, Felipe Solari e Ivan Moré, entre outros nomes.


sexta-feira, 26 de junho de 2020

.: FAMA Museu lança podcast de história da arte


Dividido em seis capítulos narrados por Luiz Armando Bagolin, podcast traz breve apresentação sobre os principais momentos da arte no Brasil. Model's rest, 1885, Almeida Júnior | Foto de Hugo Curti

Na virada do século XVI, os portugueses lutaram contra a invasão de ingleses, franceses e holandeses no território brasileiro, mas parte dos holandeses resistiu e ficou instalada no nordeste do país por 25 anos. Foi neste período que o conde Maurício Nassau trouxe à chamada "Nova Holanda" artistas e cientistas que se instalaram em Recife. 

O acontecimento é importante não apenas para história da arte brasileira, como também ocidental, uma vez que corresponde de forma cronológica à primeira investida da arte holandesa fora do continente europeu. Os pintores de Maurício Nassau são tema do primeiro episódio do podcast de história da arte do FAMA Museu, série narrada pelo professor Luiz Armando Bagolin e disponível nas plataformas Spotify , Deezer, Google Podcasts, Anchor e Apple Podcasts. O segundo episódio tratou Barroco histórico e o Barroco Brasileiro.

Organizado em seis episódios, todos apresentados por Bagolin, o podcast traz sempre às sextas-feiras um novo tema. Os próximos tópicos abordados serão  O Aleijadinho (26 de junho); Debret e as academias (3 de julho); Os artistas viajantes e o Pitoresco (10 de julho); Almeida Júnior (17 de julho).

Enquanto o espaço físico do FAMA Museu - Fábrica de Arte Marcos Amaro, instituição sediada em Itu, no interior de São Paulo - está fechado em função da pandemia do Covid-19, a instituição promove uma série de ações e atividades culturais, artísticas e educativas em suas redes sociais (Instagram/FamaMuseu e Facebook/FamaMuseu) .

O público pode conhecer mais sobre o acervo extenso do Museu por meio de vídeos com os curadores Ricardo Resende e Ana Carolina Ralston. Ambos comentam trabalhos que integram a coleção e apresentam trajetórias dos artistas na série #ObraComentadaFAMA. Para testar os conhecimentos sobre as obras e os artistas exibidos pelos curadores, o público é convidado a interagir no #QuizFAMA, através do Instagram Stories.

Já a ação #tbt (do inglês "throw back Thursday") relembra por meio de fotos ou vídeos exposições e eventos emblemáticos na história do Museu. O #EducativoFAMA reúne materiais sobre processos de pesquisa e investigação, baseados nos artistas e nas obras que compõem o acervo. O conteúdo é apresentado de forma didática, com imagens e textos sucintos pelos educadores do Museu. Outra proposta para ajudar a preencher o tempo com bom conteúdo é o #FAMAéCultura, que traz indicações de livros, filmes, músicas e séries, feitas pelos membros da equipe do FAMA. Ações lúdicas e poéticas para a família ficam a cargo do #Faminha, que apresenta oficinas e atividades para crianças.

Luiz Armando Bagolin
Doutor em Filosofia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, FFLCH/USP, Bagolin é docente e pesquisador do Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo, IEB/USP. Tem experiência em Doutrinas Retóricas e Políticas dos séculos XIV, XV e XVI, e Artes do Renascimento Italiano, em especial nos discursos sobre os artistas florentinos. É orientador no programa de Pós Graduação em Estudos Brasileiros (Mestrado) do Instituto de Estudos Brasileiros (IEB/USP) e no programa de Pós Graduação em História Social (Mestrado e Doutorado) do Departamento de História da FFLCH/.USP. É coordenador do Grupo de Pesquisa Retórica e Doutrinas Artísticas (CNPQ). Foi diretor da Biblioteca Mário de Andrade, em São Paulo, entre 2013 e 2016, instituição na qual foi responsável pela concepção e implementação da primeira biblioteca a funcionar 24 horas na América Latina.

FAMA Museu
Situado em Itu, a 100 quilômetros da capital paulista, o FAMA Museu - Fábrica de Arte Marcos Amaro está localizado em uma área de 25 mil metros quadrados, onde, no século XX, funcionou a Fábrica São Pedro, importante polo da indústria têxtil, com relevância histórica e cultural para a região.

Inaugurado em 2018, o Museu abriga ateliês, ocupações, salas e áreas ao ar livre para a realização de performances, residências artísticas, exposições individuais e coletivas, com o objetivo de incentivar a criação artística contemporânea, investigar os caminhos da arte e possibilitar ao público o acesso ao acervo do colecionador e artista Marcos Amaro.

A coleção reúne mais de 1.600 obras entre pinturas, desenhos, gravuras, esculturas e instalações de nomes como Portinari, Tarsila do Amaral, Nelson Leirner, Leda Catunda, Cildo Meireles, Tunga e Aleijadinho.

Com a proposta de oferecer à cidade um projeto de impacto significativo na cultura local, na sua dimensão simbólica, cidadã e econômica, além de fomentar o turismo de experiência na região, o Museu inaugurou em julho de 2019 a primeira galeria de arte a céu aberto da cidade, o Parque Escultórico Linear. Obras de grandes nomes da arte contemporânea estão dispostas ao longo da Avenida Galileu Bicudo, importante via da cidade.

Em novembro de 2019, foi inaugurado em Mairinque, também no interior de São Paulo, o FAMA Campo, extensão do FAMA Museu. O espaço surgiu como um novo conceito entre a natureza, o tempo e as transformações inevitáveis dessa relação. Com exposições a céu aberto, o FAMA Campo é um lugar onde os artistas podem experimentar o conflito de suas técnicas e materiais utilizados dentro da imprevisibilidade da natureza.

FAMA Museu - Fábrica de Arte Marcos Amaro
Endereço: Rua Padre Bartolomeu Tadei, 9, Itu - SP
Entrada gratuita
Fechado por tempo indeterminado em função da pandemia do Covid-19

.: Socorro à Cinemateca é o tema do podcast da O2 Filmes


O O2Cast dessa semana, podcast da produtora O2 Filmes aborda o socorro financeiro que a classe artística e dos profissionais do audiovisual pedem para a Cinemateca Brasileira. O cineasta Paulo Morelli recebe um dos organizadores do ato realizado na semana passada em São Paulo, o diretor Roberto Gervitz.

O novo episódio do O2Cast, podcast semanal da produtora O2 Filmes, aborda a atual situação da Cinemateca Brasileira, que nos últimos dias se tornou notícia em todo o País por conta da mobilização de profissionais do setor audiovisual que pedem socorro financeiro à instituição.
Responsável pela preservação da produção audiovisual brasileira desde 1940, a Cinemateca desenvolve atividades de divulgação e restauração de seu acervo, com cerca de 250 mil rolos de filmes e mais de um milhão de documentos relacionados ao cinema brasileiro.

Para comentar sobre o assunto, o cineasta e fundador da O2 Filmes, Paulo Morelli, recebe Roberto Gervitz, diretor de cinema, membro do grupo de trabalho em defesa da instituição criado pela APACI (Associação Paulista de Cineastas) e um dos organizadores do ato em prol da Cinemateca ocorrido semana passada em São Paulo.

Gervitz conta no podcast sobre o perigo da não sobrevivência do órgão, a deterioração do acervo e o sucateamento de seus equipamentos. Os dois diretores também falam da necessária incorporação de toda comunidade do audiovisual nacional na defesa da Cinemateca e da cultura, ciência, arte e meio ambiente que neste momento vivem sob ameaça.

O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Apple podcasts, Breaker, Google podcasts, Overcast, Pocket casts, Radio Public e também no link:
http://o2filmes.com/2020/06/10/o2cast-14-cinemateca-pede-socorro/

Como ajudar a Cinemateca
Uma campanha online busca arrecadar R$ 200 mil para dar apoio financeiro aos trabalhadores da Cinemateca Brasileira que hoje enfrentam atrasos de salários e de benefícios. Para contribuir, acesse http://benfeitoria.com/trabalhadoresdacinemateca

Conheça também a petição "Cinemateca Brasileira pede socorro" no link http://secure.avaaz.org/po/community_petitions/governo_federal_secretaria_especial_de_cultura_sec_cinemateca_brasileira_pede_socorro/

O2 Filmes
A produtora fundada em 1991 já produziu longas-metragens e séries que participaram e receberam prêmios nos principais festivais de cinema do mundo como Cannes, Berlim e Veneza, ou premiações como o Emmy, Oscar e BAFTA. A O2 trabalha com as principais agências brasileiras e presta serviços de produção para o mercado internacional, além de produzir conteúdo reconhecido e premiado em todo o mundo.

.: Célia Helena traz entrevistas com destaques do teatro em podcast


Nesta quinta-feira, dia 25, podcast do Célia Helena Centro de Artes e Educação – uma das mais conceituadas escolas de teatro do país, dirigida por Lígia Cortez – dá sequência à sua mais nova plataforma dedicada às artes da cena. Trata-se de um podcast quinzenal, que poderá ser ouvido diretamente no celiahelena.com.br/podcasts ou em agregadores como Spotify e Spreaker.

A temporada do podcast trará oito entrevistas com autores, atrizes, atores e diretores que trabalham no Célia Helena Centro de Artes e Educação, que integraram o projeto “Dramaturgia: Janelas Abertas”, transmitidas via Zoom nos meses de abril e maio.

No programa, os ouvintes poderão conhecer a visão de cada convidado sobrea dramaturgia e a maneira como ela é abordada em seus trabalhos pessoais, em entrevistas conduzidas pelos coordenadores do curso de Pós-Graduação em Dramaturgia do Célia Helena, Marcos Barbosa e Samir Yazbek. E é justamente o dramaturgo Marcos Barbosa que abre a temporada, dia 25 de junho, num bate-papo conduzido por Samir Yazbek.

“O objetivo é abordar, por meio dessa atividade extra da escola, a dramaturgia por diversos ângulos, criando uma rede de afeto e solidariedade que nos estimule a seguir pensando o nosso teatro nesse momento tão desafiador da nossa história”, explica Samir Yazbek. A temporada do podcast do Célia Helena sobre dramaturgia terá como convidados outros importantes nomes da cena teatral como a atriz Simoni Boer (9 de julho); a atriz e diretora do Célia Helena Centro de Artes e Educação, Lígia Cortez (23 de julho); o diretor Marco Antonio Rodrigues (6 de agosto); o diretor Marcelo Lazzaratto (20 de agosto), o ator Laerte Mello (3 de setembro) e a atriz Bete Dorgam (17 de setembro). Por fim, no dia 1º de outubro, Marcos Barbosa inverte o papel e entrevista o dramaturgo Samir Yazbek, encerrando a temporada.

sexta-feira, 12 de junho de 2020

.: "A Cor de Coraline" é o novo episódio do podcast "História de Boca"


Saiu o novo episódio do podcast História de Boca, de Bia Borinn e Eduardo Munniz, “A Cor de Coraline”, de Alexandre Rampazo, Editora Rocco. Coraline ouve o pedido de seu amigo Pedrinho: – Coraline, me empresta o lápis cor da pele? Coraline para, pensa, repensa, faz cara de lagosta e percebe que não sabe o que Pedrinho quer... 

Criado pelos atores Bia Borinn e Eduardo Munniz, o podcast "História de Boca" completa um ano no ar. Com histórias narradas para o público infantil, o projeto faz aniversário em meio a quarentena e se mostra como uma opção para entreter e alimentar a imaginação das crianças neste período, e fora dele

O "História de Boca" surgiu em maio de 2019 como uma homenagem ao Miguel (8 anos), filho mais velho do Edú e da Bia. A avó do Miguel, Fátima, costuma contar histórias durante o jantar, e quando Miguel quer escutá-las ele diz “Vó, conta as histórias de boca?”. Isso se somou ao fato de Bia dar aulas de português como Língua de Herança e Cultura Brasileira para crianças em Los Angeles, CA, onde moram. “Como nós somos um casal de atores e artistas de voz, e temos um estúdio em casa, resolvemos criar este podcast para recontarmos histórias em português para a comunidade brasileira no exterior e incentivar a prática do português com as crianças em casas de expatriados, como é o nosso caso”, comenta a atriz.

O podcast então foi criado com dois objetivos: alimentar a imaginação das crianças que estão imersas num mundo absolutamente visual, onde existe pouquíssimo espaço para o que não se vê; e difundir a língua portuguesa nas comunidades brasileiras no exterior. Para a surpresa de Bia e Edú, 60% do público está no Brasil. Os outros 40% está dividido em 37 países.

“A aceitação está sendo incrível, principalmente através dos vídeos e áudios que são mandados e podem ser encontrados em nossas mídias sociais. As crianças adoram escutar histórias com gírias locais, como “tipo assim”, “irado”, “caramba” etc. Elas ficam repetindo depois, os pais comentam com a gente. Vira uma relação de afeto entre nós e as famílias através da nossa cultura, cruzando continentes”, comenta Bia Borinn

O casal acredita que o exercício de imaginar também é estimulado pelas histórias que ouvimos - e que ressignificamos. “Estamos passando por uma situação limite, que pede imaginação: confinados, com um futuro incerto... como vamos nos organizar se não pensarmos em outros modos de vida? A imaginação é um “músculo” que deve ser exercitado principalmente na infância, onde os hábitos são criados e enraizados”, completa Bia.

Repertório e processo criativo
A escolha do repertório para o podcast é feita pelo casal, que também leva em consideração os pedidos dos ouvintes, como foi o caso de “Pinóquio” e “Peter Pan”. Os contos não são lidos na sua forma original, Bia e Edú fazem adaptações e improvisam muito enquanto gravam, aproveitando o repertório de voz e criação que possuem. Sobre este processo criativo, Edú completa: “Depois de escolhido o episódio, eu e a Bia estudamos juntos os principais turning points da história. Criamos uma espécie de estrutura para a contação. Todo o resto, com raríssimas exceções, é feito no momento, improvisando. Nenhuma voz, nenhum personagem, nada é antecipado. Tudo é criado ali, na hora. Isso dá frescor aos episódios, mas sem perder o fio da meada". Quem assina a edição e o design sonoro é a Bia.

Desde seu lançamento, o "História de Boca" já tem 14 histórias sendo, duas delas, parcerias especiais: o livro “Peixe Vivo”, de Felicia Jennings-Winterle e Patricia Scheld; e a leitura da “Carta às Meninas e aos Meninos em Tempos de Covid-19”, obra realizada pelo Fórum Mineiro de Educação Infantil. Ainda dentro do universo da quarentena, Edu e Bia criaram uma história para a Páscoa em tempos de pandemia, sobre um coelho que está bem confuso em resolver como entregar os ovos sem ser notado, já que todos estão em casa.

Além dessas, quem entrar no podcast vai encontrar muitas opções para as crianças ouvirem e soltarem a imaginação; "João e o Pé de Feijão", "Chapeuzinho Vermelho", "Os Três Porquinhos", "Pinóquio", "João e Maria", "Mula sem Cabeça", "Saci", "Iara, Princesa da Pedra Furada", "Curupira" e "Peter Pan".

Um pouco sobre Bia Borinn e Eduardo Munniz
Bia e Edú são atores com vasta experiência em diversas manifestações artísticas como teatro, TV e cinema. São atores de voz também, tendo cedido suas vozes para inúmeros projetos artísticos e de publicidade nos últimos 15 anos. O “História de Boca” marca a estreia de ambos nesta plataforma, o podcast. São casados há 11 anos e têm dois filhos, Miguel e Matteo (8 anos e 1 ano). Residem nos EUA e Brasil desde 2014. 

O episódio pode ser ouvido no Spotify neste link: https://open.spotify.com/show/0cClUHmzcY8BcAxWCHX8wJ

segunda-feira, 8 de junho de 2020

.: Podcast com membros do Canal Parafernalha agora no Pod360



Atração é liderada por Lucas Salles (ex-CQC e Pânico na Band) e conta com Daniel Curi (Canal Parafernalha), Fabi Ribeiro (Jovem Pan e SBT) e Jhonny Drumond (Canal Parafernalha)

A Pod360 – maior hub brasileiro dedicado à produção e gestão de podcasts profissionais – anuncia a chegada do podcast SobreTudo ao seu casting. No ar desde janeiro, a atração contará agora com a expertise e a estrutura do hub e estará disponível em todas as plataformas de streaming de áudio.

Capitaneado por Lucas Salles, que por cinco anos foi repórter dos programas "CQC" e "Pânico", além de ser um dos principais integrantes do canal "Parafernalha", o "SobreTudo" conta ainda com os talentos de Daniel Curi (Canal Parafernalha), Fabi Ribeiro (Jovem Pan e SBT) e Jhonny Drummond (Canal Parafernalha) como apresentadores.

“O 'SobreTudo' surge como uma homenagem aos primórdios do podcast, onde a influência do rádio ainda era muito marcante. É um produto com formato mais acessível, pensado para o grande público, e para trazer e fidelizar novos ouvintes para o formato. Atualmente, a maioria dos podcasts oferecem episódios longos, com discussões prolixas, que são incríveis, mas que limitam as oportunidades onde o leitor pode escutar o conteúdo na íntegra. O 'SobreTudo' tem um formato mais dinâmico, radial, pensado para que as pessoas possam ouvir nos trajetos ao trabalho, nos deslocamentos urbanos”, explica Lucas Salles.

Recebendo convidados especialistas nos temas abordados a cada episódio, o podcast explora uma variedade de assuntos, que vão desde tópicos importantes do debate contemporâneo, como a renda básica universal, o aquecimento global e a Covid-19, até peculiaridades da cultura pop e da vida urbana, como as participações em reality shows e o mundo dos famosos, teorias sobre vida alienígena e o fim do mundo, o uso da internet, sexo, família, sonhos, entre muitos outros.

“Um dos meus papeis na Pod360 é identificar bons criadores de conteúdo para fazer parte dos nossos originais. Existem muitos podcasts incríveis nas plataformas, o trabalho de curadoria é muito importante para identificar as melhores oportunidades em cada categoria para fazermos o convite. É uma enorme satisfação ver a empolgação dos Creators com as possibilidades do podcast e nos ligando pra discutirmos formato ou me apresentando um picth de um programa novo. Quando o Lucas nos procurou para apresentar o SobreTudo, foi super bacana. Ele nem imaginava que já estávamos monitorando o podcast dele desde fevereiro. Queríamos muito um programa de humor com apresentadores legais que tivesse um formato leve e dinâmico. Foi o casamento perfeito!”, diz Felipe Lobão, diretor de conteúdo da Pod360.

“Nosso objetivo sempre foi fazer do SobreTudo uma referência no formato, um conteúdo que possa ser ouvido por todos. Para realizar isso, nós precisávamos de um parceiro com história no formato e que agregasse ao projeto. Foi aí que conhecemos a Pod360. Nós tivemos uma conversa com o Lobão, que estava programada para durar 20 minutos. Nós falamos por quase 2 horas e nós logo percebemos que a Pod360 estava muito à frente dos outros players na mídia. Eles nos ofereceram tantos incentivos, tantos ensinamentos, que a parceria foi muito natural”, afirma Salles.

Feito para ser ouvido em qualquer hora ou lugar, como no carro, nos deslocamentos urbanos, em casa ou em qualquer outro local, o SobreTudo é atemporal, com conteúdo que informa e entretém o ouvinte sem perder relevância e compreensibilidade. Na Pod360, a equipe do "SobreTudo" passa a fazer parte de um casting que conta também com vários outros nomes estrelados da comunicação brasileira, como Fernando Rocha, Adriane Galisteu, Alison Paese, André Vasco, Elcio Coronato, Felipe Solari e Ivan Moré.



sábado, 30 de maio de 2020

.: Podcast "História de Boca" com Bia Borinn e Eduardo Munniz faz aniversário

Com histórias narradas para o público infantil, o projeto faz aniversário em meio a quarentena e se mostra como uma opção para entreter e alimentar a imaginação das crianças neste período, e fora dele. Próxima história será lançada nesta quinta, dia 28 de maio no Spotify.

O podcast "História de Boca" surgiu em maio de 2019 como uma homenagem ao Miguel, de oito anos, filho mais velho do Edú e da Bia. A avó do Miguel, Fátima, costuma contar histórias durante o jantar, e quando Miguel quer escutá-las ele diz: “Vó, conta as histórias de boca?”. Isso se somou ao fato de Bia dar aulas de português como Língua de Herança e Cultura Brasileira para crianças em Los Angeles, CA, onde moram. “Como nós somos um casal de atores e artistas de voz, e temos um estúdio em casa, resolvemos criar este podcast para recontarmos histórias em português para a comunidade brasileira no exterior e incentivar a prática do português com as crianças em casas de expatriados, como é o nosso caso”, comenta a atriz.

O podcast então foi criado com dois objetivos: alimentar a imaginação das crianças que estão imersas num mundo absolutamente visual, onde existe pouquíssimo espaço para o que não se vê; e difundir a língua portuguesa nas comunidades brasileiras no exterior. Para a surpresa de Bia e Edú, 60% do público está no Brasil. Os outros 40% está dividido em 37 países. 

“A aceitação está sendo incrível, principalmente através dos vídeos e áudios que são mandados e podem ser encontrados em nossas mídias sociais. As crianças adoram escutar histórias com gírias locais, como 'tipo assim', 'irado', 'caramba' etc. Elas ficam repetindo depois, os pais comentam com a gente. Vira uma relação de afeto entre nós e as famílias através da nossa cultura, cruzando continentes”, comenta Bia Borinn

O casal acredita que o exercício de imaginar também é estimulado pelas histórias que ouvimos - e que ressignificamos. “Estamos passando por uma situação limite, que pede imaginação: confinados, com um futuro incerto... como vamos nos organizar se não pensarmos em outros modos de vida? A imaginação é um “músculo” que deve ser exercitado principalmente na infância, onde os hábitos são criados e enraizados” completa Bia. 

Repertório e processo criativo
A escolha do repertório para o podcast é feita pelo casal, que também leva em consideração os pedidos dos ouvintes, como foi o caso de “Pinóquio” e “Peter Pan”. Os contos não são lidos na sua forma original, Bia e Edú fazem adaptações e improvisam muito enquanto gravam, aproveitando o repertório de voz e criação que possuem. Sobre este processo criativo, Edú completa: “Depois de escolhido o episódio, eu e a Bia estudamos juntos os principais turning points da história. Criamos uma espécie de estrutura para a contação. Todo o resto, com raríssimas exceções, é feito no momento, improvisando. Nenhuma voz, nenhum personagem, nada é antecipado. Tudo é criado ali, na hora. Isso dá frescor aos episódios, mas sem perder o fio da meada”. Quem assina a edição e o design sonoro é a Bia.

Desde seu lançamento, o "História de Boca" já tem 14 histórias sendo, duas delas, parcerias especiais: o livro “Peixe Vivo”, de Felicia Jennings-Winterle e Patricia Scheld; e a leitura da “Carta às Meninas e aos Meninos em Tempos de Covid-19”, obra realizada pelo Fórum Mineiro de Educação Infantil. Ainda dentro do universo da quarentena, Edu e Bia criaram uma história para a Páscoa em tempos de pandemia, sobre um coelho que está bem confuso em resolver como entregar os ovos sem ser notado, já que todos estão em casa.

Além dessas, quem entrar no podcast vai encontrar muitas opções para as crianças ouvirem e soltarem a imaginação; "João e o Pé de Feijão", "Chapeuzinho Vermelho", "Os Três Porquinhos", "Pinóquio", "João e Maria", "Mula sem Cabeça", "Saci", "Iara", "Princesa da Pedra Furada", "Curupira" e "Peter Pan". 

Um pouco sobre Bia Borinn e Eduardo Munniz
Bia e Edú são atores com vasta experiência em diversas manifestações artísticas como teatro, TV e cinema. São atores de voz também, tendo cedido suas vozes para inúmeros projetos artísticos e de publicidade nos últimos 15 anos. O “História de Boca” marca a estreia de ambos nesta plataforma, o podcast. São casados há 11 anos e têm dois filhos, Miguel e Matteo (8 anos e 1 ano). Residem nos EUA e Brasil desde 2014.

segunda-feira, 4 de maio de 2020

.: "Bom dia, Cid Moreira" é o podcast exclusivo do Cid Moreira


Escutar uma voz amiga nesse momento de distanciamento social é um afago no peito e nos anima. Graças à tecnologia não estamos sozinhos mesmo isolados. Se no passado, íamos dormir com seu boa noite, a partir de hoje vamos acordar com seu bom dia. Não, não estamos falando de nossos pais ou amigos, estamos falando de uma das vozes mais famosas e queridas do Brasil.

Cid Moreira: contador de histórias, locutor, apresentador e âncora de TV. Considerando as possibilidades do mundo atual, só faltava uma coisa para completar esta trajetória de mais de 30 anos - escrever e narrar seus próprios podcasts. Já não falta mais. A convite da Deezer, Cid escreveu, junto com sua esposa, Fátima Sampaio, uma série de reflexões positivas e gravou as mensagens em um podcast diário que estreou no último dia 27. Com vocês, "Bom dia, Cid Moreira" .

"Mais um desafio, não é mesmo!? Eu estou sempre me reinventando e a alegria é grande de poder estar envolvido com as novidades que o mundo vai criando. Me adaptar às novas linguagens é uma maneira de manter a cabeça aberta e experimentar o novo, participar da vida", afirma Cid Moreira.

Nascido em 1927, Cid passou por uma série de acontecimentos marcantes: a Segunda Guerra Mundial, a Ditadura Militar brasileira, a Guerra Fria, 21 Copas do Mundo, a redemocratização no Brasil, a crise de 2008, e agora a pandemia do covid-19. No seu podcast, em tom pessoal e com sua voz inconfundível e extremamente marcante, Cid reflete sobre tudo que já viveu e continua vivendo, cruzando experiências com trechos bíblicos e trazendo aos ouvintes sensações de conforto e tranquilidade.

"Creio que a maior mensagem é que as pessoas saibam do potencial delas. Como elas são interessantes e também têm as suas histórias para contar. Falar dos meus medos e alegrias, acredito eu, pode servir para demonstrar isso. Falar de esperança e do bom humor como grandes remédios, junto com o amor e a fé, para motivar a caminhada mais leve", explica Cid.

Com mais de 90 anos, Cid Moreira é um exemplo para muitas pessoas, não importa a idade. No seu dia a dia, faz locuções e apresentações, mantém uma alimentação balanceada e pratica pilates todos os dias. Além disso, Cid possui perfil nas redes sociais, onde compartilha sobre sua rotina e oferece dicas de exercícios, assim como vídeos desejando feliz aniversários e enviando abraços para seus seguidores.

"O Cid é provavelmente uma das maiores vozes que temos no Brasil, reconhecido em todos os cantos do país. Aos seus 92 anos permanece ativo, produzindo, se atualizando e cuidando da sua saúde - é um exemplo não só para os nossos vovós e vovôs, mas também para a juventude, além de toda sua bagagem de jornalista e ter vivido grandes acontecimentos ao longo da sua trajetória. Sua nos traz paz, calma e serenidade e isso é tudo que mais precisamos nesse momento de isolamento social. Acredito que seus ensinamentos podem nos ajudar a superar esse momento que estamos atravessando. O Cidão, como ele gosta de ser chamado, será nosso bom dia diário", afirma Gabriel Lupi, Head de Conteúdo e Relacionamento com Artistas da Deezer Brasil.

Além do podcast, que possui 36 episódios confirmados com duração média de 3 minutos cada, Cid Moreira terá também uma playlist própria, na qual reunirá as músicas que mais marcaram sua vida, comentando o motivo de sua importância. Todo o conteúdo é exclusivo da Deezer, então se você ainda não é usuário, aproveita que novos assinantes têm 3 meses grátis em todos os planos.

Nas redes sociais, a divulgação do podcast "Bom dia, Cid Moreira" conta com um vídeo narrado pelo Cid, em tom alto astral, chamado "Passe Álcool Gel", inspirado em "Use Filtro Solar", gravado por Pedro Bial. No vídeo, Cid incentiva as pessoas a ficarem em casa e procurarem se motivar e realizar atividades prazerosas nesse momento, como fazer videochamadas com amigos e família e ler os livros que deseja, e também lembrando-as de passar álcool em gel.

.: "Que Dia É Hoje?", o podcast escrito e dirigido por Vinicius Calderoni


Com trilha e edição de som de Arthur Decloedt e produção de Trovão Mídia, a ideia do podcast é aproximar em tempos de distanciamento: flagras ficcionais do absurdo da vida na pandemia. As publicações acontecem às segundas, quartas e sextas.

A Trovão Mídia lança ao longo de duas semanas a partir de 1º de maio, o podcast "Que Dia é Hoje?" - dez episódios curtos (entre cinco e dez minutos) com direção e texto de Vinicius Calderoni. A ideia é fazer uma série que aproxima em tempos de distanciamento: flagras ficcionais do absurdo da vida na pandemia.

Cada episódio é como se fosse uma crônica. Alguns são mais cheios de lirismo; outros mais engraçados. Os podcasts seguem a linha da escrita supersensível e bem sacada que o Vinícius já consagrou em sua dramaturgia.

Em um episódio, por exemplo, Shakespeare vem assombrar um escritor por não estar escrevendo uma obra-prima nesta quarentena. Em outro, um frasco de álcool gel convoca uma entrevista coletiva pra dizer umas verdades às pessoas. Tudo com uma edição de som caprichada, e trilha sonora original composta pelo Arthur Decloedt.

Programação confirmada:
1º de maio: Marat Descartes
4 de maio: Alexandre Nero e Gabriel Leone
6 de maio: Julia Ianina, Fabricio Licursi e Mayara Constantino
Além destes, Caco Ciocler, Luciana Paes, Gregório Duvivier e Helô Cintra já estão confirmados para os próximos episódios. 

Onde ouvir: no site http://quediaehoje.libsyn.com/ ou em qualquer plataforma de podcast (Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, etc) Trailer: https://open.spotify.com/show/1e8gFFZeB3Ablr0ihOgmj4?si=NBLgJaadQTuKqJAnvHdTzQ

quarta-feira, 29 de abril de 2020

.: Podcast sobre novelas brasileiras é novidade na programação do MIS


Toda quinta-feira, o público poderá ouvir um novo episódio de “Isso só Acontece em Novela”, que aborda cronologicamente as telenovelas mais populares no país e seu impacto na sociedade. O primeiro episódio vai ao ar no dia 30 de abril, no perfil do MIS no Spotify Em abril, mais uma novidade chega à programação do #MISemCasa - campanha de conteúdo virtual do MIS, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo. 

A partir desta quinta-feira, dia 30 de abril, o público poderá conferir "Isso só Acontece em Novela", que semanalmente abordará as telenovelas mais populares no país e seu impacto na sociedade. Esse é o segundo podcast produzido exclusivamente pelo museu, que, em 2019, criou a série Musicais no Cinema, derivada da megaexposição de mesmo nome.

Realizado pelo Pontos MIS, programa de formação e difusão de cinema do Museu da Imagem e do Som com atuação em todo Estado de São Paulo, o podcast Isso só Acontece em Novela fará análises críticas referentes ao universo da telenovela brasileira, além de discutir a importância dessas narrativas no cenário audiovisual do país. 

A cada episódio, o pesquisador e roteirista Lucas Martins Néia e o jornalista e crítico Raphael Scire realizam estudos de casos de obras que adentraram o imaginário nacional e que, de alguma forma, refletiram as contradições do Brasil no momento em que foram exibidas. Novelas de grande repercussão, desde os anos 1960 até os tempos atuais, ganham análise dos especialistas – tais como Pantanal, Selva de Pedra, O Clone, Senhora do Destino e Roque Santeiro.

Programação – “Isso só Acontece em Novela”

T1EP1. (30 de abril) - Por que falar de telenovela?


T1EP2. (7 de maio) -  A Telenovela na Década de 1960: "2-5499 Ocupado", "O Direito de Nascer" e "Beto Rockfeller".

T1EP3. (14 de maio) - A Telenovela na Década de 1970: "Selva de Pedra", "O Bem-Amado" e "Dancin’ Days".

T1EP4. (21 de maio) - A Telenovela na Década de 1980: "Roque Santeiro", "Vale Tudo" e "O Salvador da Pátria".

T1EP5. (28 de maio) - A Telenovela na Década de 1990: "Pantanal", "A Próxima Vítima" e "Por Amor".

T1EP6. (4 de junho) - A Telenovela na Década de 2000: "O Clone", "Senhora do Destino" e "Vidas Opostas".

T1EP7. (11 de junho) - A Telenovela na Década de 2000: "O Clone", "Senhora do Destino" e "Vidas Opostas".

T1EP8. (18 de junho) - Outros formatos da ficção televisiva brasileira: séries e minisséries.

Sobre os especialistas

Lucas Martins Néia é roteirista, dramaturgo e diretor teatral. Atualmente cursa doutorado em Comunicação na ECA-USP e é pesquisador do Centro de Estudos de Telenovela (CETVN-ECA-USP).

Raphael Scire é jornalista, roteirista e crítico de novela do site Notícias da TV (UOL). Também é autor de "Crimes no Horário Nobre - Um Passeio pela Obra de Silvio de Abreu".


Podcast "Musicais no Cinema"
Em 2019, o MIS lançou seu primeiro podcast, dentro da programação da megaexposição "Musicais no Cinema". Apresentada pelo jornalista e curador Duda Leite, a primeira temporada traz as entrevistas realizadas para a exposição, com importantes nomes do cinema e da cena musical, como Elza Soares, Silvio de Abreu e Claudia Raia – e também segue disponível para o público no perfil do MIS no Spotify.

O #MISemCasa acontece em conjunto com o #Culturaemcasa, desenvolvido pela Secretaria de Cultura, por conta da orientação do Centro de Contingência do Covid-19 - que determinou que os equipamentos culturais do Governo do Estado de São Paulo tenham o seu funcionamento suspenso até o dia 10 de maio. O MIS conta com patrocínio master de Youse, patrocínio de Kapitalo Investimentos, Denso e Cielo, e apoio institucional de TozziniFreire Advogados.

segunda-feira, 27 de abril de 2020

.: Pod360 lança o podcast "Um Minuto de Esperança"


Produzido pelo maior hub de podcasts do país, episódios são doses diárias de positividade em meio às incertezas geradas pela pandemia do novo coronavírus

A atual conjuntura mundial gerada pela pandemia do novo coronavírus tem provocado incertezas sociais e econômicas que afetam nossa confiança e o otimismo para com o futuro, gerando angústias, dúvidas e solidão em muitas pessoas. Pensando nisso, a Pod360 – maior hub brasileiro dedicado à produção e gestão de podcasts profissionais – anuncia o lançamento do podcast "Um Minuto de Esperança".

Narrado pelo locutor Eduardo Mirabelli, o podcast traz diariamente mensagens de força e positividade para motivar os ouvintes a lidar com as dificuldades do isolamento social, nutrindo a esperança no futuro e na capacidade de enfrentar, de maneira coletiva, os desafios mais difíceis. Para aqueles que fazem da esperança uma força vital e acreditam sempre no potencial das mudanças positivas, o podcast chega para renovar esse sentimento e nos lembrar de que, mesmo nas piores crises, dias melhores ainda estão por vir.

Para receber uma dose diária dessa esperança, nas ondas reconfortantes da voz humana, ouça o podcast "Um Minuto de Esperança" na sua plataforma de áudio de streaming favorita. O primeiro episódio vai ao ar dia 28 de abril.

quinta-feira, 23 de abril de 2020

.: Fernando Rocha apresenta o podcast "Na Medida do Possível"


Em fase de transição profissional, jornalista aposta no podcast como formato para criação de conteúdo.

O jornalista e apresentador Fernando Rocha, que por oito anos esteve à frente do programa "Bem Estar", da Rede Globo, é o responsável por comandar o podcast "Na Medida do Possível", que aborda temas relacionados à saúde e bem estar. 

Nele, Rocha receberá semanalmente um especialista das áreas de saúde ou ciência e, juntos, abordarão temas relevantes do cotidiano brasileiro, como nutrição, profilaxias e tratamentos de doenças, dietas e terapias, além de outros assuntos. Entre os profissionais que participam do podcast estão nomes renomados da saúde brasileira, como a pediatra Dra. Rosa Magali, o obstetra Dr. Braulio Zorzella e o psiquiatra e psicoterapeuta Dr. Fabio Martins Fonseca.

Adepto das redes sociais e das novas mídias digitais de comunicação, Rocha sempre acompanhou a evolução das plataformas. Usando de toda sua bagagem como repórter, apresentador e cientista de dados, ele levará aos ouvintes um podcast cheio de informações e de uma forma bem descontraída. Em tempos de crescente preocupação com a difusão de fake news relacionadas à saúde, o Na Medida do Possível surge como uma fonte segura de conteúdo sobre o tema.

Produzido pela Pod360, o projeto contará com o aporte técnico dos melhores estúdios brasileiros voltados à produção de podcasts e com o suporte de um time de profissionais especialistas no formato. Os episódios estão disponíveis em todas as plataformas de streaming desde a última terça-feira, dia 21 de abril.

segunda-feira, 6 de abril de 2020

.: Storytel Lança a série "Vai Ficar Tudo Bem" com diversos escritores


Série original de ficção conta histórias de acalanto na quarentena sob o olhar de diversos autores.

Abril de 2020 - Para combater o momento de estranheza e como acalanto para o período de isolamento social, a Storytel, uma das maiores plataformas de audiolivros do mundo, juntou grandes autores em uma série original, organizada em episódios inéditos, toda semana, a partir da próxima sexta-feira 3 de Abril.. "Vai Ficar Tudo Bem" conta histórias positivas que trazem esperança, conforto e desejo de dias melhores. Abril de 2020

A série em áudio conta com mais de trinta autores como Francisco Azevedo, Chico Felitti, Martha Batalha, Edney Silvestre, Cristina Judar, e outros nomes importantes da literatura contemporânea. Cada episódio semanal trará 5 contos de ficção de diferentes autores. A ideia do projeto, além de disponibilizar bons conteúdos é de fomentar o mercado e manter a produção dos autores, em um momento onde a indústria cultural e editorial vive tantas incertezas. O primeiro episódio, com lançamento em 3 de abril, traz Francisco Azevedo com o conto "Conta Comigo" , Chico Felitti com "Ô, Ô, Ô", Luize Valente com "Não importa onde a gente esteja" , Vinícius Grossos com "O menino do outro lado da porta" e Chris Melo com "É sempre mais escuro antes do fim".

"Vai Ficar Tudo Bem" será disponibilizada também em outras plataformas de áudio como Spotify, Google e Apple Podcasts como uma forma de oferecer conteúdo de qualidade para o maior número possível de pessoas.

"Estamos em um momento delicado, onde muitos de nós estão em casa sem saber o que esperar dos próximos dias. Esse projeto nasceu como uma ideia de conforto através de boas histórias. Por isso decidimos também disponibilizar o conteúdo em plataformas além da Storytel, para que possamos atingir o maior número de ouvintes possíveis, com histórias de amor, alento e esperança", destaca André Palme, Country Manager da Storytel no Brasil. Outras informações: http://www.storytel.com/br/pt/ e @storytelbrasil.

Sobre a Storytel
A Storytel é uma das líderes globais em serviço de streaming de audiobooks e e-books e oferece serviço ilimitado de leitura e escuta em mais de 400.000 títulos globais. Sua visão é tornar o mundo um lugar mais empático, com grandes histórias para serem compartilhadas e apreciadas por todos, a qualquer hora e em qualquer lugar. 

A Storytel é uma plataforma digital além de um grupo editorial. A área de streaming oferece assinaturas para audiobooks e e-books pelas marcas Storytel e Mofibo. A área de publicações é composta pelas editoras Norstedts, Massolit, StorySide, Printz Publishing, People’s Press, Rabén & Sjögren, B.Wahlströms, Gummerus Kustannus and Norstedts Kartor. A Storytel opera em 20 mercados ao redor do mundo e está sediada em Estocolmo, na Suécia.

domingo, 23 de fevereiro de 2020

.: Em podcast, Arnaldo Antunes revela trauma de ser pop


No podcast "Essenciais", da Deezer, o músico também conta que Tribalistas não tinham pretensão de ser um estouro e que "Nome" primeiro solo, era seu "Yellow Submarine".

Do rock, do pop, da MPB; cantor, compositor, poeta, artista visual, titã, tribalista, pequeno cidadão... "Sou inclassificável". E essencial. Por isso Arnaldo Antunes, dono das aspas citada, está no novo episódio do 'Essenciais ', podcast original da Deezer, que convida nomes fundamentais da música brasileira para revisitarem e contarem os processos de sua discografia.

Durante o programa, recheado de referências e vivências em diversos contextos culturais e sociais das últimas décadas - da Contracultura à Lactomia (movimento social nascido na década de 90, na Bahia) - Arnaldo conta que começou a compor na escola. “No colégio que eu estudava Paulo Miklos era da minha classe, foi meu primeiro parceiro. Mas os outros Titãs todos, a gente começou a fazer música ali nesse período, com 15, 16 anos”.

Arnaldo Antunes deixou a icônica banda de rock em 1992 para lançar seu primeiro disco solo "Nome", um projeto multimídia com VHS, livro e CD, numa época em que a internet ainda engatinhava: “Tinha saído do Titãs e queria de certa forma afirmar que estava fazendo uma coisa radicalmente diferente, porque também era o que estava me seduzindo. Tem esse caráter experimental do projeto que foi recebido com certo estranhamento. Depois disso ficou um trauma tão grande, que a cada disco que eu fui lançando os jornalistas vinham me entrevistar e sempre perguntavam: ‘poxa, agora ficou mais pop, né?", diverte-se . Sobre esse trauma, ele explica: “Para mim, na época que eu lancei o 'Nome' aquilo era pop. Achava que as músicas davam para tocar na rádio. Era uma ilusão assim... para mim era meu 'Yellow Submarine', desenho animado, tinha criança que via e curtia. Eu falava: ‘Qual a dificuldade disso?’”.

No passeio pelos Tribalistas, fruto da gravação de seu disco "Paradeiro", feito na Bahia e co-produzido por Carlinhos Brown, que sem pretensão tomou as rádios, Arnaldo reflete sobre seus hits: “Foi esse sucesso que surpreendeu até a gente. Foi tudo feito com tanta espontaneidade. Não tinha muito dessa meta de fazer sucesso ou da previsão de que aquilo ia ser um estouro. O retorno foi muito maior do que a gente mesmo esperava, enfim; a gente não tinha essa expectativa ou esse plano de marketing para isso”, conta.

Ele ainda comenta o mesmo sobre a música “A Casa é Sua”: “Foi surpreendente também para mim. Acho que todos meus sucessos me surpreenderam. 'O Pulso', que era talvez a música mais estranha daquele disco 'Õ Blésq Blom', que é uma música toda falada. E de repente aquilo virou um estouro, as rádios começaram a tocar; não era um música de trabalho escolhida”

sábado, 8 de fevereiro de 2020

.: Felipe Solari lança podcast "WikiPod" para falar sobre a história do Oscar


Às vésperas da grande noite do Oscar, o apresentador e podcaster Felipe Solari lança seu segundo podcast. "WikiPod", uma produção em parceria com a Pod360, contando a história da famosa estatueta e curiosidades em torno da maior premiação do cinema mundial. Semanal, o programa apresentará biografias de pessoas, mas também de abordará fatos relacionados a marcas, produtos, empresas ou empresas - como o Oscar, tema do programa de estreia.

Paralelamente, Solari já está - em fase adiantada - de produção do conteúdo do seu Curso Online de Podcast, pelo qual compartilhará suas pesquisas e expertise conquistada em mais de um ano de Sistema Solari - seu primeiro podcast semanal, onde entrevista diferentes personalidades, entre elas, Mário Sérgio Cortella, Astrid Fontenelle, Vilfredo e Heloisa Schurmann, Junior Lima, Camila Frender e Milton Neves. Em maio, o podcaster-professor compartilhará seus conhecimentos dentro da sala de aula da ESPM Tech, em São Paulo, durante curso comandado por Aline e Helena Sordili.

Fã de Ricardo Boechat, o ex-VJ da MTV que vem se consolidando como podcaster de destaque acaba de assumir a bancada do Rock Reclame, entrando no ar, ao vivo, todas as terças pela Kiss FM. A partir de sua produção independente e bem-sucedida (Sistema Solari), o apresentador vem ampliando sua presença no universo dos podcasts e também conquistado seu lugar no rádio, tradicional meio do qual o apresentador sempre foi apaixonado.

sábado, 1 de fevereiro de 2020

.: Podcast gratuito é lançado para apoiar formação de professores


PROFS, Programa de Formação de Educadores da Somos Educação, lança podcast batizado de PodPROFS para discutir temas relevantes e fomentar o debate sobre a educação.

O PROFS, Programa de Formação de Educadores da Somos Educação, traz mais uma novidade para os educadores: o PodPROFS. Com conteúdo que visa fomentar o debate sobre a educação, trazendo temas relevantes para educadores e abrindo espaço para novas discussões e pontos de vista, o podcast é gratuito e está disponível nas principais plataformas: Spotify, Google Podcasts, Itunes, etc.

No primeiro episódio, publicado em novembro, os professores Antonella Cantinari, mestre em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e escritora de literatura infanto-juvenil, e Adriano Antunes, mestrando em Ensino de Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), discutiram as características, desafios e principalmente a importância da formação de professores no Brasil, debatendo sobre conhecimento teórico, metodológico e profissional voltado à prática docente.

O segundo, que está disponível no site da PROFS desde de dezembro, contou com a participação da professora Marina Fortes, que atua com currículos e abordagem socioemocional na Somos Educação. A conversa de dezembro discute as habilidades socioemocionais no campo da educação básica e é uma ótima oportunidade para que os professores entendam melhor sobre o assunto e visualizem novos caminhos para trabalhar e estimular o desenvolvimento dessas importantes competências dentro da sala de aula.

Novos episódios serão gravados mensalmente e os temas previstos para esse ano estão relacionados à educação integral, letramento digital, educação inclusiva, cultura maker, gestão pedagógica e qualidade na educação, educação popular, indígena e quilombola, avaliação formativa e a relação entre educação e neurociência.

PROFS também oferece cursos online e ferramentas para a construção de currículos
O programa PROFS disponibiliza cursos online para aprimorar o desenvolvimento dos professores. Os cursos são oferecidos as escolas parceiras inscritas no Plurall ou que utilizam algum material ou sistema de ensino da Somos Educação. Em 2020, os cursos seguirão uma proposta que visa estimular a aplicação de novas metodologias em sala de aula, ajudando os educadores a promover processos de ensino-aprendizagem significativos e com foco no desenvolvimento do aluno, além de fornecer ferramentas para a autorreflexão sobre a utilização de práticas pedagógicas integradoras.

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

.: Companhia de Dança em podcast sobre a temporada 2020


O primeiro episódio do ano do podcast do Theatro Municipal de São Paulo reúne os diretores das principais instituições e companhias culturais de São Paulo para uma conversa sobre o que vem por aí na temporada de ópera, música clássica e balé dos teatros e sala de concerto da capital paulista.

A apresentadora Ligiana Costa recebeu Inês Bogéa, diretora artística da São Paulo Companhia de Dança (SPCD), Marcelo Lopes, diretor executivo da Fundação Osesp na qual inclui a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), Paulo Zuben, diretor artístico-pedagógico da Santa Marcelina Cultura, instituição responsável pela gestão do Theatro São Pedro e Hugo Possolo, diretor artístico do Theatro Municipal.

No encontro, já disponível para ouvir nas plataformas digitais Spotify, Deezer, Apple Podcasts e Google Podcasts, eles destacam os muitos espetáculos que vão agitar os palcos paulistanos até dezembro, incluindo o Teatro Sérgio Cardoso que recebe parte da Temporada da SPCD. Só o Theatro Municipal vai apresentar 7 títulos de ópera em 6 montagens, sendo uma encenada fora da Sala de Espetáculos e uma encomenda, 16 programas sinfônicos, apresentações dedicadas aos 250 anos de Beethoven - efeméride também celebrada pelas temporadas da Osesp e do São Pedro -, peças de teatro e a ampliação do projeto Novos Modernistas.

Com repertórios abrangentes, de compositores consagrados a autores contemporâneos, as programações das instituições se complementam. Destaque também para a forte presença das mulheres nas equipes de criação em releituras de títulos do repertório operístico tradicional e a manutenção de diferentes linguagens e manifestações artísticas na agenda do Municipal, em especial, que em 2020 retorna com o caderno de assinaturas.

Em um bate-papo leve e descontraído, os convidados do episódio 10 do podcast Theatro Municipal também comentam sobre a importância de ampliar as residências artísticas no Brasil e em estabelecer laboratórios aos músicos das orquestras profissionais para imersão no repertório contemporâneo, com pensamento introdutório sobre o compositor e a obra antes mesmo de apresentá-la ao público. No caso das óperas, Paulo Zuben destaca o ateliê de composição que o São Pedro pretende desenvolver a partir deste ano.

Para conferir esse e outros episódios, acesse o site theatromunicipal.org.br/pt-br/podcast/ e escolha a plataforma de streaming de sua preferência. O podcast do Theatro Municipal de São Paulo traz entrevistas e música de qualidade, e o público tem a oportunidade de fazer um delicioso mergulho neste ambiente riquíssimo, do erudito ao popular.

Podcasts Theatro Municipal
Apresentado pela Secretaria Municipal de Cultura e Fundação Theatro Municipal de São Paulo
Idealização e produção: Instituto Odeon
Apresentação, roteiro e direção: Ligiana Costa
Gravação e edição: Felipe Caldo
Disponível nas plataformas digitais: Spotify, Deezer, Apple Podcasts e Google Podcasts

Postagens mais antigas → Página inicial

#ResenhandoIndica

20 20 20
Tecnologia do Blogger.