segunda-feira, 12 de outubro de 2015

.: Adotar um pet ajuda no desenvolvimento das crianças


Por Rubens Traldi Filho*
Em outubro de 2015

Se neste ano, seu filho te surpreendeu pedindo um bichinho de estimação no Dia das Crianças, não se preocupe! Ao contrário do que muitos pais pensam, ter um pet em casa é extremamente benéfico ao desenvolvimento das crianças.

A ciência comprova que, enquanto 30% do desenvolvimento infantil é genético, 70% depende de estímulos externos (como brincadeiras, atividades e exercícios) recebidos, principalmente, até os 3 anos de idade.  Assim, é imprescindível que os pais ofereçam oportunidades para que seus filhos, a partir do nascimento, possam desenvolver todo o seu potencial.

Segundo estudos realizados pela Comissão de Animais de Companhia (Comac) em parceria com profissionais do segmento pet, ter um animal provoca diversos estímulos e, essa convivência, é responsável por uma série de benefícios aos pequenos. Confira:

Desenvolvimento do sistema imunológico – uma pesquisa realizada pelo Instituto de Epidemiologia do Helmholtz Centre, em Munique (Alemanha), sugere que, durante a infância, a exposição a bactérias contidas na pelagem dos cachorros pode estimular o sistema imunológico e evitar futuros problemas respiratórios como asma e rinite alérgica. Isso porque, através das experiências vivenciadas, a criança desenvolve sua capacidade de defesa contra agentes variados. Mas, para isso acontecer, é essencial que o animal esteja bem cuidado e higienizado.

Desenvolvimento físico – a presença de um pet em casa, incentiva a prática de exercícios e a realização de atividades como engatinhar, ficar em pé, andar, equilibrar, correr, desenhar, etc, o que faz com que a criança continue a executar a ação, recebendo constantes estímulos.

Desenvolvimento emocional – o vínculo criado com o animal permite que seu filho desfrute de um companheiro que sempre estará à sua disposição e que o aceita incondicionalmente. Os amigos peludos fazem a criança sentir-se mais segura, confiante, valorizada, útil e importante. Além disso, se ela for responsável por cuidar do animal, irá se sentir competente de maneira muito mais complexa do que quando aprende a fazer coisas da vida diária.

Desenvolvimento social – até os cinco anos de idade, a comunicação infantil é prioritariamente não-verbal, tornando-se extremamente bem sucedida quando realizada com animais, já que estes se comunicam da mesma forma. Assim, a comunicação acontece de maneira recíproca e, como o pet reage a todo tipo de estímulo, a criança percebe uma troca de cuidados, uma vez que o pet demonstra carinho nos atos positivos e rejeição em atos que venham a desagradá-lo.

Ao permitir que a criança tenha a oportunidade de conviver com animais de companhia desde pequena, os pais estão proporcionando ao filho uma maneira extraordinária de experimentar o mundo físico e social, consequentemente, estimulando habilidades motoras, cognitivas e emocionais, por meio do vínculo afetivo com o pet.  Além disso, essa experiência pode ser maximizada se a escolha do animal incluir toda a família. A minha dica é: baixe o Au.dote, reúna a criançada e escolha um cachorrinho que combine com vocês! Tenho certeza que você não vai se arrepender e esse Dia das Crianças irá ficar marcado pra sempre!

*Rubens Traldi Filho é adestrador, comportamentalista canino e consultor da startup DogLikers.

Sobre a DogLikers - startup voltada para o mercado pet lançada por jovens empresários. O primeiro serviço da marca é o LikeBox, uma caixa customizada que chega mensalmente à casa do assinante, com itens de higiene, esportivos, diversão, snacks, entre outras surpresas. A ideia é gerar maior interação entre donos e cães evitando perdas de tempo e gastos. O segundo, lançado em maio de 2015, é o Au.Dote, um aplicativo para cães encontrarem novos donos.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.