sexta-feira, 25 de maio de 2018

.: 5º Fidifest – Festival Internacional de Dança de Santos começa terça


Evento reunirá profissionais de destaque nacional. Programação terá ainda workshops e mostras competitivas. 

O Fidifest – Festival Internacional de Dança chega à sua quinta edição entre 29 de maio e 3 de junho, no Teatro Municipal Braz Cubas, onde acontecem as apresentações das mostras competitivas, e Cadeia Velha, local dos workshops. Dirigido por André Santos (com experiência na Broadway), Juliana Luiz e Vanessa Toledo, profissionais da Baixada Santista respeitados e reconhecidos nacionalmente, e realizado pela ADALPA – Associação de Dança do Litoral Paulista, com apoio da Secretaria de Cultura de Santos, o festival visa disseminar a dança na Baixada Santista, formar público para o gênero artístico, que tem crescido no país e ainda movimenta o turismo, atraindo artistas, profissionais da área e interessados de diversas partes do país e do exterior.

Em 2017, 62 grupos/escolas participaram da programação, num total de 1.200 bailarinos – inclusive artistas da Argentina, Chile e 18 cidades brasileiras - e público estimado em três mil pessoas. Para esta edição, a expectativa é que 1300 bailarinos participem do festival e o público ultrapasse 4 mil pessoas.  

Para este ano estão confirmadas presenças de bailarinos da Argentina, Balneário Camboriú-SC, Barra Velha-SC, Campinas-SP, Cornélio Procópio-PR, Cubatão, Guarujá, Itajaí-SC, Itanhaém, Jundiaí, Mogi das Cruzes, Peruíbe, Pinhais-PR, Praia Grande, Registro, Ribeirão Preto, Santos, São Paulo, São Vicente, Sertãozinho, Suzano, Valinhos e Votorantim. 



Abertura
Assim como nas duas edições anteriores, o festival presenteará o público da Baixada Santista com um espetáculo gratuito na abertura. O Núcleo de Pesquisa Marcearia das Ideias, dirigido pelo renomado Luiz Fernando Bongiovanni, apresentará “Breve Compêndio para Pequenas Felicidades e Satisfações Diminutas”, 29 de maio, uma terça-feira, 20h, no Teatro Municipal. A retirada gratuita dos ingressos começará uma hora antes, na bilheteria do local.

Para criar seu “Breve Compêndio para Pequenas Felicidades”, o Núcleo de Pesquisa Mercearia de Ideias resolveu conversar. A ideia fundamental foi trocar experiências entre os integrantes do grupo e perguntar, por várias perspectivas, o que traz a felicidade? Desacelerar, escolher, relacionar, pertencer, acolher, tocar, são algumas ações que apareceram nas discussões que o grupo realizou. 

Qual é a felicidade, ainda que efêmera, que dá sentido à vida? A partir dessa indagação, o grupo também se pôs a pensar: quais os obstáculos e impedimentos que nos atravessam? O espetáculo foge do senso comum ao trabalhar a individualidade de cada intérprete e sua própria relação com o tema. Mostra, assim, que não é preciso sorrir para ser feliz.

“Optamos por fazer uma reflexão que não parte do senso comum sobre a felicidade geral, associada, na maior parte do tempo, ao amor, à saúde, aos bens materiais, mas um outro tipo de felicidade, aquela  que cada pessoa descobre individualmente e nutre ao longo da vida. A felicidade que habita os instantes, as frestas, as passagens”, fala o coreógrafo, que contou com a colaboração do elenco para a criação da obra. 

“A pesquisa parte de vivências e experiências de cada  artista, como cada um busca a felicidade e quais entraves encontra, a partir daí elaboramos uma lista, um breve compêndio, que se apresenta no âmbito cênico uma manifestação”.  

O espetáculo, que fez sucesso em São Paulo, traz para cena a ambiguidade que algumas situações podem apresentar. “É no binômio, felicidade e obstáculos, que o espetáculo se desdobra. Trabalhamos, por exemplo, o tempo a partir da ideia de velocidade, da pressa, do tempo imaginado, do medo, do receio, da ansiedade, mas também das pequenas gentilezas, do tempo de cada um, do direito à fala de cada indivíduo, do acolhimento, do que cabe dentro de um abraço”, afirma o artista. 

“Breve Compêndio para Pequenas Felicidades e Satisfações Diminutas” tem duração de 55 minutos, figurinos da bailarina Nayara Saez, cenografia de Oswaldo Lioi, cuja concepção modifica o espaço cênico: projeta, releva e esconde o bailarino; iluminação de Lígia Chaim, projeções de Binho Dias e Osmar Zampieri e a trilha composta por Sérgio Soffiatti. As fotos são de Clarissa Lambert e a produção da Corpo Rastreado.



Workshop
Também na terça-feira, 29 de maio, mais cedo, das 9h às 11h, Luiz Fernando Bongiovanni ministra o workshop gratuito “Oficina de Composição”, no palco do Teatro Municipal. Não há idade mínima para participar. As inscrições podem ser feitas via WhatsApp: (11) 97784-4681.

Programação 
Após a abertura, o 5º Fidifest segue até 3 de junho com as mostras competitivas e os demais workshops. Detalhes sobre valores para as inscrições estão no site www.fidifest.com.br. Já para quem quiser acompanhar as mostras no Teatro, o valor do ingresso será simbólico: R$ 20 (valor promocional de meia-entrada para todos).

Como é tradição no festival, os membros do júri e responsáveis pelos workshops integram a nata da dança no Brasil. Este ano, destaque para a participação de Misha Tchoupakov, russo radicado nos EUA, que integra o Corpo Docente da Escola de Dança da Universidade da Carolina do Norte nos Estados Unidos e foi membro do Ballet Bolshoi. 

Atuarão a seu lado avaliando as apresentações Cecília Kerche, Primeira Bailarina e Diretora Artística do Corpo de Baile do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, J.C. Violla (júri técnico do quadro "Dança dos Famosos", da Rede Globo), Edy Wilson De Rossi (diretor artístico da Anacã Cia. de Dança) e Marcio Rongetti, professor particular de Balé de artistas como Claudia Raia, Jarbas Homem de Mello, Fernanda Souza e da cantora Wanderléa. Cecília, Edy e Marcio também ministrarão os workshops na Cadeia Velha. Detalhes sobre os valores e inscrições no site do evento. 



Mostras competitivas
As inscrições para as mostras competitivas encerraram em 30 de abril. O público poderá conferir os estilos Balé Clássico de Repertório, Balé Clássico Livre, Jazz, Contemporâneo, Sapateado, Estilo Livre, Danças Populares (Nacionais e Internacionais), Dança de Salão e Danças Urbanas. As formas de competição são Solo, Duo, Trio e Conjunto. E as categorias:  Baby (dois anos a cinco anos e 11 meses), Infantil (seis anos a oito anos e 11 meses),Infanto Juvenil (nove anos a 11 anos e 11 meses), Juvenil 1 (12 anos e 14 anos e 11 meses), Juvenil 2 (15 anos e 17 anos e 11 meses), Adulto (a partir de 18 anos) e 3ª Idade (acima de 51 anos).

Intercâmbio internacional
Com o objetivo de promover o intercâmbio internacional e contribuir para o crescimento da dança no Brasil, o Fidifest realiza a audição internacional, que entre 30 de maio e 3 de junho selecionará os participantes:

A - 01 Bolsa Integral para o Programa de Balé ou Programa de Contemporâneo pelo período de 01 Ano na University North Caroline School of Arts ou 01 Bolsa Integral para o UNCSA Summer, de acordo com a avaliação técnica dos participantes, que será realizado por Misha Tchoupakov;

B - 03 Bolsas Integral para uma Vivência nos Programas de Jazz e/ou Contemporâneo pelo período de até 30 Dias na Escola Danza 180º localizada em Madrid-Espanha.

C- 01 Bolsa pelo período de 05 a 10 Dias na Broadway Dance Center em NY/EUA

Além das Bolsas que serão concedidas pela University North Caroline School of Arts e a Escola Danza 180º, a Direção Fidifest premiará um dos Selecionados com o “Prêmio Audition FIDIFEST” – 01 Passagem Aérea (Ida e Volta) para Carolina do Norte/EUA ou para Madrid/Espanha ou para New York/EUA.

A Associação de Dança do Litoral Paulista - Adalpa é uma associação sem fins lucrativos, fundada em julho de 2016. Tem por missão assessorar os profissionais de dança do Litoral Paulista, em suas ações e atividades oficiais e independentes.

Endereços:
Teatro Municipal Braz Cubas – Avenida Senador Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias.
Cadeia Velha – Praça dos Andradas, sem número, Centro de Santos.


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.