terça-feira, 2 de outubro de 2018

.: Musical se inspira em Zygmunt Bauman para falar sobre amor


Unindo o conceito do sociólogo polonês Zygmunt Bauman (1925 – 2017) e músicas compostas por Marcelo Jeneci juntamente a seus parceiros musicais ao longo de sua carreira, Canções para Amores Líquidos faz sessões extras na Cia. da Revista: Sexta, dia 5, e sábado, dia 6, às 21hs, domingo, dia 7 de outubro, com duas sessões, às 17h e às 20h.

O musical traz histórias de amor e uma reflexão sobre a profundidade dos relacionamentos em nossa sociedade líquida. A direção é de Luiz Rodrigues e o elenco conta com Beatriz Amado, Cadu Witter, Le Allvez, Leticia Chiochetta, Marcela Gibo e Tiago Valente. O texto original é de Alexandre Martins e Sérgio Virgilio, e supervisão de Victor Hugo Valois. Ao lado de Luiz Rodrigues na equipe criativa estão Sandro Sabbas, na direção musical, e Carolina Martins, que assina as coreografias.

No palco, seis personagens vivem relações amorosas típicas da vida contemporânea, ainda imersa entre antigos e novos valores. A história traz questionamentos como: Todo mundo está atrás de uma relação sólida? Namoros rápidos podem ser verdadeiros? Estamos mais seguros dentro de um casamento? Todas as relações foram feitas para acabar?

A montagem foi construída sobre o pensamento de Zygmunt Bauman. Em sua obra, o sociólogo aponta e analisa a incapacidade das populações de grandes metrópoles de criar laços afetivos e verdadeiros. As canções que costuram o enredo são elemento fundamental para o avanço da história e para o tom poético em cena.

As músicas utilizadas são "Tempestade Emocional", "Quarto de Dormir", "Nada a Ver", "Pra Gente se Desprender", "O Melhor da Vida", "Jardim do Éden", "Dia a Dia/Lado a Lado", "Feito pra Acabar", "Só Eu Sou Eu", "Tudo Bem", "Tanto Faz", "Longe", "Julieta" e "Por que Nós", de autoria de Marcelo Jeneci com parceria de Luiz Tatit, Arnaldo Antunes, Paulo Neves, José Miguel Wisnik, Isabel Lenza, Betão Aragão, Tulipa Ruiz, Gustavo Ruiz, Arthur Nestrovski e Laura Lavieri.

“Esse trabalho busca dialogar com a sociedade sobre as formas e caminhos que o amor toma atualmente, nos levando a refletir sobre as maneiras como nós mesmos o vivenciamos”, conta o diretor.

"Canções para Amores Líquidos" é uma realização da Ópsis Teatro, que em seus nove anos de trajetória vem pesquisando sobre as linguagens da música em cena, investindo na formação de jovens atores e nas possibilidades do teatro musical de pequeno e médio porte.

Ficha técnica
Realização: Ópsis Teatro. Dramaturgia: Alexandre Martins e Sérgio Virgilio. Roteiro Original: Cadu Witter. Supervisão de texto: Victor Hugo Valois. Músicas: Marcelo Jeneci, Luiz Tatit, Arnaldo Antunes, Paulo Neves, José Miguel Wisnik, Isabel Lenza, Betão Aragão, Tulipa Ruiz, Gustavo Ruiz, Arthur Nestrovski e Laura Lavieri. Direção Geral: Luiz Rodrigues. Elenco: Beatriz Amado, Cadu Witter, Le Allvez, Leticia Chiochetta, Marcela Gibo e Tiago Valente. Assistência de Direção: Vanessa Rodrigues. Preparação Corporal e Coreografias: Carolina Martins. Direção musical, preparação e arranjos vocais: Sandro Sabbas. Regência e Arranjos da banda: Augusto Girotto. Cenografia: João Paulo Oliveira. Figurinos: Leandro Oliveira. Iluminação: Rodrigo Campos. Técnica e Designer de Som: Hayeska Somerlatte. Direção de Arte e Design: Chris, The Red. Produção Geral: Luiz Rodrigues. Produção: Cadu Witter e Luciana Marcon. Assessoria de Imprensa: Renato Fernandes.

Serviço
Cia. da Revista - Alameda Nothmann, 1135 - Santa Cecília - São Paulo. Ingressos: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia), R$ 15 (moradores da região). Duração: 100 minutos. Classificação indicativa: 12 anos.


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.