sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

.: "Falsa Acusação": a história real sobre estupro que vai virar série da Netflix

Vencedores do Pulitzer, jornalistas acompanham as investigações de caso de estupro em livro que vai virar série da Netflix.

Um livro eletrizante, importante e perturbador, "Falsa Acusação" é baseado numa história real e num artigo vencedor do Prêmio Pulitzer de jornalismo investigativo. Baseado nos arquivos da investigação policial e nas entrevistas com os envolvidos, os jornalistas T. Christian Miller e Ken Armstrong apresentam uma história cheia de reviravoltas, dúvidas, estigmas, mentiras e, acima de tudo, um profundo desejo de justiça, fazendo também uma análise da maneira ultrajante como as mulheres são tratadas quando denunciam casos de violência sexual. Narrado em ritmo de thriller, "Falsa Acusação" está sendo adaptado pela Netflix na série "Unbelievable", prevista para estrear em 2019.


A história
Em 11 de agosto de 2008, Marie, de 18 anos, foi à polícia denunciar que um homem mascarado entrou em seu o apartamento e a estuprou. Depois de alguns dias, a polícia, e até mesmo algumas pessoas próximas da garota, começaram a desconfiar dela. Confrontada com as inconsistências do seu relato e as dúvidas de todos, ela voltou atrás e disse que tinha mentido, que tudo não passava de uma tentativa de chamar atenção. 

A polícia a acusou de ter feito uma denúncia falsa, Marie foi taxada de mentirosa e execrada por todos. Mais de dois anos depois, a detetive Stacy Galbraith é designada para investigar um caso de estupro. Junto a Edna Hendershot, responsável por outro caso semelhante, descobre que estão às voltas com um estuprador em série e acabam por relacionar esse criminoso a inúmeros outros casos de violência sexual ainda não solucionados.

Os autores
T. Christian Miller é repórter do ProPublica, uma organização sem fins lucrativos sediada em Nova York, que faz jornalismo investigativo independente e de interesse público. Ele já trabalhou para o Los Angeles Times e atualmente leciona jornalismo investigativo na Universidade da Califórnia, em Berkeley. 

Ken Armstrong também é repórter do ProPublica. Trabalhou no Projeto Marshall, uma empresa jornalística online e sem fins lucrativos especializada em justiça criminal nos Estados Unidos, e na Chicago Tribune, onde contribuiu para a suspensão das execuções por pena de morte. Ambos ganharam inúmeros prêmios, incluindo o Pulitzer, em 2016, pela reportagem “A inacreditável história de um estupro”, publicado tanto no ProPublica quanto no Projeto Marshall, e que deu origem a este livro.

Projeto Marshall
O Projeto Marshall é uma organização sem fins lucrativos dedicada à cobertura e produção de conteúdo sobre o sistema de justiça criminal dos EUA. Ganhador do Prêmio Pulitzer em 2016, seu objetivo é criar e manter um senso de urgência sobre as condições e o funcionamento do sistema carcerário americano. Seu trabalho inclui projetos investigativos e educacionais, além de material para subsidiar outras organizações de notícias. Para garantir que seu trabalho alcance um público maior, o Projeto Marshall se associa ou co-publica conteúdo em parceria com outros meios de comunicação como jornais, revistas, emissoras e sites. A reportagem que baseia o livro Falsa acusação foi produzida em parceria pelo Projeto Marshall e a agência Pro Publica. 


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.