domingo, 10 de março de 2019

.: “Pouco Amor Não É Amor” é Nelson Rodrigues polêmico e demolidor


Amor, morte, família, loucura, traição e ciúme. Junte tudo isso, acrescente o “molho” de Nelson Rodrigues e – voilá! – temos um texto contundente, vigoroso, irônico: um tapa na cara da hipocrisia. Pegar essa receita e levá-la para os palcos é pura ousadia. Mas vale a pena. Que o diga o diretor Sidnei Cruz, que encarou o desafio e estreia, no dia 15 de março, a peça “Pouco Amor Não É Amor”, no Teatro II no Sesc Tijuca, em temporada até 7 de abril, sempre de sexta a domingo, às 19h. No elenco, dando vida a diversos personagens, estão Alan Pellegrino, Daniel Chagas, Deborah Rocha e Gisela de Castro.

Para essa audaciosa empreitada, Sidnei teceu a dramaturgia do espetáculo com os fios de contos da obra “Pouco Amor Não é Amor”, de Nelson Rodrigues, publicada, originalmente, entre 1953 e 1954, nas edições dominicais do Jornal da Semana - Flan. As histórias reunidas no livro tratam dos temas mais caros ao escritor, numa espécie de “A Vida Como Ela É...” ampliada.

A montagem é original. Abre ao som de "Me Deixa Em Paz", de Monsueto, e fecha com "Eu Sei que Vou te Amar", de Tom Jobim e Vinicius de Moraes. A encenação busca instaurar uma atmosfera de intimidade com o público. “A montagem insere os espectadores numa configuração de teatro de arena, onde todos são vistos por todos, criando um ambiente de cumplicidade e espelhamento. Os atores transitam e transformam-se entre o público, envolvendo-o num carrossel de pulsações. Nesse teatro da intimidade, o público vê o que pensa o personagem, espreitando pelo buraco da fechadura a vida psíquica como ela é”, explica o diretor Sidnei Cruz.

Sobre a obra de Nelson Rodrigues
Reunindo contos escritos em 1953 e 1954, o livro “Pouco Amor Não É Amor” foi publicado em 2002 pela Companhia das Letras, na Coleção Baú de Nelson Rodrigues. Oscilando entre o trágico e o patético, os contos do livro desenham uma radiografia das relações amorosas cariocas dos anos 1950. 

Esta incursão pelas relações amorosas do Rio de meados do século XX forma um todo coerente, que retoma a experiência do repórter policial que Nelson havia sido. Os textos também aprofundam um traço de sua obra que já se transformara na marca do estilo e da visão de mundo do autor: a percepção ao mesmo tempo trágica e patética da alma humana.

Para o diretor, “existem várias facetas de Nelson Rodrigues. Por isso, ele continua sendo um autor maldito, polêmico, demolidor de costumes”.

“Pouco Amor Não É Amor” - Ficha artística e técnica
Elenco: Alan Pellegrino, Daniel Chagas, Deborah Rocha e Gisela de Castro.
Dramaturgia e direção: Sidnei Cruz
Iluminação: Guiga Ensa
Assessoria de voz/canto: Nina Wirtti
Programação visual: Fernando Alax
Fotografia Artística: Marcos Felipe Monteiro
Figurino/ adereços: Patrícia Muniz
Maquiagem: criação coletiva
Produção: Anacris Monteiro e Fernando Alax

Serviço
“Pouco Amor Não É Amor”
Com Alan Pellegrino, Daniel Chagas, Deborah Rocha e Gisela de Castro
Classificação indicativa: 12 anos.
Duração: 55 minutos
Temporada de 15 de março a 7 de abril
Dias: de sexta-feira a domingo
Horário: 19h
Ingressos: R$ 30 (inteira), R$ 15 (meia) e R$ 7,50 (sócio Sesc)
(gratuito PCG para famílias com renda de até 3 salários mínimos)
Teatro II no Sesc Tijuca - Rua Barão de Mesquita, 539 - Tijuca
Lotação: 50 lugares
Apoio Cultural
Produção: Ouro Verde Produções
Realização: SESC-RJ


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.