quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

.: Resumo do livro "Formação e Classes de Palavras no Português do Brasil"


No livro  "Formação e Classes de Palavras no Português do Brasil", publicado pela editora Contexto, a autora Margarida Basílio, professora titular da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, descreve os padrões gerais e dos principais processos de formação de palavras na variedade brasileira da língua portuguesa.

A intenção da autora é oferecer ao público leitor, estudiosos da língua e professores de português uma visão articulada dos principais processos de formação de palavras, tendo como ponto central a questão da mudança de classe e suas funções na constituição do léxico. A autora quer mostrar que a morfologia derivacional não existe por acaso. De acordo com ela: “as estruturas morfológicas constituem um instrumento fundamental na aquisição e expansão do léxico individual ou coletivo, assim como de seu uso na produção e compreensão de diferentes tipos de texto em nossa língua”, afirma na introdução da página 7.

Para isso, ela desenvolve o assunto em dez capítulos, terminando todos eles com um conjunto que varia entre dez e 18 exercícios para que os leitores possam praticar ou testar o conhecimento no que acabaram de estudar a cada capítulo.

O primeiro capítulo, “Para que serve o léxico?”, entre as páginas 9 e 12, reflete sobre léxico e língua, constituição e expansão do léxico, léxico externo e léxico mental, processos de formação de palavras, o léxico é “ecologicamente correto”, léxico virtual e léxico real. 

O segundo capítulo, “Dissecando a palavra”,entre as páginas 13 a 19, é sobre a palavra gráfica, palavra e dicionário, palavra estrutural, a palavra e suas flexões; palavra, vocábulo e lexema; palavra, homonímia e polissemia; palavra fonológica, clíticos, locuções, a palavra como forma livre mínima, formas dependentes, problemas remanescentes. 

O terceiro capítulo, “Classes de palavras e categorias lexicais”, entre as páginas 21 a 25, trata de noções gerais, critérios de classificação, um critério ou um conjunto de critérios?, principais categorias lexicais: breve definição, formação e classes de palavras. 

O quarto capítulo, “Derivação e mudança de classe: padrões gerais e motivações”, entre as páginas 27 a 32, expõe padrões lexicais regulares, derivação e mudança de classe, por que mudança de classe?, motivações não são exclusivas, quadros mais complexos, motivação expressiva na mudança de classe, motivação textual e motivação sintática, motivações múltiplas. 

O quinto capítulo, “Principais processos de mudança de classe: formação de verbos”, entre as páginas 33 a 38, gira em torno da formação de verbos a partir de substantivos, processos de formação de verbos a partir de adjetivos, mudança de estado em verbos formados a partir de substantivos, principais processos de formação, formações parassintéticas. 

O sexto capítulo, “Principais processos de mudança de classe: formação de substantivos”, entre as páginas 39 a 51, remete à formação de substantivos a partir de verbos, função denotativa, motivação gramatical, motivação textual, desverbalização, principais processos de formação; derivação regressiva, formação de nomes de agente e instrumento, aspectos gramaticais, principais processos de formação; formação de substantivos a partir de adjetivos, função denotativa, outras motivações, principais processos de formação. 

O sétimo capítulo, “Principais processos de mudança de classe: formação de adjetivos”, entre as páginas 53 a 60, falará sobre a formação de adjetivos a partir de substantivos, principais processos de formação; formação de adjetivos a partir de verbos, motivação gramatical, principais processos de formação; vestígios categoriais em adjetivos formados de verbos. 

O oitavo capítulo, “Principais processos de mudança de classe: formação de advérbios”, entre as páginas 61 a 65, trata da formação de advérbios por derivação, problemas de análise morfológica na derivação de advérbios, as diferentes funções das formações em -mente, a formação de advérbios por conversão.

Nos últimos capítulos, a autora reflete sobre processos de formação de palavras que não estão ligados à mudança de classe. No nono capítulo, “Sufixação sem mudança de classe”, páginas 67 a 77, trata da expressão do grau (aumentativo e principais processos de formação; o diminutivo e seus valores e principais processos de formação; aspectos morfológicos; prefixos diminutivos; superlativo) e nomes de agente denominais (formações em -ista, formações em -eiro, além de outras formações). 

No décimo capítulo, “Adjetivo ou substantivo?”, páginas 79 a 93, sobre conversão e derivação imprópria, adjetivo e substantivo: as dificuldades de classificação; nomes pátrios e nomes de cores; os três critérios de classificação e sua relação com a flutuação substantivo/adjetivo; adjetivos substantivados; substantivos com função adjetiva: nomes de agente, casos típicos e casos marginais, substantivos podem qualificar substantivos?, substantivos como qualificadores, substantivos como complementos de substantivos, substantivos como especificadores.

Margarida Basílio também é autora de "Teoria Lexical" (São Paulo: Ática, 1987) e "Estruturas Lexicais do Português: Uma Abordagem Gerativa" (Petrópolis: Vozes, 1980).

Referência bibliográfica
BASILIO, Margarida. Formação e classes de palavras no português do Brasil. – 3ª ed. – São Paulo: Contexto, 2011. 


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

#ResenhandoIndica

20 20 20
Tecnologia do Blogger.