terça-feira, 12 de janeiro de 2016

.: Lembranças de "A Bela e a Fera", por Mary Ellen Farias dos Santos

Por: Mary Ellen Farias dos Santos

Em janeiro de 2016


A vida é construída a partir de memórias e são justamente as afetivas que nos fisgam. Quem nunca perdeu um tempinho após mergulhar em lembranças ou até comprou certo produto somente por ter voltado à infância? 

Neste universo perdido do passado que está bem armazenado na minha mente, tenho um espaço especial para a animação de "A Bela e a Fera", dos Estúdios Disney. Sim! Esta Bela desbancou "A Bela Adormecida". Quantas vezes meu irmão escondeu o VHS por já não aguentar mais escutar: "Você é o príncipe azul". Princesas? Claro! Na minha época não era modinha. Eu gostava e pronto! Só anos depois que apareceu um lindo álbum para colecionar. Tenho até hoje!

Lembro perfeitamente do dia em que fomos ao cinema. Não sei o motivo em específico, mas, milagrosamente, naquela vez, o meu pai nos acompanhou. Só podia estar de férias. Sim! A tarefa de ir aos cinemas com a filhota era da minha mãe que sempre dormia no meio da exibição. Para a minha completa felicidade, fomos os três. O meu irmão, dez anos mais velho do que eu, já não curtia ir ao cinema assistir desenhos e muito menos acompanhado dos pais.

Naquela época a rede de cinemas Roxy, localizada em Santos, São Paulo, oferecia salas gigantescas. Era um sonho realizado assistir qualquer filme ali, embora as cadeiras fossem muito desconfortáveis. O tempo passou e as mudanças nestes cinemas foram incríveis. Contudo, o meu amor por "A Bela e a Fera" permanece.

Sempre que vejo trechos da produção de 1991 nas redes sociais é como se voltasse àquele dia mágico. Meus pais compraram duas caixas de bombons, refrigerante e juntos curtimos a animação que mais me identifiquei ao longo dos meus 33 anos. Lembro perfeitamente que mesmo no escuro, os olhos da minha mãe brilharam ao encontrar os meus para questionar: "Meire, pensou em ter uma biblioteca destas só para você?"

A espera para rever algum filme em VHS era longa. Contudo, numa visita à casa de meus tios, o meu primo Luciano, que sempre surgia com novidades, chegou e disse: "Meire, consegui um desenho novo que é a sua cara!". Era "A Bela e a Fera". Claro que eu amei a surpresa e assisti pela segunda vez o super lançamento.

Anos depois, em 2002, lá fui aos cinemas da Rede Cinemark, com meu namorado. Desta vez, a magia fora remasterizada e ganhou o musical: "Ser humano outra vez". Ainda sabia a letra de cada música. Provando que quando gostamos de algo... Não esquecemos. Não tivemos a oportunidade de ir ao Teatro Abril para ver a adaptação brasileira, mas assim que saiu em DVD, ganhei daquele que hoje é meu marido, a edição especial limitada, que, obviamente mantive e está impecável.

Esta é uma das formas de cutucar minha memória afetiva. Seja ao ver imagens, ouvir trechos de músicas ou assistir cenas deste clássico que tive o prazer de assistir nos cinemas e em família. Em tempo, a Fera é o príncipe mais lindo de todos os criados em animação pela Disney. 


* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com, jornalista, professora e roteirista, além de criadora do www.photonovelas.com.br. Twitter:@maryellenfsm

Cena da transformação da Fera

A biblioteca dos sonhos

Música: Sentimentos

"A Bela e a Fera" no Teatro Abril (2002)



← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.