quarta-feira, 1 de junho de 2016

.: "Haja Coração" é uma novela nova, não um remake - por André Araújo

Por André Araújo
Em março de 2016

Silvio de Abreu, autor de sucessos do horário das 21h na Rede Globo. como “Rainha da Sucata”,”A Próxima Vítima” e “Belíssima”, já foi o "rei das novelas das sete”, mesmo tendo amargado um megafracasso com “Pecado Rasgado”, no ano de 1978. 


Segundo ele, sua história até que era boa, mas alguns amigos atores foram pedindo emprego e ele foi criando personagens que nada tinham a ver com a proposta da trama, resultando no fiasco que foi. Mas nem por isso ele foi demitido pela Rede Globo e, nos anos 1980, emplacou um sucesso atrás do outro, como “Jogo da Vida” (1981), ”Guerra dos Sexos” (1983), ”Cambalacho” (1986) e “Sassaricando” (1987). O segredo de tanto sucesso? Segundo o próprio, tramas leves e elenco enxuto.Ele fazia questão de escrever apenas para 25 personagens e tudo funcionava.


Na terça-feira, 31 de maio, tivemos a volta de “Sassaricando” escondida atrás de um novo título, ”Haja Coração”, mas com novo autor, que insiste em dizer que sua novela não é remake e, sim, uma inspiração daquela trama que dominou todas as rodas de conversa entre novembro de 1987. Ok. Que Daniel Ortiz defina sua novela como quiser, mas que “Sassaricando” está de volta em nova roupagem, isso ninguém duvida. E ele teve sorte: a novela estreou bem e começou com boa audiência.


O elenco da trama atual é numeroso, mas no capítulo de estreia, passado o instante da “apresentação” de personagens e histórias, os núcleos foram se cruzando de forma precisa e bem elaborada. De algum modo, não poderia ser diferente, já que a base da novela é toda certinha, ou seja, ”Sassaricando”. Difícil errar.

Mariana Ximenes (Tancinha). sempre ótima em tudo que faz,mostrou logo a que veio e nos trouxe, por segundos, a “Tancinha” de Claudia Raia de volta, com seu caminhado rebolativo, decote avassalador e aquele mesmo“sotaque” (imitado pelo país inteiro!) engraçado. A atriz vai do drama à comédia sem perder o tom e só por isso a novela já pode se revelar ganha. Mas ainda temos 170 capítulos pela frente e um elenco de estrelas que vai precisar matar um leão por dia para se garantirem ao longo dos próximos meses.

Tatá Werneck (Fedora) me fez sentir saudades de Cristina Pereira, a “verdadeira” Fefê. Não que a humorista tenha se tornado sem graça, assim como não concordo com o que dizem que ela só faz o mesmo papel, mas seu humor assim, meio forçado, ficou forçado demais no capítulo de estreia (risos), mas acredito que as coisas podem melhorar, assim como Alexandre Borges (Aparício), que toda vez que assume um papel voltado para a comédia se repete nos trejeitos, semblante e tom de voz. Será culpa do ator, do diretor, ou esses papéis são, coincidentemente, sempre os mesmos para o ator? Não sei, mas foi isso que pude perceber e achei o personagem fraco, digo, o intérprete.

Marisa Orth (Francesca) arrasou e seu potencial de atriz dramática sempre foi evidente.Se o autor levar adiante o que vimos na estreia,o papel da atriz tem tudo para crescer muito no decorrer da trama. Carolina Ferraz(Penélope), Malu Mader (Rebeca) e Ellen Roche (de atriz convidada???) (Leonora) já disseram a que vieram, e a cena da batida dos carros das três me levaram de volta ao quinto capítulo de “Quatro por Quatro”, quando as quatro protagonistas da novela de Carlos Lombardi se conheceram. Mas e daí? Novela é assim mesmo. Talvez o Daniel Ortiz quis fazer uma homenagem ao seguidor número um de Sílvio de Abreu. Por que não? 

As personagens dessas belas atrizes prometem. Se a história das beldades seguirem o mesmo rastro da “Sassaricando”, teremos mil e uma aventuras pela frente. Mas será que a Malu Mader viverá também a “Rebeca falsa” da Tônia Carrero? Na época,a atriz precisou se afastar por alguns capítulos,e quando voltou,sua personagem era outra. Fiquei curioso em saber se isso vai ser mantido.Se for, teremos uma Malu Mader como vilã por vários dias, digo, capítulos.O jeito é esperar para ver.


No mais,a estreia foi boa e que o autor e elenco mantenham o mesmo pique do capítulo primeiro,que foi muito bom. Acho que a única grande falha mesmo é o tema de abertura na voz de Ivete Sangalo, que já tem música em "Êta Mundo Bom"... Deve ser algum acordo entre a emissora e a gravadora da artista, não tem outra explicação. Mas atenção,saudosistas: “É uma novela nova”,como diz Daniel Ortiz. Vamos esperar para ver.



***


André Araújo é um apaixonado por novelas. Tanto que ele escreve algumas por aí e publica pela internet, arrebatando fãs e distribuindo inspiração. Da cabeça dele já saíram grandes personagens. Entre as novelas virtuais, é autor de "Uma Vez Na Vida! e "Flor de Cera", que será lançada em breve e tem até grupo no Facebook - neste link.



← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.