quinta-feira, 16 de junho de 2016

.: Flip e ABER: oficina sobre técnicas artesanais de encadernação de livro


A cultura material do livro volta à Flip - Festa Literária Internacional de Paraty em 2016. Depois da oficina de design de livros, ministrada pela holandesa Irma Boom e Elaine Ramos, em 2015, as técnicas artesanais de encadernação serão o foco de um workshop que acontece a partir de 30 de junho, durante a edição deste ano.

Feita em parceria com a Associação Brasileira de Encadernação e Restauro (ABER), a Companhia das Letras, a gráfica Águia, Fedrigoni, a VSP Papéis Especiais e a Stratis, a oficina é centrada em duas técnicas: a confecção da encadernação copta, feita apenas com costura e sem cola, e a técnica dos-à-dos, que articula uma capa flexível e dois cadernos em branco, costurados. A base serão os miolos (cadernos impressos, sem capa e sem costura) da nova edição de "A Teus Pés" (1982), clássico de Ana Cristina Cesar, homenageada da Flip 2016, relançado em junho pela Companhia das Letras.

Ministrada por Estela Vilela, a oficina vai contar com três turmas – em 30 de junho, 1º e 2 de julho, cada uma com duração de três horas –, todas com a mesma programação. Os encontros acontecem no Hotel Parque Perequê (Avenida Otávio Gama, 390, em Paraty). As inscrições já estão abertas e vão até 20 de junho pelo site da ABER (www.aber.org.br), ou enquanto durarem as vagas. Não há pré-requisitos, e a seleção é feita por ordem de inscrição. O valor é de R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia) ou R$ 72 (inteira) e R$ 36 (meia) para associados da ABER. Todo material é fornecido pela organização do curso. Os custos de transporte e hospedagem para Paraty são de responsabilidade dos selecionados.

Flip 2016
Com curadoria de Paulo Werneck, a 14ª edição da Flip homenageia a poeta Ana Cristina Cesar (1952-83), expoente da geração da Poesia Marginal, que nos anos 1970 se firmou distribuindo edições caseiras no Rio de Janeiro, ao largo do mercado editorial e sob o peso da ditadura militar, fundando uma vertente marcante na poesia brasileira contemporânea.

Quem faz a Flip
A Casa Azul é uma organização da sociedade civil de interesse público que desenvolve projetos nas áreas de arquitetura, urbanismo, educação e cultura. Desde as primeiras ações, há mais de vinte anos, vem desenvolvendo uma metodologia de leitura territorial capaz de potencializar importantes transformações no território. Em Paraty, onde a associação se originou, esse processo levou à realização de ações de permanência, com projetos como a Flip, a Biblioteca Casa Azul e o Museu do Território de Paraty, entre outros.

Patrocínio
A programação da Flip é realizada por meio de leis de incentivo à cultura do Governo do Rio de Janeiro e da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro e do Ministério da Cultura do Governo Federal, e conta com patrocínio do Itaú, do BNDES, da Petrobras e de outras empresas e organizações em vias de captação.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.