domingo, 4 de março de 2018

.: A divisão imposta pela mídia, por Marcio Costa


Por Marcio Costa*, em março de 2017

Atualmente em qualquer lugar é fácil perceber a divisão esquerda X direita criada no país, algo que foi construído durante as últimas décadas, julgando um único partido político como o único transgressor da nação e, inocentando outro. Isso já acontece há anos no futebol: Fla X Flu, Santos X Corinthians, Brasil X Argentina, criando inimizades entre as partes.

Não muito longe, foi criada a divisão hétero X homossexual e também, a divisão ladrão X cidadão de bem. Há também drogado X cidadão de bem e como não esquecer a secular negro X branco?

Mas a quem essas divisões servem? Todos sabemos que, mundialmente, na maioria dos países, as mídias são financiadas com verbas públicas, o Brasil não é exceção. Se portal “X”, Jornal “Y”, revista “Z” e emissora de TV “W” são contra o governo, não recebem financiamento (por meio de anúncios, patrocínio e BNDES).

Isso me leva a crer que a mídia é um braço do governo (qualquer que seja ele). Então, a mídia tem que expor a vontade do seu “patrão”, querendo ou não, e é exatamente aí que entra essa divisão criada pela mídia, pois se um governo necessita de um meio de comunicação para se perpetuar no poder, ele não pode ser bom.

Essa divisão possui um único fim, um país dividido entre classes nunca se unirá para exigir seus direitos, e quando a população não exige o que é seu, corruptos agem em plena luz do dia retirando direitos de trabalhadores, aposentados, pobres e privilegiam apenas grandes empresas, bancos, agricultores e a si mesmos. Noam Chomsky já nos alertava em seu livro “Mídia: Propaganda Política e Manipulação” sobre os dez métodos mais utilizados pela grande mídia para manipular a realidade.

Eu vos digo que: essa divisão é o mais moderno, vil e torpe método de calar a população sofrida desse país. Precisamos acordar para a realidade, desligar nossas TV’s, prestar mais atenção nos atos dos três poderes (Legislativo, Executivo e Judiciário) pois, apenas assim, e apenas desse jeito, quando pararmos de nos dividir, seja negro, maconheiro, homossexual, de esquerda ou direita e nos juntarmos e exigirmos o que é nosso de direito como nação, talvez aí, sim, esse país tenha um futuro para nossos filhos e netos.

*Marcio Costa é ex-publicitário, dono de um canal de gastronomia no YouTube (AntiGourmet TV). Está cursando Licenciatura em Filosofia pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Apaixonado por Filosofia, Biologia, Sociologia, Política, Astrofísica e Gastronomia.

Compartilhar no WhatsApp
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

3 comentários:

  1. Parabéns, Márcio!! O seu texto segue o pensamento da jornalista Rosana Hermann, que recentemente publicou no Twitter:

    @rosana
    TV é veículo DE massa. Internet é veículo DA massa. Mas a massa gosta de ser conduzida, tutelada. Segue e venera todos na tela da TV e faz o mesmo na Internet: elege ídolos pra seguir, pessoas pra idolatrar. A massa não busca autoconhecimento, busca altos entretenimentos :)

    e, ao escolher um ídolo proposto pela TV, ao fazer parte de um fandom de um influencer, a massa reafirma seu desejo de SER massa. Porque é melhor ser comum junto do que ser original sozinho. será?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Mary, desconhecia o posicionamento dela em relação a mídia, mas penso dessa forma, mídia é manipulação e o povo precisa ser guiado, pela mídia, religião e políticos, pois o "povo" tem preguiça de pensar.

      Excluir
    2. Exato, Márcio!! Refletir e exteriorizar a respeito disso já é um gatilho... Parabéns!! Bora derrubar as vendas que muitos aceitam usar!!

      Excluir

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.