sexta-feira, 1 de junho de 2018

.: Lau e Eu lança álbum de estreia, “Selma”, com sentimentos adultos

Banda liderada por Lau, artista sergipano, de apenas 20 anos, residente em São Paulo há cerca de um ano, apresenta sua sonoridade, que passeia pelo eletrônico, pop e experimental, com dosagens do MPB, R&B e rock. Essa mistura se configura em letras que emergem o que guarda dentro de si: angústias, medos, frustações, saudades e seus relacionamentos. Foto: Weber Cavalcante.

A banda Lau e Eu, que tem à frente o artista Lau, de Aracaju, lança seu primeiro álbum, intitulado “Selma” (https://goo.gl/C4hhFe). Composto por nove faixas, que totalizam quase 27 minutos, o trabalho se reveste da mistura do eletrônico com pop experimental, e apresenta camadas com referências nos anos 80, MPB, R&B e rock, resultando numa sonoridade próxima ao indie com nuances explosivas. Tem como alguns dos produtores Léo Airplaine (Plástico Lunar e The Baggios), Dieguito Reis (Vivendo do Ócio; é também baterista da banda) e Guerra (Fresno).  

Lau, que tem apenas 20 anos de idade, mudou-se para São Paulo há cerca de um ano, sem conhecidos pela cidade, para realizar o sonho de conquistar novos espaços com a música. Em Aracaju, deixou sua avó Selma, dona do áudio de um minuto que introduz o álbum.

“Minha estreia é uma homenagem a minha avó, com quem vivi junto por 19 anos. Mesmo triste com a minha partida, ela é uma das pessoas que mais me apoiam. Por isso dei seu nome ao disco. ‘Selma’ significa também proteção em germânico”, explica Lau.

As músicas, em sua maioria compostas por ele, trazem o sentimento vivido ao sair de uma cidade pequena do Nordeste para morar numa cidade grande como São Paulo. O artista descobre as dificuldades de estar sozinho, e da tentativa de viver da sua arte. Neste processo, sua experiência inclui, por exemplo, moradia em casa de conhecidos, cortiços e até ocupação.

“Falo de infância, relacionamentos e frustrações da vida adulta; além do que venho descobrindo junto com os meninos de ‘Lau e Eu’. É um trabalho que pretende ser o mais humano, honesto e autêntico possível. Quero mostrar para as pessoas quem eu sou, o que guardo aqui dentro. Acho que a capa exemplifica bem isso, é uma foto da foto do meu aniversário de oito anos, bastante natural, que tem aquela cara de vó mesmo, em que eu estou com amigos e família cantando ‘Parabéns para Você’. Tem bastante nostalgia ali”, diz.

São cinco músicas autorais e uma versão da música “Quarto Azul”, da banda Plástico Lunar, que tem ainda participação especial de Bento Andami, cantor de R&B. GALF, um rapper do interior da Bahia, é outro participante, e divide os vocais com Lau na música “Perdizes”. Luca Bori, baixista de Vivendo do Ócio, é o responsável pelos graves em “Tremores” e “AG Franco/Atalaia Nova”. O álbum foi gravado em diversos estúdios: Toca do Bandido, no Rio de Janeiro; Concha, do Guerra, em São Paulo; e Ori, em Aracajú; além do quarto de Léo Airplaine, que reside também em Aracajú.

Lau e Eu
Lau – Voz
Dieguito Reis - bateria (Vivendo do Ócio)
Marcelo Sanchez - baixo
Gabriel Andirá - Samples e teclas

Ficha Técnica de “Selma”, álbum de estreia de Lau e Eu
Produção: Lau, Léo Airplaine, Dieguito, Vinícius Lezo e Guerra (Fresno)
Mixagem e Masterização: Léo Airplaine
Gravado nos estúdios Toca do Bandido, no Rio de Janeiro; Concha, em São Paulo; e Ori, em Aracajú; além do quarto de Léo Airplane, também em Aracajú; entre maio de 2017 e março de 2018.

Compartilhar no WhatsApp
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.