quinta-feira, 12 de abril de 2018

.: Maestros renomados chegam ao palco do Municipal em abril

Os maestros Enrique Arturo Diemecke e Gunter Neuhold se apresentam à frente da Orquestra Sinfônica Municipal


A Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo (OSM) recebe dois maestros reconhecidos internacionalmente para os concertos em abril. O mexicano Enrique Arturo Diemecke faz sua primeira apresentação no Brasil como regente convidado OSM, na sexta-feira, 13, às 20h e sábado, 14, às 16h30.

Regente titular e diretor artístico do Teatro Colón de Buenos Aires, na Argentina, o maestro já esteve à frente da Orquestra Sinfônica Nacional de Washington, de San Francisco, da Filarmônica de Los Angeles, de Varsóvia e de Bogotá e da Orquestra Nacional Francesa e a de Paris, entre outras.

No programa, estão Concerto para piano nº 1 em Mi menor op. 11, de Frédéric Chopin, e Sinfonia nº 2 em Ré maior op. 73, de Johannes Brahms. O pianista Alvaro Siviero será solista neste concerto. 

Já na sexta-feira, 20 de abril, e no sábado, 21, quem responde pela regência da OSM é o austríaco Gunter Neuhold. O convidado foi maestro e diretor artístico da Orquestra Sinfônica de Bilbao e regente convidado da Sinfônica e da Filarmônica de Viena, Orquestra Nacional Francesa e Orquestra Sinfônica de Torino, Milão e Napoli. E estes são apenas alguns exemplos de toda uma vida profissional dedicada à música.

A Sinfonia nº 1 em Dó maior op. 2, de Ludwig van Beethoven, abre o programa comandado por Neuhold seguida pelo Prelúdio do ato III da ópera "Tiradentes", de Eleazar de Carvalho e, após o intervalo, Don Quixote - Variações Fantásticas sobre um Tema de Caráter Cavalheiresco, Op. 35, de Richard Strauss, encerra o espetáculo.  O violoncelista Raiff Dantas é o solista deste concerto. 

OSM

Até o começo do século 20, as companhias líricas internacionais que se apresentavam no Theatro Municipal traziam da Europa seus instrumentistas e coros completos, pela falta de um grupo orquestral em São Paulo especializado em ópera.

Somente a partir da década de 1920 uma orquestra profissional foi criada e passou a realizar apresentações esporádicas, tornando-se regular em 1939, sob o nome de Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal. Uma década mais tarde, o conjunto passou a se chamar Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo e foi oficializado em lei de 28 de dezembro de 1949, que vigora ainda hoje.

A história da Sinfônica Municipal se confunde com a da música orquestral em São Paulo, com participações memoráveis em eventos como a primeira Temporada Lírica Autônoma de São Paulo, com a soprano Bidú Sayão; a inauguração do Estádio do Pacaembu, em 1940; a reabertura de Theatro Municipal, em 1955, com a estreia da ópera Pedro Malazarte regida pelo compositor, Camargo Guarnieri; e a apresentação nos Jogos Pan-Americanos de 1963, em São Paulo.

Estiveram à frente da orquestra os maestros Arturo de Angelis, Zacharias Autuori, Edoardo Guarnieri, Lion Kasniefski, Souza Lima, Eleazar de Carvalho, Armando Belardi e John Neschling. Roberto Minczuk é o atual regente titular da Orquestra Sinfônica Municipal – OSM.


Maestros
Arturo Diemecke: Nascido no México, Enrique Arturo Diemecke estudou violino, trompa e regência na Universidade Católica de Washington, nos Estados Unidos. Além de ser o diretor artístico e musical do Teatro Colón e da Filarmônica de Buenos Aires, responde pela direção musical da Sinfônica de Long Beach, na Califórnia, e pela direção artística da Sinfônica de Flint, em Michigan. É convidado frequentemente para reger de orquestras de todo o mundo. Compositor e arranjador, compos Die-Sir-E, Chacón a Chávez e Camino y visión, entre outras.

Gunter Neuhold: Formado no conservatório de Graz, fez cursos avançados de música em Roma e Viena. Depois de ganhar diversos prêmios em festivais, ocupou o cargo de diretor musical do Teatro Regio di Parma. De lá, foi maestro e diretor musical da Real Filarmônica Flamenga, em Antuérpia, na Bélgica, em seguida, da Badisches Staatstheater Karlsruhe, do Theater der Freien Hansestadt Bremen, ambos na Alemanha e da Orquestra Sinfônica de Bilbao. Atualmente, segue uma agenda de convites para reger orquestras por todo o mundo.  

Solistas
Alvaro Siviero: Primeiro brasileiro a participar do curso de imersão na obra de Beethoven na Casa Orfeo – Fondazione Wilhelm Kempff na Itália, realizou recital particular para o Papa Bento XVI durante a visita do Pontífice à Aparecida do Norte. Representou o Brasil no Encontro Mundial de Artistas em 2009, no Vaticano, e apresentou-se com a London Festival Orchestra, Virtuosi of Europe, Filarmônica de Praga e Sinfônica de Brasília, entre tantas outras orquestras. Recebeu a Comenda da Ordem do Mérito Cultural Carlos Gomes.

Raiff Dantas: Violoncelista paraibano, estudou com Nelson Campos no Brasil e com Enrico Contini na Itália. Atuou como solista à frente da Orquestra Cayuga Chamber de Nova York, Orquestra do Teatro Nacional de Brasília e Sinfônica de Minas Gerais, entre outras. É o primeiro solista de violoncelo do Theatro Municipal de São Paulo desde 2001. Gravou diversos álbuns, com destaque para Sonatas de Brahms e Franck com o pianista Álvaro Siviero, As Três Primeiras Suítes Para Violoncelo Solo De J.S.Bach e o CD solo Miniaturas Brasileiras.

Serviço:
Sexta-feira, 13/4, 20h. Sábado, 14/4, 16h30
Concerto para piano nº 1 em Mi menor op. 11 | FRÉDÉRIC CHOPIN
Sinfonia nº 2 em Ré maior op. 73  | JOHANNES BRAHMS

Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo
Enrique Arturo Diemecke - regente
Alvaro Siviero – piano

Sexta-feira, 20, 20h. Sábado, 21, 16h30
Sinfonia nº 1 em Dó maior op. 21  | LUDWIG VAN BEETHOVEN
Prelúdio do ato III da ópera "Tiradentes"  | ELEAZAR DE CARVALHO
Don Quixote - Variações Fantásticas sobre um Tema de Caráter Cavalheiresco, Op. 35  | RICHARD STRAUSS

Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo
Gunter Neuhold – regente
Raïff Dantas Barreto – violoncelo

Vendas na bilheteria do Theatro Municipal de São Paulo ou pelo site www.theatromunicipal.org.br

Horário da Bilheteria: De segunda a sexta-feira, das 10h às 19h e sábados e domingos, das 10h às 17h.

Nos espetáculos à noite, a bilheteria permanece aberta até o início do evento; em dias de espetáculos pela manhã, o espaço abre ao público duas horas antes do início da apresentação. Apenas venda e retirada de ingressos para os eventos do Theatro Municipal de São Paulo.

Sobre o Instituto Odeon: O Instituto Odeon é o novo gestor do Theatro Municipal de São Paulo. Com mais de 20 anos de atuação na área da cultura, o Instituto se destaca pela gestão do Museu de Arte do Rio – MAR, no Rio de Janeiro, além de consultorias ao Governo do Pernambuco e Prefeitura de Porto Alegre, produção de espetáculos de teatro e idealização e gestão de diversos projetos socioculturais. A instituição assumiu em 1º de setembro a gestão do corpo artístico formado pela Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Coro Lírico Municipal de São Paulo, Balé da Cidade de São Paulo, Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo, Coral Paulistano Mário de Andrade e Orquestra Experimental de Repertório e dos espaços Theatro Municipal, Central Técnica do Theatro Municipal e Praça das Artes.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.