quinta-feira, 4 de outubro de 2018

.: Edições Sesc lançam "Elogio do Político", do filósofo Vincent Peillon

O que é um tempo apolítico ou mesmo antipolítico? E como sair dele? É certamente um tempo, o nosso, que resulta de demasiadas decepções ou de transigências ou de feridas que precisamos compreender em vez de julgar. Pois não é possível que se tenha chegado aí sem razão. Livro busca recuperar o sentido da filosofia política na vida contemporânea ao abordar a necessidade de relação da sociedade com a política, a filosofia e a cidade

Em "Elogio do Político: Uma Introdução ao Século XXI", o filósofo francês Vincent Peillon distingue a política, entendida como aquilo que se relaciona com o poder e seus representantes, do que é genuinamente político. Seu objetivo é compreender não a política como ferramenta de poder, mas o político como a racionalidade imprescindível à conquista do bem comum e à vida na cidade.

De acordo com Peillon, o caráter apolítico, ou mesmo antipolítico do homem contemporâneo, reflete a dissociação do indivíduo com o tempo presente, algo que se deve à globalização e à aceleração do tempo – responsáveis pelo fortalecimento do individualismo –, e também a um sentimento de descrença e de perda do sentido da vida em sociedade.

Baseando-se na obra filosófica do também francês Maurice Merleau-Ponty, para quem “não só filosofia e política são inseparáveis, como a política precede e comanda a filosofia”, e também nos preceitos filosóficos de Sócrates, Maquiavel e Claude Lefort, o autor se vale de fatos marcantes do século XXI para mostrar como as bases filosóficas, políticas e sociais do passado não se sustentam mais no presente.

O filósofo ressalta que a filosofia e a política, além de indissociáveis, são responsáveis pela construção e a consolidação da democracia, devendo influenciar na organização social do espaço público.

No texto de orelha, a professora Silvana Ramos, do Departamento de Filosofia da Universidade de São Paulo, reforça esse conceito ao afirmar que “Peillon defende que, como na democracia antiga, não há na cidade contemporânea coincidência entre fato e direito, de modo que, nesse lugar de não coincidência, é possível encontrar um espaço público para produzir um pensamento crítico da cidade sobre si mesma. Eis o lugar da filosofia política, lugar de busca da verdade e de compromisso político com essa busca”.

As publicações das Edições Sesc São Paulo podem ser adquiridas em todas as unidades do Sesc São Paulo (capital e interior), nas principais livrarias e também pelo portal www.sescsp.org.br/livraria. Os e-books das Edições Sesc São Paulo podem ser encontrados em livrarias virtuais como portal Sesc São Paulo, Amazon, Livraria Cultura, Livraria Saraiva, Kobo e Apple Store

Sobre o autor
Vincent Peillon é filósofo e deputado europeu. Entre seus principais livros estão "Une Religion pour la République" (2010), "La Révolution française n’est pas terminée" (2008), "L’Épaisseur du cogito: trois études sur la philosophie de Maurice Merleau-Ponty" (2004), "Pierre Leroux et le socialisme républicain" (2003), "Jean Jaurès et la religion du socialisme" (2000) e "La Tradition de l’esprit: itinéraire de Maurice Merleau-Ponty" (1994).

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.