sábado, 16 de fevereiro de 2019

.: Crítica: "Ele Ainda Está Aqui" - Irmãos falam português, mas não se entendem

Por Helder Moraes Miranda, em fevereiro de 2019.


"Ele Ainda Está Aqui" é uma metáfora do Brasil de hoje, em que todos falam e ninguém se entende, mas também é a história de três irmãos que não se conhecem, filhos de um pai ausente, que deixa uma herança. Um deles está interessado em dinheiro, o outro em uma justiça que somente o contemple e o terceiro vive em um mundo paralelo.

Esses irmãos vêm, cada um, de um país diferente: Três irmãos, de diferentes países - Brasil, Portugal e Angola. Emílio Dantas, em um papel que já foi de Luana Piovani, faz o brasileiro e encabeça o elenco do espetáculo que mistura momentos do mais puro lirismo até a comédia que arranca as mais espontâneas risadas da plateia. É recomendável que o público se entregue à história e vá sem receio de soltar uma gargalhada. 

Com muita leveza, o espetáculo teatral tem a ousadia de abordar assuntos pouco explorados no teatro como abandono afetivo e também o pré-julgamento de pessoas com deficiência mental. O embate entre os personagens José, de Emílio Dantas e Miguel (Thelmo Fernandes) fazem com que o público perceba a tensão que existe entre os dois personagens, em uma relação construída aos olhos do público, mas que é alicerçada a partir da mágoa de um dos personagens. 

Emílio Dantas, livre dos galãs que vem interpretando em seus últimos papéis na televisão, mostra versatilidade ao se despir da vaidade para construir um personagem que só se importa com dinheiro. Ele muda até a postura corporal quando vai receber cada um dos irmãos, mas é tão humano -e isso é mérito do intérprete- que revela uma profundidade nas entrelinhas, nos subtextos da trama.

Thelmo Fernandes, por sua vez, está tão inserido nos dramas de seu personagem lusitano e o defende com uma força tamanha que o público acaba acreditando que ele é mesmo um ator português -o que não é verdade, Thelmo é brasileiríssimo. Tanto Dantas quanto Fernandes alternam drama e comédia na mesma medida em que conduzem o espectador a uma teia em que não se sabe o final. A relação desses dois personagens, por si só, já seria consistente. 

Mas "Ele Ainda Está Aqui" traz um elemento em cena que muda tudo: Francisco, interpretado com muita sensibilidade e bom humor pelo ator angolano Omar Menezes. Com um personagem tão carismático que faz desenhos que ajudam a contar a história e oferecem alguns elementos nas entrelinhas, ele brilha, sensibiliza e faz rir. 

Personagens tão diferentes e tão iguais que devem se entender para perceber que ganharam algo que vai além do dinheiro. Mas, para isso, precisam conviver e, antes de tudo, fazer as pazes com aquele que, embora não seja um personagem palpável, está em todas as cenas: o pai desses irmãos. 

Em um sentido figurado, Freud apontava que a melhor saída seria matar simbolicamente as figuras paternais introjetadas nas crianças que chegam à idade adulta. Libertar-se dessa submissão, da autoridade e principalmente da dependência que se tem das figuras paternas, no caso, é preencher uma nova história.  

Serviço
"Ele Ainda Está Aqui"
Elenco: Emilio Dantas, Thelmo Fernandes e Omar Menezes.
Texto e direção: Silvio Guindane

Ingresso: R$ 45 a R$ 90
Data: até 24 de fevereiro
Horários: sextas-feiras e sábados, às 21h30. Domingos, às 18h
Teatro Renaissance
Alameda Santos, 2233 - São Paulo. Telefone: (11) 3069-2286   




*Helder Moraes Miranda é bacharel em jornalismo e licenciado em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura, pela USP - Universidade de São Paulo, e graduando em Pedagogia, pela Univesp - Universidade Virtual do Estado de São Paulo. Participou de várias antologias nacionais e internacionais, escreve contos, poemas e romances ainda não publicados. É editor do portal de cultura e entretenimento Resenhando.



#Crítica: "Ele Ainda Está Aqui" - Irmãos falam português, mas não se entendem 🗣👐🗣👐🗣👐🗣👐🗣 " "Ele Ainda Está Aqui" é uma metáfora do Brasil de hoje, em que todos falam e ninguém se entende, mas também é a história de três irmãos que não se conhecem, filhos de um pai ausente, que deixa uma herança. Um deles está interessado em dinheiro, o outro em uma justiça que somente o contemple e o terceiro vive em um mundo paralelo". 🗣👐🗣👐🗣👐🗣👐🗣 Confira a crítica completa no Resenhando.com. O espetáculo fica em cartaz até 24 de fevereiro no #teatrorenaissance 🗣👐🗣👐🗣👐🗣👐🗣 "Ele Ainda Está Aqui" Elenco: Emilio Dantas, Thelmo Fernandes e Omar Menezes. Texto e direção: Silvio Guindane Ingresso: R$ 45 a R$ 90 Data: até 24 de fevereiro Horários: sextas-feiras e sábados, às 21h30. Domingos, às 18h Teatro Renaissance Alameda Santos, 2233 - São Paulo. Telefone:(11) 3069-2286
Uma publicação compartilhada por Resenhando.com (@portalresenhando) em
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.