sábado, 16 de fevereiro de 2019

.: 30 motivos para não perder a megaexposição "Quadrinhos", no MIS SP


Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em fevereiro de 2019

Texto atualizado em 15 de abril de 2019


Não há qualquer dúvida de que o Museu da Imagem e do Som, de São Paulo é um espaço irreverente e a cada exposição apresenta riquezas cheias de curiosidades inimagináveis. Até 26 de maio, a megaexposição "Quadrinhos" que é uma perfeita homenagem à 9ª Arte deixará acessível mais de 600 itens, incluindo revistas, artes originais e raridades do gênero história em quadrinhos. Confira porque você não pode deixar de visitar o espaço que fica na Avenida Europa, número 158, do Jardim Europa.


1. O painel frontal do MIS é ilustrado por vários personagens de quadrinhos como "Mafalda", "Turma da Mônica", "Sailor Moon", "Menino Maluquinho", "Homem-Aranha", "Hulk", "Mickey", "Tin Tin", "Os Smurfs", "Gato Félix", "Amigo da Onça", "Luluzinha", "Rê Bordosa", "Gasparzinho" e muitos outros. É uma bela composição em tamanho gigante para se distrair por horas! Vale ler e guardar o programa da exposição, que aberto, é um presente.

2. "Quadrinhos" é uma exposição inédita.

3. Na entrada, uma caverna representa a origem da arte em sequência, ou seja, quando o ser humano ancestral desenhava nas paredes das cavernas.

4. O espaço destinado aos mangás tem a entrada e saída com persianas compostas por revistas do gênero.

5. A moto inconfundível do Akira.

6. Duas paredonas forradas de tirinhas do "Garfield", "As Cobras", "Níquel náusea" e outros personagens em cataventos para girar, ler e se divertir.



7. Próximo a entrada das salas temáticas há reproduções do busto de personagens que permitem pessoas com deficiência visual aprecie o "Hulk", o "Batman", o "Pato Donald" e outros, por meio do toque.

8. A sala do cartunista Ziraldo, que simula um cantinho de trabalho, além das plaquetas táteis com personagens, esboços de originais -do processo de criação à finalização-, ali, sentado à mesa, parece que está o criador do Menino Maluquinho. Numa transmissão moderna, há a ilusão de que Ziraldo está desenhando e desenhando, enquanto os visitantes apreciam toda o espaço.

9. Edição do jornal "O Mosquito" (1873) com capa de Angelo Agostini, desenhista ítalo-brasileiro que teve intensa atividade em favor da abolição da escravatura no Brasil.

10. No 2º andar há um "santuário" para Maurício de Souza, que narra a história do desenhista desde o início, bem antes de a Mônica surgir e ganhar uma turma, com a evolução de "A Turma da Mônica Jovem" e inclusão da "Mônica Toy".

11. Na sala da DC -ou Batcaverna- é possível se sentir um herói diante da sala de controle do Homem morcego.

12. Quadro interativo das tirinhas da "Mafalda" que ao serem desvirados formam a personagem preocupada com o mundo.




13. A passagem entre o espaço América Latina e América do Norte, marcada pelas botas e fim da capa de herói.

14. A estátua tamanho real do "Aquaman", além de outras menores dos heróis DC.

15. O gibi do Quarteto Fantástico autografado por Stan Lee.

16. Os exemplares de gibis dos "Trapalhões", "Xuxa", "Sacarrolha", "A Turma do Arrepio", "Senninha" e muitos outros. 

17. A estante luminosa das adaptações de clássicos para história em quadrinhos.

18. A cortesia do amigo da vizinhança, "Homem-Aranha".

19. A sala "Brasil Nas Últimas Décadas" expõe em bancas de jornais produções de Angeli, Glauco, Laerte, Ziraldo e outros.

20. Revista com a primeira aparição de "Luluzinha", publicada na The Saturday Evening Post em 1935.

21. Os troféus HQ Mix expostos em ordem cronológica.

22. Nem mesmo os "Mestres do Universo", a turma do He-Man ou os bravos soldados "G.I. Joe", personagens de quadrinhos criados para alavancar as vendas dos produtos, ficaram de fora. 

23. O clássico traje do herói "Robin", parceiro fiel do "Batman".

24. Desenho do personagem "Garfield" feito por Jim Davis exclusivamente para a exposição e um vídeo com o criador do gato mais famoso das tirinhas fazendo o desenho.

25. Ambientes temáticos e imersivos, incluindo um banheiro pra lá de revelador com entrada permita apenas para maiores. Sim! Na sala "Quadrinhos eróticos", somente pessoas com idade igual ou superior a 18 anos, ou adolescentes com idade igual ou superior a 16 anos, desde que tenham autorização assinada pelos pais, tutores, curadores ou responsáveis ou pela presença do acompanhante legal. É necessário apresentar um documento com data de nascimento e foto na recepção do Museu.



26. A edição número 1 de "O Pato Donald" (1950).

27. Caderno de esboços de Glauco com artes originais para a revista Geraldão, edição número 1.

28. Sala "Disney" com exemplares de quadrinhos, exibição de vídeo e uma mensagem do mestre: "Eu gosto do impossível porque lá a concorrência é menor".

29. As formas dadas aos lápis ao fim da exposição, formando balões de fala em cores e formas diferentes.

30. Para chegar aos mais de 600 itens que integram a exposição, a curadoria levou 18 meses em pesquisas em diversos acervos. Além do próprio curador, cederam peças para a exposição os colecionadores Ricardo Leite, Marcio Escoteiro e Franco de Rosa, o Planeta Gibi, a família de Glauco, Francisco Ucha, Acervo Álvaro de Moya (Centro Universitário Belas Artes de São Paulo), JAL e Gualberto (HQMIX) e diversos artistas como Angeli, Laerte e Ziraldo.

E sabe o que é ainda melhor? Toda terça-feira a entrada é gratuita!


*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura e licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Twitter: @maryellenfsm


Museu da Imagem e do Som
Av. Europa, 158, Jd. Europa 
São Paulo - SP, Brasil 
CEP 01449-000

[11] 2117-4777

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.
 
google.com, pub-3645003449125371, DIRECT, f08c47fec0942fa0