terça-feira, 28 de maio de 2019

.: Army vai no show do BTS e conta tudo sobre a apresentação que parou SP


Depoimento e fotos de Alícia Ferracini*, em maio de 2019.

No dia 25 de maio, o sábado mais esperado pelas k-popers, deu o que falar, seja pela boa produção visual ou a euforia das Armys- nome do fandom do grupo Sul Coreano BTS- com o primeiro dos dois shows em São Paulo com a turnê "Love Yourself: Speak Yourself".

Algumas armys até acamparam há mais de três meses em frente ao Allianz Parque, onde foi o local do show, com muita tecnologia, coreografias sem erros e a simpatia dos sete integrantes mostrou como eles são esforçados, que até se arriscaram a falar algumas frases do nosso idioma!

A sensação de abrir os olhos e saber que em poucas horas eu iria ver o BTS- conhecidos como "amores da minha vida" (e das armys no geral também) é surreal! Tinha medo de que algo pudesse dar errado e não conseguir ver eles. Fiz loucuras para conseguir assisti-los; tive que sair da escola ao meio-dia de sexta-feira para pegar o ônibus até São Paulo, onde eu ficaria na casa do meu tio para, no dia seguinte, ir ao show com minha tia, que não curtia k-pop e não estava familiarizada com o idioma...

Cheguei no estádio do Palmeiras uma hora e meia antes do show e já estava com expectativa e ansiedade de ver um estádio pela primeira vez, toda a estrutura montada: cerca de 375 toneladas de equipamentos de som e iluminação -e o fascínio de estar imaginando algo que estaria por vir...

Estava até ignorando a sensação térmica do lugar, com relação a emoção e a sensação corporal. Não peguei fila, pois meu portão seria o C1- só para as pessoas que ficaria nos lugares da Soundcheck ou em algum camarote, onde o último citado foi onde fiquei.

Já comecei a me emocionar quando peguei os ingressos no 3° andar. Nunca tinha ido a um show de grande proporção com uma carreira consolidada, muito menos entrar em um camarote onde desfrutei do “luxo” e sentindo como uma "burguesa" por um dia!

Depois de admirar tudo a minha volta, desde a luz neon azul que invadia o local, fui com minha tia à cadeira inferior, onde eu finalmente iria ver com meus olhos com graus de miopia os amores da minha vida e não vídeos de shows em outros países!

Chegando perto de onde eu ficaria, pude ver o local cheio de gente gritando "BTS" e me emocionei, sabendo que em poucos minutos eu estaria fazendo parte daquela multidão. Fiquei extasiada quando vi aquelas milhares de pessoas (umas 45.000) e a produção estava impecável, onde as luzes estavam em sintonia com nossas Lightsticks Armys Bombs- é um objeto como se fosse uma lanterna que nós k-popers usamos em shows onde muda de cor via Bluetooth.



Pude ouvir um coro gritando “pomba”, pois uma pomba estaria “desfilando” no palco e rendeu um momento descontraído e cômico para as armys. Quando começou a tocar a música de abertura “Dionysus”, minhas pernas ficaram “bambas” e era uma gritaria boa de sentir e ouvir. Formamos realmente um exército de k-pop. E cantamos tudo em coreano, ou elo menos tentamos... saber que eu estava vendo meu ídolo- Kim Taehyung rendeu algumas lágrimas no começo do show.

As músicas ficaram lindas, pois parecia que nós armys que demos o show, cantamos todas as músicas em coreano, deixamos o estádio com as cores de nossa bandeira: verde, azul e amarelo:

Foi lindo eles tentando falar português e até Jungkook mostrou que os memes brasileiros estão além das fronteiras do idioma, soltando um “junto e shallow now” E “Sope”, a junção de Suga e J-Hope sambando levou todos em êxtase!!

O show durou cerca de umas 3hrs, na hora que eles se despediram de nós saiu aquela felicidade que há muito tempo não sentia, e acabei chorando até chegar à casa dos meus tios e relembrar cada momento e sensação que tive com esse show!! Podem não gostar de k-pop, mas é um gênero musical, que agora faz parte de uma Indústria Cultural- que está “bombando” nas culturas no geral e que está fazendo os adolescentes pirarem, e não só isso, fazer nós pensarmos, com suas músicas transmitindo amor e o respeito à vida...



Algumas frases que os meninos falaram no show:

“Cerca de 3 Anos, 195 dias, rodamos pelo mundo em 3mil e 300 lugares, a cidade que eu mais queria vir, o pais que eu queria mais ver, Brasil São Paulo" - R.M.

“Nós te roxamos”- J.K traduziu a famosa frase de Taehyung.

“País da Energia”.

“Brasil é a minha esperança” frase de J-Hope, onde o mesmo fez trocadilho com seu nome artístico.

Entre outras frases... teve até frases em português que o Taehyung, colocou no Twitter:

“Escrevo em texto porque a minha pronúncia não é muito boa. Para as nossas ARMYS que estão do outro lado do mundo, não esqueceremos destes momentos de ontem e hoje. Com certeza voltaremos! Eu recebi muita força e fiquei muito mais feliz, graças a vocês.”

“Muito obrigado ARMYS do Brasil e não esquecerei desta calorosa torcida que estava procurando. Amo vocês! -Mr. Lindo”- #V

Alícia Ferracini* tem 16 anos, não só gosta de k-pop, mas outros estilos músicas como: Sad Song, eletrônica, MPB, pop... As letras das músicas sempre a ajudaram a refletir e pensar que de algum modo não está sozinha. Estuda na Etec de Itanhaém, cursando Meio Ambiente.

Ela tem uma página no Facebook sobre BTS (para variar...).

Link: https://www.facebook.com/Psoon/

Tem 2 contas no Instagram sobre k-pop, onde a mesma faz ‘edits’ de fotos.

Link: https://instagram.com/army_k_pobre_?igshid=1x7x81eij76jj

Link: https://instagram.com/galeria_de_wallpapers?igshid=juvcnop9dko3

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.