segunda-feira, 5 de agosto de 2019

.: Daniel Dantas, André Junqueira e Well Aguiar em "O Inoportuno"

Texto de um dos maiores autores de teatro do século XX, vencedor do Prêmio Nobel de Literatura em 2005, chega em São Paulo para curta temporada no Teatro Raul Cortez, de sexta a domingo

A peça "O Inoportuno" ("The Caretaker"), de Harold Pinter (1930-2008), foi escrita em 1959 e estreou em Londres no ano seguinte com enorme sucesso. Foi com esta peça, considerada uma de suas obras-primas, que Pinter passou a ser conhecido e tornou-se um dos dramaturgos mais respeitados e discutidos em todo o mundo, assim permanecendo até sua morte, três anos depois de ter recebido o prêmio Nobel de literatura em 2005. 

Influenciado inicialmente por Samuel Beckett – e também por Franz Kafka – Pinter foi um dos mestres do teatro do absurdo, expressão criada por Martin Esslin nos anos 50 do século passado. Depois de um tempo, ele desenvolveu um estilo próprio e as características de suas peças são únicas e marcantes, como a ambiguidade, a iminência do desastre, a passagem do tempo, as possíveis verdades e mentiras, as falhas da memória e, claro, as famosas pausas. Tudo isso pode ser visto nesta comédia dramática que aborda a impossibilidade de comunicação, envolvendo personagens marginais e solitários.

Mick (Well Aguiar) divide um apartamento com seu irmão mais velho, Aston (André Junqueira), que traz para dentro de casa o velho Davies (Daniel Dantas), supostamente um mendigo, um sem-teto, a quem resgatou numa briga em um bar. Com pena do homem, Aston lhe oferece a casa como abrigo até que ele se recupere, fisicamente, e consiga organizar seus documentos, então extraviados, para dar curso a seu caminho. Ao longo da trama, obrigados a conviver mais próximos do que desejavam, os interesses, mentiras e conflitos vão se revelando e provocando mudanças no comportamento dos personagens, navegando entre amor e ódio, pena e repulsa, solidão e tristeza.

“O ano era 2018. Ano esse em que se completaram exatos 10 anos em que perdemos Harold Pinter, sem sombra de dúvidas um dos maiores dramaturgos que já existiu, com inúmeras peças montadas mundo a fora. Pensando nisso resolvemos fazer uma homenagem a esse célebre autor inglês e para isso escolhemos uma de suas obras primas, que já foi montada no Brasil, em 1964, com direção de Antônio Abujamra e foi considerado, pela critica, um grande sucesso naquele ano. Agora passado mais de meio século, trouxemos 'O Inoportuno' de volta aos palcos para relembrar esse grande artista, que tanto contribuiu para o teatro mundial, e fazer jus à sua existência”, afirma o diretor Ary Coslov, que recebeu o Prêmio Shell e APTR 2008 de Melhor Direção, pelo espetáculo "Traição", texto de Harold Pinter. A tradução é de Alexandre Tenório, que também já traduziu inúmeras peças do autor, e recebe no Brasil o nome de "O Inoportuno".  Completam a ficha técnica Paulo César Medeiros na iluminação, Marcus Flaksman no cenário e Kika Lopes, que assina os figurinos.


Sobre o diretor
Ary Coslov nasceu no Rio de Janeiro e começou sua carreira profissional como ator em 1963 com a peça “Aonde Vais, Isabel?” de Maria Inês de Almeida, no Teatro Jovem. Até 1980, atuou em mais de 20 peças. Depois de 30 anos, voltou ao teatro como ator em 2010 com a peça “Produto”, de Mark Ravenhill. Como diretor, estreou em 1977 com “Palácio do Tango” de M. Irene Fornès e até hoje dirigiu mais de 30 peças, sendo que as últimas, em 2016 e 2017, foram “Entre Corvos”, espetáculo sobre Antonin Artaud, “O Amor Perdoa Tudo”, de Fabricio Carpinejar e Claudia Tajes, e “Ivanov” de Anton Tchekov, que estreou em maio de 2017 no Teatro Ipanema. Com “Traição” de Harold Pinter, recebeu os prêmios Shell e APTR (Associação dos Produtores de Teatro do Rio de Janeiro) como melhor diretor de teatro de 2008. Atuou na televisão como ator em diversos programas e novelas desde 1963 e como diretor à partir de 1979, tendo trabalhado, além da TV-Globo, na TV Manchete, TV-Panamericana (em Lima, Peru) e nos EUA. Dirigiu até hoje mais de 50 produções, entre novelas, seriados, minisséries e musicais. Seus trabalhos mais recentes, na TV-Globo, foram na direção das novelas “Ti Ti Ti”(2010-11), “Fina Estampa” (2011-2012) e “Guerra dos Sexos” (2012-2013).

Sobre o elenco
Daniel Dantas – Iniciou sua carreira no teatro, em 1975, como integrante do grupo Asdrúbal Trouxe o Trombone, na peça “O Inspetor Geral”, de Nicolai Gogol. Nos anos 1980, integrou o grupo teatral Pessoal do Despertar. Entre as peças encenadas, destacam-se: “O Homem Sem Qualidades”, de Robert Musil, com direção de Bia Lessa; “Noite de Reis”, de William Shakespeare, com direção de Amir Haddad; “Coração Brasileiro”, com direção de Flávio Marinho, “Tio Vânia”, de Anton Tchekov, direção de Aderbal Freire Filho; “Você Nunca Amou Alguém Tanto Assim”, dirigida por Mauro Mendonça Filho; e “Macbeth” de William Shakespeare, com direção de Aderbal Freire Filho. Em 1991, recebeu o Prêmio Molière de Melhor Ator pela atuação na peça teatral “Baile de Máscaras”. Na televisão, começou atuando na telenovela “Chega Mais”, em 1980, da Rede Globo. Já fez o mesmo personagem do ator Cássio Gabus Mendes na novela “Um Anjo Caiu do Céu”. Na televisão trabalha constantemente com o autor Gilberto Braga e com o diretor Dennis Carvalho. Em 2016, Daniel Dantas estava em cartaz no teatro com a peça “O Amor no Divã”, junto com Fernanda Paes Leme. Em 2017, Daniel Dantas é escalado para “Malhação – Vidas Brasileiras”.

André Junqueira – É ator profissional, atualmente em Verão 90 com o personagem Lacerda, Bacharel em Teatro, cursou New York Film Academy e Vancouver Film School. Na TV: Atualmente em "Verão 90", "O Outro Lado do Paraíso", "Eta Mundo Bom", "Sangue Bom", "Amor à Vida", "Totalmente Demais", "Haja Coração", "Novo Mundo". No teatro: atualmente em "O Inoportuno", "Crimes Delicados", "Sangue de Lars Noren", "A História do Comunismo Contado aos Doentes Mentais", de Matéi Visniec, "O Homem sem Sentidos", "Peraí Que Eu Vô…" e "Entre Quatro Paredes". Na dança: "Chicago" (2013),  "Dirty Dancing" (2014), e em "Priscila - A Rainha do Deserto" (2015).

Well Aguiar – É ator profissional há 18 anos e bacharel em teatro e cursou a Martins Pena. Na TV: "Orgulho e Paixão", "A Força do Querer", "Magnífica 70", "Sete Pecados", "Malhação", "Eta Mundo Bom", "Haja Coração". No teatro: "Crimes Delicados", "A História do Comunismo Contada aos Doentes Mentais", "Por que Será Que as Amamos Tanto?", "Álbum de Família", "A Megera Domada", "Nossa Vida Não Vale Um Chevrolet", "Os Amantes de Jean Genet". Longa-metragem: "Jogo de Xadrez". Curtas Metragens: "A História Deles", "Sinal", "A Mulher Sem Pecado", "Viúva, Porém Honesta", "Sete Gatinhos" e "A Falecida".

Ficha Técnica
Texto: Harold Pinter
Direção: Ary Coslov
Tradução: Alexandre Tenório
Elenco: Daniel Dantas (Davies), André Junqueira (Aston) e Well Aguiar (Mick)
Iluminação: Paulo Cesar Medeiros
Cenário: Marcos Flaksman
Figurino: Kika Lopes
Assistente de figurino: Bianca Carvalho
Envelhecimento de figurinos: Heloisa Stockler
Trilha sonora: Ary Coslov
Fotos: Leo Ornelas, Guga Melgar
Design gráfico: Alexandre Muner
Assessoria de imprensa: Morente Forte
Mídias sociais: João Gabriel Solle
Direção de produção: André Junqueira
Produção executiva: Well Aguiar
Produção: Luscas Donso e Adriana Gusmão
Assistência de direção: Rodrigo Simões/Bel Lobo
Aderecista: Jorge Roriz
Cenotécnicos: Humberto Silva e Humberto Silva Jr
Promoção: Rede Globo, JB FM
Realização: Enigma Eventos Filmes e Produções Artísticas

Serviço
"O Inoportuno"
Teatro Raul Cortez – Fecomércio (513 lugares)
Rua Dr. Plínio Barreto 285 – Bela Vista
Informações: 3254.1631
Bilheteria: terça a quinta das 15h às 20h; sexta a domingo a partir das 15h. Aceita todos os cartões de débito e crédito. Não aceita cheque. Ar-condicionado e acesso para cadeirantes. Estacionamento do teatro: R$ 23.

Vendas: www.ingressorapido.com.br
Sextas às 21h30 | Sábados às 21h | Domingo às 19h

Ingressos:
R$ 90
Duração: 90 minutos
Classificação indicativa: 12 anos
Gênero: comédia dramática

Estreou em novembro de 2018 no Rio de Janeiro
Estreou dia 2 de agosto de 2019 em São Paulo, com yemporada até 29 de setembro

"O Inoportuno"
Daniel Dantas, André Junqueira e Well Aguiar em "O Inoportuno"
De Harold Pinter
Direção Ary Coslov
No Teatro Raul Cortez

Vencedor do Prêmio Cesgranrio 2019 de Melhor Ator: Daniel Dantas
Indicado ao Prêmio Cesgranrio 2019 de Melhor Direção: Ary Coslov
Indicado ao Prêmio Cesgranrio 2019 de Melhor Cenografia: Marcos Flaksman
Indicado ao 13º Prêmio APTR 2018 – Associação de Produtores de Teatro 

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.