terça-feira, 15 de outubro de 2019

.: Cinematographo traz "A Montanha Sagrada" com trilha sonora ao vivo

Longa-metragem de 1973 ganha sonorização exclusiva com a banda O Campo e a Cidade. A exibição acontece no dia 20 de outubro, domingo, e os ingressos podem ser adquiridos no site da Sympla e recepção do MIS
A edição de outubro do Cinematographo do MIS - instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo - mergulha no mundo fantástico do chileno Alejandro Jodorowsky. O programa mensal do Museu traz o filme "A Montanha Sagrada" (1973) sonorizado ao vivo pelo projeto musical O Campo e a Cidade. Os ingressos para a sessão (R$ 20 inteira e R$ 10 meia), que acontece no dia 20, domingo, às 15h, podem ser adquiridos na bilheteria do Museu ou site da Sympla.

Sobre o filme
A "Montanha Sagrada" ("La Montaña Sagrada" / "The Holy Mountain", EUA-México, 1973, 1h54. Direção: Alejandro Jodorowsky) é um filme méxico-estadunidense de 1973, dos gêneros drama surreal-fantástico, escrito e dirigido por Alejandro Jodorowsky, que também colaborou como ator, compositor, cenografista e figurinista. O filme foi produzido pelo empresário dos Beatles na época, Allen Klein, que trabalhava na ABKCO Music and Records quando Jodorowsky dirigiu El topo, aclamado tanto por George Harrison quanto por John Lennon. 

Ladrão (Horacio Salinas), figura similar a Jesus, perambula por estranhos cenários repletos de símbolos religiosos e pagãos. Um guia espiritual (Alejandro Jodorowsky) o apresenta a sete pessoas, cada uma representante de um planeta do sistema solar. O grupo segue para a Montanha Sagrada. A ideia é ocupar o lugar dos deuses imortais que lá vivem e dominam o mundo.

Sobre a banda
A poética urbana dos guetos e o ritmo que viaja entre o rock latino e raízes brasileiras são a pegada do trio O Campo e a Cidade, formado pelo paraense Marcello Gabbay, o paulista Neto Rocha e o sergipano Tony Karpa. São três discos lançados. “Dia de São João” (2013) e “Passarinho” (2014) traziam o lado rock rural; “Tarot” (2017) era o metade acústico e metade elétrico. Agora, o próximo disco “Baixo Augusta” (2019) entra de cabeça na sonoridade urbana. A primeira faixa do novo álbum conta com a luxuosa parceria da cantora Aíla, que canta o rap-rock “Baixo Augusta” e assina como co-autora da música.

Os integrantes da banda vêm das artes cênicas, onde já assinaram trilhas sonoras originais em diversas linguagens. Neto Rocha, formado ator pela Casa de Artes de Laranjeiras (RJ), já compôs trilha original para espetáculos como “Eróticas”, de Suzana Nascimento, “Tá Rindo de Quê?”, da Companhia Teatro Inato, e “O Mesmo Sol” de Julia Spadacinni, todos no Rio de Janeiro. Marcello Gabbay já compôs trilhas para espetáculos e instalações no Pará e no Rio de Janeiro, como “Devagarinho eu Deixo”, de Wlad Lima, e o projeto “Ritos”, este premiado com o Fundo para Iniciativas Estudantis da Cité Internationale de Paris, em 2011; além do curta-metragem “Quase Todas as Mulheres do Mundo”, de Jair Silva, no Rio, e a exposição “Arqueolgia do Mangue” de Osvaldo Gaia, também no Rio. Juntos, Neto e Marcello compuseram músicas para o espetáculo “Rodriguianas”, dirigido por Amanda Acosta, em São Paulo, 2017.

Marcello Gabbay: músico e pesquisador. É também professor universitário e autor de um livro sobre o carimbó da Ilha de Marajó. Como baixista, já acompanhou artistas da cena independente regional no Brasil e no exterior. Como compositor, já assinou trilhas de teatro, curta-metragem, performance e instalação.

Neto Rocha: músico e ator. Já trabalhou em espetáculos de teatro no Rio de Janeiro, tendo se formado pela Casa de Artes de Laranjeiras, e depois na Escola Célia Helena de São Paulo. É autor de trilhas sonoras para teatro e musical.

Tony Karpa: baterista e professor de música. Atuou na cena punk de Sergipe, e em São Paulo já acompanhou diversos artistas da cena independente. Atualmente, é o baterista da banda Garotos Podres, além de professor e endosser de marcas de instrumentos de percussão.

Serviço
Cinematographo |"A Montanha Sagrada"
Domingo, 20 de outubro, às 15h
Auditório do MIS (172 lugares)
Ingressos a R$ 20 (inteira), R$10 (meia) à venda na Recepção MIS e no site www.sympla.com.br
Classificação: 18 anos

Museu da Imagem e do Som – MIS
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo| (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br
Estacionamento [Conveniado]: R$ 18
Acesso e elevador para cadeirantes. Ar-condicionado.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.
 
google.com, pub-3645003449125371, DIRECT, f08c47fec0942fa0 subdomain=subdomain.resenhando.com subdomain=subdomain.www.resenhando.com