quarta-feira, 30 de outubro de 2019

.: Miguel Falabella dirige opereta que encerra temporada lírica no Municipal

Miguel Falabella no Theatro Municipal de São Paulo; Estreia acontece 
no dia 14 de novembro. Foto: Fabiana Stig 

O ator, dramaturgo e diretor Miguel Falabella assina a direção cênica da opereta "A Viúva Alegre", de Franz Lehár, e libreto original de Viktor Léon e Leo Stein, que estreia no dia 14 de novembro, às 20h, no Theatro Municipal de São Paulo. As apresentações seguem até o dia 24, sendo de terça a sábado, sempre às 20h, e aos domingos, às 18h. 

Os ingressos custam de R$ 20 a R$ 120 e podem ser adquiridos pela internet, no site theatromunicipal.org.br, ou na bilheteria do próprio Theatro. Especialmente para as récitas de 17 e 24 de novembro (domingos), o ingresso terá preço único de R$ 20,00 para todos os setores e a venda será exclusiva na bilheteria do Theatro, a partir das 12h no dia do espetáculo - e a apresentação do dia 24 ainda terá recurso de audiodescrição.

Além da direção cênica, Falabella assina a tradução e a versão da opereta que tem o maior número de récitas do ano, ao todo são 10.  Esta também é a primeira opereta/ópera da sua carreira. Ele que é um artista de renome, eclético em suas facetas como ator, diretor, dramaturgo, cineasta, dublador e uma das personalidades brasileiras mais conhecidas do teatro e da televisão, também é um fã de ópera e já assistiu a diversas produções em suas viagens para o exterior. 

“Meu avô era italiano e antes de falar, eu já ouvia ópera. Cresci ouvindo grandes nomes como Renata Tebaldi, Victoria de Los Angeles... O desejo de todos nós é ampliar a acessibilidade ao Theatro. Eu quero usar a minha imagem para popularizar e dizer venham! O Theatro é nosso. Estou profundamente emocionado por trabalhar com pessoas que tenho o maior respeito do mundo”, completa Falabella.

"A Viúva Alegre"
A trama em três atos se passa em Paris, em 1905. O Barão Zeta, embaixador de Pontevedro – um pequeno reino fictício - oferece uma festa na embaixada para recepcionar Hannah Glawari, jovem, bela e rica viúva. O objetivo é evitar que ela se case com alguém que não seja do pequeno reino para manter a fortuna no próprio país, evitando a quebra das finanças locais.  

A opereta conta com grupos artísticos do próprio Theatro Municipal, como a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, que será comandada pelo maestro assistente Alessandro Sangiorgi, que também assina a direção musical. O Coro Lírico Municipal de São Paulo também está na produção e será preparado pelo regente titular Mário Zaccaro e pelo assistente Sergio Wernec. A cenografia é de Zezinho Santos e Turíbio Santos (Santos & Santos), figurinos de Lígia Rocha e Marco Pacheco. Desenho de luz de Guillermo Herrero, coreografia de Fernanda Chamma e visagismo de Dicko Lorenzo.

No elenco, grandes nomes da cena lírica como Camila Titinger, Marianna Lima, Rodrigo Esteves , Daniel Germano, Saulo Javan, Lina Mendes, Sandro Christopher, Caio Duran, Amanda Souza,  Anibal Mancini, Luciano Botelho, Adriano Tunes, Johnny França, David Marcondes,  Edna D'Oliveira, Márcio Marangon e Andreia Souza.

Falabella
Miguel Falabella nasceu em 10 de outubro de 1956 em São Cristovão na Zona Norte do Rio de Janeiro. Iniciou as aulas de teatro ainda na adolescência, no colégio em que estudava e também freqüentou o tradicional Teatro Tablado – escola para atores de Maria Clara Machado. 

A estreia na televisão aconteceu no papel de galã romântico do "Caso Verdade Jan e Jim" em setembro de 1982. Em 1996 estreou em um papel icônico num dos programas de grande sucesso da televisão brasileira, "Sai de Baixo", em que o Falabella viveu um de seus personagens mais reconhecidos, um loiro nórdico, alto e de olhos azuis, Caco Antibes.  Durante 15 anos permaneceu na bancada do Vídeo Show (de 1987 a 2001).

Como autor de novelas, escreveu "Salsa e Merengue", "A Lua me Disse" e o humorístico "Toma Lá Dá Cá". Além disso, escreveu o seriado "Pé na Cova", e mais recente "Eu, a Vó e a Boi" para o Globoplay, serviço de streaming da TV Globo. A sua estreia na direção teatral foi na peça Emily (1994), onde ele ganhou o prêmio Molière de melhor direção e o Mambembe de revelação em direção. 

De lá para cá foram uma infinidade de produções como "Tupã, a Vingança", o infantil "O Rouxinol do Imperador". Ele também atuou em "Batalha de Arroz num Ringue para Dois", "O Beijo da Mulher Aranha", e escreveu e dirigiu "A Partilha", entre outros.  No cinema, em 2008, fez o debut do seu primeiro filme como diretor com "Polaroides Urbanas", mas antes disso já havia atuado nas produções "Mulher Sensual"; "O Sonho Não Acabou"; "Sole nudo"; "O Beijo da Mulher Aranha"; "Vento Sul"; entre outros.

Serviço:
"A Viúva Alegre" no Theatro Municipal de São Paulo
Novembro | datas e horários das récitas
Quinta-feira, 14, às 20h
Sexta-feira, 15, às 20h
Sábado, 16, às 20h
Domingo, 17, às 18h - Récita a preço único R$ 20,00
Terça-feira, 19, às 20h
Quarta-feira, 20, às 20h
Quinta-feira, 21, às 20h
Sexta-feira, 22, às 20h
Sábado, 23, às 20h
Domingo, 24, às 18h - Récita com audiodescrição e a preço único de R$ 20
Local: Sala de Espetáculos, Theatro Municipal de São Paulo
Endereço: Praça Ramos de Azevedo, s/nº

Ingressos: R$ 20 | R$ 80 | R$ 120 - para as récitas dos dias 17 e 24 os ingressos serão comercializados a preço único de R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia), para todos os setores, e a venda será exclusiva na bilheteria do Theatro, a partir das 12h no dia do espetáculo.
Vendas: pelo site theatromunicipal.org.br ou na bilheteria do Theatro Municipal.
Horário de funcionamento da bilheteria: de segunda a sexta-feira, das 10h às 19h, e sábados e domingos, das 10h às 17h.
Formas de pagamento: Dinheiro e Cartões de Débito e Crédito
Duração aproximada: 2h e 30 minutos
Classificação indicativa: livre
Capacidade: 1500 lugares
Acessibilidade: Sim

Ficha técnica "A Viúva Alegre"
Franz Lehár
Libreto original: Viktor Léon e Leo Stein
Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo
Coro Lírico Municipal de São Paulo
Alessandro Sangiorgi -  direção musical e regência
Miguel Falabella – tradução, versão e direção cênica
Santos & Santos - cenografia
Lígia Rocha & Marco Pacheco - figurinos             
Guillermo Herrero - desenho de luz
Dicko Lorenzo - visagismo
Fernanda Chamma - coreografia

Elenco:
Hannah Glawari - Camila Titinger (14, 16, 19, 21, 23)
Marianna Lima (15, 17, 20, 22, 24)
Conde Danilo - Rodrigo Esteves (14, 16, 19, 21, 23)
Daniel Germano (15, 17, 20, 22, 24)
Barão Zeta - Sandro Christopher (14, 16, 19, 21, 23)
Saulo Javan  (15, 17, 20, 22, 24)
Valenciana - Lina Mendes (14, 15, 19, 21, 23)
Amanda Souza (16, 17, 20, 22, 24)
Camilo de Rossillion - Anibal Mancini  (14, 16, 19, 21, 23)
Luciano Botelho (15, 17, 20, 22, 24)
Njégus - Adriano Tunes (ator)
Visconde Cascada - Jonnhy França (barítono)
Raul de St. Brioche - Caio Duran (tenor)
Bogdanowitsch - David Marcondes (barítono)
Silvia - Edna D’Oliveira (soprano)
Kromow - Marcio Marangon (barítono)
Olga - Andreia Souza (mezzo soprano)

Grisetes (bailarinas):
Lolo - Mari Saraiva
Dodo - Hellen de Castro
Jou-Jou -  Carol Isolani
Frou-Frou - Nay Fernandes
Clo-Clo - Luana Zehnun
Margot - Vanessa Costa

Bailarinos:                         
André Gomes
André Luiz Odin
Daniel Caldini
Davi Tostes
Rodolfo Saraiva
Ygor Zago

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.
 
google.com, pub-3645003449125371, DIRECT, f08c47fec0942fa0 subdomain=subdomain.resenhando.com subdomain=subdomain.www.resenhando.com