sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

.: #ResenhaRápida: Roberta Campos responde "aquelas perguntas tortas"


Por Helder Moraes Miranda e Mary Ellen Farias dos Santos, editores do Resenhando.


“Todo Caminho é Sorte - Ao Vivo" é o primeiro registro ao vivo da cantora e compositora Roberta Campos, lançado em CD e DVD. O trabalho é comemorativo aos dez anos de uma carreira brilhante que começou com o álbum independente “Para Aquelas Perguntas Tortas"

Neste primeiro trabalho, já estava clara a marca folk e roqueira que permearia a obra doce e romântica de Roberta, claramente baseada nas harmonias do violão acústico, temperada pela influência de Beatles e dos mineiros do Clube da Esquina. Não foi difícil escolher o repertório para o DVD. Os três álbuns seguintes, lançados pela gravadora Deck, renderam hits perenes e bem assimilados pelo público que acompanha a carreira de Roberta ou conhece a voz da cantora pelas trilhas de novelas, veículo em que tem mantido presença constante. 

A canção “Minha Felicidade”, por exemplo, presente no DVD, foi tema de abertura de "Sol Nascente", da TV Globo. Outros sucessos do set list são “Abrigo”, “Aqui, Ali”, “Diário de Um Dia” e a poderosa “De Janeiro a Janeiro”, gravada originalmente em dueto de Nando Reis e cujo clipe bateu a marca de mais de 40 milhões de visualizações no YouTube. “Juntei músicas que achei importantes, aquelas que eu tinha vontade de cantar e as que as pessoas queriam ouvir. Acho que elas representam bem esse tempo de carreira”, diz a artista mineira, de Caetanópolis, radicada em São Paulo, que hoje contabiliza mais de 500 canções escritas solitariamente ou com parceiros. 

Ao repertório conhecido, acrescentou duas composições próprias inéditas – “Todo Dia” e “Dois Flamingos” – e mais uma versão muito pessoal para “My Love”, uma das grandes canções românticas de Paul McCartney. Outras duas releituras já gravadas por Roberta também ganharam espaço no show: “Casinha Branca”, de Gilson e Joran, e “Quem Sabe Isso Quer Dizer Amor”, de Lô e Márcio Borges.

A banda que acompanha Roberta foi montada especialmente para a gravação do DVD, no Teatro Porto Seguro, em São Paulo, sob direção musical do pianista e tecladista Fabio Pinc e Rafael Ramos. “Apesar de ser uma banda nova, o processo fluiu muito tranquilamente, pois o Fabio já entendia bem o meu som e conseguiu transmitir isso aos músicos. Também tivemos o cuidado de escolher instrumentistas que já tivessem participado dos meus discos, que tinham uma identificação com as minhas músicas”, conta Roberta. Bastaram duas semanas de ensaio para que a banda estivesse afiada, pronta para a gravação. Fabio Pinc, Fabio Sá (baixos acústico e elétrico), João Erbetta (guitarra, violão e lap steel), Loco Sosa (bateria e percussão) e Patricia Ribeiro (violoncelo) azeitaram o som até o momento da estreia. 

Roberta também participa como instrumentista, tocando violão e guitarra. A cantora e compositora Nô Stopa, é a convidada especial do espetáculo, cantando “Sinal de Fumaça”, uma de suas muitas parcerias com Roberta. Nô faz parte do time de artistas que, encantados com o som da garota de Caetanópolis, tornaram-se, além de fãs, coautores. Uma turma de respeito que inclui Erasmo Carlos, Humberto Gessinger, Fernanda Takai, John Ulhôa, Renato Teixeira, Fagner e Paulo Mendonça. Nesta entrevista, ela responde a tudo o que todos os fãs gostariam de saber, mas ninguém teve coragem de perguntar.

#ResenhaRápida com Roberta Campos

Apelido: Beta.
Data de nascimento: 29 de dezembro de 1977.
Qualidade: honesta.
Defeito: teimosa.
Signo: capricórnio.
Ascendente: aquário.
Uma mania: dormir com luz acesa.
Religião: umbanda.
Time: Cruzeiro.
Amor: Marina e Dado.
Sexo: com amor é mais gostoso.
Mulher bonita: Zozibini Tunzi.
Homem bonito: Jason Momoa.
Família é: a que formei é a minha paz.
Ídolo: Djavan.
Inspiração: o mar.
Arte é: vida.
Brasil: um país lindo que precisa ser melhor cuidado, por todos.
Fé: meus orixás.
Deus é: você, eu, todos nós.
Política é: pra ser levada a sério.
Hobby: tocar violão.
Lugar: minha casa.
O que não pode faltar na geladeira: sorvete.

Prato predileto: feijão tropeiro.
Sobremesa: sorvete.
Fruta: goiaba.
Cor favorita: azul.
Medo de: gente ruim.
Uma peça de teatro: "Neste Mundo Louco, Nesta Noite Brilhante".
Um show: “Quando Deixamos Nossos Beijos na Esquina”, de Vanessa da Mata.
Um ator: Joaquin Phoenix.
Uma atriz: Fernanda Montenegro.
Um cantor: Djavan.
Uma cantora: Elis Regina.
Um escritor: Jostein Gaarder.
Uma escritora: Clarice Lispector.
Um filme: "Na Natureza Selvagem" ("Into The Wild").
Um livro: "O Mundo de Sofia", de 
Jostein Gaarder. 
Uma música: "Casinha Branca".
Um disco: "Verde, Anil, Amarelo, Cor de Rosa e Carvão", de Marisa Monte.
Um personagem: Chicó (de "O Auto da Compadecida", de Ariano Suassuna).
Uma novela: "Avenida Brasil", de João Emanuel Carneiro.
Uma série: "American Crime History - O Assassinato de Versace".
Um programa de TV: "Em Casa com Nelson Motta".
Um podcast: "Aos Cubos".
Uma saudade: minha vó Rosária.
Algo que me irrita: gente mandona, falsidade e mentira.
Algo que me deixa feliz é: comer uma boa comida.

Não abro mão de: minha honestidade.
Do que abro mão: de pessoas que não somam com minha vida.
Digo sim à: vida.
Digo não à: violência.
Sonho: um mundo melhor.
Futuro: colheita de um plantio saudável.
Morte é: a conclusão de uma vida.
Vida é: pra ser vivida com amor.
Uma palavra: gratidão.
Ser cantora é: divertido.



← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

#ResenhandoIndica

20 20 20
Tecnologia do Blogger.