segunda-feira, 17 de agosto de 2020

.: Grátis: Beatriz Azevedo apresenta canções de seus últimos discos em live


O público poderá conferir, por exemplo, a canção "Canto", parceira de Beatriz com Moreno Veloso, que participa da live, além de "Toda Musa", com Zélia Duncan. Foto: Leo Aversa

Dentro da programação do #EmCasaComSesc, nesta quarta-feira, dia 19, às 19h, em primeira apresentação ao vivo em tempos de isolamento social, a cantora Beatriz Azevedo apresenta, canções de seus últimos discos "A.G.O.R.A", "AntroPOPhagia", e "Alegria", passeando pelo repertório de toda a trilogia. O público poderá conferir, por exemplo, a canção "Canto", parceira de Beatriz com Moreno Veloso, que participa da live, além de "Toda Musa", com Zélia Duncan. O Sesc São Paulo vem promovendo uma série de shows diários com transmissões pelo Instagram @sescaovivo e YouTube do Sesc São Paulo - youtube.com/sescsp.

Recém gravado, o álbum "A.G.O.R.A" conta com a direção musical de Cristóvão Bastos e com as participações de Jaques Morelenbaum, Jorge Helder e Cyro Baptista. Poeta, compositora e performer, Beatriz Azevedo já teve suas músicas gravadas por Adriana Calcanhotto, Matheus Nachtergaele, Moreno Veloso, Tom Zé, Zélia Duncan e Zé Celso Martinez Correa, para citar alguns.

Quinta-feira, dia 20, a dupla Brothers of Brazil, formada pelos irmãos Supla e João Suplicy, reúne referências e experiências das carreiras solo em show pela série Música #EmCasaComSesc. No repertório, músicas como "Samba Around the Clock", "I Hate the Beatles", "Punch You", "A Vida num Segundo", "On My Way", "Melodies From Hell", entre outras. A banda foi batizada por Bernard Rhodes, ex-empresário do The Clash, lendário grupo de punk do Reino Unido. Com três discos lançados até aqui, "Punkanova" (2009), "Brothers of Brazil" (2011) e "Melodies From Hell" (2014), o duo traz influências do punk rock e da bossa nova, o que marca sua sonoridade autêntica.

Na próxima sexta-feira, dia 21, Rappin’ Hood chega com o show "Sujeito Homem Ao Vivo". Reunindo os grandes sucessos do rapper, a apresentação é uma retrospectiva que começa nos anos 1990 e segue até os dias de hoje. O repertório contará com músicas do disco "Sujeito Homem 1", "Sujeito Homem 2", além de composições inéditas, relembrando os melhores momentos da carreira do cantor, difundindo o rap com outras vertentes da música popular brasileira. Rappin’ Hood é conhecido pelo estilo exclusivo, que une o rap e o samba, duas vertentes musicais que representam as vozes das periferias. Sua identificação com o samba vem de berço, quando frequentava rodas e seus amigos pediam para ele cantar. Na falta de uma batida de rap, ele improvisava em cima da cadência do samba. Hoje, é reconhecido nacionalmente pelo estilo inovador de suas composições e melodias e por transmitir uma mensagem reflexiva.

Inspirada pelos versos da emblemática música "Eu Vou Torcer", Fernanda Abreu apresenta no sábado, dia 22, direto de sua casa, o show que ela, carinhosamente, intitula de "Cativeiro". Em clima amistoso e intimista, onde a cantora aproveita para dividir histórias pessoais e artísticas, ela pincela clássicos dos seus 30 anos de carreira, como "Kátia Flávia", "Veneno da Lata", a indispensável "Rio 40 Graus", e outras do seu mais recente álbum, "Amor Geral". O single recém lançado "Do Ben", uma homenagem a Jorge Ben, também está no roteiro. Fernanda canta e Tuto Ferraz, além de tocar bateria, dispara as bases pré-gravadas contendo as performances de Fernando Vidal (guitarra), de André Carneiro (baixo), de Thiago Gomes (teclados) e de Flavia Santana e Juju Gomes (vocais).

Fechando a semana, no domingo, dia 23, a dupla Prettos, formada pelos irmãos Magnu Sousá e Maurílio de Oliveira, do Quinteto em Branco e Preto, apresenta o show de samba "Novo Viver", trabalho criado e lançado durante a quarentena. Uma jornada musical de autoconhecimento artístico a quatro mãos. Os irmãos, além de assinarem a maioria das composições do disco, também foram responsáveis por todo o processo de concepção, arranjos, gravação, edição, instrumentação e pós-produção, trazendo participações especiais dos músicos Luizinho 7 Cordas (violão de sete cordas), Léo Carvalho (bateria) e Cassiano Andrade (na cuíca, repenique e congas).

Criado há 25 anos pelo Sesc São Paulo e hoje em operação em diversos estados do país, a iniciativa está com uma campanha para expandir sua rede de parceiros doadores e ampliar a distribuição de alimentos, produtos de higiene e limpeza em meio à crise causada pelo novo coronavírus. Também engajados pela causa, os artistas têm aproveitado as transmissões online para convocar as pessoas, principalmente empresários e gestores, a integrarem a rede de solidariedade. Para saber como ser um doador, basta acessar o site mesabrasil.sescsp.org.br.

Agenda de 18 a 23 de agosto, sempre às 19h

Terça-feira, 18 de agosto: Mariana de Moraes. Participação: Marcelo Miranda e Luisão Cavalcante.
Quarta-feira, 19 de agostoBeatriz Azevedo. Participação: Moreno Veloso.
Quinta-feira, 20 de agostoBrothers of Brazil.
Sexta-feira, 21 de agostoRappin’ Hood.
Sábado, 22 de agostoFernanda Abreu. Participação: Tuto Ferraz
Domingo, 23 de agosto: Prettos.
Transmissões pelo Instagram @sescaovivo e YouTube do Sesc São Paulo - youtube.com/sescsp

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

#ResenhandoIndica

20 20 20
Tecnologia do Blogger.