quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

.: Resenha crítica de "Lady Bird - É hora de voar", indicado ao Oscar 2018

Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em fevereiro de 2018



O longa indicado ao Oscar, "Lady Bird - É hora de voar" apresenta um recorte da vida de Christine (Saoirse Ronan). Típica adolescente que bate de frente com a mãe controladora Marion McPherson (Laurie Metcalfeque, por sua vez, também é extremamente parceira -e até amiga. Num estilo "Malhação" (série brasileira, da Rede Globo), a narrativa é constante, não usa de reviravoltas para chocar o público, no máximo surpreende com uma atitude inesperada, seja a da moça -quando está no carro com a mãe- ou o flagra que ela dá em Danny O'Neill (Lucas Hedges, de "Três anúncios para um crime"). 

Com uma pegada de filme independente, a produção dirigida por Greta Gerwig passa a sensação de ter simplesmente aberto o diário da jovem Christine para interpretá-la de modo cronológico. Qual é o período a ser retratado? 2002, o último ano do colégio de Lady Bird e a tentativa de fazer faculdade longe de Sacramento, Califórnia - o que a mãe, obviamente, reprova. No entanto, a ideia da jovem ganha apoio do pai -em segredo. 

Até que tenha uma resposta de mudança -drástica- de vida ou não, a moça estudante no colégio católico, conquista o primeiro namorado, descobre o sexo com Kyle Scheible (Timothée Chalamet, de "Me chame pelo seu nome"), as verdadeiras amizades, enquanto mantém embates com a mãe. Quem nunca ouviu da progenitora algo similar a "Como eu criei alguém tão esnobe?". Contudo, é nos momentos mais difíceis que Lady Bird tem o afago de Marion. Embora a mocinha tenha certo desvio de conduta -rouba uma revista-, o longa de 1h35m de duração retrata, unica e exclusivamente, os dilemas de uma adolescente comum. Nada mais do que isso!

"Lady Bird - É hora de voar" é um filme despretensioso e extremamente singelo. Por outro lado, há o mérito de Greta Gerwig, aos 34 anos, indicada ao Oscar 2018 por "Melhor Direção", tornando-se a quinta mulher na história a concorrer na categoria, além de concorrer a "Melhor Filme", "Melhor Atriz", "Melhor Atriz Coadjuvante" e "Melhor Roteiro Original".



Filme: Lady Bird - É hora de voar (Lady Bird, EUA)
Direção: Greta Gerwig
Gênero: Drama, comédia
Elenco: Saoirse Ronan, Laurie Metcalf, Tracy Letts, Lucas Hedges, Timothée Chalamet
Bilheteria: 45,6 milhões USD
Data de lançamento: 15 de fevereiro de 2018 (Brasil)

*Editora do site cultural www.resenhando.com. É jornalista, professora e roteirista. Twitter: @maryellenfsm


Trailer

.: Resenha de "Lou", curta indicado ao Oscar 2018

Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em fevereiro de 2018



Crianças podem ser cruéis, seja com algum brinquedo ou até com "coleguinhas". O curta de Dave Mullins e Dana Murray, intitulado "Lou", exibido nos cinemas antes do longa animado "Carros 3" e indicado ao Oscar 2018 na categoria Melhor Curta Animado, trata esse comportamento de modo eficaz. De um lado crianças que simplesmente abandonam os objetos onde dá na telha e a que provoca retirando -a bel prazer- tudo o que é do outro.

Após um intervalo escolar, diante de tantos itens largados pelo pátio, a caixa de "Achados e perdidos" -LOst and foUnd, daí o nome do curta, que são justamente as letras faltantes do caixote de madeira- ganha vida e recolhe tudo para que seus donos os reencontre. Contudo, o valentão da turma, o que tenta pegar o que é dos outros, aprende uma lição preciosa de Lou.

A produção da Pixar e Walt Disney Pictures dá exemplos de comportamento aos pequenos, enquanto relembra personagens dos próprios longas animados. Dentro da caixa, com todos os objetos perdidos reunidos, ao "chamar" a segunda bolinha de baseball para junto e formar os olhos de Lou, numa fração de segundos, surge um "Nemo". Contudo, é o valentão que remete -e muito- ao menino das cavernas de "O Bom Dinossauro". 


Proposital ou não, ao fugir do malvado, Lou de mochila nas costas com o casaco vermelho e os olhos de bolas de baseball, remete ao protagonista do clássico filme "E.T. - O Extraterrestre". As referências não ficam por aqui. O casaco com capuz chega a formar o vilão "Randall" e a pequena "Boo" de "Monstros S.A", com direito a olhinhos acima da cabeça. Até a lagosta Sebastião de "A Pequena Sereia" surge na tela, quando ainda Lou tenta escapar do valentão. 

Já Riley, de "Divertidamente", aparece na pele de uma menina brincando com um lindo porquinho de pelúcia -com o acréscimo de um óculos. Sem deixar de salientar que o ambiente escolar, lembra a creche Sunnyside em que os brinquedos de "Toy Story 3" resolvem se mudar. Quem é Lou? É um ser que assume uma figura semelhante a de um Elmo, embora a vida dele esteja nos objetos perdidos. 

E essa aula em formato animado com duração de quatro minutos, repleta de homenagens é válida? Sem dúvida! "Lou", de Dave Mullins e Dana Murray concorre ao prêmio de "Melhor Curta em Animação" junto a "Dear Basketball", de Glen Keane e voz de Kobe Bryant, "Garden Party", de Victor Caire e Gabriel Grapperon, "Negative Space", de Max Porter e Ru Kuwahata e "Revolting Rhymes", de Jakob Schuh e Jan Lachauer. 


*Editora do site cultural www.resenhando.com. É jornalista, professora e roteirista. Twitter: @maryellenfsm



Assista o curta e três melhores cenas de "Carros 3"

.: ‘O Doutrinador’: Primeiras fotos do personagem com máscara

‘O Doutrinador’: divulgadas as primeiras fotos do personagem com máscara e uniforme, como aparecerá no filme e na série. Longa está sendo filmado em São Paulo e estreia nos cinema em setembro


A Downtown Filmes, a Paris Filmes e a Paris Entretenimento acabam de divulgar as primeiras imagens do Doutrinador, personagem dos quadrinhos criado por Luciano Cunha, caracterizado para o filme. Vestindo a emblemática máscara respiratória, com brilhantes olhos vermelhos, o personagem interpretado pelo ator Kiko Pissolato utiliza também um uniforme completamente negro para perseguir políticos, empresários e agentes corruptos. 

Fiquei muito feliz com o resultado da caracterização para o filme, o personagem está sombrio como um anti-herói deve ser. Acho que vamos marcar uma nova etapa para o audiovisual nacional em relação a filmes de gênero”, diz Cunha.

“O Doutrinador” chega aos cinemas brasileiros em setembro deste ano, com direção de Gustavo Bonafé e codireção de Fábio Mendonça. Em 2019, o personagem também será o protagonista de uma série exibida pelo canal Space. O filme e a série foram criados pelo próprio Luciano Cunha e por Gabriel Wainer, que também assinam o roteiro ao lado de Mirna Nogueira, LG Bayão, Guilherme Siman, Rodrigo Lage e Denis Nielsen.

No elenco, além de Pissolato, estão Eduardo Moscovis, Marília Gabriela, Helena Ranaldi, Tainá Medina, Carlos Betão, Samuel de Assis e Tuca Andrada, entre outros. A produção é da Paris Entretenimento e a distribuição da distribuição da Downtown/Paris Filmes.

Sinopse: “O Doutrinador” é um anti-herói no melhor estilo dos vigilantes dos quadrinhos. O Doutrinador é Miguel, um agente federal altamente treinado que vive num Brasil cujo governo foi sequestrado por uma quadrilha de políticos e empresários. Uma tragédia pessoal o leva a eleger a corrupção endêmica brasileira como sua maior inimiga. E ele começa a se vingar da elite política brasileira em pleno período de eleições presidenciais, numa cruzada sem volta contra a corrupção.

Ficha Técnica:
Direção do filme: Gustavo Bonafé. Codireção: Fabio Mendonça
Direção da série: Gustavo Bonafé e Fábio Mendonça
Criação: Luciano Cunha e Gabriel Wainer
Roteiro: Mirna Nogueira, LG Bayão, Guilherme Siman, Rodrigo Lages, Gabriel Wainer, Luciano Cunha e Denis Nielsen.
Produção: Sandi Adamiu, Bruno Wainer, Marcio Fraccaroli
Produção Executiva: Renata Rezende
Direção de Fotografia: Rodrigo Carvalho
Produtora de elenco: Renata Kalman
Diretor de Arte: Marghe Pennacchi
Figurinista: Flavia Lhacer
Montador: Federico Brioni
Elenco: Kiko Pissolato (Miguel), Samuel de Assis (Edu), Tainá Medina (Nina), Marília Gabriela (Ministra Marta Regina), Eduardo Moscovis (Sandro Correa), Helena Ranaldi (Julia Machado), Natália Lage (Isabela), Natallia Rodrigues (Penélope), Tuca Andrada (Delegado Siqueira), Gustavo Vaz (Anterinho), Carlos Betão (Antero Gomes), Ricardo Dantas (Dantão), Nicolas Trevijano (Diogo), Eucir de Souza (Dep. Djalma Dias), Eduardo Chagas (Oliveira), Lucy Ramos (Marina Sales)

Sobre a Paris Entretenimento: Após dois anos como coprodutora de grandes sucessos de bilheteria, como a trilogia “Até que a Sorte nos Separe”, a Paris Entretenimento consolidou-se como produtora em 2015, com o lançamento do longa “Carrossel - O Filme”, que fez 2.7 milhões de espectadores e tornou-se o quarto filme nacional mais visto do ano.

Entre 2016 e 2017, a Paris Entretenimento foi a produtora que mais lançou filmes no país, com um total de sete longas- metragens exibidos em circuito comercial. Os gêneros variados dessas produções consolidam nossa proposta de abrangência de mercado, explorando diferentes nichos de acordo com as tendências comerciais da época. Desses sete filmes lançados nos últimos meses, dois são adaptações de séries infantis de televisão (“Carrossel 2 - O Sumiço de Maria Joaquina” e “Detetives do Prédio Azul - O Filme”), outros dois são infanto-juvenis voltados ao público masculino (“Internet - O Filme”) e feminino (“Meus 15 Anos”), uma comédia romântica destinada ao público adulto (“Um Namorado Para Minha Mulher”), e dois documentários (“Teresinha” e “Aqualoucos”), este último lançado na 41a Mostra Internacional de Cinema.

Nossa busca por atender à demanda do público brasileiro continua em 2018, por isso selecionamos nossos projetos futuros com base nas tendências de mercado para os próximos meses. Em novembro de 2017 iniciamos a produção de “O Doutrinador”, aventura do gênero super-herói que será lançada nos cinemas em Setembro de 2018 e, em seguida, em formato seriado pelo canal Space.

.: Resenha de "O caso da menina sonhadora", de Daniel Martins de Barros

O desinteresse pela leitura de Bárbara em "O caso da menina sonhadora", de Daniel Martins de Barros é o fio condutor do enredo extremamente próximo ao que pensam tantos não-leitores. A publicação da Panda Books, ilustrada por Biry Sarkis, em 90 páginas, mergulha na mente humana ajudando a entender o que leva uma pessoa a sentir sono durante a leitura de um livro.

Entretanto, a menina Bárbara decide seguir a linha de pensamento de Sherlock Holmes e empenha-se em solucionar tal problema. "Todas as noites lia um livro antes de dormir. Claro que nem sempre lia um livro inteiro de uma vez - às vezes, passava  semanas com a mesma história, porque caía no sono, no meio da leitura."

Sabendo ler sozinha, sem precisar da mãe, a garota armou o plano de ler aventuras do famoso detetive, Sherlock Holmes, antes de dormir. Conforme avançava na leitura de contos clássicos, a menina insistia nas tentativas de encontrar Holmes nos sonhos. Aos poucos, Bárbara cumpre o objetivo e a cada encontro, faz diversas perguntas ao investigador. O que ela descobre? Que "a sonolência, o sono e até os sonhos, tudo isso é produzido em nossa mente."

Nessa viagem ao universo mágico da mente, tendo Holmes ao lado, a menina encontra variados personagens dos clássicos contos da carochinha. Desde a sonolenta "Bela Adormecida", o menino mentiroso de "Pedro e o Lobo até "O patinho feio". Sem dúvida, "O caso da menina sonhadora" é uma excelente opção de leitura em sala de aula.


Livro: O caso da menina sonhadora
Autor: Daniel Martins de Barros
Editora: Panda Books
Ilustração: Biry Sarkis
90 páginas

.: Teatro Positivo completa 10 anos em março

Maior teatro paranaense já recebeu mais de 2 milhões de pessoas


No dia 29 de março de 2008 nascia o Teatro Positivo, o maior teatro do Paraná e, com 2400 lugares, um dos maiores do Brasil. Ao longo destes 10 anos, mais de 2 milhões e 400 mil pessoas passaram pelo espaço, que tem instalações e equipamentos que permitem receber todos os tipos de eventos, desde grandes espetáculos de música, dança e teatro, até formaturas, congressos e convenções.

Segundo Marcelo Franco, diretor executivo do teatro desde sua inauguração, o pacote de serviços e as vantagens estratégicas de produção no espaço são o diferencial. “Oferecemos uma infraestrutura cênica completa, com telões e equipamentos de som já instalados, flexibilidade de horários e uma doca anexa ao palco, que facilita muito a montagem dos espetáculos. Os produtores percebem a diferença e priorizam o Teatro Positivo por isso”, explica. Entre as principais características, pode-se destacar as coxias amplas, varas móveis, cabines de som, luz, projeção e tradução. Além disso, os técnicos operadores conseguem acessar com segurança e facilidade duas passarelas embutidas no forro que abrigam os equipamentos de som e de luz.

Todas as vantagens fizeram com que, nesses 10 anos, centenas de artistas renomados e eventos de grande porte passassem pelo Teatro Positivo. O diretor destaca nomes como Roberto Carlos, Ringo Starr, Billy Paul, Lionel Rich e espetáculos do Circo Nacional da China, Disney, entre outros. Para total utilização do espaço, são recebidos ainda congressos e convenções, são exemplos: o Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação, a Conferência Internacional de Promoção à Saúde e a Conferência Nacional dos Advogados (OAB). “Temos uma média de ocupação de 200 dias por ano. São 80 espetáculos em média e complementamos o restante com congressos e eventos. Em termos de Brasil, é um dos teatros que mais tem ocupação durante o ano”, destaca Franco.

Com projeto do arquiteto Manoel Coelho, o Teatro Positivo foi inspirado no Teatro Grego Epidaurus, do século IV a.C., e é mundialmente conhecido por oferecer aos espectadores visão e audição perfeitas em qualquer lugar da plateia. Ademais, a estrutura do Teatro destaca-se, no campus da Universidade Positivo, pelo porte e composição que relaciona três volumes curvos.

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

.: Dancing Brasil: Xuxa dança coreografia exclusiva amanhã

Ao lado de Leandro Lima, apresentadora Xuxa Meneghel dança coreografia criada exclusivamente para ela; Quinto eliminado da competição será anunciado ao vivo

Crédito: Blad Meneghel

Um dos momentos mais aguardados do Dancing Brasil é aquele em que Xuxa Meneghel dança no palco da atração. Nesta quarta-feira, dia 21 de fevereiro, a apresentadora mostrará uma coreografia feita exclusivamente para ela, tendo como parceiro Leandro Lima, responsável por interagir com as estrelas que disputam o prêmio de R$ 500 mil.

Isso tudo, claro, vai deixar a noite do reality show musical ainda mais especial e tende a abrandar o nervosismo dos 11 participantes que ainda estão na competição: a modelo Raissa Santana; a apresentadora Geovanna Tominaga; a nadadora Joanna Maranhão; as atrizes Hylka Maria, Isabel Fillardis e Bárbara Borges; os atores Diogo Sales, Eduardo Pelizzari e Douglas Sampaio; a cantora Marina Elali; e o humorista Rodrigo Capella.

O Dancing Brasil segue para a sexta semana, e os jurados, Fernanda Chamma, Jaime Arôxa e Paulo Goulart Filho, estão mais exigentes do que nunca e já declararam que não querem ver mesmice nas coreografias das duplas. Ganharão boas notas quem, segundo eles, ousar ao ritmo de forró, samba, tango, valsa, foxtrote, quickstep, rumba, chá-chá-chá, jive, salsa, zouk ou pasodoble.

Até o momento, os eliminados da disputa foram a modelo Bárbara Evans, o músico Sebá, o empresário Bruno Chateaubriand e o ex-boxeador Popó.

O Dancing Brasil vai ao ar às quartas-feiras, ao vivo, logo após o Jornal da Record, com apresentação de Xuxa Meneghel, produção da Endemol Shine Brasil, com direção geral de Rodrigo Carelli. O Dancing Brasil é do formato original “Dancing with the Stars”, da BBC Worldwide.

Continuam na disputa do Dancing Brasil
  
BÁRBARA BORGES
Atriz, 38 anos, nasceu e mora no Rio de Janeiro - RJ
Em 1995, com apenas 16 anos, fez sua estreia na televisão como paquita. Em 1999, deixou o grupo para se dedicar à carreira de atriz e fez sua primeira peça de teatro. Ingressou na faculdade de artes cênicas e, no mesmo ano, participou de sua primeira novela, “Porto dos Milagres”, na TV Globo. Depois, fez parte do elenco de “Malhação”. Em 2004, interpretou um papel de destaque na trama de ‘Senhora do Destino”. Em 2009, a atriz assinou contrato com a Record TV e fez sua estreia na emissora na novela “Bela, a Feia”.

DIOGO SALES
Ator, 32 anos, nasceu e mora no Rio de Janeiro
Diogo, que mora em Londres há cinco anos, fez parte do elenco da sexta temporada da série “Game of Thrones”. No início de sua carreira, fez parte do grupo Nós do Morro, do Vidigal, no Rio de Janeiro, com o qual apresentou o espetáculo “Os Dois Cavalheiros de Verona” na Inglaterra, em 2006. Desde então, já encenou seis montagens na Grã-Bretanha.
  
DOUGLAS SAMPAIO
Ator e cantor, 24 anos, nasceu no Rio de Janeiro e mora em Seropédica - RJ
Douglas Sampaio estreou na TV na temporada de 2011 de “Malhação”. Além de trabalhar como ator, também é músico. Foi o grande vencedor da oitava temporada reality show “A Fazenda”, em 2015. Na Record TV, participou do elenco da novela “A Terra Prometida”, sucesso bíblico da emissora. Já no teatro, atuou nos musicais “Enlace” e “Meninos e Meninas” e também na peça “Em Ato - Sua série no Teatro”. Fora isso, é sócio de uma produtora de filmes e conteúdo.

EDUARDO PELIZZARI
Ator, 32 anos, nasceu e mora em São Paulo
O primeiro trabalho de Eduardo Pelizzari na televisão foi em 2008, quando atuou na novela “Malhação”. Depois, ainda faria o folhetim “Dance, Dance, Dance”, na Band. Em 2010, integrou o elenco da terceira temporada do reality show “A Fazenda”, da Record TV. Também atuou em vários espetáculos teatrais, como “O Banquete”, do Teatro Oficina.
  
GEOVANNA TOMINAGA
Apresentadora e atriz, 37 anos, nasceu em São José dos Campos (SP) e mora no Rio de Janeiro
Jornalista, Geovanna apresentou na TV Globo os programas “Video Show”, “Hipertensão” e “TV Globinho”, além de ter integrado a equipe de jornalismo do “Mais Você”. Começou sua carreira aos 12 anos ao lado da Angélica no "Clube da Criança", na extinta TV Manchete. Como atriz, atuou em diversas peças de teatro e novelas como “Malhação”, “Sabor da Paixão” e “Sol Nascente”. É também roteirista e publisher.
  
HYLKA MARIA ​
Atriz e apresentadora, 32 anos, nasceu em Niterói e mora no Rio de Janeiro-RJ​
Estreou na televisão em 1996, quando atuou na novela “O Campeão”. Em 2017, fez parte do elenco de “A Força do Querer”. Como apresentadora, esteve à frente de projetos exibidos nos canais Discovery Kids e Sony.
  
ISABEL FILLARDIS
Atriz, 44 anos, nasceu e mora no Rio de Janeiro.
Aos 11 anos, começou a carreira como modelo e, em 1992, aos 18 anos, fez sua primeira novela, “Renascer”, na TV Globo. No mesmo ano, estreou como cantora, fazendo parte do grupo As Sublimes. No cinema, participou de três filmes, entre eles “Orfeu”, de Cacá Diegues. É presidente da ONG Força do Bem, dedicada ao auxílio e cadastro de pessoas com deficiência. Mãe de três filhos, Isabel dedica seu tempo às gravações de um programa sobre meio ambiente na JB FM e à carreira teatral e musical.

JOANNA MARANHÃO
Nadadora, 30 anos, nasceu em Recife e mora em Belo Horizonte
Participou de quatro Jogos Olímpicos e tem oito medalhas em Jogos Pan-Americanos. É a recordista brasileira e sul-americana nas provas de medley, nas quais os atletas precisam nadar os quatro estilos da natação.

MARINA ELALI 
Cantora e compositora, 35 anos, nasceu em Natal e mora no Rio de Janeiro.
Formada em música e canto pela Berklee College of Music, de Boston, nos Estados Unidos, Marina Elali já ganhou dois discos de ouro. Quando lançou seu primeiro álbum, fez enorme sucesso com a música “One Last Cry”, que ficou em primeiro lugar nas rádios de todo o Brasil. Em 2017, emplacou a música "Juntos Somos Mais" na novela "O Rico e Lázaro”, da Record TV, e a canção "O Que a Gente Faz Agora" na trama "Tempo de Amar", da TV Globo.

RAISSA SANTANA
Modelo e digital influencer, 22 anos, nasceu em Itaberaba (BA) e mora em São Paulo
Modelo desde os 15 anos, foi eleita Miss Brasil em 2016, tornando-se a segunda negra da história do Brasil a ganhar a mais importante competição de beleza do país. Atualmente, trabalha como modelo e faz parte da Fhits, agência de digital influencer.

RODRIGO CAPELLA
Humorista e apresentador, 36 anos, nasceu no Rio de Janeiro e mora em São Paulo
Rodrigo Capella ficou conhecido nacionalmente após sua passagem pela MTV, onde esteve à frente dos humorísticos de sucesso “Quinta Categoria” e “Comédia MTV”. Além disso, apresentou o espetáculo de humor “Comédia em Preto e Branco”. É integrante do elenco da Record TV, onde trabalha no Programa da Sabrina, produzindo reportagens ao lado de Sabrina Sato. O comediante também é dublê, paraquedista e praticante do Base Jump.

  
PERFIS JURADOS 
FERNANDA CHAMMA
Coreógrafa e diretora artística
52 anos
São Paulo – SP
Formada em balé clássico com especialização nas áreas de Jazz Dance e Musical Theatre. Diretora artística da Only Broadway e dos Estúdios Broadway, coreografa shows, espetáculos, eventos e comerciais de televisão e ministra workshops por todo o país. Foi jurada da Dança dos Famosos do “Domingão do Faustão” e coreógrafa de novelas, minisséries e espetáculos da emissora. Dirigiu e coreografou diversos musicais no eixo Rio/SP, como “Hairspray”, “A Gaiola das Loucas”, “Aladdin”, “Alô Dolly”, “Looney Tunes”, “Memórias de um Gigolô”, “Antes Tarde do que Nunca” e “Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos”. Em parceria com Jarry Zacks (USA), foi diretora e coreógrafa residente do musical “A Família Addams” no Brasil e na Argentina e diretora e coreógrafa residente do musical “Mudança de Hábito” no Brasil. Conquistou o Prêmio Bibi Ferreira de Melhor Coreógrafa de Teatro Musical de 2016.

PAULO GOULART FILHO
Ator, diretor, coreógrafo e ex-bailarino
52 anos
Curitiba – PR
Mora no Rio de Janeiro e em São Paulo
Iniciou seus estudos de Dança Clássica, Moderna, Jazz e Contemporânea nos anos 1980 no Curso de Educação Física da Faculdade de Educação e Cultura de São Caetano do Sul com o professor Edson Claro e ingressou como bailarino em sua primeira companhia de dança na faculdade. Seguiu seus estudos nos diversos estilos de dança, fazendo aulas com professores renomados na área. Estreou profissionalmente em 1985 na casa de Espetáculos Palladium. Integrou as Cias. de Dança Jazz Company, Lumiar, Cia. Ismale Guiser, F.A.R. 15, OMSTRAB e Balé da Cidade de São Paulo, onde trabalhou com diversos coreógrafos. Também atuou em muitos espetáculos musicais como "Cabaret", "Não Fuja da Raia", "Bixiga, o Musical na Contra Mão" e "Chaplin, o Musical". A partir dos anos 2000 iniciou seu trabalho independente de teatro e dança com os espetáculos, "XY, a Verdadeira Diferença entre os Sexos", "Amor por Nelson" e "O Cavalo na Montanha". Atualmente se dedica à carreira de ator, na qual utiliza todo seu repertório de bailarino para compor seus personagens por meio da fisicalidade e consciência corporal, ferramentas fundamentais para exercer seu trabalho.

JAIME ARÔXA
Bailarino, dançarino, coreógrafo, professor e empresário
55 anos
Recife – PE
Mora no Rio de Janeiro
É o criador de uma metodologia própria de ensino da dança de salão onde a mesma é tratada como expressão dos sentimentos do dançarino pelo movimento, a respeito de si próprio e da busca de um conhecimento maior sobre o outro. Em 1986, montou sua própria escola, o Centro de Dança Jaime Arôxa, pela qual já passaram mais de 30 mil alunos. Até hoje, já formou mais de 100 professores de dança de salão e continua gerando novos profissionais em todo o Brasil. Além de professor, trabalha como coreógrafo, atuando em peças, filmes, novelas e shows.  Realizou mais de 50 trabalhos coreográficos nas mais diversas mídias das artes cênicas, incluindo comissões de frente em diversas escolas de samba. Estudou salsa em Cuba e na Costa Rica e fez intercâmbio na Escola Nacional de Cuba. Introduziu a lambada no Rio de Janeiro em 1989. Estudou Jazz com Enid Sauer e balé clássico com Jean Marie. Desenvolveu amplo conhecimento teatral com trabalhos feitos para diretores importantes como Mauro Rasi, Domingos Oliveira, Amir Haddad, Moacyr Góes, Paulo Betti, Henrique Dias, entre outros. 


.: Plínio Marcos é homenageado no Persona em Foco de quarta-feira

A vida profissional e pessoal do dramaturgo é relembrada por personalidades que fizeram parte de sua trajetória


Nesta quarta-feira, dia 21 de fevereiro, o "Persona em Foco" faz uma homenagem em memória de Plínio Marcos, um dos dramaturgos mais polêmicos e celebrados do Brasil, falecido em novembro de 1999. Apresentado por Atílio Bari e com a participação da atriz Analy Alvarez, a atração vai ao ar às 23h15, na TV Cultura, no YouTube e no aplicativo Cultura Digital.

No programa, a história de Plínio Marcos é traçada com imagens de arquivo e com a ajuda de personalidades que fizeram parte da trajetória do dramaturgo, como o ator Sérgio Mamberti, a atriz Walderez de Barros, o biógrafo Oswaldo Mendes e o produtor teatral Tanah Correa. Eles relembram passagens da vida profissional e pessoal do dramaturgo, como a infância em Santos, onde nasceu, e a importância do público em suas obras.

O Persona em Foco também relembra encontros em círculos de intelectuais, que levaram Plínio ao seu início no teatro como ator, bem como ao seu trabalho na peça Barrela, na companhia de teatro de Cacilda Becker e no espetáculo Dois Perdidos Numa Noite Suja. Além disso, a edição traz as declarações do homenageado em diversos programas na televisão, como o Roda Viva, na TV Cultura, e o Abertura, na TV Tupi.

.: MTV estreia 4ª temporada de Are You The One? Brasil com Caio Castro

A 4ª temporada de "Are You The One?" Brasil vai começar com tudo e já no primeiro episódio tem: pegação, estreia do quartinho privê, formação de possíveis pares ideais, separações e arrependimentos, troca de par e um pouco de estratégia pra já dar um gostinho do que vem pela frente. O reality estreia dia 22 de fevereiro, às 22h, na MTV, sob o comando de Caio Castro.

E a busca pelo par ideal vai começar! E logo de cara, os participantes descobrem que seus perfis foram enviados aos seus pais (sim, é isso mesmo!) para que eles fossem os responsáveis por juntar os primeiros casais da casa. A brincadeira garantiu seis vagas no primeiro passeio de catamarã, em um cenário incrível, com direito a festinha particular pra galera se conhecer melhor.

E quem ficou na casa já teve que enfrentar o primeiro desafio: escolher um casal para ir à Cabine da Verdade – única maneira de descobrir se são ou não pares ideias. Além de deixar todos surpresos com a novidade dessa temporada – o fato de uma menina ter dois pares ideais – Caio Castro também já avisa, logo de cara sobre o temido blackout: se em alguma cerimônia dos pares, nenhum par ideal for formado, o grupo perde 100 mil reais dos 500 mil que receberia, caso acertassem os 10 matches.

Seguindo o jogo, ao final do primeiro episódio, foram todos para a temida Cerimônia dos Pares. Será que pegaram o jeito ou começaram com o pé esquerdo?

O quem vem por aí: O objetivo é seguir o baile? Sim, e nisso eles mostraram que são craques. Prova disso é o balanço da temporada: estão por vir mais de 1.000 beijos em mais de 5.000 horas de gravação (30 dias x 7 câmeras).
O consumo de alimentos foi igualmente proporcional: 1.800 ovos, o que em média daria 60 por dia, e 50 litros de açaí durante toda a gravação. Já sabemos qual é a preferência desses solteiros!

As transmissões ao vivo também estão de volta. Assim que o episódio terminar na TV, às 23h, a MTV inicia uma live, com Michi Provensi recebendo a participante Victória de Oliveira, no Facebook, YouTube e MTV Play.

Já em "Dublagens Sinceras" – conteúdo hilário e exclusivo do MTV Play que estreará todo domingo, a partir do dia 25, um dubsmash de primeiríssima recria os diálogos de algumas das cenas mais icônicas dos episódios, imprimindo uma grande dose de humor nos dramas e discussões dos trechos já veiculados na TV.

Sobre o “Are You The One?” Brasil: O reality show que logo em suas primeiras edições se tornou um dos maiores sucessos de audiência da MTV continua com a mesma fórmula do sucesso: jovens solteiros precisam encontrar seus pares ideais por meio de combinações amorosas – que serão testadas e colocadas à prova ao longo dos dias. Os casais ideais são formados previamente – sem o conhecimento dos solteiros e solteiras – por meio de um rigoroso processo de matchmaking, conduzido por uma equipe de psicólogos. Cabe ao grupo acertar todos os 10 pares para faturar o prêmio, em dinheiro, de R$ 500 mil. A pergunta que não quer calar é: “Se seu par ideal estivesse na sua frente, você o reconheceria?”.

‘Are You The One? Brasil’ é uma coprodução da MTV e da Floresta Produções 

Um pouco dsolteiros e solteiras do programa:

As meninas
GABI ZUFFO
22 anos, São Paulo – SP
DJ e modelo
@gabizuffo

SAN CORDEIRO
25 anos, São Paulo – SP 
Produtora de moda e técnica em astronomia
@sanreia

MARIA EUGÊNIA 
22 anos, São J. do Rio Preto –SP
Modelo
@mariaeugeniarluz

TUKA MATOS
21 anos, Unaí – MG
Estudante de administração
@tukamatos

GABRIELA BOLDRINI
21 anos, Vitória – ES 
Fotógrafa e modelo
@gabiboldrini

NATASHA PUGLIESI
20 anos, Sorengo – Suiça
Atriz e modelo 
@natashapugliesi

NATALIA CAVALCANTI
22 anos, Recife – PE 
Estudante de psicologia
@natcavalcanti

MANUELA GUGLIELMI
21 anos, Criciúma – SC 
Estudante de designer de moda
@manuguglielmi

JULIANA GOMES 
22 anos, Rio de Janeiro – RJ 
Estudante de odontologia
@julianagomesc

VICTÓRIA DE OLIVEIRA
20 anos, Rio de Janeiro – RJ 
Modelo
@vi_oliiveir

Os meninos
FELIPE BÊRIBÁ
26 anos, Salvador – Bahia
Publicitário 
@felipeberiba

LUIS COPPINI 
22 anos, Santo André – SP
Empresário e modelo
@luiscoppini

FABIO CROCE
24 anos, Bologna – IT 
Engenheiro
@fabiocroce

VICTOR MOURA
29 anos, Vitória – ES
Salva-vidas
@vkmoura

PAULO PASSINI
28 anos, Rio de Janeiro – RJ 
Publicitário
@paulo.passini

IAN TURTURRO
24 anos, Rio de Janeiro-RJ
Estudante de educação física
@ianturturro

GUSTAVO PERPÉTUO
29 anos, Teófilo Otoni – MG
Publicitário
@gperpetuo

WALLYSON SILVA
24 anos, Suzano – SP
Músico
@waah

VANDERLEI NAGÔ 
27 anos, Salvador – BA 
Publicitário e barman
@nagooficial

JONAS PAIVA
30 anos, Belo Horizonte – MG
Promoter 
@jonaspaiva

LUCAS VIANNA
26 anos, Ipatinga – MG
Modelo e ator 
@eulucasviana

SERVIÇO – ESTREIA  4ª TEMPORADA ‘ARE YOU THE ONE?’ BRASIL
Estreia: Quinta-feira, 22 de fevereiro, às 22h, na MTV
Episódios inéditos: Toda quinta-feira, às 22h, na MTV
Estreia no MTV Play: Quinta-feira, 22 de fevereiro, às 23h (assim que acabar a exibição do episódio na TV). O episódio em questão fica disponível para todos por uma semana.
Live na fanpage da MTV Brasil no Facebook, no Canal do YouTube e no MTV Play: Quinta feira, 22  de fevereiro, às 23h. No dia seguinte, a transmissão ao vivo fica disponível para ser revista em todos esses canais.
Dublagens Sinceras no MTV Play: Domingo, 25 de fevereiro.
O MTV Play é o app gratuito da MTV Brasil para ambos os sistemas operacionais, Android e iOS.

FICHA TÉCNICA
Direção Sênior de Produção e Desenvolvimento Viacom Brasil: Elisa Chalfon
Gerência de Produção e Desenvolvimento Viacom Brasil: Marina Ragusa
Produtora: Floresta Produções
Direção do programa: Lucas Diego Lopez

.: Hiperfotografias ganham mostra no Centro Cultural São Paulo

Exposição apresenta grandes painéis do fotógrafo francês, inspirados em pontos icônicos de quatro capitais brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Salvador


Arte Rua SP 3 (2017), Jean-François Rauzier

Pintura ou fotografia? Real ou virtual? As obras do francês Jean-François Rauzier costumam despertar esse tipo de dúvida no observador. A resposta não é única. Em seu trabalho, o artista mescla fotografia e manipulação digital para criar novas imagens, de tons surrealistas. Suas obras coloridas, ricas em detalhes, poderão ser conferidas na mostra "Hiperfoto - Brasil" que o Centro Cultural São Paulo (CCSP) recebe a partir de 15 de março.

Com curadoria de Marc Pottier e idealização de Bertrand Dussauge, o projeto chega à capital paulista depois de ter passado pelas cidades do Rio de Janeiro, Brasília e Salvador. A edição de São Paulo apresentará ao público cerca de 100 trabalhos, entre hiperfotos e hipervídeos – parte deles ainda inéditos, recriações de uma série de espaços da cidade. A mostra é parte de uma iniciativa que o artista desenvolve em diversas metrópoles do globo desde 2002, quando começou a desenvolver suas primeiras hiperfotos.

Frustrado com as limitações técnicas da fotografia e inspirado por Polaroid, de David Hockney, Rauzier encontrou na digitalização da prática um universo de possibilidades. Com sua máquina a tiracolo, ele roda o mundo em busca das particularidades do patrimônio mundial, fotografando de monumentos históricos a detalhes que poucos enxergam. Em apenas um dia de trabalho, dispara até dez mil cliques, numa ânsia por retratar todos os ângulos possíveis do local.

De volta ao seu estúdio, o artista dá início a um exaustivo processo de colagens, combinando as imagens umas às outras. Os trabalhos, que também contam com inserções de efeitos visuais, lembram composições cubistas, com inúmeros fragmentos de paisagens. A técnica foi batizada como hiperfotografia, em referência ao termo hiper-realismo adotado pelo psicanalista francês Jacques Lacan, para quem a realidade humana é constituída pela articulação do real, do simbólico e do imaginário.

O curador da mostra destaca o caráter híbrido, quase fantástico, das obras de Rauzier: “A palavra intensidade se adéqua perfeitamente a seus trabalhos. Suas fotografias, impressas em formatos enormes, intensificam o mundo sobre o qual ele lança seu olhar, criando uma espécie de casamento entre o macro e o micro, o virtual e o real. Desta maneira, ele nos mostra uma versão original e excepcional das cidades, das paisagens e dos assuntos que aborda”, afirma Marc Pottier.

O panorama de um país: Nos últimos quatro anos, o artista francês tomou o Brasil como protagonista de seus trabalhos. Neste período, registrou a exuberância do Rio de Janeiro, o sincretismo de Salvador e a arquitetura imponente de Brasília. Na última fase de seu projeto no País, Rauzier decidiu apontar suas lentes para São Paulo, retratando a arquitetura, o cotidiano e as contradições da megalópole.

Em Veduta SP1, por exemplo, o artista reúne centenas de casas clássicas e edifícios modernistas da capital. Em uma única imagem, o espectador tem uma visão panorâmica da arquitetura paulistana, onde a Igreja da Sé, o Masp e o Auditório do Ibirapuera se fundem a casarões dos séculos passados. Já em Veduta SP2, Rauzier apresenta milhares de espigões da cidade, registros do fotógrafo realizados a bordo de um helicóptero Helibras. Juntos, os trabalhos revelam “a memória do patrimônio de uma cidade inteira, em um grande formato”, pontua o artista.

Em suas caminhadas, o fotógrafo construiu um olhar bastante particular sobre a capital e seus contrastes. “Sem dúvida nenhuma, São Paulo é a metrópole latino-americana que mais se aproxima de Nova York, se dividindo em dois estilos arquitetônicos bastante distintos: se por um lado temos casas e mansões construídas desde o século XIX, do outro, encontramos edifícios monumentais no estilo concretista do pós-guerra”, pontua o Rauzier, chamando atenção para a intensa verticalização que os bairros têm experimentado nos últimos anos.

O fotógrafo recompôs também a Passagem Literária, espaço subterrâneo sob a rua da Consolação que reúne sebos de livros, exposições e, eventualmente, recebe apresentações musicais. O caráter underground do local impressionou o artista, que decidiu retratá-lo em diversos cliques. Os livros e cartazes, representados em perspectivas distintas, formam um grande mosaico colorido.
Grande marca de São Paulo, a arte urbana também chamou a atenção do francês, para quem o grafite é o principal termômetro de uma democracia e da relação da juventude com a própria cidade. A seu ver, a maneira como se expressam sobre os muros diz muito sobre seus sonhos.

A mostra traz ainda um conjunto de hipervídeos que, em formato audiovisual, reproduzem o mesmo efeito das fotografias. Inúmeros fragmentos do cotidiano de São Paulo são combinados e multiplicados, revelando ao expectador a vitalidade daquela que é tida como a mais influente cidade da América Latina. Em um dos vídeos, por exemplo, o artista imortaliza os grafites da Avenida 23 de Maio, apagados em 2017 pela Prefeitura e recentemente substituídos por jardins verticais.  

Na exposição que chega ao CCSP, o fotógrafo faz ainda uma grande homenagem aos brasileiros. Na série Caminhada Brasileira, Rauzier apresenta os vários personagens anônimos que encontrou ao longo de suas andanças pelas quatro capitais do País. Em um vídeo, essas figuras são retratadas em tamanho real, permitindo aos visitantes da mostra o reconhecimento da identidade de seu povo.

Hiperfoto – Brasil encerra o projeto iniciado por Rauzier em 2015, reunindo não apenas obras inéditas que retratam São Paulo, mas também amostras do trabalho apresentado nas outras três capitais do País por onde o fotógrafo passou. A exposição, que segue em cartaz até 6 de maio, traz ao público um registro documental do Brasil do século XXI. Mais do que isso, vislumbra a construção de cidades utópicas e oníricas, onde o belo prevalece.

Sobre o fotógrafo: Nascido em Sainte-Adresse, na França, Jean-François Rauzier começou a fotografar aos 23 anos de idade. Trabalhou como pintor e escultor ao longo de três décadas. Criou em 2002 a técnica da Hiperfotografia, sob a qual já registrou detalhes de espaços como bibliotecas, castelos e igrejas de 15 cidades do mundo, entre Paris, Barcelona, Istambul, Nova York e Veneza.

O fotógrafo foi vencedor do prêmio Arcimboldo, em 2008, e o prêmio APPPF em 2009. Sua obra já foi exibida em instituições como a Fundação Annenberg de Los Angeles; o Palácio das Belas-Artes, de Lille; e MOMA de Moscou. Tem trabalhos de sua autoria em importantes coleções de arte contemporânea, entre as quais a Louis Vuitton e do Instituto Cultural B. Magrez.
Sobre o curador

Marc Pottier nasceu em Dijon, na França. Atualmente, se divide entre Paris e Rio de Janeiro. Desde 2007, é curador independente. Organizou importantes exposições, tais como Aleksander Rodchenko, no MAM-SP, Cerâmicas de Picasso, na Casa França-Brasil, no Rio de Janeiro e Luzboa – a bienal da Luz, em Lisboa.

É autor do livro Made by Brazilians (Enrico Navarra Publisher) com relatos de 230 pessoas que representam o mundo da arte contemporânea brasileira. Foi curador convidado da 3ª Bienal da Bahia, em 2014, e curador responsável pela invasão criativa Made by... Feito por Brasileiros, na Cidade Matarazzo, em São Paulo.

O curador é ainda idealizador do programa Olhar Estrangeiro, produzido e exibido pelo canal Arte 1. Recentemente, assinou curadoria do Marina Monumental, projeto que reúne obras de importantes nomes da arte contemporânea em uma grande exposição a céu aberto, realizada na Marina da Glória, no Rio de Janeiro.

Sobre o idealizador: Bertrand Dussauge é fundador da KDB PARTNERS, produtora de projetos culturais com unidades em Bruxelas, Paris e Rio de Janeiro. Empresário apaixonado pela diversidade cultural, foi responsável por, ainda nos anos 1980, convencer a galeria parisiense Louise Leiris a emprestar obras de Pablo Picasso ao MASP. A parceria resultou na primeira grande retrospectiva de gravuras do pintor espanhol no País, com a reunião de mais de 350 delas. 

Na década 1990, organizou o Prêmio Schlumberger de Arte Contemporânea junto à Escola de Artes Plásticas de Paris. Nos anos 2000, conheceu Jean-François Rauzier, parceiro que o inspirou na criação da NeoKid, associação que visa apoiar instituições que dão suporte a crianças em situação de vulnerabilidade social. 

Hiperfoto - Brasil, individual de Jean-François Rauzier
Local: Centro Cultural São Paulo
Endereço: Rua Vergueiro, 1000
Abertura: 15 de março, a partir das 18h
Período expositivo: de 16 de março a 6 de maio
Visitação: Terça a sexta, das 10h às 20h | Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h
Telefone: (11) 3397 4002 

.: Teatro: Carolina Ferraz e Otavio Martins estreiam “Que Tal Nós Dois?”

Peça mostra relacionamento de dois amantes que se encontram uma vez por ano na convenção da empresa onde trabalham

Crédito: Edson Kumasaka

A comédia romântica “Que Tal Nós Dois?”, com Carolina Ferraz e Otavio Martins, estreia no Teatro Folha dia 02 de março e será apresenta até o final de abril, de sexta-feira a domingo. A peça com direção de Isser Korik  conta uma história de amor, mas é também um recorte na vida de duas personagens que provocam uma reflexão sobre seus sentimentos a partir de um inesperado encontro.

O texto foi escrito numa parceria entre os autores Juliana Araripe e Otávio Martins. Um homem e uma mulher, ambos casados e com família,  funcionários de uma grande empresa, se conhecem numa convenção. Embalados pelo clima de confraternização, e depois de beberem alguns drinks, acabam passando a noite juntos. No dia seguinte acordam juntos em quarto de hotel e, sem nenhuma intimidade, decidem não mais repetir o encontro amoroso. Mas como ninguém manda no coração, no ano seguinte, novamente na convenção da empresa, eles se reencontram e passam a noite juntos, estabelecendo um relacionamento.

A peça se desenvolve ano após ano, sempre mostrando os reencontros nas convenções da empresa e as mudanças na vida de cada um, o que reflete no relacionamento deles. O ator e autor Otavio Martins conta que o texto mostra a evolução da relação, que começa com o constrangimento de duas pessoas que acordam juntas sem lembrar exatamente os detalhes da noite vivida. No segundo ano em que as personagens se encontram os conflitos pessoais são revelados. Questões relacionadas ao poder surgem no terceiro ano porque, na medida em que ela passa a assumir um cargo de liderança na empresa, abala o lado machista dele. O desfecho da história de amor acontece no quarto ano, quando algo inesperado acontece com o casal. A autora Juliana Araripe diz que a peça fala de relacionamento para chegar à condição existencial. “Os relacionamentos todos estão no eixo de nossas vidas. Às vezes esperamos pela relação ideal e as pessoas entram na nossa vida de um jeito inesperado, na contramão do que planejávamos. Então precisamos estar abertos para o que a vida nos propõe”, diz.

A atriz Carolina Ferraz conta que já tem afinidade profissional com o autor e colega de cena Otavio Martins, o que colabora muito para o jogo cênico. Eles trabalharam juntos na peça “Três Dias de Chuva” e em algumas novelas. Agora, pela primeira vez, ela encara um trabalho que é deliberadamente uma comédia, que exige precisão nas marcas de cena e ritmo. Sobre sua personagem, a atriz diz que é “uma mulher realizada na vida profissional, que se descobre mais ainda dentro da paixão”.

Otávio Martins conta que não teve relação de apego ao texto durante os ensaios da peça. Na hora de atuar, estabelece outra relação com a história, afastando-se um pouco da experiência de escrever o texto. “Tenho afinidade pessoal e artística com o diretor Isser Korik. O diretor é o primeiro espectador de uma montagem e nesta relação de trabalho ele pode ser o primeiro a sugerir cortes no texto. Confio na direção e prefiro entrar no jogo da criação”, conta.

O diretor Isser Korik é bastante familiarizado com o gênero comédia, em quase 30 anos de carreira. Atuou durante oito anos em “Vacalhau  & Binho”, dirigiu comédias escritas por autores consagrados internacionalmente, entre elas,  a trilogia “Enquanto Isso...”, de Alan Ayckbourn; “O Mala”, de Larry Shue; “Jogo Aberto”, de Jeff Gould; e mais recentemente “O Empréstimo”, de Jordi Galceran. É com toda esta experiência que ele considera importante o jogo entre os atores no momento do ensaio. “Este elenco, em especial, se entrega aos estímulos da direção. Esta disponibilidade dos atores faz toda a diferença na cena”, aposta.

SOBRE O DIRETOR ISSER KORIK: Diretor, ator, produtor, tradutor e dramaturgo, Isser Korik coleciona trabalhos marcantes como comediante em quase 30 anos de carreira, como  “Vacalhau & Binho”, de Zé Fidélis, que permaneceu oito anos em cartaz; “O Dia que Raptaram o Papa”, de João Bethencourt; e, recentemente, “E  o Vento não Levou”, de Ron Hutchinson, e “Toda Donzela Tem um Pai que é uma Fera”, de Gláucio Gill. Como diretor se destaca na comédia.

Concebeu “Nunca se Sábado...”, apresentado por quatro temporadas sob sua direção-geral, que marcou a cena paulistana.
Dirigiu o sucesso “A Minha Primeira Vez”, de Ken Davenport; a trilogia cômica de Alan Ayckbourn “Enquanto Isso...”; “O Mala”, de Larry Shue; o projeto “Te Amo, São Paulo”, que reuniu grandes nomes da dramaturgia paulista; além dos infantis “A Pequena Sereia”, de Fábio Brandi Torres; “Grandes Pequeninos”, de Jair Oliveira; “Cinderela”, “O Grande Inimigo” e “Ele é Fogo!”, de sua autoria, tendo recebido por esse último o Prêmio APCA. Recentemente dirigiu os sucessos “Jogo Aberto”, de Jeff Gould; e “O Empréstimo”, de Jordi Galceran.

É diretor artístico da produtora Conteúdo Teatral e do Teatro Folha.

SOBRE A ATRIZ CAROLINA FERRAZ: Estreou como atriz na novela “Pantanal”, da TV Manchete, e não parou mais. Nos primeiros anos de carreira atuou em “Escrava Anastácia”, “A História de Ana Raio e Zé Trovão” e “Floradas na Serra”. Na TV Globo, foi apresentadora do Fantástico e depois atuou nas novelas, “O Mapa da Mina”, “Pátria Minha”, “Tropicaliente”, “História de Amor”, “Por Amor”,  “Beleza Pura”, “Avenida Brasil”, entre outros trabalhos marcantes para o público.

No cinema fez “Alma Corsária”, de  Carlos Reichenbach; “Mater Dei”, de  Vinicius Mainardi; “Amores Possíveis”, de  Sandra Werneck; ”Crô – O Filme”, de Bruno Barreto; “A Glória e a Graça” e ”O Passageiro – Segredos de Adulto”, ambos de Flávio Ramos Tambellini.

Atuou nas peças “Honra”, com direção de Celso Nunes;  “Selvagem como o Vento”, de Denise Stoklos;  “O Rim”, dirigida por Elias Andreato;  “Amores, Perdas e meus Vestidos”, com direção de Alexandre Reinecke; e “Três Dias de Chuva”, montagem dirigida por Jô Soares.

A atriz apresentou no canal GNT cinco temporadas de seu programa “Receitas da Carolina”, um sucesso entre o público interessado em gastronomia. Também lançou o livro “Na Cozinha com Carolina” e se prepara para lançar brevemente “Na Cozinha com Carolina 2”.

SOBRE O AUTOR E ATOR OTAVIO MARTINS: Ator, diretor, dramaturgo e roteirista. É o vilão da próxima novela do SBT, “As Aventuras de Poliana”, que estreia em abril. O ator também se prepara para a estreia da polêmica série “Toda Forma de Amor”, sobre diversidade sexual, dirigida por Bruno Barreto.

Em 2018, dois roteiros pra cinema  que ele assina junto com a parceira Juliana Araripe entram em fase de produção: “Quem Casa Quer Casa”  e “Chance”. Em “Quem Casa Quer Casa”, também fará sua estreia como diretor em cinema, ao lado da Joana Mariani. O ator também se prepara para a estreia, em março, do filme “Nada a Perder”, em que faz um vilão na cinebiografia de Edir Macedo. 

Os sucessos de Otávio no teatro são as comédias “Divórcio”, com a Suzy Rego e a Natallia Rodrigues; “Caros Ouvintes”, com a qual recebeu o Prêmio Arte Qualidade Brasil de melhor autor e melhor diretor; e o drama “Três Dias de Chuva”, com direção de Jô Soares. Seu extenso currículo no teatro exercendo as funções de ator, diretor e dramaturgo reúnem mais de 30 peças.

Começou na televisão fazendo a série Mothern no GNT. Passou pela Globo em novelas, como, “Amor Eterno Amor”, “Além do Horizonte” e “Tapas e Beijos”. Foi colaborador do Walcyr Carrasco escrevendo pra novela “Eta Mundo Bom”.  Dirigiu o programa #partiushopping, no Multishow, com Tom Cavalcante, Daniele Winits e Nany People. Também atuou como o policial durão na série PSI, na HBO. 

FICHA TÉCNICA 
Dramaturgia - Otavio Martins e Juliana Araripe
Elenco - Carolina Ferraz e Otavio Martins
Participação especial em áudio - André Gonçalves, Danielle Winits e Regina Duarte
Cenografia  - Paula de Paoli
Cenotécnico - Wagner José de Almeida
Figurinos  - Carolina Ferraz
Trilha sonora composta - Ricardo Severo
Assessoria de Imprensa - Claudio Marinho
Criação Gráfica - Winnie Affonso
Fotografia  de cartaz - Gustavo Arraes
Fotografia de cena - Edson Kumasaka
Equipe Técnica - Jardim Cabine
Coordenação de Produção - Isabel Gomez
Assistente de Produção - Pedro Pó
Administração - Isabel Gomez  e Pedro Pó
Iluminação e Direção  - Isser Korik                  
Realização - Conteúdo Teatral e  RDP Cultural

SERVIÇO: QUE TAL NÓS DOIS?
Estreia: 02 de março de 2018
Até: 29 de abril de 2018
Apresentações: sexta-feira, 21h30; sábado, 20h e 22h; e domingo, 20h
Ingresso: R$40,00 (setor 2) e R$60,00 (setor 1) às sextas-feiras e domingos; R$50,00 (setor 2) e R$70,00 (setor 1) aos sábados

*Valores referentes aos ingressos inteiros inteiros. Meia-entrada disponível em todas as sessões de acordo com a legislação.
Duração: 80 minutos
Classificação etária: 12 anos

TEATRO FOLHA
Shopping Pátio Higienópolis - Av. Higienópolis, 618 / Terraço / tel.: (11) 3823-2323 - Televendas: (11) / 3823 2423 / 3823 2737 / 3823 2323. Vendas on line no  site: www.teatrofolha.com.br

Vendas por telefone e internet/ Capacidade: 305 lugares / Não aceita cheques / Aceita os cartões de crédito: todos da Mastercard, Redecard, Visa, Visa Electron e Amex / Estudantes e pessoas com 60 anos ou mais têm os descontos legais / Clube Folha 50% desconto / 50% de desconto para funcionários e clientes do Cartão Renner. Horário de funcionamento da bilheteria: quarta e quinta, das 15h às 21h; sexta, das 15h às 21h30; sábado, das 12h às 22h; e domingo, das 12h às 20h / Acesso para cadeirantes / Ar-condicionado / Estacionamento do Shopping: R$ 14,00 (primeiras duas horas) / Venda de espetáculos para grupos e escolas: (11) 3104-4885, (11) 3101-8589, (11) 97628-4993 / Patrocínio do Teatro Folha: Folha de S.Paulo, CSN, LG, Privalia, Nova Chevrolet, Wickbold, Owens, Teleperformance e  Grupo Pro Security.

SOBRE A CONTEÚDO TEATRAL: O grupo empresarial paulista Conteúdo Teatral atua há mais de quinze anos em duas vertentes: gestão de salas de espaços e produção de espetáculos. Como gestora é responsável pela operação do Teatro Folha, no Shopping Pátio Higienópolis, com direção artística de Isser Korik e direção comercial de Léo Steinbruch, programando espetáculos para temporada em regime de coprodução. No período de atuação a empresa soma mais de 2 milhões de espectadores.

Como produtora de espetáculos, viabilizou dezenas de peças, como “Gata Borralheira”, “O Grande Inimigo”, “Os Saltimbancos”, “A Pequena Sereia”, “Grandes Pequeninos”,  “Branca de Neve e os Sete Anões”, “A Cigarra e a Formiga”, “Cinderela” e “Chapeuzinho Vermelho” para as crianças. Para os adultos foram realizadas, entre outras montagens, “A Minha Primeira Vez”, “Os Sete Gatinhos”, “O Estrangeiro”, “Senhoras e Senhores”, “O Dia que Raptaram o Papa”, “E o Vento Não Levou”, “Equus” a trilogia “Enquanto Isso...”, além de projetos de humor – como “Nunca Se Sábado...” e “IMPROVISORAMA” – Festival Nacional de Improvisação Teatral. Em parceria com Moeller e Botelho produziu os Musicais “Um Violinista no Telhado”, “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos”, “Nine – Um Musical Felliniano” e “Beatles num Céu de Diamantes”.

Postagens mais antigas → Página inicial
Tecnologia do Blogger.