Faça a dobra do tempo com Rocky Horror Show

Resenha crítica de Mary Ellen F. Santos

Resenha crítica de "O Chamado 3", a volta de Samara Morgan

Texto de Mary Ellen Farias dos Santos

MPB-4 comemora 50 anos com um álbum de inéditas

Análise do jornalista Luiz Gomes Otero

Resenha crítica do sensível "Estrelas além do tempo"

Resenha de Mary Ellen Farias dos Santos

sábado, 25 de fevereiro de 2017

.: Ruy Faria completa 50 anos de carreira cantando como nunca

Por Luiz Gomes Otero*, em fevereiro de 2017.

Completando 50 anos de carreira, o cantor e produtor musical Ruy Faria, fundador e ex-integrante do lendário grupo vocal MPB-4, resolveu lançar um disco com canções que ele sentia prazer em interpretar. E o resultado foi o CD "Ruy Faria 50 Anos", lançado pela PlayRec Music com participações especiais do pianista Edu Toledo e da violinista Lara Salustiano, que pode ser baixado no ITunes, Google Play Music, Spotify, entre outros. O disco, como era de se esperar, tem uma produção caprichada e ficou acima da média para quem curte a boa música. Confira abaixo a entrevista que Ruy concedeu ao Resenhando.com:

RESENHANDO - Como foi o processo de escolha do repertório desse disco?
RUY FARIA - Coisa de momento. Achei que este repertório, que me dá grande prazer em interpretar, precisava de um espaço. Assim como eu. Trocando em Miúdos, composição de Chico Buarque e Francis Hime, era uma que eu desejava gravar há algum tempo.


RESENHANDO - Nas faixas desse novo trabalho, encontramos canções latinas, como La Puerta e Abrázame Así. Como se deu a influência dessas canções em sua formação?
R.F. - No começo da minha aproximação com a música, os boleros eram muito populares. E me atraíram tanto que acabei criando dois “ trios de boleros”. Um deles foi o Trio Alvorada, cover do Trio Irakitan.

RESENHANDO - O que esse trabalho novo tem de diferente em relação ao seu outro disco da carreira solo, de 1990?
R.F. - Muita coisa, principalmente o tempo e as circunstâncias. Posso dizer que nesse tive uma colaboração valiosa dos músicos Edu Toledo e Lara Salustiano, ambos talentosos.

RESENHANDO - Você gravou anteriormente um disco ao vivo com Carlinhos Vergueiro. A parceria com ele continua? Vocês pretendem gravar juntos novamente?
R.F. - Há algum tempo não fazemos nada. Uma pena, pois gosto muito do trabalho que fiz com ele.

RESENHANDO - Como é que você tem feito a divulgação desse trabalho solo (shows, venda digital, etc)?
R.F. - Faço alguma coisa precariamente e aguardo coisas da Play Rec studios, que lançou alguns trabalhos meus em formato digital.


RESENHANDO - Aos 50 anos de carreira, que avaliação você faz do que foi realizado e o que pode vir a ser feito para o futuro?
R.F. - Tenho muito orgulho e prazer em rever tudo que fiz. Quanto ao futuro, poucas perspectivas.

RESENHANDO - Como você avalia a situação do mercado fonográfico no País?
R.F. - Não tenho condições de opinar sobre isto. Só sei que não me agrada.

RESENHANDO - Quais os novos artistas que você aprecia e tem ouvido na atualidade?
R.F. - Ouço muito pouca coisa, meu caro. E não curto a grande maioria do que ouço.


"Trocando em Miúdos"

*Luiz Gomes Otero é jornalista formado em 1987 pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Trabalhou no jornal A Tribuna de 1996 a 2011 e atualmente é assessor de imprensa e colaborador dos sites Juicy Santos, Lérias e Lixos e Resenhando.com. Criou a página "Musicalidades", que agrega os textos escritos por ele.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

.: Ruth Rocha: 50 anos de carreira e mais um aniversário

Crédito: Vânia Toledo

No próximo dia 02, a autora de "Marcelo, Marmelo, Martelo" e outros clássicos da literatura infantil, assopra as velinhas




Comemorando cinco décadas de carreira neste ano e prestes a apresentar novidades para o público infantojuvenil, Ruth Rocha assopra velinhas no próximo dia 2 de março. A escritora que já fez parte da infância de milhares de brasileiros possui a incrível capacidade de escrever sobre os mais variados assuntos. 

Suas últimas edições denotam essa habilidade: em Boi, Boiada, Boiadeiro, a autora aborda a cultura brasileira; em O menino que quase morreu afogado no lixo e Quem vai salvar a vida? Ruth discute a questão da conscientização ambiental, e na série O que é, o que é?, o pequeno leitor se diverte com charadas e adivinhações.

O gosto pela literatura se deu por meio de seu avô Ioiô, que contava histórias populares brasileiras, especialmente, as obras de Monteiro Lobato. Ainda menina, ao deparar-se com tantas estantes, questionou-se como seria capaz de ler todos os livros que estavam lá. Ruth cresceu, formou-se em sociologia e trabalhou como orientadora pedagógica.

Seu primeiro trabalho como escritora foi para a Revista Cláudia, quando escreveu um artigo sobre educação. Logo depois, Ruth criou o conto Romeu e Julieta, publicado pela revista Recreio em 1969, que foi o pontapé para iniciar sua carreira na literatura infantil. Seu livro mais conhecido é Marcelo, Marmelo, Martelo, que já vendeu mais de 10 milhões de exemplares. No seu variado catálogo, destaque para O Reizinho Mandão; Bom dia, todas as cores!, Declaração Universal dos Direitos Humanos (com Otavio Roth) e Este Admirável Mundo Louco, consagrados como clássicos da literatura infantil brasileira.

Desde 2009, a Editora Salamandra detém exclusividade sobre a obra literária da autora. A casa editorial é responsável pela Biblioteca Ruth Rocha, projeto que revisa todos os seus livros e oferece a muitos deles uma nova roupagem e ilustrações inéditas. Suas obras estão divididas nas séries: As Coisas que Eu gosto, Os Medos que Eu Tenho, As Dificuldades que Eu Tenho, Conta de Novo, Vou te Contar!, Quem Tem Medo?, Marcelo, Marmelo, Martelo, Pulo do Gato, As Aventuras do Alvinho, Toda Criança do Mundo, A Turma da Nossa Rua, Constelação, Conte um Conto, Ruth Rocha Apresenta, Meninos, Eu Vi!, Palavras, Muitas Palavras, O que é, o que é, O Reizinho Mandão, De repente Dá Certo e Ruth Rocha Conta.

Sobre a Salamandra: Com um catálogo formado por obras de autores brasileiros e estrangeiros e que contempla desde bebês até jovens leitores, o principal foco da Salamandra é a valorização do livro como veículo de expressão de ideias, sentimentos e emoções. O selo publica obras que dialogam com o leitor, divertindo e provocando a reflexão sobre questões pessoais e do mundo, por meio de uma linha editorial ampla e diversificada para atender todos os tipos de gosto: livros de pano e livros-brinquedo; livros tipo álbum para leitores iniciantes; e, para leitores mais maduros, aventuras, histórias com temas do cotidiano e quadrinhos. Tudo para fazer da leitura uma atividade prazerosa e significativa. Desde 2009, a Salamandra detém exclusividade sobre toda obra literária de Ruth Rocha, uma das escritoras mais talentosas e queridas do Brasil, em uma iniciativa inédita no mercado de livros para crianças e jovens.

.: PC Siqueira, sem papas na língua, fala de vaidade masculina

Usando a calvície como gancho, PC Siqueira, primeiro youtuber brasileiro e influência no mundo de vlogs, fala sobre a fragilidade do ego masculino em novo vídeo. 

O youtuber conta sobre os produtos que usou para crescer cabelo e a dificuldade de falar desse assunto sem vincular com masculinidade. PC lembra do preconceito contra a vaidade do homem e dispara: “Estou numa crise de identidade visual”.

O canal Mas Poxa Vida tem mais de 2 milhões de inscritos.

Serviço:
Canal MasPoxaVida
Weekly Vlog – aos domingos
Playlist PC no PC – todas às quintas-feiras, às 21 horas
Para se inscrever no canal: http://www.youtube.com/user/maspoxavida

Sobre PC Siqueira: É um dos Youtubers mais influentes do Brasil. Com mais de 2 milhões de inscritos e mais de 215 milhões de visualizações o “MasPoxaVida”, canal idealizado por ele, está no ar há mais de sete anos. PC também apresenta a playlist “PC no PC”, uma releitura do programa que apresentava na MTV - “PC na TV”, na Snack – rede multiplataforma brasileira. Ele criou um canal culinário ao lado de Otávio Albuquerque, o “Rolê Gourmet”. Atualmente, comanda o programa de humor 'Caravana no Ar', transmitido pelo canal TBS, ao lado de Juliano Enrico. E apresenta o ‘Papo Torto’ no Estadão ao lado de Gus Lanzetta, que é jornalista, comediante e roteirista.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

.: Mais uma história sobre as ostras curiosas

Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em fevereiro de 2017


Lá estava ele. Pança milimetricamente redonda e aquele bigodão branco manchado. Mostrou o espaço para duas jovens mulheres, uma segurava um bebê no colo, enquanto que a outra prestava total atenção no que ele dizia.

Tudo era verdadeiro? Claramente, não! Pelo vidro pude fazer a leitura labial das mentiras que ousava proferir ali. Contudo, o pensamento, por mais impossível que fosse interpretar, esse eu já conhecia e muito bem.

"Outras ostras curiosas que vão cair no meu papinho e irão me alimentar!".


*Editora do site cultural www.resenhando.com. É jornalista, professora e roteirista. Twitter: @maryellenfsm

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

.: Comédia “O Empréstimo” estreia no Teatro Folha

Crédito: João Caldas

Produtora Conteúdo Teatral apresenta versão brasileira de “El Crédito”, do espanhol Jordi Galceran 



A comédia “O Empréstimo”, de Jordi Galceran, estreia dia 03 de março no Teatro Folha e tem no elenco os atores André Mattos e Leonardo Miggiorin, sob a direção de Isser Korik.

A peça traz situações hilárias que beiram o absurdo. Tudo acontece na sala do gerente de um banco, quando atende um homem desesperado em obter um empréstimo absolutamente necessário para seguir com a sua vida. O possível cliente não tem garantias nem propriedades. Oferece apenas a sua palavra de honra para o banco, o que coloca o gerente em uma situação delicada. O resultado deste conflito é um dinâmico e engraçado diálogo, que leva as personagens a um caminho inesperado, contagiando o espectador do início ao final do espetáculo.

O homem desconhecido usará todas suas possíveis cartadas para conseguir o empréstimo, cujas intenções nada ortodoxas levam o gerente ao desespero.
O texto “El Crédito” (O Empréstimo) é de Jordi Galceran, o mesmo autor de “O Método Grönholm”, já encenado no Brasil com o ator Lázaro Ramos. O diretor Isser Korik diz que o texto “O Empréstimo” lhe chamou a atenção pela atualidade da história. A crise econômica no Brasil como em todo o mundo tornou comum a necessidade de, em algum momento, as pessoas solicitarem empréstimos a uma instituição financeira. Mas o que na peça surpreende é o argumento que o cliente encontra para convencer o gerente a conceder os recursos.

“El Crédito” faz sucesso por onde passa e já pode ser considerada uma das peças de Galceran com maior número de montagens. O texto já foi encenado na Espanha (Madri, Barcelona, Galícia, País Basco, Valença), Hungria, Itália, Áustria, Alemanha, Grécia, Turquia, Bulgária, Estônia, Suíça, Polônia, Romênia, Finlândia, Peru, Chile, Costa Rica, Venezuela, Colômbia, Porto Rico, Argentina, Uruguai, México e Estados Unidos. O texto publicado pela Ediciones Antígona Isser Korik conta que a encenação dá total foco aos atores e ao texto. “Temos um texto muito bem escrito e excelentes atores. Não há necessidade de muitos recursos de cenário ou qualquer efeito visual. O mais importante é desenvolver o jogo na atuação de André Mattos e Leonardo Miggiorin. Eles são atores de gerações diferentes e cada um carrega influências diversas. Cada um tem seu estilo e por isso decidi trabalhar com este contraste, inclusive energético”, explica.

O ator André Mattos conta que se interessou pelo projeto imediatamente após a leitura do texto. “Gosto porque é comédia bastante contemporânea. O texto mostra o conflito entre o indivíduo e a instituição financeira. Antigamente a palavra era valorizada. Hoje a palavra não vale nada. Minha personagem não é o banqueiro, é um homem que tem o poder de tomar decisões. Mas ele está amarrado a uma série de regulamentos que determinam e limitam o seu poder”, comenta o ator que atualmente mora em Los Angeles e voltou ao Brasil especialmente para fazer “O Empréstimo”; gravar “Belaventura”, próxima novela da TV Record; e divulgar quatro longas-metragens: “O Nome da Morte”, de Henrique Goldman; “Divórcio 190”, de Pedro Amorim; “Aconteceu na Quarta-feira”, de Domingos Oliveira; e “Ninguém Entra, Ninguém Sai”, de Hsu Chien.

Leonardo Miggiorin, que vive o cliente do banco, diz que encontra no texto todos os ingredientes para fazer uma comédia ágil e muito inteligente. “O início do texto apresenta uma situação engraçada. Depois a peça vai mostrando aspectos das personagens, como, as diferenças sociais e o sentimento de impotência do indivíduo diante da força institucional. Todas as informações vão entrando na peça para valorizar ainda mais o efeito cômico”, diz.

SOBRE O ELENCO: ANDRÉ MATTOS - ator contratado da Rede Record de Televisão desde 2005, depois de uma passagem de 12 anos pela Rede Globo. Atua profissionalmente em teatro, televisão e cinema desde 1984. Recentemente participou da série “Narcos”, da Netflix, com direção de José Padilha.

Em 2011 recebeu o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro como ator em papel coadjuvante pelo filme “Tropa de Elite 2”, de José Padilha. 

O ator participou de 18 filmes, 53 espetáculos teatrais e mais de 17 novelas e séries. Cursou em North Yorkshire, na Inglaterra, a ARTTS International - Advanced Residential Theatre  and  Television  Skilcentre, nas áreas de televisão, cinema, teatro e vídeo.

Já recebeu o Troféu Super Cap de Ouro, concedido aos que mais se destacaram em diversos setores e atividades. Recebeu vários prêmios, entre eles, o de melhor ator em papel coadjuvante no II Festival Brasil de Cinema Internacional em 2004, vencedor do Prêmio Cinema Qualidade Brasil de 2003 na categoria melhor ator coadjuvante. Também ganhou o Prêmio Qualidade Brasil de 2001 na Categoria Revelação de Humor em Televisão.

LEONARDO MIGGIORIN -  além de ator de TV, teatro e cinema, é cantor e psicólogo. Atualmente está no elenco da novela “A Terra Prometida”, da TV Record.

Seu rosto ficou conhecido do público ao atuar na minissérie “Presença de Anita”, em 2001, como Zezinho, um adolescente tímido e apaixonado pela protagonista. A partir daí, viveu diversos papeis nos palcos, em filmes, novelas e séries.

Na TV Globo fez também “Mulheres Apaixonadas”, “Senhora do Destino”, “Essas Mulheres”, “Cobras & Lagartos”, “Viver a Vida”, “Malhação”, entre outras obras.

Atuou em diversos espetáculos, entre eles, “O Tartufo”, “Romeu e Julieta”, “Toda Nudez Será Castigada”, “Peter Pan, Todos Podemos Voar”, “Equus”, “Lampião e Lancelot”.

SOBRE O AUTOR JORDI GALCERAN: É dramaturgo, roteirista e tradutor. Vive em Barcelona, onde estudou Filosofia. Escreve em catalão como em espanhol peças de teatro, roteiros para  séries de TV e longas-metragens para o cinema.

Autor do famoso “O Método Grönholm”, já montado no  Brasil com o ator Lázaro Ramos, é ganhador de importantes prêmios de teatro como o X  Prêmio Born de Teatro, e o Prêmio Ignasi  Iglésias, do Institut del Teatre de la Diputación de  Barcelona.

Suas peças mais conhecidas são: Surf (1994), Paraules Encadenades (1995), Dakota (1995), Paradís (2000), Gaudí (2002), El Mètode Grönholm (2004), Carnaval (2005), Cancún (2007), Burundanga (2010) e El Credito (2013).

SOBRE O DIRETOR ISSER KORIK: Diretor, ator, produtor, tradutor e dramaturgo, Isser Korik coleciona trabalhos marcantes como comediante em mais de 30 anos de carreira, como  “Vacalhau & Binho”, de Zé Fidélis, que permaneceu oito anos em cartaz; “O Dia que Raptaram o Papa”, de João Bethencourt; e, recentemente, “E  o Vento não Levou”, de Ron Hutchinson, e “Toda Donzela Tem um Pai que é uma Fera”, de Gláucio Gill.
Como diretor se destaca na comédia. Concebeu “Nunca se Sábado...”, apresentado por quatro temporadas sob sua direção-geral, que marcou a cena paulistana.

Dirigiu recentemente o sucesso “Jogo Aberto”, de Jeff Gould; ”Nove em Ponto, de Rui Vilhena, “A Minha Primeira Vez”, de Ken Davenport; a trilogia cômica de Alan Ayckbourn “Enquanto Isso...”; “O Mala”, de Larry Shue; o projeto “Te Amo, São Paulo”, que reuniu grandes nomes da dramaturgia paulista; além dos infantis “A Pequena Sereia”, de Fábio Brandi Torres; “Grandes Pequeninos”, de Jair Oliveira; “Cinderela”, “O Grande Inimigo” e “Ele é Fogo!”, de sua autoria, tendo recebido por esse último o Prêmio APCA. É diretor artístico da produtora Conteúdo Teatral e do Teatro Folha.

FICHA TÉCNICA
Texto - Jordi Galceran
Tradução e direção- Isser Korik
Elenco - André Mattos e Leonardo Miggiorin
Cenografia e figurinos - Paula de Paoli
Cenotécnico - Wagner José de Almeida
Serralheria - Kalango
Trilha sonora composta - Jair Oliveira    
Criação gráfica - Lab 212
Fotografia - João Caldas
Equipe técnica - Jardim Cabine
Coordenação de produção  - Isabel Gomez

Assistente de produção - Pedro Pó                                                                 
Administração - Isabel Gomez  e Pedro Pó                
Assistentes de direção - Ian Soffredini e Mariana São João
Iluminação -  Isser Korik
Realização - Conteúdo Teatral


SERVIÇO: O EMPRÉSTIMO
Local: Teatro Folha
Estreia: 03 de março de 2017
Temporada até: 28 de maio de 2017
Apresentações: sexta-feira, às 21h30; sábado, às 20h e 22h; domingo, às 20h.
Ingresso: R$40,00 (setor 2) e R$60,00 (setor 1)

Duração: 80 minutos
Classificação etária: 14 anos 

TEATRO FOLHA
Shopping Pátio Higienópolis - Av. Higienópolis, 618 / Terraço / tel.: (11) 3823-2323 - Televendas: (11) / 3823 2423 / 3823 2737 / 3823 2323 Site: www.teatrofolha.com.br

Vendas por telefone e internet/ Capacidade: 305 lugares / Não aceita cheques / Aceita os cartões de crédito: todos da Mastercard, Redecard, Visa, Visa Electron e Amex / Estudantes e pessoas com 60 anos ou mais têm os descontos legais / Clube Folha 50% desconto / 50% de desconto para funcionários e clientes do Cartão Renner. Horário de funcionamento da bilheteria: de terça a quinta, das 15h às 21h; sexta, das 15h às 00h; sábado, das 12h às 00h; e domingo, das 12h às 19h / Acesso para cadeirantes / Ar-condicionado / Estacionamento do Shopping: R$ 14,00 (primeiras duas horas) / Venda de espetáculos para grupos e escolas: (11) 3113-3215 / 97628-4993 / Patrocínio do Teatro Folha: Folha de S.Paulo, CSN, LG, Privalia, Nova Chevrolet, Wickbold, Owens, Teleperformance e  Grupo Pro Security.

SOBRE A CONTEÚDO TEATRAL: O grupo empresarial paulista Conteúdo Teatral atua há mais de quinze anos em duas vertentes: gestão de salas de espaços e produção de espetáculos. Como gestora é responsável pela operação do Teatro Folha, no Shopping Pátio Higienópolis, com direção artística de Isser Korik e direção comercial de Léo Steinbruch, programando espetáculos para temporada em regime de coprodução. No período de atuação a empresa soma mais de 2 milhões de espectadores.

Como produtora de espetáculos, viabilizou dezenas de peças, como “Gata Borralheira”, “O Grande Inimigo”, “Os Saltimbancos”, “A Pequena Sereia”, “Grandes Pequeninos”,  “Branca de Neve e os Sete Anões”, “A Cigarra e a Formiga”, “Cinderela” e “Chapeuzinho Vermelho” para as crianças. Para os adultos foram realizadas, entre outras montagens, “A Minha Primeira Vez”, “Os Sete Gatinhos”, “O Estrangeiro”, “Senhoras e Senhores”, “O Dia que Raptaram o Papa”, “E o Vento Não Levou”, “Equus” a trilogia “Enquanto Isso...”, além de projetos de humor – como “Nunca Se Sábado...” e “IMPROVISORAMA” – Festival Nacional de Improvisação Teatral. Em parceria com Moeller e Botelho produziu os Musicais “Um Violinista no Telhado”, “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos”, “Nine – Um Musical Felliniano” e “Beatles num Céu de Diamantes”.

.: “Diários do vampiro” celebra os 10 anos da Galera

Edição comemorativa de “Diários do vampiro” celebra os 10 anos da Galera. Para marcar a década de existência, em 2017, editora vai lançar 10 de seus maiores clássicos com nova capa e projeto gráfico


Em 2017, a Galera Record celebra 10 anos de existência. Desde 2007, é a editora que atende aos leitores jovens e ávidos por novidades, e tem sido responsável pela publicação de séries e autores muito queridos e ansiados por este público. Para celebrar o aniversário, foram escolhidos 10 entre os maiores clássicos da editora para ganhar um tratamento especial: edições comemorativas com capa dura, além de design de capa e miolo totalmente renovados.

A nova edição de “Fallen” abriu os trabalhos em dezembro, quando foi lançado o filme inspirado na obra de Lauren Kate. Agora, em fevereiro, chega às livrarias o título de estreia da série “Diários do vampiro”, de L. J. Smith. Referência no universo pop juvenil, a trama acompanha um triângulo amoroso formado por dois irmãos vampiros e a mulher que eles disputam. E, com o sucesso, ganhou várias ramificações. Além de uma série de TV homônima, “Diários do vampiro” deu origem a subséries, tanto na literatura quando na televisão.

Em “O despertar”, somos apresentados a Stefan, um vampiro soturno e misterioso; e ao sexy e perigoso Damon, que é movido pelo ódio ao irmão. Em comum os dois têm o desejo por Elena, uma garota destemida que pode conquistar o que quiser, mas é assombrada por horrores do passado. Na TV, é grande a expectativa pelos episódios finais de “The vampire diaries”: a série protagonizada por Paul Wesley, Ian Somerhalder e Nina Dobrev chega ao fim em março, após 8 temporadas.

Um dos carros-chefes da Galera, “Diários do vampiro” já vendeu mais de 1,5 milhão de exemplares no Brasil. A saga deu origem ao spin-off “The originals”, que já teve dois livros publicados pela Galera, e cuja versão televisiva segue no ar.

Autor: L. J. Smith nasceu na Flórida em 1965 e atualmente vive em Point Reys, na Califórnia. Escreveu diversos best-sellers para jovens e adultos, incluindo “Mundo das sombras”, “Círculo secreto” e “Diários do Vampiro”, seu maior sucesso. Mais informações no site da autora: ljanesmith.net.

DIÁRIOS DO VAMPIRO – O DESPERTAR
(The vampire diaries – The awakening)
L. J. SMITH
Páginas: 192
Preço: R$ 42,90
Tradução: Ryta Vinagre
Editora: Galera | Grupo Editorial Record

.: Ronnie Von apresenta “Todo Seu” especial perucas

Foto: Divulgação


Nesta terça-feira (21), às 22h30, o “Todo Seu” fará um programa especial sobre perucas, convocando seus telespectadores a conhecer um pouco mais da sua origem e importância.

Ronnie Von abrirá o programa desta terça usando uma divertidíssima peruca que imita seu cabelo de quando tinha apenas vinte anos. O momento de recordação também contará com o apresentador cantando o seu sucesso dos tempos da Jovem Guarda, “Meu Bem” (1966), junto com Caçulinha.

O programa também terá a presença do especialista em perucas Luiz Crispim que contará um pouco da história desse item e de seus diversos tipos.

Ainda no programa, Ronnie recebe o chef de cozinha Thiago Cerqueira, o psicólogo Alessandro Viana e a jornalista Neide Oliveira (Gazeta FM).

O especial será exibido terça (21), às 22h30, na TV Gazeta.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

.: Jovem musicista lança campanha para montar escola de handbells


Famosos na época natalina, os sinos de mão tornam-se importantes instrumentos musicais nas mãos de certas pessoas. Basta lembrar das apresentações do falecido ator Domingos Montagner na televisão. Na Baixada Santista, há quem tenha interesse especial por eles.

Abrir uma escola de sinos de mão em Cubatão. Esse é o sonho da pianista e professora de música Bruna Marinho, 24 anos, santista de nascimento. Para alcançar o objetivo, ela criou uma campanha de contribuição online para realizar o objetivo: Para concretizá-lo, ela precisa de R$ 3 mil. Interessados podem contribuir pelo link https://www.kickante.com.br/campanhas/handbells-brasil.

Bruna é técnica em piano pelo Conservatório Ivanildo Rebouças de Cubatão e formada como professora de educação musical pela Unisantos. Em janeiro de 2016, realizou seu primeiro intercâmbio fora do país, nos Estados Unidos, ministrado pelo Dr. Shelly Moorman com o apoio da instituição de ensino Lebanon Valley College, em Annville, quando descobriu o trabalho com sinos de mão.

No mesmo ano, decidiu apresentar um projeto que ensinasse a tocar sinos de mão no Brasil e convidou sua professora estadunidense para ministrar as oficinas. Para tanto, precisava estruturar a ideia e financiá-la.

Escreveu o projeto “Handbells: Uma Experiência Internacional” e concorreu ao edital da Vara Para Pescar – Incubadora Criativa de Projetos, de Cubatão.

“A oportunidade que a incubadora oferecia era justamente o que ela precisava para colocar em prática o que já havia aprendido. E ela aproveitou muito bem essa oportunidade”, afirma Juliana Finamore, da Vara Para Pescar e que acompanhou todo o desenvolvimento da iniciativa.

Handbells
O projeto ocorreu em 25, 26 e 27 de novembro. O curso teve 44 inscrições. Os alunos, da Baixada Santista e do interior do estado, tiveram a oportunidade de estar em contato com sua professora de sinos norte-americana, Shelly Moorman, além de quatro alunos vindos daquele país e os quais ela conheceu no intercâmbio.

Os sinos foram emprestados pela Universidade Adventista de São Paulo e o coro de sinos da instituição encerrou a oficina.

“Alcançamos todos os nossos objetivos, propiciamos o intercâmbio cultural entre alunos daqui e de fora, troca de experiências e conhecimentos musicais. Pessoalmente foi ainda uma experiência muito enriquecedora como gestora”, explica Bruna.

Com o sucesso do projeto, Bruna seguiu seu sonho e retornou, no último dia 12, à Lebanon Valey College, para uma segunda fase do intercâmbio.

Até fevereiro, adquirirá ainda mais experiência musical, participando de aulas de órgão, canto e sinos de mão da universidade. Inclusive chegou a palestrar dia 14 para os colegas norte-americanos e contar como foi sua experiência no Brasil com o “Handbells”.

Em seu retorno, mês que vem, pretende criar uma escola de sinos de mãos em Cubatão. Antes, colocará no ar uma campanha de colaboração financeira (crowdfunding), que vem sendo desenvolvida sob orientação e auxílio de Vivi Távora, idealizadora e consultora de projetos da Vara Para Pescar. “Uma das funções da incubadora é colocar em prática os sonhos e iniciativas de empreendedores. E estamos trabalhando lado a lado com a Bruna para que a escola de sinos de mão saia do papel e torne-se referência”, ressalta a produtora.

Sobre a incubadora:
A Vara Para Pescar – Incubadora Criativa de Projetos, patrocinada pela Petrobras, é uma continuidade do projeto Vara Para Pescar – Escola de Produtores Culturais, também patrocinado pela Petrobras por intermédio do Programa Petrobras Integração Comunidade, que visa a sustentabilidade dos resultados conquistados naquele projeto.

Consiste em uma série de atividades que consolidarão os resultados obtidos pelos alunos da Escola de Produtores Culturais (projeto patrocinado pelo IPC), durante os dois anos de formação (maio de 2013 a abril de 2015).

Em seus dois primeiros anos de atuação, nove projetos foram incubados. Cada um deles conta com apoio da instituição e seus profissionais nas seguintes áreas: assessoria de imprensa, supervisão do projeto, consultoria especializada em gestão, uso das salas de aula da incubadora, equipamentos de audiovisual para registro das atividades, laboratório de informática e biblioteca.

Outras informações:
http://varaparapescar.com.br/
https://www.facebook.com/VaraParaPescar

.: Como transformar o Brasil em um país leitor?


A leitura tem sido uma atividade prazerosa para o brasileiro? De acordo com a 4ª edição da Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, encomendada pelo Instituto Pró-Livro ao Ibope Inteligência, ainda se lê muito pouco no país. Apenas 56% dos entrevistados, em amostra que representa a população brasileira, são considerados leitores, ou seja, leram um livro inteiro ou em partes nos últimos três meses anteriores à pesquisa. Como mudar este cenário?

Pais e professores podem ajudar a reverter esta situação! A Retratos da Leitura aponta que o hábito de leitura dos pais tem forte influência na construção do hábito dos filhos. Dos respondentes, 33%, afirmam ter sofrido influência de alguém para começar a gostar de ler, sendo que deste total, 11% mencionam a mãe ou um responsável do sexo feminino como influenciador do gosto pela leitura; 7% dizem terem sido influenciados por um professor ou uma professora; e 4% dos entrevistados alegaram ainda que o pai ou o responsável do sexo masculino foi o influenciador. 

Entre aqueles que viam seus pais lendo também temos mais leitores que informam gostar de ler, o que reforça a importância desse exemplo no ambiente familiar.  É papel dos pais e da escola ajudar as crianças e jovens a enxergar o livro não apenas como uma obrigação escolar, mas como uma oportunidade de entretenimento e diversão.

Zoara Failla, coordenadora da pesquisa, declara: “Nossos jovens estão sofrendo uma exclusão perversa. Eles não sabem se gostam de ler porque não lhes foi oferecido esse cardápio. É preciso garantir a todos, por meio de políticas públicas, o direito ao acesso a livros de literatura de qualquer segmento, incluindo o juvenil, para que possam escolher o que ler. É preciso garantir, especialmente, o direito de compreender aquilo que leem. E lhes garantir o direito de experimentar. Que lhes sejam oferecidos espaços, encontros e práticas leitoras cativantes e mediadas. Que encontrem professores e bibliotecários, valorizados, capacitados e que gostem de ler literatura e de conquistar leitores, para que esses jovens brasileiros exerçam seu direito de serem despertados pelo prazer de ler”.

.: Palestra do Oscar e Oscar ao vivo no Cine Roxy

Waldemar Lopes apresenta pela 23ª vez sua tradicional palestra dia 21 no Roxy 4. Já dia 26, ele se junta ao jornalista André Azenha e outros convidados para comentar a premiação ao vivo no Roxy 5.

Controverso, polêmico, divertido. O Oscar pode não ser a premiação mais justa do cinema. Mas com certeza é a principal. Aquela em que os holofotes do mundo se voltam para curtir desde as celebridades no tapete vermelho, até as homenagens e entregas da famosa estatueta.

E o Cine Roxy repete a iniciativa dos cinco anos anteriores. Na terça-feira, 21 de fevereiro, a partir das 20h30, no Cine Roxy 4 Pátio Iporanga, ocorre a 23ª edição da tradicional Palestra do Oscar com Waldemar Lopes. O evento é promovido pela Open House Idiomas (escola com 25 anos de atuação que passou para novo endereço, na Rua Clay Presgrave do Amaral, 15, no Gonzaga, desde janeiro), em parceria com o Cine Roxy e diversos apoiadores. A entrada é franca, mas pede-se a gentileza de um quilo de alimento não perecível em prol da ACAUSA.

Como é costume, serão sorteados vários brindes, como ingressos do Roxy, vales para restaurantes, cafeterias, chocolates, livros e DVDs, brindes da Cult Comics, entre outros.

Já no domingo, 26 de fevereiro, a partir das 21h45, aí no Cine Roxy 5, será a vez da exibição ao vivo do prêmio. Na ocasião, Waldemar se juntará ao jornalista André Azenha e convidados, todos vestidos a caráter, para comentar as premiações e sortear brindes nos intervalos da transmissão. Mais uma vez serão sorteados diversos brindes para a plateia presente. A entrada segue o mesmo sistema da palestra: gratuita, mas pede-se para quem puder, um quilo de alimento não perecível em prol da ACAUSA.  

Histórico da Palestra
“A história da origem da palestra é bem interessante”, afirma Waldemar. “Em um dos cursos de inglês que ministro na Open House Idiomas, chamado ‘Brush up’, que criei para pessoas que quisessem aperfeiçoar o idioma e conhecer mais a cultura americana, eu falava sobre o cinema em Hollywood e filmes independentes”, explica. “Nessas aulas, o Oscar começou a se tornar um tema recorrente, por ser talvez o primeiro prêmio criado para destacar os melhores de um setor e se tornar um modelo e inspiração para demais premiações. Quando se fala de qualquer outro prêmio, como o Tony, por exemplo, é comum se referirem a ele como ‘o Oscar do teatro’”, detalha o artista plástico. “A ideia de fazer a palestra surgiu na sala de aula. Decidi fazer o evento na própria sala de aula da Open House, em inglês, aberta também ao público interessado. Foi um sucesso! O vencedor daquele ano foi ‘Forrest Gump’, e Tom Hanks se tornou uma espécie de amuleto de sorte para mim”, ressalta.

Até 1997 a palestra foi realizada na Open House Idiomas. No entanto, o evento ia crescendo e o problema de espaço se tornou o primeiro obstáculo. A parceria com a Livraria Martins Fontes foi providencial. “Recebi muito apoio da Solange e Aírton, entre 1999 e 2006, onde pude realizar a palestra na sede da Praça Independência”, lembra Waldemar.

Com o fechamento daquela unidade, Waldemar recebeu um grande apoio da Associação dos Médicos de Santos (atual unidade da Associação Paulista de Medicina na cidade), onde o evento ocorreu três anos.“Um maior trabalho começou quando, atendendo a muitos pedidos, comecei a fazer uma sessão extra em português”, destaca. “Infelizmente, problemas de horário e gastos me obrigaram a fazer uma escolha, e a palestra em português prevaleceu”.

Há seis anos, o Cine Roxy criou uma programação especial de Oscar, com pré-estreias de filmes indicados e a exibição ao vivo da premiação, e convidou Waldemar para realizar a palestra no cinema. Ele aceitou prontamente. “Nada melhor que uma Palestra do Oscar acontecer numa sala de cinema, especialmente no Cine Roxy, que tem tanta tradição”, afirma.

Serviço:
Palestra: Oscar 2017, por Waldemar Lopes
Onde: Roxy 4 do Pátio Iporanga, Av. Ana Costa, 465, Gonzaga. 
Quando: terça-feira, 21 de fevereiro, 20h30
Entrada: Um quilo de alimento não perecível, em prol da ACAUSA

Exibição ao vivo do Oscar 2017 com comentários de Waldemar Lopes, André Azenha e convidados 
Onde: Roxy 5 – Av. Ana Costa, 443, Gonzaga
Quando: domingo, 26 de fevereiro, 21h45
Entrada: um quilo de alimento não perecível, em prol da ACAUSA

www.cineroxy.com.br
www.facebook.com/cineroxyoficial
www.instagram.com/cineroxy
www.twitter.com/cineroxy

Postagens mais antigas → Página inicial
Tecnologia do Blogger.