sábado, 22 de julho de 2017

.: Autobiografia Autorizada: Vivo EnCena traz Paulo Betti a São Paulo

Vivo EnCena traz Paulo Betti a São Paulo com o solo Autobiografia Autorizada. Carregado de humor e emoção, o texto foi escrito pelo ator, para comemorar 40 anos de carreira, e dirigido por ele em parceria com Rafael Ponzi


Depois de passar por várias cidades do Brasil, o ator Paulo Betti estreia o monólogo Autobiografia Autorizada, no dia 11 de agosto (sexta-feira, às 21h30), no Teatro Vivo, em São Paulo. O espetáculo, dirigido pelo próprio ator em parceria com Rafael Ponzi, comemora os 40 anos de carreira de Paulo, que também assina o texto.

A montagem está em turnê pelo Brasil por meio do projeto Vivo EnCena. No palco, Betti interpreta, com muito humor, histórias que viveu e ouviu na infância e adolescência. São passagens que ficaram registradas em sua memória e em anotações que fazia sobre tudo que acontecia à sua volta, em busca de compreender a própria vida. Os textos eram anotados em grandes blocos onde também fazia colagens de fatos da época. Este “livro” de memórias compõe a cena do espetáculo.

A história de Paulo Betti (64 anos) começou no mundo rural onde o avô, um imigrante italiano, trabalhava como meeiro para um fazendeiro negro, em Sorocaba, SP. “Eu via a fazenda da perspectiva da senzala”, relembra. Sua mãe, uma camponesa analfabeta, ao se mudar para a cidade, trabalhou como empregada doméstica, para criar os 15 filhos (Paulo é o décimo quinto, temporão, com 10 anos de diferença de do irmão mais novo). Seu pai era esquizofrênico. Apesar disso, Paulo estudou em boas escolas, cursou um Ginásio Industrial em tempo integral, se formou pela Escola de Arte Dramática da USP e foi professor na Unicamp.

O testemunho do ator, autor e diretor, que interpreta pai, mãe, avó e muitos outros personagens da própria vida, brinda o público com uma peça emocionante. Com bom humor, poesia e dor, Paulo mergulha na vida dessas personagens de sua história e emerge com uma peça edificante que reafirma a importância do ensino publico e do trabalho social para a valorização do ser humano.

Segundo Paulo Betti, lendo as anotações que fez no decorrer de quase uma vida inteira, chegou à conclusão que, todo o tempo, preparava-se para revelar as extraordinárias condições que o levaram a sobreviver e a contar como isso aconteceu. “Minha fixação pela memória da infância e adolescência, passada num ambiente inóspito e ao mesmo tempo poético, talvez mereça ser compartilhada no intuito de provocar emoção, riso, entretenimento e entendimento”, comenta o artista.

Entre as lembranças vividas em Autobiografia Autorizada, estão os momentos em que ouvia radionovelas enquanto ajudava a mãe na tarefa de passar roupas (ela também desempenhava esta função para completar o orçamento). “Lembro-me bem de Adoniran Barbosa na pele de Charutinho em Histórias das Malocas”, relembra o ator. A história do irmão cavaleiro que dormiu montado no cavalo, a memória da carrocinha que recolhia cachorros de rua, os momentos como funcionário do Hospital Votorantim e a descrição do cardápio do bandejão do Centro Residencial da USP, também estão entre as histórias do espetáculo. E não poderiam ficar de fora fatos curiosos dos bastidores da televisão e do cinema, além da revelação sobre o beijo na TV: afinal, ele é técnico ou real?

A encenação é calcada na interpretação e na força do texto. Além da iluminação e do figurino, belas projeções de vídeo integram a ambientação cênica. O ator também manipula alguns objetos como a faca pontiaguda que sua avó usava para matar o porco e o pião que fazia girar quando criança.

Paulo Betti busca inserir o espectador na história, antes mesmo de entrar em cena. Ainda no saguão, o ator se aproxima do público que, ao entrar no teatro, é envolvido pela trilha sonora com músicas dos anos 60 e 70. Assim, inicia-se a cumplicidade entre o artista e sua plateia. Autobiografia Autorizada é um amalgama do Brasil profundo, inspirada pela inusitada historia de superação de Paulo, que percorre o trajeto riquíssimo da roça à cidade, contando um pouco da historia da Imigração Italiana no Brasil.

Paralelamente ao espetáculo, Paulo produziu e dirigiu um novo longa-metragem que será lançado em breve. Trata-se de A Fera na Selva, baseado na obra do escritor norte-americano Henry James, no qual também atua ao lado de Eliane Giardini. O filme é uma adaptação para o cinema do espetáculo que ele encenou com a atriz e ex-mulher, em 1992, que lhe rendeu o Prêmio Shell de Melhor Ator. As filmagens foram realizadas em Sorocaba, sua cidade natal onde conheceu Eliane.

Autobiografia Autorizada estreou em março de 2015, no Centro Cultural Correios, no Rio de Janeiro. Recebeu unanimidade de criticas positivas e foi indicada ao Prêmio Shell de Melhor Texto. Dede então, o espetáculo já passou pelas cidades paulistas de Sorocaba, São Carlos, Jundiaí, Araraquara, Piracicaba e Paulínia; Fortaleza/CE, Uberlândia/MG; Brasília/DF; Luanda (África); Niterói, Teresópolis, Barra Mansa e Duque de Caxias (RJ); no sul, em Santa Maria, Passo Fundo, Florianópolis e Porto Alegre; Manaus/AM; Belém/PA; Goiânia/GO; Salvador/BA; e João Pessoa/PA. Também realizou temporadas na Sala Chiquinho Brandão (Casa da Gávea) e no Teatro Glauce Rocha, no Rio de Janeiro.

Vivo EnCena - Autobiografia Autorizada é apresentado pelo projeto Vivo EnCena, uma iniciativa da Vivo que promove a democratização do aceso à cultura. A operadora é a única empresa privada a manter ininterruptamente o apoio ao teatro brasileiro. Ao longo de 13 anos de existência, o Vivo EnCena beneficiou mais de 1 milhão de espectadores em mais de 3 mil sessões de teatro em diferentes regiões do País.

Críticas

Memórias com narrativa delicada” / “O título bem humorado indica o que a peça pode oferecer” / “Uma viagem afetiva por geografia emocional que explora regiões de contornos fantasticamente realistas” / “não há qualquer complacência queixosa ou saudosismo.” / “o ator Paulo Betti demonstra a mesma sinceridade e despojamento do autor.” / “uma vida áspera, mas encantatória, de um caipira que chegou com dificuldades ao mundo.
(Macksen Luis - O Globo)

Deixa gostinho de quero mais.” / “muitos méritos no desenvolvimento da dramaturgia e da encenação.” / “uma pérola na programação do teatro carioca.” / “repleto de lirismo” / “os assuntos evoluem de forma surpreendente” / “pelas nobres intenções, mas também pela alta qualidade do resultado, Autobiografia Autorizada, merece efusivos aplausos”.
(Rodrigo Monteiro – Veja Rio)


Ficha técnica

Texto e interpretação: Paulo Betti
Direção: Paulo Betti e Rafael Ponzi
Elenco: Paulo Betti
Cenário: Mana Bernardes
Figurino: Leticia Ponzi
Iluminação: Dani Sanchez e Luiz Paulo Neném
Direção de movimento: Miriam Weitzman
Programação visual: Mana Bernardes
Trilha sonora: Pedro Bernardes
Fotografia: Mauro Khouri
Assistente de direção: Juliana Betti
Assessoria de imprensa: Verbena Comunicação
Direção de produção: Lya Baptista
Produção São Paulo: DR Produções - Darson Ribeiro

Teaser



Serviço 
Espetáculo: Autobiografia Autorizada
Estreia: 11 de agosto. Sexta, às 21h30
Temporada: de 11 de agosto a 1º de outubro de 2017
Horários: Sexta (21h30), sábado (21h) e domingo (18h)
Duração: 110 minutos. Gênero: Comédia. Classificação: 12 anos.
Ingressos: R$ 50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia)
Bilheteria: terça a quinta (14h às 20h), sexta a domingo (14h até o início das sessões). Aceita todos os cartões de crédito e débito. 
Vendas online: www.ingressorapido.com.br (tel: 4003-1212).

Teatro Vivo
Av. Dr. Chucri Zaidan, 2460. Vila Cordeiro. São Paulo/ SP.
Tel: (11) 3279-1520. Capacidade: 274 pessoas.
Acessibilidade. Ar condicionado. Estacionamento/valet: R$ 25,00.
Site: www.vivo.com.br/teatrovivo
  
Paulo Betti: Natural de Rafard, SP, Paulo Betti viveu em Sorocaba até os 20 anos. Formou-se pela Escola de Arte Dramática da USP, foi professor da Escola de Arte Dramática da Unicamp e bolsista na norte-americana Fullbhrigt (Distingueshed artist Fellowship). Presidente da Associação Cultural Casa da Gávea, no Rio de Janeiro, Paulo é ator, diretor e produtor. O artista foi agraciado vários prêmios Molière, APCA, Mambembe, Governador do Estado e Kikito.

Dirigiu 12 espetáculos teatrais e atuou em outros 26, com destaque para Na Carreira do Divino (também diretor), Cerimonia Para um Negro Assassinado (de Fernando Arrabal), Os Iks (també diretor), O Inimigo do Povo (dir. Domingos de Oliveira), O Homem que Viu o Disco Voador (dir. Aderbal Freire Filho), Feliz Ano Velho (também diretor), A Tartaruga de Darwin (dir. Rafael Ponzi e Paulo Betti) e Deus da Carnificina (dir. Emilio de Mello). No cinema, atuou em mais de 20 filmes, sucessos como Mauá, Ed Mort, O Toque do Oboé, Guerra de Canudos e A Casa da Mãe Joana. Na televisão, foram 26 novelas (como Tieta, Mulheres de Areia, A Indomada, A Próxima Vitima, O Clone, Império e a recente Rock Story) e cerca de 20 papeis em especiais de TV e minisséries (Engraçadinha, Chiquinha Gonzaga, Os Maias, Lara com Z etc.).

Como melhor diretor teatral ganhou os prêmios Governador do Estado de SP, APCA e Mambembe pela peça Cerimônia para um Negro Assassinado; e prêmios APCA, Mambembe e Molière pelos espetáculos Na Carreira do Divino e Feliz Ano Velho. Como melhor ator, venceu os prêmios Governador do Estado de SP (por O Pagador de Promessas) e Shell / RJ (por A Fera Na Selva), além do Prêmio APCA de Melhor Iluminador por Feliz Ano Velho. No cinema, ganhou os prêmios Cidade de São Paulo e APCA pela atuação em Lamarca, além de dois Kikitos pelos filmes Infância (de Domingos Oliveira) e Cafundó (que dirigiu junto com Clóvis Bueno, premiado em quatro categorias). Também ganhou o Prêmio Contigo de Melhor Ator Cômico de Novela (A Indomada) e Prêmio Oscarito - Sindicato dos Artistas de Melhor Ator. Foi ainda indicado ao Prêmio Shell por Deus da Carnificina e O Homem que Viu o Disco Voador (este também indicado ao Prêmio Governador do Estado do RJ).

sexta-feira, 21 de julho de 2017

.: Programação do "Festival Geek" - sábado, 22 de julho


Casa da Frontaria Azulejada
Mestre de cerimônias: Edson Jr.
• 11h: abertura do espaço
• 11h: Abertura da exposição 'RC Comic Hero' do RC Studio
• 11h30: Mesa de RPG Old Dragon (Caverna)
• 12h: Abertura da exposição 'Historieta Argentina Brasil, da Associação dos Quadrinistas e Cartunistas do Estado de São Paulo (AQC)
• 12h: Apresentação, Batalha Viking com o grupo Ordo Draconis Belli
• 12h: Encontro Star Wars (Conselho Jedi) e Star Trek (Star Trekker)
• 12h: Artist's Alley, área especial para os autores de quadrinhos, com Luiz Gustavo, Fábio Coala, Emílio Baraçal, Raphael Fernandes, Bruno Oliveira, Clayton In Loco, Victor Freundt, Bruno Bispo, Denis DYM Freitas, Paulo César Santos, Rodrigo Marcondes, Joel Jr, Montserrat, Anderson Honorato, Aline Teodoro, Mangarts, Camila Queiroz, Pedro Igarashi, Clara Maria e Felipe Folgosi.
• 12h: Caricatura ao vivo com o Caricartoon
• 11h20 às 12h20: “Ouros da casa” – Painel com artistas da região (palco) - Artistas: Bruno Bispo, Clayton In Loco, Celso Oliveira, André Bernardino e Fábio Coala. Mediação: Dani Marino.
• 12h30 às 13h30: Show da Banda Gattai, com repertório de anime songs (palco)
• 13h30 às 14h30: Workshop “Como desenhar personagens de mangá”, com Leandro Henrique Altafim (auditório da Frontaria)
• 14h às 15h: “Criando Histórias” – Painel com escritores e roteiristas. Artistas: Emílio Baraçal, Marcela Godoy, Eduardo Kasse, Felipe Folgosi e Montserrat. Mediação: André Faccas.
• 14h30 às 15h30: Painel “Star Wars e Star Trek” (palco) com Mario Vicente (501st Brazil), Francisco Reol (Conselho Jedi), Fernando Augusto Dias Afonso (Star Trekker) e Oscar Junior (Star Trekker) (auditório). Mediação: André Azenha
• 14h30: Torneio Magic: The Gathering, Commander (TCG) - Caverna
• 15h: Mesa demonstração do jogo Spartacus (Kronos Games - Board) Caverna
• 15h às 15h30: Concurso K-pop - abreviação de korean pop (palco)
• 15h30 às 17h: Workshop de roteiro, com Emílio Baraçal (auditório)
• 16h às 17h: Editando HQs – Painel com editores (palco) - Paulo Maffia (Editora Abril), Sidney Gusman (Maurício de Souza Produções), Leandro Luigi Del Manto (Devir) e Raphael Fernandes (Draco). Mediação: Gabi Franco.
• 17h: Apresentação, Batalha Viking com o grupo Ordo Draconis Belli
• 17h às 18h: Marco Ribeiro, Dublador do Homem de Ferro (palco).
• 18h às 19h: Gravação do ODCast - ao vivo com Fábio Ribeiro (blog Opiniões Desinformativas), Gabriela Franco (Minas Nerd), Flávia Saad (Juicy Santos) e Vinicius Carlos Vieira (Cinemaqui)
• 19h: Carnaval Geek com a Banda HP Geek
• Durante o dia: Demonstrações de RPGs e Boardgames como Labyrinth, Ninja Camp, Wrong Chemistry, Coup, King of Scotland, Nosferatu, Raid and Trade, Cash'n'guns, entre outros. As demonstrações estão distribuídas entre os estandes.
• Área de compras (Espaço interativo) - Quem visitar o Museu Pelé ganhará descontos de 5% a 10% nas lojas participantes ao apresentar seu ingresso

Museu Pelé
• 11h: Abertura da exposição 21 anos de Resident Evil (1º andar)
• 11h: Abertura da Mostra Pixel Cafe de Jogos Nacionais (Espaço interativo)
11h: Credenciamento de imprensa, blogueiros, youtubers e influencers para acesso à sala de mídia (E-mail prévio para marcelofranca@santos.sp.gov.br com Nome, RG, Idade, Site / Página, Quantidade de integrantes)
• 11h às 20h: Aldeia Geek - Praça de alimentação (Estação do Valongo - estacionamento lateral)
• 11h às 20h: Pokémon Go Fest - Vamos caçar o máximo de Pokémons para liberar desafios globais - Pokestop com Lure (Área externa) - Presença especial de @leokem do canal Mestre Pokémon Go a partir das 11h. O youtuber irá caçar pokémon, fazer lives e conta com a participação dos treinadores da região
• 11h às 20h: Free Play em estações de Playstation 4 para visitantes (1º andar)
• 11h às 20h: Free Play Just Dance (Espaço interativo)
• 11h às 20h: Quarto do Terror – Free Play Resident Evi 7 com Sony VR (Espaço interativo)
• 11h às 20h: Youtuber por um Dia – Cenário para transmissão no Youtube (Espaço interativo)
• 11h às 20h: Área de compras (Espaço interativo)
• 11h às 12h30: Palestra Capsule ECS – Desenvolvimento de jogos Mobile para Iniciantes (Auditório)
• 11h30: Seletiva de Campeonato – FIFA 17 (1º andar)
• 13h: Seletiva de Campeonato – League of Legends (Arena LoL) – Transmissão das Partidas – Telão (Espaço interativo)
• 13h às 14h30: Final de Campeonato – FIFA 17 (Auditório)
• 15h: Seletiva de Campeonato - Street Fighter 5 (1º andar)
• 15h às 17h: Pré-estreia exclusiva no Brasil – Resident Evil: A Vingança, com apresentação de Bruna Lanzillotta e Cláudio Corrêa do site Revil –www.residentevil.com.br (Auditório)
• 16h: Seletiva de Campeonato - Injustice 2 (1º andar)
• 17h às 18h30: Finais de Campeonato – Street Fighter 5 e Injustice 2 (Auditório)
• 19h às 20h: Bate-papo Mulheres nos Games, com Bruna Lanzillotta (Revil), Barbara Gutierrez (UOL Jogos) e Cristina Santos (Olakristal) (Auditório)
• Durante o dia: Free Wi-fi Zone e sorteios de brindes
• Área de compras (Espaço interativo) - Quem visitar o Museu Pelé ganhará descontos de 5% a 10% nas lojas participantes ao apresentar seu ingresso.


.: A limonada musical da Graziela Medori faz bem


Por Luiz Gomes Otero*, em julho de 2017.

A frase clichê “filho de peixe peixinho é” pode muito bem se aplicar para a jovem Graziela Medori. Em seu segundo disco, "Toma Limonada", ela, que é filha da cantora Claudya e do músico Chico Medori, investiu em composições inéditas feitas pelo pai, além de algumas releituras de canções que fizeram a sua cabeça como intérprete. E o resultado ficou acima da média.

Graziela aprendeu a gostar do ofício desde menina, acompanhando as carreiras dos pais e com a convivência deles com outras personalidades da música. Desde o início conta com o apoio irrestrito dos dois. Se por um lado Claudya a convida eventualmente para participar de shows, Chico é o produtor musical dos seus dois discos, além de escrever canções para ela cantar.

O disco abre com "Brasil Multi Raça", de Chico Medori, uma canção com muitas citações clássicas de nossa MPB. Não por acaso, Graziela conquistou um prêmio ao defendê-la em um festival promovido no interior de São Paulo.

Dão sequência ao disco as ótimas faixas "Samba Malandro" e "Toma Limonada", esta segunda cantada em dueto com Seu Jorge, que acrescentou um brilho a mais para a faixa que dá título ao disco. O jeito irreverente e malandro de Seu Jorge caiu como uma luva no balanço composto por Chico Medori.

Há ainda "Na Pisada do Baião", onde Graziela passeia com desenvoltura pelo ritmo tradicional do Brasil. E em "Radical", ela canta com um arranjo que passa pela bossa nova e pelo jazz.

As releituras são um capítulo à parte neste trabalho musical. Graziela já cantava algumas delas com o projeto "Brazucália" (do qual ainda participa, por sinal). E Chico Medori teve o cuidado de produzir arranjos que se encaixaram no conceito musical que Graziela defende com uma incrível garra.

Um "Girassol da Cor do Seu Cabelo", de Lô Borges, ganhou um arranjo que mistura uma guitarra em estilo blues com um pouco de rock progressivo. De Marcos Valle, Graziela resgata a ótima "Paraíba Não É Chicago". E a veia roqueira da jovem intérprete pulsa forte em "Top Top" (dos Mutantes) e "Let Me Sing Let Me Sing" (de Raul Seixas).

Ela também regravou uma canção de autoria da mãe, "Golfinho de Ipanema", feita em parceria com Chico Medori nos anos 70. Uma homenagem justa para alguém que sempre serviu e que continua sendo fonte de inspiração para ela como intérprete.

Os arranjos de Chico Medori usam e abusam dos metais de sopro. E isso deu um colorido incrível para o disco, conferindo um balanço sonoro incrível. 

Graziela mostra uma maturidade indiscutível como cantora. O talento para a música está inserido no seu DNA, com toda certeza. E é por essas e outras que vale a pena experimentar a limonada musical de Graziela Medori.

"Toma Limonada"

"Brasil Multi Raça"

"Samba Malandro"

"Paraíba Não é Chicago"

*Luiz Gomes Otero é jornalista formado em 1987 pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Trabalhou no jornal A Tribuna de 1996 a 2011 e atualmente é assessor de imprensa e colaborador dos sites Juicy Santos, Lérias e Lixos e Resenhando.com. Criou a página "Musicalidades", que agrega os textos escritos por ele.



.: "O Grande Amor da Minha Vida" com Tatyane Goulart e Marcello Melo Jr.


Por Helder Miranda, em julho de 2017.

O que esperar de uma peça que une a menina prodígio que cresceu diante da televisão nos lares brasileiros e um ator que está em crescente ascensão na TV aberta? "O Grande Amor da Minha Vida" é sobre parceria, essa coisa impalpável que envolve a atmosfera de Tatyane Goulart e Marcello Melo Jr. no palco do Teatro Porto Seguro. Não é uma coisa para ser vista, mas é tamanha a sincronia dos dois, como se fosse um terceiro elemento. O quarto participante é o público, pela interação proporcionada pelo espetáculo.

Tatyane é o elemento de surpresa no palco. Desde pequena, principalmente nas novelas de Carlos Lombardi ela já brilhava como criança prodígio
prodígio e extremamente talentosa. Depois vieram os papéis juvenis, como a jovem com dificuldade de aceitação do corpo em "Malhação" e, no teatro, finalmente, tive a honra de presenciar um papel adulto dessa que prenunciava ser desde sempre uma grande estrela. No palco, é essa grande estrela prometida na televisão se mostra e seu corpo grita carisma e parece clamar por personagens cada vez mais desafiadores.

Marcello faz a mágica do espetáculo se tornar realidade. Como feijão com arroz, ele se complementa com Tatyanne a ponto de não dissociar o papel do casal da imagem deles. A dança e o canto não são novidade, tendo em vista que ele tem mostrado esses talentos nos realities da Globo. Mas, mesmo assim, ele mostra tudo isso de uma maneira completamente dissociada daquela que já foi vista. Ele é engraçado, é irreverente, é genial e, ainda assim, consegue ser inédito como artista e se reinventar.

Adaptação da série da TV Globo "A Comédia da Vida Privada", que fez sucesso nos anos 1990, a peça conta cont a história de um casal fadado a não ficar junto (todos nasceram para ser livres) que, contrariando todas as probabilidades... Fazem rir e chorar os mais emotivos. É lindo. Você ainda tem a próxima quarta e quinta, às 21h, para conferir no Teatro Porto Seguro, em São Paulo. Uma oportunidade para refletir sobre a vida e se apaixonar, mesmo que seja por si mesmo.

"O Grande Amor da Minha Vida"
Texto: Guel Arraes, João Falcão e Karina Falcão. Direção: Pedro Vasconcelos. Com: Tatyane Goulart e Marcello Melo Jr. 80 min. 12 anos.
Teatro Porto Seguro - Al. Br. de Piracicaba, 740, Campos Elíseos

Quarta e quinta-feira: 21h. Até 27 de julho. 
Ingresso: R$ 50 a R$ 70.

Telefone: (11) 3226.7300.Bilheteria: Terça a sábado, das 13h às 21h e domingos, das 12h às 19h.Capacidade: 508 lugares.Clientes Porto Seguro têm 50% de desconto na compra de 1 ingresso + acompanhante.Formas de pagamento: Todos os cartões de crédito e débito.Acessibilidade: 10 lugares para cadeirantes e 5 cadeiras para obesos.Estacionamento no local: Estapar R$ 20 (self parking) - Clientes Porto Seguro têm 50% de desconto.Serviço de Vans: Transporte gratuito Estação Luz - Teatro Porto Seguro - Estação Luz. O Teatro Porto Seguro oferece vans gratuitas da Estação Luz até as dependências do Teatro. Como pegar: na Estação Luz, na saída Rua José Paulino/Praça da Luz/Pinacoteca, vans personalizadas passam em frente ao local indicado para pegar os espectadores. Para mais informações, contate a equipe do Teatro Porto Seguro.Happy Hour Restaurante Gemma – quartas, quintas e sextas das 17h às 21h.
Vendas: www.ingressorapido.com.brSite: http://www.teatroportoseguro.com.br
Facebook: facebook.com/teatroportoInstagram: @teatroporto


* Helder Miranda escreve desde os seis anos e publicou um livro de poemas, "Fuga", aos 17. Participou de várias antologias nacionais e internacionais, escreve contos, poemas e romances ainda não publicados. É editor do portal de cultura Resenhando.com, do blog Televizinha.blogspot.com e roteirista de seriados e novelas do site Photonovelas.com.br.

.: Inscrições: Musical da vida de Hebe Camargo recebe mais de 500 currículos

Audições para Musical da vida de Hebe Camargo recebe mais de 500 currículos no primeiro dia de inscrições 


Foi lançado o edital para escolha dos atores que irão participar do Hebe, O Musical, com roteiro de Artur Xexeo e direção de Miguel Falabella. O edital foi lançado na última quarta-feira e já são mais de 500 candidatos. Inscrições seguem até o dia 27 deste mês. 

Mais de 500 pessoas já estão sendo avaliadas para participar das audições para o próximo passo da Plataforma Cultural Hebe Forever, encabeçada por Cláudio Pessutti: Hebe, O Musical, que terá roteiro de Artur Xexeo e direção artística de Miguel Falabella, produção de Luiz Oscar Niemeyer e Júlio César Figueiredo Júnior, coreografia de Fernanda Chamma e Cenografia e Designer Gráfico de Gringo Cardia, um tome de peso para fazer jus à trajetória da diva Hebe Camargo. As inscrições começaram nessa quarta-feira e encerram no dia 27 de julho. Os ensaios vão acontecer em agosto e setembro e a estreia do musical está prevista para outubro deste ano.

O musical é o segundo passo da Plataforma Cultural Hebe Forever, encabeçada por Cláudio Pessutti, e que terá ainda um filme, que será desmembrado em uma minissérie para TV e um documentário, um livro fotográfico e uma exposição com o acervo de Hebe. O musical será estreado no Teatro Procópio Ferreira, em São Paulo, seguindo para o Rio, com grandioso elenco.

Os interessados devem encaminhar breve currículo e duas fotos, uma de rosto e outra de corpo, para o email audicao@atualc.com.br e as interessadas em fazer o papel de Hebe devem colocar no assunto “Personagem Hebe”. As audições estão sendo realizadas pela Atual e pela Bonustrack.

Sobre Hebe Camargo: Paulistana de Taubaté, Hebe conquistou os brasileiros desde suas primeiras aparições como cantora, ainda na Rádio Tupi, na década de 1940. Hebe fez parte da comitiva que foi a Santos buscar os primeiros equipamentos para dar início à rede Tupi, primeira rede de televisão brasileira. Desde então, nunca mais saiu do ar, tornando-se A Rainha da Televisão Brasileira. Com sua personalidade forte, Hebe foi e ainda é um dos maiores ícones da nossa televisão: participou da primeira transmissão ao vivo, iniciou o primeiro programa feminino da TV brasileira, se tornou uma das maiores entrevistadoras do país.

Sobre a Plataforma Cultural: Liderado por Cláudio Pessutti, o projeto iniciado com a biografia de Hebe e que segue com o Musical terá ainda diversos eventos culturais, que serão lançados em 2017 e 2018, como a EXPOSIÇÃO com todo o acervo da apresentadora, como roupas e joias, e um FILME, que será desmembrado em uma MINISSÉRIE para TV e um DOCUMENTÁRIO. O anúncio dos próximos passos será realizado em breve, bem como as parcerias de peso que cada produto terá.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

.: João Emanuel Carneiro, autor de "Avenida Brasil" conta segredos

Com a palavra, João Emanuel Carneiro. Autor do grande sucesso "Avenida Brasil", ele fala de sua carreira para o programa "Donos da História", que vai ao ar no próximo domingo, no VIVA. João conta um pouco de sua trajetória até chegar à televisão. "Eu comecei escrevendo histórias em quadrinhos pro Ziraldo, fazia roteiro para as revistas 'Pererê' e 'Menino Maluquinho'. Aí me encaminhei, não sei como, pro cinema, pra fazer curta. Quando eu tinha 18 anos, fiz o primeiro curta, chamado 'Zero a Zero'", diz o autor. Depois disso, fez roteiros de cinema e acabou trabalhando com vários diretores nos anos 1990. "Meu sonho era me tornar um cineasta, não um roteirista, mas a vida me levou para esse lado de escrever. Fiz 'Central do Brasil', 'O Primeiro Dia', 'Chatô', 'Deus É Brasileiro', a adaptação de 'A Dona da História' e de 'A Partilha'. Fiz vários filmes. E do ambiente que vivia do cinema dos anos 1990 eu cheguei na TV Globo. O Daniel Filho gostava dos meus roteiros de cinema, me chamou pra fazer alguns filmes dele e, depois, me contratou pra entrar pra TV Globo".


O primeiro trabalho na emissora foi em 2000, ao lado de Maria Adelaide Amaral, na minissérie "A Muralha", como colaborador, levando uma visão cinematográfica à obra. No ano seguinte também ajudou em "Os Maias". Em 2002, integrou a equipe de autores da novela "Desejos de Mulher", de Euclydes Marinho, protagonizada por Regina Duarte e Gloria Pires. "Saber contar uma história em duas horas acho que é uma sabedoria. É uma ciência própria. E depois fui trabalhar com TV e conto uma história de 200 horas. Me pergunto se desaprendo de como contar em duas horas e ter essa concisão do cinema. Mas aí acho que consegui trazer um pouco da técnica e da concisão do cinema para o capítulo de novela", explica.

"Da Cor do Pecado" (2004) marcou a carreira de João Emanuel duplamente: foi sua estreia como autor solo e teve como destaque Taís Araújo (Preta) como a primeira protagonista negra de uma novela da Globo. Em 2006, assinou "Cobras & Lagartos". Sua estreia no horário das oito veio em 2008, com a polêmica "A Favorita". O autor ousou e começou a trama sem desvendar ao público quem era a vilã e quem era a mocinha: Flora (Patrícia Pillar) ou Donatela (Claudia Raia). Com a imbatível "Avenida Brasil" (2012), João Emanuel parou o país novamente. A novela entrou para os clássicos da teledramaturgia brasileira com personagens emblemáticos e as maldades da icônica vilã Carminha (Adriana Esteves). Seu trabalho mais recente na televisão foi "A Regra do Jogo", em 2015.

Sobre a arte de fazer novelas, João diz que sempre precisa achar um desafio para si. "No caso de 'Avenida Brasil', era contar a história de uma heroína que fosse uma vilã ao contrário. Fizesse coisas erradas por uma boa razão. Era a Nina. Contra uma outra mulher, que era péssima, detestável, deplorável, porém com alguma qualidade humana, que era a Carminha. Em 'A Regra do Jogo', é a história de um homem mau que se apaixona pela ideia de ser bom, que era o Romero Rômulo. Em 'A Favorita', que foi uma novela bem experimental minha, era inverter esses papéis da identificação imediata da mocinha e da vilã. 'Cobras & Lagartos' é uma novela com a figura central de Foguinho, era um Macunaíma sim, um herói sem nenhum caráter. 'Da Cor do Pecado' foi a minha novela mais tradicional. E, sobretudo, acho que tem que ser uma história que você conta durante oito meses para 40 milhões de pessoas, que você acredite que é a melhor história do mundo. Pode até não ser, mas você tem que achar porque você tem que se alimentar dela e vivê-la intensamente", revela o autor.

João diz, ainda, que o escritor de novela é uma pessoa que entra na casa de 40 milhões de pessoas e, por isso é preciso pensar no que está trazendo para elas, não pode ser muito ofensivo. Isso faz com que, segundo ele, o autor exerça uma autocensura. "Ao contrário de um filme, que elas vão ao cinema ver, ou de uma música, que elas escolheram escutar, ali não, você entrou na casa delas. Na sala, diante do sofá. Naturalmente, você vai formando um superego, digamos assim. Você não pode fazer uma história de freiras lésbicas assassinas".

O programa "Donos da História", será exibido domingo, dia 23 de julho, às 18h30. Horários alternativos: sexta, dia 28, às 18h15 e domingo, dia 30, às 18h.

.: Espetáculo "Brimas" trata de imigração e diversidade cultural


O espetáculo “Brimas” reestreia no Teatro Folha dia 2 de agosto e faz curta temporada em sessões as quartas e quintas-feiras. A peça trata sobre o tema da imigração numa abordagem com muito afeto, risos, emoção e cumplicidade entre as atrizes Beth Zalcman e Simone Kalil e suas personagens.


A partir de histórias reais de suas avós, Beth e Simone escreveram a peça para trazer ao palco Ester e Marion. Ambas saíram jovens de seus países de origem, Egito e Líbano, respectivamente, e foram acolhidas no Brasil no início do século passado. As personagens, uma judia e a outra católica maronita, estabelecem uma relação de amizade, convivendo com tolerância e respeito, valorizando a riqueza da diversidade cultural e religiosa de cada uma.

Na peça, as imigrantes revivem suas histórias enquanto cozinham quibes para um velório. O riso, a saudade da família e as memórias do passado se misturam nessa história cheia de emoção e sabedoria. A peça reflete o Brasil que acolhe e mistura as diferentes culturas, independente de nacionalidade ou crença religiosa. É um contraponto à realidade atual em que tantos refugiados no mundo têm suas travessias interrompidas.

A montagem com direção de Luiz Antônio Rocha estreou em novembro de 2015 no Rio de Janeiro, recebendo indicação ao Prêmio Shell na categoria Melhor Texto. Em 2016, reestreou para mais uma temporada de sucesso no Rio de Janeiro e também fez temporada em São Paulo. A aceitação e identidade com a plateia foram imediatas em todas as temporadas. "Muito feliz por ter embarcado nessa viagem, nesse projeto lindo e abençoado. Falamos dos imigrantes que deixam suas pátrias e cruzam o oceano em busca de uma nova pátria. 
Através do humor falamos dessas travessias”, diz o diretor Luiz Antônio Rocha.

Para a autora e atriz Beth Zalcman, falar de sua avó é falar de identidade construída pelo afeto, pelo cheiro e sabores da comida, pelos gestos, pela voz, pelas histórias vividas e sentidas. “Brimas fala da possibilidade de encontros, de paz, independente de crenças, nesse momento contemporâneo de tanta intolerância”, observa a atriz.

A atriz e autora Simone Kalil diz que o texto mostra a força das matriarcas que representam tantos outros imigrantes. “Essa peça fala do oriente médio e do Brasil. Brimas aborda o que há de mais humano em nós: o amor, a saudade, a família, a fé e a alegria”. As personagens demonstram amor à terra em que nasceram e também orgulho de pertencer à pátria brasileira que as acolheu como filhas.

"Brimas” retrata a história de milhares de imigrantes que chegaram ao Brasil no inicio do sec. XX através das histórias contadas por Beth e Simone, sobre suas avós.  Esther, judia, nascida no Egito e Marion, católica maronita, vinda do Líbano, fazem comida para fora e revivem suas histórias de vida enquanto cozinham quibes para um velório. Usando o humor como tempero, o público vai descobrindo a cultura do oriente médio e a coragem dessas matriarcas inseparáveis que fazem da cozinha um verdadeiro território de paz e amizade.

Ficha Técnica
Texto e atuação: Beth Zalcman e Simone Kalil
Direção: Luiz Antônio Rocha
Assistente de direção: Valéria Alencar
Cenário e adereços: Toninho Lôbo
Figurino: Claudia Goldbach
Iluminação cênica: Aurélio De Simoni
Preparação de elenco: Beth Zalcman
Direção de produção: Beth Zalcman, Simone Kalil e Luiz Antonio Rocha
Realização: Mabruk Produções, Espaço Cênico, Mimica em Trânsito   


Serviço
"Brimas
Local: Teatro Folha
Temporada: 2 a 31 de agosto
Apresentações: quartas e quintas-feiras, 21h
Ingresso: R$ 30 (setor 2) e R$50 (setor 1)
Duração: 70 minutos
Classificação indicativa: dez anos
*Valores referentes a ingressos inteiros. Meia-entrada disponível em todas as sessões e setores de acordo com a legislação.


Teatro Folha
Shopping Pátio Higienópolis - Av. Higienópolis, 618 / Terraço / tel.: (11) 3823-2323 - Televendas: (11) / 3823 2423 / 3823 2737 / 3823 2323 Site: www.teatrofolha.com.br

quarta-feira, 19 de julho de 2017

.: Programação do "Festival Geek" - sexta, 21 de julho


Praça Mauá
• 11h: Leia Santos Especial HQ e Mangá – distribuição de gibis gratuita.

• 12h: Entrega do Painel Geek do artista plástico Èrico Bomfim, próximo a Frontaria Azulejada.

Casa da Frontaria Azulejada
Mestre de cerimônias: Edson Jr.


• Abertura oficial com a presença de Maurício de Sousa (retirada gratuita de ingressos quinta-feira, dia 20, a partir das 11h, no Museu Pelé - cada pessoa pode retirar até dois ingressos).


• 18h: Cerimônia de Abertura e Concerto Banda Marcial de Cubatão.

Reunindo trilhas de filmes como "Star Wars", "Rocky", "Jurassic Park", "Superman", "Batman", e de séries e animes como "Dragon Ball", "Cavaleiros do Zodíaco" e "Power Rangers".

O grupo, com regência de Alexandre Felipe Gomes, tem se apresentado, com sucesso, em eventos como Jedi-Com, Anime Friends um pré-estreia de "Star Wars: Rogue One" (Cine Roxy), levando ao público grandes sucessos de filmes, séries e animes.

O "Santos Criativa – Festival Geek" é realizado pela Secretaria de Turismo de Santos e tem apoios da Santos Comic Expo, Anime Summer, CulturalMente Santista, Gibiteca deSantos, Pixel Café, Supernova Produções, Hitotsu Eventos, REVIL, Zero Treze Fighting Games, Guiganet, Warner, Sony Pictures, Capcom, Anny Maison e Super Geeks.

Endereços:
Casa da Frontaria Azulejada - R. do Comércio, 92, Centro
Museu Pelé - Largo Marquês de Monte Alegre, s/n – Valongo
Inscrições para campeonatos de games e oficinas: http://www.turismosantos.com. br/festivalgeek/

terça-feira, 18 de julho de 2017

.: Curador do jogo "Baleia Azul" é preso após investigação do "Jornal da Record"


Quase dois meses após o "Jornal da Record" exibir uma reportagem exclusiva sobre quem está por trás do jogo "Baleia Azul", a Polícia Civil do Rio de Janeiro efetuou a prisão, em Nova Iguaçu, de um dos curadores da série de 50 etapas que leva ao suicídio.
O jovem de 23 anos foi identificado pela emissora depois de meses de investigações do Núcleo de Investigações Jornalísticas da Record TV, que se infiltrou em comunidades restritas e chegou até o administrador do jogo se fazendo passar por uma pessoa adepta dos desafios.
Depois de fingir cumprir as ordensuma vez por dia, a produção conseguiu se encontrar com o moderador. Sem desconfiar que a conversa estava sendo gravada, ele falou sobre o jogo e contou por que queria levar os jovens a cometer o suicídio.

Com a ajuda desse material, a Polícia Civil fluminense passou a investigar o rapaz e prendeu o primeiro curador do jogo "Baleia Azul" no Brasil. Todos os detalhes da prisão serão exibidos nesta terça, 18 de julho, a partir das 21h45, no "Jornal da Record"

A equipe que trabalhou na reportagem foi chefiada pelo diretor de gestão de jornalismo, Leandro Cipoloni, e composta por Luiz Carlos Azenha, André Caramante, Julia Rezende, Camila Moraes, Diego Costa, Álvaro Saraiva e Lumi Zúnica.

A reportagem que identificou o curador foi exibida pelo "Jornal da Record" em 31 de maio deste ano e fez parte de uma série especial sobre suicídio.

.: Ana Paula Renault critica Emilly Araújo: "Continuou patética"  


No "Luciana By Night" desta terça-feira, 18 de julho, Luciana Gimenez recebe a jornalista Ana Paula Renault. Envolvida em grandes polêmicas depois de participar do reality show "Big Brother Brasil", a mineira revela ter entrado no programa sem pretensão alguma e se comportado de forma transparente, desde o início: “Na época estava com 34 anos, não tinha me encontrado profissionalmente e dei um tiro no escuro. Escrevi toda a verdade e acho que por isso me escolheram. Não era mais especial que ninguém, me expus exatamente como sou”.

Formada em jornalismo e com duas pós-graduações no currículo, Ana Paula revela não ter encontrado motivação para iniciar a profissão, já que sempre teve uma vida confortável. “Nada me despertava para trabalhar com gosto e alegria. Nunca comunguei desta experiência e meu pai não me obrigava a nada. Até tentei algumas vezes, mas acordava desmotivada e isso me frustrava muito”, relembra a bela, que atualmente se encontra em um cenário diferente. “Estou tentando colocar meu diploma de jornalista para funcionar, temos vários projetos vindo por aí e é só mudança atrás de mudança. Desde que saí do reality, não parei um segundo”, comemora.

Conhecida por seu jeito explosivo e sincero, ela diz para Gimenez que sempre se comportou assim, classificando sua personalidade como “espontânea”. “Não sou briguenta, sou reativa. Se eu escuto algo que não gosto, vou lá e falo. Tento sempre me mostrar presente nos lugares e estar bem. Acho que é importante você poder demonstrar sempre sua opinião”, diz.
No início de 2016, a modelo e atriz Monique Evans postou em seu Twitter uma crítica a Ana Paula, chamando-a de “manipuladora, prepotente, arrogante e preguiçosa”. No palco do programa, a jornalista não demonstra mágoa da eterna “Titia” e a elogia: “Sempre gostei da Monique e tenho o mesmo pensamento até hoje. Gosto dela, mesmo ela não gostando de mim”.

Ao contrário de Monique Evans, Emilly, a vencedora da última edição do reality, não tem nenhuma afeição por parte de Ana Paula. “Não é uma pessoa que eu gosto. Não conheci e nem quero. Somos muito diferentes, não concordo com várias atitudes dela e, tanto dentro quanto fora da casa, ela continuou patética do mesmo jeito”, dispara.

Ao final da atração, Luciana Gimenez desafia Ana Paula a apresentar um telejornal e ela demonstra que entende de improvisos, tirando de letra a atividade proposta. Apresentado por Luciana Gimenez, o "Luciana By Night" vai ao ar às terças-feiras, às 22h45, pela RedeTV!.

Postagens mais antigas → Página inicial
Tecnologia do Blogger.