terça-feira, 24 de novembro de 2015

.: 5x7: As tremulações do passado de "American Horror Story: Hotel"

Por: Mary Ellen Farias dos Santos 
Em novembro de 2015 



No episódio "Flicker", acontece uma super reforma no Hotel Cortez, até que o senhor Drake (Cheyenne Jackson) é chamado por um dos responsáveis pelo trabalho. O que foi encontrado? Uma parede com 3 centímetros de aço. Ok! Quem acompanha esta quinta temporada de "American Horror Story" sabe bem quem foi o "idealizador" de tamanha "arte", porém não imagina o que esteja "guardado" ali. É claro que há algo terrível a ser descoberto, isto é, novos personagens. Tio Ryan Murphy já exagerou na dose deste ingrediente. Convenhamos!!

Eis que uma pista de loucura aponta para o que John Lowe (Wes Bentley) está obstinado a fazer. Seria tudo culpa do assassino dos "Dez Mandamentos"? Ops! Tudo indica que o tal assassino é o próprio investigador. Qual será a surpresa, hein?! Basta ligar a antena para o desejo intenso e incontrolável de Lowe em fazer e acontecer, o que coloca a conduta dele em dúvida. Lowe é tão mocinho da história quanto parece? Destaque para o sorrisinho ao afirmar que ele sente estar exatamente aonde deveria. 

Entretanto, o detetive chega até quem tanto deseja: Wren, que desde 1985, é uma linda garotinha destemida. Muito corajosa, principalmente se considerarmos a cena final deste episódio. Embora seja chocante, até alivia, pois é um personagem a menos. Está difícil acompanhar tantas entradas e saídas. Ok! Eu sei que a trama se passar em um hotel, mas... francamente! 


Após a Condessa (Lady Gaga) tentar exprimir qualquer feição de temor, um recapitula para o ano de 1925, Hollywood. A viagem no tempo simboliza o retorno de 
Finn Wittrock, desta vez, na pele do famoso ator Valentino, que tem o nome verdadeiro de Rudy. No mais, "senta que lá vem história" de amor, traição e muita vingança!! As cenas são justificadas, pois unem os pontos da trama que estavam soltinhos da Silva.

Já aviso que as lembranças da Condessa são despudoradas e sanguinolentas. A nudez de sempre, ou seja, close em bunda e mais bunda! Contudo, quando é a vez de Valentino contar sobre o passado que viveu, o episódio ganha dinâmica e as cenas em preto e branco, incluem tremidinhas e aceleradas, tal qual um filme muito antigo. Um toque refinado ao episódio, indiscutivelmente.


Assim, lá vem novo personagem, F. W. Murnau, o grande diretor alemão do cinema mudo, que parece ser a chave de todo o enredo desta temporada. Ao menos é dele o pontapé inicial para este emaranhado de sexo e sangue que explodem no Hotel Cortez: a infecção com um antigo vírus sanguíneo que concede a vida eterna e uma terrível sede. 




Outro ponto forte do episódio é o jantar de Mr. March (Evan Peters) e a Condessa. A conversa entre os dois é extremamente provocante. Excelente brincadeira! Enfim, será que "American Horror Story: Hotel" é uma história de amor não correspondido?


Seriado: American Horror Story: Hotel
Temporada: 5
Episódio: 7 - "Flicker"
Exibido em: 18 de novembro de 2015, EUA.
Elenco: Lagy Gaga, Sarah Paulson, Wes Bentley, Denis O'Hare, Finn Wittrock, Matt Bomer, Evan Petters, Kathy Bates, Angela Bassett, Cheyenne Jackson, Chloë Sevigny.


* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com, jornalista, professora e roteirista, além de criadora do www.photonovelas.com.br. Twitter:@maryellenfsm



Vídeo promocional do episódio

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.