quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

.: #RESENHANDOMAISLIDAS7 "A Minha Primeira Vez" FOI ótima!

Por Helder Miranda
Em novembro de 2014

“A Minha Primeira Vez” é uma peça de teatro, mas bem que poderia ser um documentário. Em cartaz no Teatro Folha, no Shopping Higienópolis, até 20 de dezembro, o espetáculo, produzido pelo grupo empresarial Conteúdo Teatral, trata, alternando comédia e drama, de um momento muito delicado na vida de quem pratica sexo pela primeira vez. 

Para quem vai à peça sem nenhuma expectativa a não ser o divertimento puro e simples, o espetáculo é surpreendente em todos os aspectos. Desde o prazer de assistir um elenco completamente afinado de jovens atores ótimos, que esperam o público sentar para interagir e distribuir um papel com perguntas indiscretas que, no final da peça, faz todo o sentido.

Louise D´Tuani, a loira que interpretou a personagem Livia na novela “Em Família” e resolveu toda a novela em uma única cena, fazendo o que todos os personagens tinham vontade de fazer e não concretizavam – matar o insuportável Laerte, de Gabriel Braga Nunes – é excelente e muito versátil. Bem diferente da personagem de novela, que dava a impressão de que ela era uma atriz ruim.

Gabriella Vergani, a ruivinha que ficou famosa na internet pelo seriado da revista “Capricho” também dá o seu recado, alternando momentos de pura “mimosice” com outros em que ela está superengraçada, como quando interpreta uma lésbica masculinizada que quer tirar a virgindade de um rapaz. 


Vinda de novelas como "Lado a Lado", vencedora do Emy 2013, e "Viver a Vida", Priscila Sol, a morena de 32 anos, a veterana do grupo que ainda convence no papel de adolescente é a responsável pelo momento mais dramático da peça, quando relata, dentro de um contexto em que não cabe julgamentos, um caso de incesto em que o pano de fundo é a primeira vez de dois irmãos.

O elenco masculino só complementa o time de bons profissionais que entretém, fazem pensar e explicam sem parecerem didáticos. Ronny Kriwat, o Leto, filho de Laerte e Shirley (Viviane Pasmanter) na novela “Em Família”, traz leveza e descontração ao espetáculo. O galã paraibano Leandro Lima, que foi destaque na novela das 18h, “Joia Rara”, mostra que é talentosíssimo no teatro. Ian Soffredini acrescenta um ar de sofisticação e até de grife pelo sobrenome, já que é parente de grandes nomes das artes cênicas e continua mantendo a excelência das atuações de família.

Dizem que são histórias reais, enviadas para os sites  “My First Time” e A Minha Primeira Vez. Por algum tempo, toda a estrutura montada em torno desses jovens atores me remeteu a um clássico teatral da década de noventa, “Confissões de Adolescente”, que foi ovacionado pelo público nesta faixa etária, foi estrelado e escrito pela atriz Maria Mariana, que anda sumida, e gerou um filme quase recente. A minha primeira vez vendo esta peça foi ótima, espero voltar mais vezes. E, se você não gostar de teatro, vá mesmo assim. Além de dar boas risadas, ficar apreensivo se os atores lerem a ficha que foi distribuída por eles antes mesmo de o espetáculo começar, e se emocionar algumas vezes... os atores são lindos, talentosíssimos e, além disso, a dicção de todos eles é ótima! Mas, a respeito da minha... eu não vou contar, não!

Sobre a Conteúdo TeatralO grupo empresarial paulista Conteúdo Teatral atua há mais de dez anos em duas vertentes: gestão de salas de espaços e produção de espetáculos. Como gestora é responsável pela operação do Teatro Folha, no Shopping Pátio Higienópolis, em São Paulo, e do Teatro Amil, no Parque D. Pedro Shopping, em Campinas. Essa frente conta com direção artística de Isser Korik e direção comercial de Léo Steinbruch, programando espetáculos para temporada em regime de coprodução. No período de atuação da empresa, ao todo, as casas somam 2 milhões de espectadores.

Como produtora de espetáculos, viabilizou dezenas de peças para os públicos adulto e infantil, como “Gata Borralheira”, “O Grande Inimigo”, “Os Saltimbancos”,“A Pequena Sereia”,“Grandes Pequeninos” e “Branca de Neve e os Sete Anões” para as crianças. Para os adultos foram realizadas, entre outras montagens, “A Minha Primeira Vez”, “Os Sete Gatinhos”, “O Estrangeiro”,“Senhoras e Senhores”, “O Dia que Raptaram o Papa”,“Te Amo, São Paulo” e a trilogia “Enquanto Isso...”, além de projetos de humor – como “Nunca Se Sábado...” –, o musical “Um Violinista no Telhado”, e mostras como o “IMPROVISORAMA” – Festival Nacional de Improvisação Teatral. Em sua primeira edição, reuniu os melhores grupos de improviso do Brasil, como a Cia. do Quintal e Barbixas, entre outubro e novembro de 2013. A iniciativa marcou os oito anos do Teatro Amil.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.